Meditação do dia: 31/07/2019

  “Depois deu Zilpa, serva de Lia, um segundo filho a Jacó. Então disse Lia: Para minha ventura; porque as filhas me terão por bem-aventurada; e chamou-lhe Aser.” (Gn 30.12-13)

 Aser – Esse é o oitavo filho de Jacó, o segundo com a serva de Lia, Zilpa. O nome, significa feliz, bem-aventurado, foi dado por Lia, numa demonstração de que as gerações futuras a reconheceriam como uma mulher feliz por ter sido uma mãe com abundancia de filhos e assim ela prevalecia sobre a sua irmã. Queremos reconhecer a bênção de Deus sobe Jacó, cumprindo-lhe a promessa de vir a ser o pai de uma grande nação. Ele estava vendo essa bênção se firmando pois agora já era um pai de oito filhos, mais do que todos anteriores, ou seja, seu pai e seu avô. Para alguém que deixou sua terra natal, seus familiares e seus bens, para recomeçar a vida bem distante de tudo que conhecia, isso era gratificante. Posso imaginar, a alegria do coração desse homem, que construiu sua vida com muito trabalho e dureza, servindo a um tio e cuidando de rebanhos que nem eram seus. Mas ele não estava olhando apenas para seus instantes de sofrimento, pois mantinha seu foco em algo muito mais firme e valioso. Para alguém comum e mentalidade mediana, diria que era uma família em crescimento; um homem, duas esposas e duas servas e oito filhos. Jacó olhava para uma tribo, uma nação e tudo estava se encaminhando para isso. Não vou fazer comercial do supermercado Pão de Açucar, mas “o que é que te faz feliz?” Lia estava levando muito à sério a disputa com Raquel, e agora ela estava certa de que seu nome seria lembrado entre as mulheres, por seu uma bem-aventurada mãe de muitos filhos; quando se tornassem uma nação, o nome dela seria lembrado. Hoje, cada um de nós, dentro de nossas vocações e dos serviços que nos foram confiados por Deus no seu reino, precisamos pensar com seriedade, mas também com sanidade, pois a causa é bem maior do que a todos nós. O reino é eterno e somos elos da construção dele; assim, não podemos colocar nossas idéias pessoais de sucesso ou de ver o nosso nome na história. Entendemos que a Deus pertence toda a honra e toda a glória, por aquilo que ele é e por tudo o que ele faz. Nossas batalhas, devem culminar num processo de unidade para o sucesso de toda a causa. Lia e Raquel brigavam entre si por afeto e atenção, e assim iam dando os nomes aos seus filhos, mas Jacó estava olhando para uma nação em formação e nesse sentido, a briga particular pouco atenção merecia. Por alguma razão essa idéia ou conceito, ficou registrado nos Salmos: “Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração” (Sl 40.7,8).

 Senhor, obrigado por ser a fonte da nossa alegria. Nosso prazer está em fazer aquilo que te agrada, tal qual o nosso Senhor Jesus. Obrigado pelo privilégio de lutarmos as batalhas que tornarão o teu reino, cada dia mais real, em todos nós. Em nome de Jesus, amém.

Ps: (Essa meditação ficará fora da ordem, por motivo de viagem)

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s