Em Nome do Pai

Meditação do dia: 14/09/2019

  “O Deus de Abraão e o Deus de Naor, o Deus de seu pai, julgue entre nós. E jurou Jacó pelo temor de seu pai Isaque. (Gn 31.53)

 Em Nome do Pai – Sem dúvida alguma a maior herança que um pai cristão pode deixar para seus filhos é a herança de fé. Um legado espiritual inabalável, que vai norteá-los ao longo de suas vidas e passar ainda para as próximas gerações. O conceito de geração em geração se tornou algo muito notável para mim, desde quando comecei a estudar e a pesquisar sobre a família e os propósitos divinos para ela. Aprendi muito sobre as Veredas Antigas de Deus, os Caminhos Eternos deixados como marcos delineatórios para a sociedade. A cultura hebraica antiga é muito rica em significados de estruturação familiar e os ideais de Deus para os povos ficam muito claros. As festas, os rituais, os memoriais, o culto e a vida em geral apontavam sempre para uma centralidade em Deus e uma obrigatoriedade voluntária de transmitir todo aprendizado para as próximas gerações, e isso não era feito através de escolas, bibliotecas, livros ou sistemas de dados. Tudo era passado de pai para filho, de geração para geração, vendo, ouvindo, aprendendo na prática, fazendo e repetindo anualmente de geração em geração como pacto sagrado, compromisso eterno. O ensino da Palavra de Deus, tal qual a conhecemos como nossa Bíblia, mesmo antes dela existir em papel, rolo, pergaminho e etc. ela já era conhecida e passada adiante através da transmissão oral de pai para filho, de geração para geração, para que os feitos de Deus fossem conhecidos e amados. Não é necessariamente uma crítica ao estilo de sociedade em que vivemos, mas fracassamos quase que totalmente nesses quesitos. Mesmo os pais cristãos piedosos dos nossos dias, terceirizam a espiritualidade dos filhos e a educação cristã, relegando para a igreja e os obreiros a responsabilidade de ensinar, treinar e preparar as crianças para a fé. A igreja assumiu a função da família e tal qual o estado, ela não tem condições de fazer esse papel com eficiência. Em grande número de igrejas Brasil à fora, os pais simplesmente descartam as crianças na porta do templo e só as veem novamente ao final das reuniões. A explicação é que elas “perturbam e atrapalham” o culto dos adultos. Também lá tem material adequado à faixa etária delas e as “tias” são boazinhas e tem até lanche e brinquedos para elas. Nas EBD é comum as crianças levarem a revistinha para casa para fazerem a lição semanal e responder as perguntas e fazerem as atividades práticas junto com os pais e elas volta, (quando voltam) totalmente em branco e os pais não tem a menor noção do que se passa com seus filhos pequenos. Eu sou pastor e vou prestar contas do meu trabalho como pastor de igreja, pelas almas dos membros sob minha responsabilidade; mas filhos, só tive duas e sou responsável pelas duas. Cada pai e cada família responderá pelas suas. Como trabalho de discipulado, paternidade espiritual e mentoreamento, todos nós vamos além das portas de nossas casas e evangelizamos, discipulamos, assumimos a paternidade espiritual de filhos não biológicos e acolhemos e trabalhamos com quantos nos for possível; mas a transmissão da bênção e da herança espiritual é de reponsabilidade de pais e famílias, é para ser e continuar sendo de geração em geração. “Uma geração louvará as tuas obras à outra geração, e anunciarão as tuas proezas. O teu reino é um reino eterno; o teu domínio dura em todas as gerações (Sl 145.4,13); Para durar por todas as gerações, é preciso ensinar, transmitir e viver sob os domínios de Deus EM TODAS AS GERAÇÕES. “Em lugar de teus pais estarão teus filhos; deles farás príncipes sobre toda a terra. Farei lembrado o teu nome de geração em geração; por isso os povos te louvarão eternamente (Sl 45.16,17). Desde Abraão a fé permanece firme e os povos israelitas se diferenciam de todos os povos e enfrentam todas as barras e guerras e seguem firmes e fiéis na aliança e compromisso com Jeová. Escrevi tudo isso, só para apresentar a minha alegria e a minha admiração pela fé de Jacó, que na hora da angústia e de conflitos de grande estresse, teve que fazer um pacto e o juramento de paz e invocou como sagrado e inquebrável o TEMOR DE ISAQUE. Ele apostou na piedade e temor de Deus na fé de seu pai. Significa que aquilo o influenciará muito e na vida toda. “A fé do meu é sagrada, tão sagrada que posso jurar por ela.”Diria ele.

Pai celestial, graças te rendemos por tua fidelidade e por tuas misericórdias que duram para sempre e são renovadas a cada manhã para com os teus filhos. Ninguém há como o Senhor nosso Deus, de eternidade à eternidade tu és Deus! Obrigado pela vida e sacrifício de Jesus, que se entregou por todos nós e assim nos deu o poder de sermos feitos filhos de Deus, aos creem no seu nome. Nossa fé é preciosa e é um legado muito precioso para deixarmos para nossos filhos e nossas gerações. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s