Plantando e Colhendo

Meditação do dia 25/04/2016

Jó 4.25 “Segundo eu tenho visto, os que lavram iniqüidade, e semeiam mal, segam o mesmo.

Plantando e colhendo – O que chamamos de Lei da semeadura, ou seja, aquilo que plantamos, aquilo mesmo colhemos, foi citado aqui por Elifaz, um dos amigos que vieram consolar a Jó. Ele diz uma verdade dentro de um contexto onde necessariamente não é verdade. Estava lidando com uma situação, como se todos fossem absolutamente iguais. Na sua concepção, a lei é universal e portanto serve e se encaixa bem em qualquer situação e para qualquer pessoa. Sendo assim, Jó, embora fora uma pessoa íntegra aos olhos de todos, na verdade, em algum ponto de sua jornada, havia pisado na bola e não estava levando isso em consideração. Se ele estava colhendo uma sagra ruim, fora porque havia semeado coisas ruins em algum lugar de sua vida. Nos relacionamentos de treinamento para liderança de células, usamos citar e pedir que lembrem sempre nas reuniões, que “evitem apresentar soluções simplistas para situações complexas.” Como brasileiros, temos uma tendência cultual de berço, de apresentar respostas e soluções para quaisquer tipos de males e problemas. Se quer entender melhor o que estou dizendo, faça sua própria experiência e diga numa roda de pessoa que está com um problema ou dor… onze em cada dez presentes ali, irão apresentar uma proposta, uma solução ou uma receita, ou fazer uma indicação. Isso tá no sangue da gente. Vendo alguém sofrendo imediatamente a nossa cabeça já começa rodar rápido procurando explicações e possíveis causas e soluções. Foi o que Elifaz disse a Jó. Agora, como novas criaturas, e cheias do amor de Deus e com um propósito de nos importarmos com as pessoas, precisamos abrir mão dos nossos conceitos e quem sabe, até dos preconceitos e buscar em oração e piedade, o discernimento do Espírito Santo, para aconselhar, orientar ou até mesmo ficar calado e só apoiar em oração.

 

Pai, eu sei que não sei muita coisa, e que minha capacidade de discernir pode facilmente ser corrompida pelas minhas emoções e conhecimento humano limitado. Mas pela graça do Senhor, podemos ser instrumentos de bênção e apoio aos que sofrem em situações que podem estar fora de suas capacidades de controlar ou resolver. Permita, que nossas palavras sejam abençoadoras e tragam alívio e paz a esses corações. Mediante o teu Espírito Santo, que é o nosso Consolador, podemos ser consolados e consolar os que sofrem, para edificação do corpo de Cristo e manifestar o teu amor aos que sofrem. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s