Tres Fronteiras

Meditação do dia: 06/08/2021

“Depois disse Israel a José: Eis que eu morro, mas Deus será convosco, e vos fará tornar à terra de vossos pais.” (Gn 48.20)

Três Fronteiras – A geografia permite certos limites que embora possam ocorrer semelhantes em muitos lugares, mas alguns ganham contornos de fama ou se tornam conhecidos por aquele aspecto. No caso de três limites de divisas territoriais, isso acontece com muita naturalidade. Na América do Sul, composta de treze países, sendo o Brasil muito grande e dimensão continental, fazemos fronteira com outros dez, as únicas exceções são Chile e Equador; então encontrar pontos onde há três fronteiras não é nenhuma raridade, mas a que leva mesmo a fama é a chamada “Triplice Fronteira” entre Brasil, Paraguai e Argentina, ali em Foz do Iguaçu; por sinal um belíssimo lugar turístico, que vale a pena conhecer ou revisitar; recomendo. Mas aqui bem perto da minha região no interior de São Paulo, temos outro ponto, conhecido como “Tres Fronteiras,” que até nomeia um município, mas chegando à margem do Rio Grande, temos Mato Grosso do Sul à esquerda e Minas Gerais à direita; também um lindo lugar para turismo, especialmente de pesca. Estão todos convidados em nome de Rubinéia, Santa fé do Sul, Ilha Solteira e todos os paulistas da região que são muito acolhedores. Mas voltando a nossa atenção para algo que de fato nos interessa muito, pois alimenta a nossa alma e espírito, pois é a meditação intencional na Palavra de Deus. Na conversa entre Jacó e José, com a devida licença e permissão de intrometer-nos, pois é conversa de gente grande mesmo, e temos todos os devidos respeitos por também se tratar de um momento de muita intimidade familiar onde um pai está tendo uma conversa muito construtiva com seu filho. Ali, o nosso patriarca após abençoar os netos, agora recebidos como seus filhos para compor as doze tribos de Israel, ele fala a José e de forma muito simples, direta e sintetizada ele cita três fronteiras muito importantes na vida deles e que por extensão em à ver com todos nós; ou podemos aprender com elas. A primeira fronteira, que todos se aproximarão e com raríssimas exceções não a cruzarão – é a morte física – a passagem desta vida para a outra dimensão. Em cada cultura e povo há um modo peculiar de expressar e entender essa experiencia, que encontramos desde a extrema tristeza e pesar com choros e lamentos por muitos dias, até o de alegria, com festas e celebrações em grande estilo, como também os comedidos. Jacó estava consciente de que sua hora era chegada e ele estava pronto e aguardando para embarcar na sua última estação, para segundo a sua fé, encontrar-se e descansar junto com seus ancestrais, especialmente Abraão e Isaque, participantes da mesma aliança com Deus que os movera em fé durante todo o curso de suas vidas. Todos, vivemos com o propósito e a intenção de estar prontos para quando esse dia e hora chegar, e chegará. A segunda fronteira é a da contínua presença de Deus conosco – Saber disso é uma coisa, mas viver com base nisso é outra bem diferente. Crer na existência e manifestação de Deus como um ser onipresente, leva qualquer um a admitir que se está na presença divina o tempo todo e que o inverso também é verdade, Deus está conosco o tempo todo. Mas não é disso que trata a comunhão e o relacionamento de família que Deus espera que tenhamos com Ele. Jacó afirmou que assim como sabia que ia morrer, também sabia que Deus seria com seus filhos e sua família. No relacionamento com Deus os seus filhos são beneficiados porque um dos lados é Todo-Poderoso e o outro lado falho, débil e necessitado. Mas prestem bem atenção ao que estou escrevendo, por isso se torna documento: Nos beneficiamos – não tiramos proveito – não aproveitamos de quem Deus é. Não servimos a Deus “em troca de.” A terceira fronteira citada por Jacó a José foi que Deus os fariam tornar à sua terra. “Deus vos fará tornar” – Eles foram voluntariamente, à convite para o Egito, mas não voltariam quando e como quisessem ou quando precisassem voltar. Alguma força trabalharia para retê-los e subjuga-los e se possível acabar com a raça deles. Mas Deus faria as coisas acontecerem, como sabemos que fez. Tem coisas acontecendo hoje, nesse dia e nesse tempo, que não entendemos ou sabemos onde isso vai parar, mas a verdade é que Deus ainda está no controle de tudo e todas as coisas cooperam para o bem daqueles que o amam (Rm 8.28). Deus tem cuidado de nós, especialmente pelo cuidado que ele tem para com a sua Palavra. “Depois disse Israel a José: Eis que eu morro, mas Deus será convosco, e vos fará tornar à terra de vossos pais” (Is 55.11).

Senhor, obrigado pelo dia de hoje e pela experiencia de servir nesse tempo e nesse lugar que tens preparado para mim. Obrigado por cada um dos teus filhos que estão servindo em outros lugares, porque é ali a seara que determinaste para eles. Graças te rendemos e bendizemos o teu santo nome, pela presença e graça maravilhosa que nos permite coisas novas e grandes todos os dias. Obrigado por utilizar meios e circunstancias para construir uma história e contar com a nossa participação. Queremos conhecer a tua vontade e andar nela, por já sabemos que ela é boa, agradável e perfeita para cada um de nós; oramos agradecidos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s