Enviar-te-ei a Eles

Meditação do dia: 24/06/2020

 “Disse, pois, Israel a José: Não apascentam os teus irmãos junto de Siquém? Vem, e enviar-te-ei a eles. E ele respondeu: Eis-me aqui.” (Gn 37.13)

Enviar-te-ei a Eles – Qual o primeiro tema que vem à sua mente quando ouves a expressão: Enviar-te-ei? Missões! Acertei? Na minha mente também. É quase indissociável uma coisa com a outra. Podemos hoje pensar um pouco em missões aqui, e até fazermos algumas ponderações, mas não vou prometer muito, mas ainda assim espero que o mover do Espírito Santo também esteja nessa direção nas vidas de todos vocês que estão lendo exatamente hoje. Nesta nossa caminhada devocional, queremos estar sensíveis a Deus, assim como desejamos que Ele esteja e está sempre sensível às nossas vidas, com as nossas demandas. Olhamos as Escrituras como um todo, sem dissociar uma parte da outra, porque ela nos foi dada por Deus, que tem uma visão muito mais ampla do que a nossa; e uma das razões do poder da Palavra de Deus é exatamente alargar a capacidade humana de aprender e crescer pela sabedoria espiritual, como disse Paulo aos Coríntios, “comparando coisas espirituais com espirituais” (I Co 2.13). Aqui hoje, lanço mão da tipologia bíblica onde o nosso patriarca representa o Pai, que envia o seu amado filho ao campo de missões. José sendo enviado pelo pai ao campo de trabalho dos irmãos, um mundo inóspito, hostil e nada acolhedor. Nos faz lembrar os registros que João descreve: “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (Jo 1.11,12). A iniciativa do envio foi do pai, nos dois casos, literalmente Israel desejava saber notícias dos filhos que estavam nas regiões de Siquém, apascentando os rebanhos; ela queria saber o estado deles e também dos rebanhos; coisas de pai, se certificar de que tudo estava indo bem e sob controle. No plano de redenção, a iniciativa também foi de Deus em buscar e salvar os que se haviam perdido. Deus não enviou uma filosofia, uma ideologia, uma religião, mas enviou seu filho e por razões muito óbvias. “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só” (Rm 3.10.12). e o texto clássico que valida missões: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Quando se pensa biblicamente em missões, não se pensa em teoria! Deus não ficou teorizando lá na sua glória se enviaria ou não; se valeria a pena ou não; se o preço seria alto demais para resgatar aquele tipo de pessoas. Deus agiu intencionalmente. Jesus fez sua obra redentora completa, única, suficiente e irretocável e a colocou a disposição de todo aquele que  crer. Mas fez mais – como dizemos nos treinamentos de liderança: “Sucesso sem sucessor é fracasso!” A igreja, você e eu, somos a sucessão na missão de Deus para toda a humanidade que ainda precisa dele. Olha o que Jesus disse ao orar por nós, naquela semana de ministério íntimo: Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo.
E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade. E não rogo somente por estes,
(os onze) mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim (Nós); Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste (Jo 17.18-21). Não espere um chamado! Você e eu já fomos, já estamos chamados e inclusos. Estou desafiando vocês a se levantarem e se envolverem mais e com diligencia, presteza, excelência no trabalho de Deus. O Pai envia, o filho vai. Vamos? Sempre há algo a ser feito para quem se dispõe a servir.

Obrigado Pai, por chamar e determinar nossa tarefa na tua seara. Ela continua grande e os ceifeiros continham poucos, mas Jesus nos sugeriu que pedíssemos ao Senhor da seara que enviasse mais trabalhadores. Eles estão entre nós, somos nós e com os dons, talentos, oportunidades e recursos já disponíveis para fazermos o que precisa ser feito. Se algo novo precisar de atenção, tu providenciarás o necessário e o suficiente. Podemos confiar e descansar no teu cuidado. Oramos a ti, Senhor da Seara, que nos ajude a continuar até o dia determinado por tua sabedoria. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s