Nossos Filhos e o Futuro

Meditação do dia 24/10/2016

Sl 144.12 “Que nossos filhos sejam, na sua mocidade, como plantas viçosas, e nossas filhas, como pedras angulares, lavradas como colunas de palácio;

 Nossos filhos e o futuro – Tem muita gente preocupada com o tipo de planeta que deixaremos para as próximas gerações e isso inclui uma real preocupação ambiental e a sustentabilidade. Não é uma mera paranoia de ativistas, pois em muitas nações, incluindo o Brasil, existem muitos partidos políticos ganhando projeção hasteando essas bandeiras. Na contramão dessa visão, eu e muitos outros também tem suas preocupações e fazemos outras perguntas vitais como estas: Que tipo de gerações deixaremos para o mundo futuro? Que tipo de filhos estamos preparando para o futuro de nosso planeta? Como sabemos, uma geração de pessoas, para se tornar ativa e produtiva, leva de 20 a 50 anos e assim se estabelecer e firmar os valores dessa população. O mundo em transformação constante tem se mostrado bastante variável e produzido mais perguntas e dúvidas do que certezas; podemos detectar por exemplo, as constantes crises e dificuldades, que mudam hábitos estabelecidos e esperados, como a volta dos filhos adultos para a casa dos pais, e alguns até com filhos devido a incapacidade de se manter e prover o necessário. Uma geração atrás, se profissionalizava cedo, tornavam-se independentes e iam fazer suas vidas e carreiras; mas tudo está virando e não é para melhor. Filhos adultos, formados ou em final de graduação, mas sem perspectivas de trabalho e renda, vivendo às expensas dos pais e até mesmo pesando o fardo daqueles que batalharam muito para terem certa tranquilidade mais tarde; só mais tarde chegou mais cedo e está sendo preocupante. Mas levando em conta o princípio da semeadura,  em que tudo que se planta, se colhe; não é absurdo o que estamos presenciando. Os pais deixaram os princípios corretos da educação e criação dos filhos para que tivessem uma vida, uma carreira e um propósito, para tão somente, conseguirem um emprego, de preferencia, público para ter estabilidade. Não é isso que Deus tem em mente para a família e para o homem; não é isso que a igreja deve pregar e ensinar, pois o incentivo à vida fácil, cheia de bênçãos e nada de esforço e muito menos qualquer tipo de disciplina e compromisso, está produzindo gerações de alienados, preguiçosos,  adeptos da ganho sem custo, dos privilégios sem responsabilidades. Um quadro muito próximo daquilo descrito por Paulo na sua carta a Timóteo: “Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes” (2 Tm 3.1-5). Como podemos ver, as palavras de Paulo parecem serem edição de uma jornal ou revista publicado nessa semana, de tão atualizado que é as descrições. Consideremos também tais descrições, contradizem as promessa da palavra de Deus para as famílias e para o povo de Deus que leva a sério a prática das verdades eternas. Nas palavras do salmista, nossos filhos e filhas são motivos de admiração, apreço, respeito e são verdadeiros cartões de visitas revelando quem são seus pais, suas famílias e o reino a que elas pertencem. O salmo 144 termina dizendo que “Bem-aventurado opovo a quem assim sucede! Sim, bem-aventurado é o povo cujo Deus é o Senhor” (15). Todas as civilizações que chegaram ao auge e degradaram se extinguiram logo em seguida, algumas nem vestígios deixaram. Um povo que pretende ser eterno e desfrutar de benefícios duradouros, precisa investir em mecanismos e princípios que discipline e purifique sua maquinaria. Povo de Deus, deve seguir os ensinos de Deus, assim, os resultados serão os prometidos por Deus.

Senhor, abençoa-me como pai, como homem e como cidadão, para que eu tenha sabedoria e recursos do Senhor para construir o tipo de família, que fará o tipo de sociedade e chegar ao tipo de civilização em conformidade com as palavras do teu livro santo. Perdoa-nos quando negligenciamos o que sabemos ser nossos deveres na criação e na condução da vida dos nossos filhos e das pessoas que estão sob nossa responsabilidade. Eles são herança do Senhor! Somos mordomos do Senhor! Nos conceda graça necessária e suficiente, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s