José e Raquel Inclinaram-se

Meditação do dia: 09/06/2020

 

“E chegou também Lia com seus filhos, e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se” (Gn 33.7)

José e Raquel e inclinaram-se“As crianças são perfeitas imitadoras; eles insistem em imitar os pais, por mais que esses se esforcem para lhes ensinar boas maneiras.” Gostei muito dessa frase, que encontrei e a inseri num trabalho para casais, a um tempo atrás. Todos sabemos que as crianças copiam os modelos próximos delas e à medida em que vão crescendo, isso segue com quem elas convivem ou admiram. Assim, quem tem seus segredos e mal feitos, não deixem que elas tenham acesso, porque se tornará público primeira oportunidade. Pais cristãos que terceirizam a vida de fé e piedade dos filhos para a igreja, através da ebd ou ministério infantil e dizem que não levam jeito para lidar com crianças e já que a igreja desenvolve líderes e tem bons programas e são saudáveis, nada melhor do que passar isso para ela. Já li algo à respeito de que John Wesley era radicalmente contra Escola Dominical para crianças; segundo ele, isso tiraria dos pais a iniciativa e a responsabilidade pelo ensino bíblico dos filhos. Não é que ele tinha razão! A profissão de fé dos Israelitas desde os tempos antigos, foi acrescida de ordens, mandamentos explícitos quanto à prática doméstica e familiar de se responsabilizar pela educação espiritual dos filhos, PELOS PAIS: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te (Dt 6.4-7). Amar a Deus inclui guardar no coração as Palavras dele e guarda-las implica em ensinar aos filhos de tempo integral, aqui, sugere ao menos quatro oportunidades diárias para transmissão dos ensinos bíblicos. Uma transmissão poderosa de bênçãos para os filhos está intimamente ligada à cultura do ensino piedoso, para que os filhos reproduzam no futuro, tudo aquilo que foi semeado em seus corações desde pequenos. Deus sempre teve esse cuidado, deixando isso claro ao criar rituais e cerimonias que tinham como finalidade TAMBÉM, perpetuar a memória daquilo que tais festejos e celebrações significavam; nada tão eficiente como os filhos verem desde pequeno os pais fazerem e depois ajudarem a fazer e depois assumirem eles mesmos a responsabilidade por fazer e depois transmitir aos seus descendentes, de geração em geração, de século em século, de novo e de novo outra vez! Um exemplo implantado quando da saída do Egito: Portanto guardai isto por estatuto para vós, e para vossos filhos para sempre. E acontecerá que, quando entrardes na terra que o Senhor vos dará, como tem dito, guardareis este culto. E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este? Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou. E foram os filhos de Israel, e fizeram isso como o Senhor ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram (Ex 12.24-28). Eles fazem isso até hoje, religiosamente, rigorosamente, fielmente. Vemos então a família de Jacó, em risco iminente de sofrer algum mal por parte de Esaú; o pai faz o que lhe é possível e tenda assegurar que a promessa divina de que tudo iria dar certo e contava com algum favor para aplacar a ira represada do seu irmão. Mas todos da família estavam ensinados e preparados para serem educados e corteses, ainda que em situação de risco. O pacificador, age ativamente em seu mundo par promover a paz e a reconciliação, mesmo sabendo que se expõe ao perigo de não ser aceito ou bem visto por aqueles que querem fazer o mal. Vemos Raquel e José se aproximando e se inclinando para saudar o cunhado/tio. Parece que uma das grande lições da vida de José foi aprender a se curvar diante dos grandes, para se tornar grande até que se tornou o maior dos doze irmãos. Já escrevi em meditação anterior, que as pessoas cristãs não tem problemas em serem chamadas de servos e servos; o problema realmente está na atitude de servir. É só dar um rodo, uma vassoura e um pano de chão que você descobrirá o serve que há dentro delas! É servindo que aprendemos! O caminho da grandeza passa pelas estações mais baixas. Os galhos que mais produzem são aqueles que mais se inclinam. As águas das chuvas procuram e abençoam primeiro os lugares mais baixos. Ministérios e dons espirituais só são descobertos e bem utilizados servindo, quando mais serve, melhores ficam. José tem muito que nos ensinar.

Senhor, nós apresentamos a nossa gratidão pela vida e a oportunidade de aprendermos a seguir as instruções de tua Palavra que nos coloca em condições de vantagem sobre o pecado e o mal. Intercedemos pelos pais que lidam com os filhos e precisam confiar em ti para proteger e prosperar seus passos. Reconhecemos que a instrução dada com amor e validada por uma vida coerente de testemunho de fé, abençoa e influencia a vida deles. Agrademos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s