Sacrifícios Que Agradam a Deus

Meditação do dia: 05/02/2022

“E ouvirão a tua voz; e irás, tu com os anciãos de Israel, ao rei do Egito, e dir-lhe-eis: O Senhor Deus dos hebreus nos encontrou. Agora, pois, deixa-nos ir caminho de três dias para o deserto, para que sacrifiquemos ao Senhor nosso Deus.” (Êx 3.18)

Sacrifícios Que Agradam a Deus – Meditando sobre a Palavra de Deus na conversa que ele teve com Moisés, chamando-o para o trabalho de libertar os hebreus que estavam escravizados no Egito. Nesse diálogo entre a criatura e o Criador, houve uma instrução do que dizer ao monarca egípcio e isso incluiria uma jornada de adoração a Deus no deserto. Eles iriam servir a Deus com ofertas e sacrifícios, e na meditação de ontem tratamos um pouco sobre tais sacrifícios e reservamos para hoje, andar um pouco mais no tema. Foi Deus tem ordenou que sacrificassem a ele em adoração. Então Deus receberia e aqueles atos de adoração o agradariam. Já vimos que algo que se faz para agradar a Deus, mesmo seguindo a receita de Deus, pode ser desvirtuado, contaminado pela imaginação humana e até mesmo feito sem a devida devoção e reverencia exigida. Estamos dizendo que tem o jeito certo e tem também o jeito errado, de servir a Deus. Podemos começar pela adoração de Abel e Caim, onde um agradou e o outro não. “E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante” (Gn 4.3-5). Aceitação e rejeição teve à ver com a atitude dos adoradores. Seguindo a trilha de textos que falam sobre servir a Deus com sacrifícios, encontramos palavras absolutamente claras sobre o que de fato agradam a Deus. Vejamos algumas: “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Sl 51.17). Podemos ver que mesmo na Velha Aliança a centralidade do culto e das ofertas eram simbólicas em relação ao que de fato importa, que é a atitude interior dos adoradores. O profeta Samuel falou ao rei Saul uma das verdades centrais da fé do relacionamento com Deus. “Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros” (1 Sm 15.22). Obediencia é melhor que sacrifício! Como dizem os betanienses: “A obediência precede a revelação.” O Salmista profetizou: “Sacrifício e oferta não quiseste; os meus ouvidos abriste; holocausto e expiação pelo pecado não reclamaste. Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração” (Sl 40.6-8). Fazer a vontade de Deus nem sempre se associa a fazer coisas para ele. Pretendo fechar essa meditação com dois outros textos que me são muito preciosos e norteiam a minha experiencia e acredito que pode ser bênção para vocês também. O primeiro deles é 2 Sm 24.24: “Porém o rei disse a Araúna: Não, mas por preço justo to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada. Assim Davi comprou a eira e os bois por cinqüenta siclos de prata.”  O Rei Davi não aceitou oferecer a Deus holocausto sem custo. O princípio espiritual por trás disso é que culto que não custa nada, também não vale nada! E para fechar: “E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo” (1 Pe 2.4,5). Somos pedras vivas, casa espiritual edificada para oferecer sacrifícios espirituais (não físicos e materiais) que agradam a Deus. Só e tudo isso!

Amado Deus e pai de amor e bondade, agradecemos a oportunidade de aprender sobre o que de fato agrada ao Senhor e deve fazer parte dos nossos atos de cultos. Pedimos graça para compreendermos a grandeza e a profundidade de tudo isso e assim, servir de forma agradável e honrar ao Senhor com a nossa vida. Culto é ato contínuo o tempo todo e todo o tempo. Pedimos misericórdia e graça para permanecermos firmes no processo de crescimento e desenvolvimento da semelhança de Cristo em nós a cada dia. Oramos em nome dele, por ele e para ele, hoje e eternamente, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s