A Arte de Ajuntar

Meditação do dia: 02/11/2020

E ajuntem toda a comida destes bons anos, que vêm, e amontoem o trigo debaixo da mão de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem.(Gn 41.35)

A Arte de Ajuntar – O que é o que é? Quanto mais você tira, mais ele aumenta? Quando éramos crianças e algumas até bem grandinhos já, gostávamos muito de brincar de pegadinhas, o mais conhecido como “o que é o que é?” Aquilo claro, estimulava o conhecimento e o raciocínio, despertando a curiosidade para solucionar questões. Era um modo lúdico de filosofar popularmente. Gosto muito de aprender e todos que compartilham desse gosto, sabe que para aprender não tem hora, nem lugar e muito menos oportunidades. O mundo é um grande laboratório e uma enorme sala de aula com mestres distribuindo experiencias para todos os lados, é só entrar e se deliciar. Como cristão, a Bíblia oferece um universo inteiro de conhecimentos de alta produtividade, porque ela versa sobre os mais complicados temas da existência humana e porque não, divina, espiritual e sobrenatural. O que para muitos é apenas um livro antigo sobre religião e preceitos morais ultrapassados, para outros é Palavra de Deus, viva e eficaz, eternamente nova e atual e não só atual, como é futurista e desvenda segredos que ainda estão por vir e aí, quem viver, verá. Já que o nosso tema hoje é a arte de ajuntar, então vamos agregar mais sabor à nossa receita. Jesus falou sobre essa arte e ele tem autoridade sobre isso. Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha (Lc 11.23). A dualidade eterna, se há os que ajuntam, há também os que espalham. E se pode ficar do lado de Deus ou opor-se ao seu projeto. Andando com fé e disposição de servir aos propósitos de Deus, entraremos uma vontade soberana de Deus, que ao construir seu projeto, oferece momentos de recolher, ajuntar e momentos de espalhar, distribuir e semear. Para a civilização pós-diluviana Deus ordenou espalhar-se e colonizar toda a terra, mas eles escolheram fazer o contrário e não se permitir dispersar; claro que deu errado. E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra, E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra. (Gn 9.1; 11.4). Após a ressurreição, o Senhor ordenou a Seus discípulos a espalharem as boas novas do Evangelho por todo o mundo fazendo discípulos de todas as nações. Com o advento do Espírito Santo e o consequente avivamento em Jerusalém no dia de Pentecostes, surgiu uma igreja poderosa, cheia de sinais, prodígios e maravilhas, com conversões e milagres aos milhares, que maravilha! Quem quer se afastar de um ambiente desses? Ninguém, é claro! Então, qual o instrumento mais eficiente para produzir mudanças, transformações e criar novas possibilidades? CRISES! O progresso é alimentado por crises. Deus só precisou dar um estímulo a um jovem chamado Saulo de Tarso e em pouco  tempo a igreja estava espalhada, fervorosa e dinâmica por toda parte, aí veio a vez de Saulo experimentar de seu próprio “veneno.” E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.
E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo
(At 6.7,8). Cristãos demais juntos é como luzes demais iluminando o mesmo espaço, ou sal demais num único ponto da comida. O passa aqui, certamente está faltando ali. Foi assim que estava acontecendo; mas isso não difícil para Deus solucionar. E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se naquele dia uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e de Samaria, exceto os apóstolos. Mas os que andavam dispersos iam por toda a parte, anunciando a palavra. E, descendo Filipe à cidade de Samaria lhes pregava a Cristo (At 8.1,4,5). José estava ajuntando cereais lá no antigo Egito, para saciar a fome física e natural do povo e assim realizar os propósitos divinos de desenvolver o seu povo e prepara-lo para receber a revelação especial de Deus, o que hoje conhecemos como a Palavra de Deus escrita e posteriormente ela viesse a se revelar como Palavra Encarnada, na pessoa de Jesus Cristo. Assim, precisamos entender que ajudar cereais e tudo o que envolve isso, como tecnologias, logísticas e outras tantas, era tão espiritual quando fazer missões ou plantar igrejas como conhecemos na Nova Aliança. Para servir a Deus não há distinção entre secular e sagrado. Tudo é sagrado, porque tudo termina em alcançar pessoa e conduzir à redenção. Assim, não existe trabalho ou função que não seja importante e dignificante. O zelador do templo precisa ser tão cheio do Espírito Santo e obediente quando o ministro de louvor, o pregador e o pastor. A dona de casa, a mãe que educa os filhos nos caminhos da Palavra de Deus e o funcionário público e o empresário, todos precisam viver pela fé e acreditar que seu trabalho é um ministério à Deus em primeira instancia e depois às pessoas, que são objetos do amor de Deus e do sacrifício de Cristo. Vamos ajuntar e juntar esforços pela boa causa que nos foi confiada?

Senhor, graças te rendemos pelo privilégio de servir em tua causa. Há oportunidade  para todos e em todas as etapas da obra. Consagramos nossas vidas e queremos utilizar bem os recursos e talentos disponíveis a cada um de nós. Dá-nos compreensão plena da tua vontade e de como podemos servir melhor e com maior produtividade no teu reino. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s