A Caminho do Trabalho

Meditação do dia: 30/04/2020

 “E o comunicaram a Tamar: Eis que o teu sogro sobe a Timna, para tosquiar as ovelhas.” (Gn 38.13)

À Caminho do Trabalho – Estamos meditando na Palavra de Deus, seguindo a historia da vida de Judá, o quarto filho de Israel. Esse capítulo inteiro foi dedicado a ele e certamente há lições que precisamos aprender com ele. Para demarcar algumas linhas de pensamento que não podemos abrir mão em tempo algum, lembramos que estamos falando de uma pessoa escolhida por Deus, chamada para uma missão muito importante; ele tinha uma aliança com Deus que vinha passando de geração em geração, e tinha propósitos eternos; Judá era consciente disso e sabia que o seu testemunho de vida significava muito para o bom andamento das promessas das quais ele era herdeiro e passaria isso para seus filhos e as próximas gerações. Como você eu, Judá tinha lutas e tribulações na vida e problemas aos montes com os quais tinha que lidar; seus filhos não tiveram boas atitudes e foram declarados como muito perversos e imorais nos seus relacionamentos conjugais, de tal forma que Deus aplicou disciplina rigorosa, eles morreram. Tal acontecimento atingiu Judá, pois ele era o pai, o responsável pela educação dos filhos e sua formação como herdeiros de promessas e alianças com Deus. Não está escrito, mas estou lendo nas entrelinhas, que a influencia dos parentes e amigos cananeus de Judá, por parte da mãe desses garotos fora maior do que a influencia de Jacó e os tios. Judá se apartou da família, está escrito no primeiro verso desse capítulo; as razões podem ser legítimas, para trabalhar, cuidar do seu próprio rebanho e construir uma família, um tanto quanto separada dos muitos irmãos e quem sabe, sem muita ingerência familiar. São escolhas e quaisquer que sejam elas, tem um preço! Já escrevi, que nossas escolhas determinam ou revelam nosso caráter. É muito comum pessoas oriundas de lares disfuncionais, tentam fugir dessas influencias negativas e se apartam fisicamente de casa, mas não emocionalmente e acabam por reproduzir uma nova família tão disfuncional quanto a sua original, quando é pior ainda. Judá perdera a esposa e tinha empenhado sua palavra com a nora que em um tão pequeno espaço de tempo ficara viúva duas vezes; ela confiou na palavra do sogro que aguardaria o terceiro filho ser grande o bastante para se casar com ela e cumprir o costume de gerar descendência para seus irmãos. O tempo passou, Judá voltou ao controle das ações de sua vida de trabalho e o encontramos em viagem com seu amigo adulamita, para encontrar com seus trabalhadores na tosquia de suas ovelhas na cidade de Timna. A prática normal, era a tosquia acontecia como um evento até festivo, espécie de mutirão para fazer o trabalho todo de uma vez com o rebanho. Mas a caminho ele iria se deparar com uma armadilha preparada pela nora Tamar. Quando pensamos em emboscadas espirituais, ataques malignos contra a nossa vida, nosso ministério e a provocação de danos e prejuízos, sempre lembramos de que haja legalidades dadas ao mundo espiritual do mal para que possa interferir. São brechas abertas, oportunidades que foram criadas pelos hábitos de vida e que em tantos casos são considerados normais, de pouca importância e que não influenciam a vida da pessoa. Tudo que o inimigo precisa é uma falha na armadura, uma oportunidade onde não haja proteção, que lhe permita atacar. Tamar, conhecia o sogro e seus hábitos; sabia de práticas erradas que certamente ele conservava e que poderia servir aos seus propósitos. Se ela fora informada dos passos do sogro, era porque havia acompanhamento e busca de ocasião. Nossas falhas de caráter e de conduta são observadas mais do que imaginamos. Nossa vida e nossas ações interessam ao mundo espiritual e se não estivermos conscientes de nossa identidade e das responsabilidades que nossa vocação exige, podemos falhar onde e quando menos poderíamos imaginar. A caminho de fazer coisas boas e certas, cuidando da nossa vida, pode haver perigo à espreita. Cuide-se!

 

Senhor, obrigado por guardar cada um dos teus filhos para que prevaleçam sobre as hostes do mal e mantenham a vitória que lhes foram dadas por Jesus. Nosso testemunho é observado constantemente pelo mundo espiritual ao nosso redor e dependemos da ajuda do Espírito Santo para nos manter de pé e firmes no propósito de vencer todos os dias, com a graça e a força do Senhor. Pedimos sabedoria e discernimento para não permitir brecas em nossa armadura e não vacilar diante das astutas ciladas do inimigo. Proteja-nos debaixo do poderoso nome de Jesus, em nome de quem oramos, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s