Pentecostes – A Revelação de Deus Espírito Santo

Meditação do dia: 15/01/2022

“E disse: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: Quando houveres tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte.” (Êx 3.12)

Pentecostes – A Revelação de Deus Espírito Santo – Consumada a obra do Calvário, o Senhor Jesus é poderosamente levantado dentre os mortos e retorna ao seu lugar de origem junto ao Pai, revestido de todo o poder e glória. Jesus se aproximou deles e disse: “Toda a autoridade no céu e na terra me foi dada (Mt 28.18). Por isso Deus o elevou ao lugar de mais alta honra e lhe deu o nome que está acima de todos os nomes, para que, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua declare que Jesus Cristo é Senhor, para a glória de Deus, o Pai (Fp 2.9-11). Agora era a hora de Jesus cumprir sua própria promessa aos discípulos. Mas, na verdade, é melhor para vocês que eu vá, pois, se eu não for, o Encorajador não virá. Se eu for, eu o enviarei a vocês (Jo 16.7). Certa ocasião, enquanto comia com eles, deu-lhes a seguinte ordem: Não saiam de Jerusalém até o Pai enviar a promessa, conforme eu lhes disse antes. João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo (At 1.4,5). No Pentecostes está o terceiro e último evento da divina revelação. O Espírito que virá Ele é o Outro Consolador, igual ao Senhor em divindade, ainda que distinto em pessoa. É Deus, o Espírito. Jesus preparou os discípulos para o grande acontecimento, avisando-os para se dirigirem para Jerusalém e ali aguardarem a vinda do Espírito Santo. Agora, envio a vocês a promessa de meu Pai. Mas fiquem na cidade até que sejam revestidos do poder do céu (Lc 24.49). Certa ocasião, enquanto comia com eles, deu-lhes a seguinte ordem: Não saiam de Jerusalém até o Pai enviar a promessa, conforme eu lhes disse antes. João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo. Vocês receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em toda parte: em Jerusalém, em toda a Judeia, em Samaria e nos lugares mais distantes da terra (At 1.4,5,8). No dia de Pentecostes cumpriu-se a gloriosa promessa: No dia de Pentecostes, todos estavam reunidos num só lugar. De repente, veio do céu um som como o de um poderoso vendaval e encheu a casa onde estavam sentados. Então surgiu algo semelhante a chamas ou línguas de fogo que pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os habilitava (At 2.1-4).  Atentemos para o fenômeno; assim como aconteceu no Sinai e no Calvário, temos no Pentecostes um fato histórico e uma benção consequente. O fato histórico, o evento, compreende o momento da chegada do Espírito Sato com os fenômenos sobrenaturais verificados: som como de vento veemente e impetuoso, sinais, línguas como que de fogo.  Fenômenos sobrenaturais estiveram assim também presentes no Sinai e no Calvário, mas tinham um caráter precário, simplesmente acidentais. Acompanharam a vinda do Espírito Santo como ocorrera com a de Deus, o Pai, e do Filho, emprestando aos eventos um indício de que alguma coisa transcendente à nossa compreensão e de importância e consequências eternas havia ocorrido. Mas eram transitórios, terminaram com o evento mesmo; não se repetiriam. Assim pentecostes, como evento histórico, como ocasião da chegada do Espírito Santo para inaugurar o ministério da sua dispensação, não mais se repete. Isso é por demais evidente; daí o seu caráter histórico. Mas Pentecostes não se resume no fato histórico. Trouxe uma consequência, a sua razão de ser. Deixou uma bênção permanente: Santificação e revestimento de poder para o serviço. Vocês receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em toda parte: em Jerusalém, em toda a Judeia, em Samaria e nos lugares mais distantes da terra (At 1.8). A unção maravilhosa que nos capacita a viver em santidade, quebrantados diante do Senhor, testemunhando efetivamente de Jesus.  Essa bênção não ficou no dia de Pentecostes. Não foi dada somente aos cento e vinte do Cenáculo; ela pertence, como patrimônio, a tantos quantos receberem a graça salvadora. Esse é o ensino da Palavra de Deus. Pedro respondeu: Vocês devem se arrepender, para o perdão de seus pecados, e cada um deve ser batizado em nome de Jesus Cristo. Então receberão a dádiva do Espírito Santo. Essa promessa é para vocês, para seus filhos e para os que estão longe, isto é, para todos que forem chamados pelo Senhor, nosso Deus (At 2.38,39). Agradecemos a Deus pela vida de pessoas maravilhosas e cheias do Espírito Santo e grandes mestres, como o Pastor José Rego do Nascimento, um dos nossos pioneiros. Essas três últimas meditações são adaptadas do Livro “Calvário e Pentecoste.” É também uma espécie de homenagem nossa Ormiban (Ordem de Ministros Batistas Nacionais), que completa seus primeiros 50 anos.

Obrigado Senhor, pelos nossos pioneiros e pelos valores de fé e prática que viveram e nos legaram. Glorificamos o teu santo nome por eles e pelo trabalho que fizeram e do qual somos parceiros e continuístas. Pedimos a sabedoria e a unção do Espírito Santo que pairou sobre a vida deles e desejamos seguir cheios da graça e desse poder renovador, até o dia da tua volta, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s