Tempo de Ajuntar Pedras

Meditação do dia: 13/09/2019

  “E disse Jacó a seus irmãos: Ajuntai pedras. E tomaram pedras, e fizeram um montão, e comeram ali sobre aquele montão. (Gn 31.46)

 Tempo de Ajuntar Pedras – Lembrei logo do texto em que Salomão falou sobre tempo de ajuntar pedras… Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras (Ec 3.5). Aqui, literalmente Jacó mandou as pessoas ajuntarei pedras e fizeram um montão, onde muitas pessoas puderam sentar-se ali e fazerem uma refeição juntos. A razão de ajuntar pedras, era para marcar ou sinalizar um acordo de paz entre as duas partes que até então estavam em conflito. Comer junto é um sinal de amizade e de passividade, até por isso, muitos negócios e acordos são celebrados em um momento de refeição. As grandes recepções de amizade e boas vindas normalmente se faz em um almoço ou jantar, onde o anfitrião oferece algo nobre ou de bom gosto para que o visitante se sinta acolhido. Eles iriam subir naquele montão de pedras para uma boa causa, que era comerem e assim darem por encerrado uma fase de litígio. Carregar pedras é difícil, perigoso e pesado, mas a causa justificava o esforço e o caráter do trabalho nem é levado em consideração dada a nobreza do que se propõe fazer. Há uma outra situação em que na Bíblia pessoas são chamadas a juntar pedras para um propósito especial. Foi na travessia do Rio Jordão no final do êxodo dos israelitas. Ali também eles iriam levantar um monumento memorial, marcando a travessia vitoriosa em seco, mesmo sendo época de cheias no rio. Chamou, pois, Josué os doze homens, que escolhera dos filhos de Israel; de cada tribo um homem; E disse-lhes Josué: Passai adiante da arca do Senhor vosso Deus, ao meio do Jordão; e cada um levante uma pedra sobre o ombro, segundo o número das tribos dos filhos de Israel; Para que isto seja por sinal entre vós; e quando vossos filhos no futuro perguntarem, dizendo: Que significam estas pedras? Então lhes direis que as águas do Jordão se separaram diante da arca da aliança do Senhor; passando ela pelo Jordão, separaram-se as águas do Jordão; assim estas pedras serão para sempre por memorial aos filhos de Israel (Js 4;4-7). Para quem leu a meditação escrita ontem, vai compreender facilmente a importância de se construir monumentos, memoriais que servem para marcar um evento importante da manifestação do poder de Deus em nosso favor. Os israelitas marcaram com um memorial de doze pedras retiradas do leito do Rio Jordão, que estava seco durante a passagem do povo. Deus disse a eles que aquilo serviria de testemunho, para que um dia no futuro, alguém perguntasse o significado daquele monumento, então sua explicação seria um testemunho do poder de Deus em favor do seu povo. As próximas gerações precisam ouvir sobre tudo o que Deus tem feito em nossos dias para a que a fé deles tenha firmeza e possam confiar também. Jacó fez um monte de pedras e ainda serviram um jantar onde todos comeram sentados ali, para lembrarem sempre daquela ocasião. Pense sobre sua vida devocional, seus momentos com Deus e se não é preciso fazer algum monte de pedras para eternizar uma bênção do Senhor? Um amigo muito querido, pastor José Rego do Nascimento Jr. (Zezinho), diz que os cristãos gostam muito de monte, vivem nos montes: Monte de oração, monte de problemas, monte de cobertas ou monte de comida; mas sempre monte!

Obrigado Senhor, pelos memoriais que levantamos e com eles marcamos as bênçãos e as vitórias que tens derramado sobre nós. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s