Assim Diz O Senhor

Meditação do dia: 15/04/2022

“E depois foram Moisés e Arão e disseram a Faraó: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Deixa ir o meu povo, para que me celebre uma festa no deserto.” (Ex 5.1)

Assim Diz O Senhor – Não temos dúvidas de que essa é uma das mais espirituais e consagradas expressões da Palavra de Deus. Não só é um marco profético, mas é a expressa responsabilidade do exercício humano em representar uma manifestação da graça de Deus para com os homens. Falar em nome de outra pessoa é algo de muita responsabilidade. Desde um simples recado, que até uma criança pode levar, até o serviço de uma embaixada oficial de uma nação em outra, é alguém falando em nome de outro. Os profetas são um destaque à parte nas Sagradas Escrituras, pois era um ofício de muita relevância e exigia uma sincera consagração a Deus e ao povo do Senhor. Como em todas as demais esferas da interferencia humana, ali também aparece a corrupção e o mal uso dos dons e da vocação divina. Falsas profetas são tão comuns desde os primórdios da civilização; charlatães de plantão foram encontrados em todos os cantos, valendo-se de um talento ou habilidade para auferir vantagens sobre a ingenuidade alheia. De Balaão até a Jezabel citada em Apocalipse, sempre houve esses elementos entre nós. Jeremias, o profeta, no tempo do cativeiro babilônico, enfrentou colegas falsos entregando mensagens falsas, adocicadas, mas destrutivas e de cunho emocional, sem autoridade legítima da parte de Deus. “Vai, e fala a Hananias, dizendo: Assim diz o Senhor: Jugos de madeira quebraste, mas em vez deles farás jugos de ferro. E disse o profeta Jeremias ao profeta Hananias: Ouve agora, Hananias: Não te enviou o Senhor, mas tu fizeste que este povo confiasse em mentiras” (Jr 28.13.15). Esse Hananias pregou isso no quinto mês e foi sentenciado na profecia de Jeremias a morrer naquele mesmo ano por suas falsidades e ele morreu dois meses depois no sétimo mês. Deus reforçou ao povo o que eles já haviam recebido e que era de fato palavras de Deus: “Edificai casas e habitai-as; e plantai jardins, e comei o seu fruto. Tomai mulheres e gerai filhos e filhas, e tomai mulheres para vossos filhos, e dai vossas filhas a maridos, para que tenham filhos e filhas; e multiplicai-vos ali, e não vos diminuais. E procurai a paz da cidade, para onde vos fiz transportar em cativeiro, e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz” (Jr 29.5-7). Certamente já estamos familiarizados com o exercício da disciplina de Deus sobre nós, tanto a nível pessoal, como coletivo (família, igreja, nação), onde o Senhor no seu legítimo direito de governo e senhorio exercita a disciplina e a correção sobre atitudes erradas, pecaminosas e nocivas aos seus planos e propósitos. Disciplina não é vingança e nem visa destruir e aniquilar, mas promover correção de  rotas e trazer ao arrependimento e o consequente retorno aos caminhos certos. “Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija? mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos” (Hb 12.6-8). A vida cristã é um relacionamento, não uma religião, nós somos filhos de Deus em Cristo Jesus por nossa fé no seu sacrifício redentor e constituímos a igreja, o corpo de Cristo aqui na terra e temos uma missão à cumprir; por isso mesmo recebemos dons e talentos especiais e o uso adequado dessas ferramentas precisa de treinamento, fidelidade e boas práticas. Não podemos descartar os dons e as manifestações sobrenaturais pelo fato de haver pessoas fazendo mau uso deles e falsificando resultados. Precisamos aprimorar, incentivar e corrigir os erros e estimular as boas práticas. Se alguém nos alertar sobre notas falsas sendo passadas no comércio, nem por isso deixaremos de receber dinheiro; tomaremos mais cuidados, isso sim. Fechamos com a expressa recomendação paulina para Timóteo, que serve para todos nós especialmente nos tempos em que estamos vivendo: “Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” (2 Tm 4.1-4).

Pai amado, obrigado por ser Deus verdadeiro, que amas a verdade no íntimo e que permaneces o mesmo de eternidade em eternidade. Somos teus filhos e estamos a serviço do Senhor e do teu reino, assim precisamos crer e servir com dons e habilidades que nos concedestes como igreja para fazer feitos sobrenaturais pela fé em Cristo e para sinais e maravilhas que levem as pessoas a crerem em ti e receberem a salvação pela fé através da obra de Cristo. Precisamos ser fiéis e verdadeiros no teu serviço e submissos à tua Palavra para crescermos e produzirmos frutos para glória do teu santo nome, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s