Hospitalidade

Meditação do dia 28/09/2015

Jz 19.20Então disse o ancião: Paz seja contigo; tudo quanto te faltar fique ao meu cargo; tão-somente não passes a noite na praça.”

Hospitalidade – Sou muito agradecido pelas muitas pessoas que já me receberam em suas casas, em diversas situações. As demandas do ministério pastoral leva-nos a depender muitas vezes da generosidade e hospitalidade dos irmãos e amigos. Sou oriundo de uma família hospitaleira; meus pais sempre tiveram as portas de casa abertas para receber e acolher pessoas e isso sempre independeu da situação ou condição de vida que estivéssemos passando. Isso até nos dava liberdade para levar amigos e colegas em casa, sem a preocupação de não serem bem recebidos; para o seu Arnaldo e a dona Alice, amigos de seus filhos eram seus amigos e amigos são sempre bem vindos! As circunstancias ao redor de todos nós vão se alterando e por questões sociais, segurança, costumes e etc. muitas vezes abrimos mão da hospitalidade, pois pagar um hotel fica mais em conta e não tira sua liberdade e privacidade; ou todos em casa tem compromissos diários e não dá para “fazer sala” para o visitante e assim, por uma ou outra circunstancia, a boa prática da hospitalidade vai se esvaindo. Mas é uma virtude, é uma atitude incentivada nas Escrituras e serve até como qualidade que habilita pessoas a alcançarem posições no ministério. Igrejas acolhedoras, aconchegantes e afetivas são bênçãos e faz muito bem não só ao visitante, mas aos seus próprios participantes. Nesse caso, a hospitalidade não é uma estratégia de marketing evangelístico para conquistar novos participantes, mas sim uma característica daquelas pessoas que amam e se importam com as outras. Num seminário para treinamentos de professores e líderes de Escola Bíblica Dominical, era ensinado que “uma pessoa geralmente vai onde é convidada e volta onde é bem recebida e bem tratada.” Para quem conhece ao menos de leve alguns dos costumes orientais dos antigos tempos bíblicos, entende perfeitamente esta história, da qual extraímos a meditação de hoje. Ser hospitaleiro, era uma marca importante de uma pessoa educada e de honra. Ainda mais, quando não havia o moderno sistema de hotelaria para que se pudesse viajar e se hospedar sem problemas; todos que viajavam, dependia da hospitalidade de alguém e isso era retribuído, fazendo o mesmo, quando alguém precisava e estava ao seu alcance. Aquele Senhor de idade, voltando do campo, após um dia de trabalho cansativo, ao cruzar a pracinha da cidade, lá estavam três pessoas, e ele foi fazer contato se dispor a ajudar. Pessoas com dons e talentos evangelísticos, não perdem a oportunidade de abordar alguém que lhe parece vulnerável num lugar que lhe parece estranho e as experiências muitas vezes são boas e em muitas dessas situações podem ser úteis e demonstrar o amor de Deus. O escritor aos Hebreus diz algo muito interessante: “Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos” (Hb 13.2). Exerça seu dom de hospitalidade! Seja atencioso hoje com alguém de forma especial, faça isso, como um exercício de amor e generosidade! Convide alguém para tomar um cafezinho, dê atenção na hora da refeição à alguém que sempre fica só e isolado; ofereça uma carona a alguém conhecido mas de pouco relacionamento; um bom dia especial ao porteiro, manobrista, segurança; um bombom acompanhado de um sorriso para alguém que te atende e te serve todos os dias! Descubra o seu jeito de ser hospitaleiro hoje e de hoje em diante!

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s