A Boa Fé

Meditação do dia: 08/12/2019

 “E tomai em vossas mãos dinheiro em dobro, e o dinheiro que voltou na boca dos vossos sacos tornai a levar em vossas mãos; bem pode ser que fosse erro.” (Gn 43.12)

A Boa Fé – Vivemos num mundo cujos valores são opostos aos que cultivamos e cuja tendência é querer nivelar todos pelas práticas convenientes a todos. Confrontar hoje em dia é quase um pecado mortal. Força-se a uma inclinação de tolerância rasa, fabricada sob medida para que tudo seja aceito e tolerado sem confronto de certo e errado. Quando vemos boas práticas nos alegramos; o mundo fica surpreendido com atitudes positivas de honestidade, generosidade e doação. Tudo isso nos trás ao centro da nossa vocação primária: sermos sal e luz; e o mundo está precisando mesmo de muito sal e de muita luz. Isso pode e deve ser visto nas relações onde nós, os cristãos somos parte e onde somos atores. Não é o caso de precisarmos ser diferentes; já somos diferentes e foi exatamente para isso que Deus nos alcançou. Somos a diferença que se espera. Olhando a experiência de Jacó e seus filhos, aparentemente era apenas um negócio; compra e venda. Oferta e procura; eles tinham demanda de alimentos e os egípcios tinham os produtos e estavam vendendo para quem desejasse comprar. Tudo que aparentemente vemos aqui é que alguém deu o troco errado e achado não é roubado. Mas não era assim o comportamento do patriarca e não aceitou seus filhos agirem diferente. Eles não sabiam o que havia acontecido na outra ponta e queriam manter as relações em alto nível. Jacó pensou longe, pensou alto e pensou no quadro todo. O homem forte testou a honestidade de seus filhos nas palavras deles; exigiu garantias de idoneidade, retendo um dos irmãos e exigindo a presença do menor para que tudo ficasse esclarecido. Então Jacó viu a possibilidade de que aquele dinheiro encontrado junto com as provisões, poderia ser ou não engano. Poderia ser a continuidade dos testes, agora sem eles terem controle. A ordem agora era para estarem precavidos: levar o dinheiro que fora encontrado de volta e devolver – levar dinheiro em dobro para nova compra. Sabe-se lá o que havia no coração e na cabeça daquele homem. Estamos falando de honestidade e transparência nas atitudes. Estamos olhando para a real condição de vida e de fé das pessoas, quando lhe são dadas oportunidades de lucro fácil, ganho anormal, tirar proveito, mesmo que isso não prejudique ninguém. Como agimos quando não estamos sendo vigiados? Como procedemos onde não somos conhecidos? Não podemos argumentar que somos pobres, de poucos recursos, ou queremos economizar; nossas ações mais do que revelam nosso condição social, moral e espiritual. Precisamos primeiro da aprovação nossa mesmo; auto avaliação – precisamos aprovar nossas próprias práticas, baixar nosso nível e inaceitável. Revelamos nosso caráter através de nossa conduta, então ser reprovado também é inaceitável. Aceitar troco errado, vantagens indevidas e lucros com prejuízos e danos a outros não é bênção de Deus e nem fonte de suprimentos milagrosos. Já ouviu falar em educação financeira? A primeira lição é aprender a viver dentro da sua realidade financeira. Deus vai te sustentar, te abençoar e te prosperar, se for aprovado nessa primeira lição. Qualquer pessoa, instituição e até governo e nação que gasta mais do que arrecada, vai entrar em falência. O Brasil deve servir de exemplo para todos nós brasileiros, pois o pais vem gastando muito mais do arrecada e ainda aumenta mais os gastos ano após ano além do aumento da arrecadação e ninguém aceita corrigir, para não perder privilégios. O fim disso não será nada legal de se ver e se viver. Para o cristão, Deus e a fonte verdadeira de satisfação e suprimentos. Não há prosperidade sem honestidade e boa gestão. Pense nisso. Deus não é irresponsável de jogar riquezas infinitas nas mãos de pessoas com histórico de má gestão, desonestidade e indisciplinados. Isso vale para mim, para você, a igreja, nossas cidades, o país e o qualquer instituição e empreendimento.

Pai, obrigado por demonstrar a melhor mordomia e boa administração de recursos que poderíamos ver. Ao criar o mundo, para nele colocar o homem, o Senhor proveu de todos os recursos para a humanidade viver e se desenvolver por todos os tempos. Mas o pecado fez um estrago na alma do homem e o egoísmo corrompeu tudo que o homem tocou e toca. A igreja é o novo povo de Deus, regenerado de uma semente incorruptível pela Palavra de Deus, para um estilo de vida de generosidade e boa gestão. O mundo pressiona para sermos iguais a ele, mas o teu Espírito Santo nos vocaciona para uma vida diferente, com motivações diferentes, para uma finalidade diferente. Temos a tua promessa de dum novo céu e uma nova terra onde habita a justiça e onde o pecado não vai imperar. Queremos e precisamos viver vidas novas, vidas transparentes e honestas em todos os aspectos. Viver para Deus, para o Reino de Deus. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s