O Amor e a Disciplina

Meditação do dia 12/11/2016

Pv 13.24 “O que retém a vara aborrece o seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.

 O amor e a disciplina – O assunto hoje é um divisor de águas em termos de fé nas verdade bíblicas e os conceitos humanos em termos de criação de filhos. Mas o pastor Jason não vai ser politicamente correto para fazer uma média com as modernas ciências sócias e de comportamento humano. Escolho ficar com a Bíblia e vou justificar minha posição, levando em conta o respeito à posição de qualquer leitor e o seu direito de opinião e escolhas. As verdades da Palavra de Deus são bem mais antigas do que os conceitos humanísticos; também são “veredas antigas de Deus,” aqueles marcos que não se deve mudar sem consequências sérias. Ainda mais, os resultados que a Palavra de Deus tem produzido ao longo dos séculos em confronto com a lassidão disciplinar das novas gerações são gritantes. Para dar o tiro de misericórdia, Deus sabe o que diz e o que faz e sua palavra permanece para sempre, tão imutável, tão atual, tão poderosa hoje como o foi no dia que foi revelada e escrita, sem precisar alterar, corrigir ou emendar. Os conceitos humanos não se sustentam mais que uma ou duas gerações e se tornam arcaicas e novos conceitos se fazem necessários. As ciências comportamentais que ditam as regras hoje, são relativamente novas e ainda são experimentais, teorizando sobre tudo. Consigo entender a necessidade de contextualização dos fatos e práticas, mas sem violar os princípios eternos de Deus; assim, o modo que Deus ensina para criarmos nossos filhos, educando-os e preparando-os para a vida e o sucesso, são princípios eternos, e o conceito divino de família, de liderança, de sacerdócio, de responsabilidades, dos papéis de pais e filhos, são princípios aplicáveis em todo tempo e em qualquer cultura. Filhos precisam de pais e precisam de disciplina e correção, afinal eles são pessoas em formação e como tais, precisam de modelos e parâmetros confiáveis e seguros. Os meninos precisam de exemplos de como é o papel do homem, de masculinidade, de ser líder, protetor, provedor e o ponto de segurança da família. As meninas precisam de referencias de feminilidade, maternidade, da importância do seu papel social, da capacidade protetora de carinho e afeto, de sua grandiosidade como ajudadora idônea, do uso de seus instintos maternais para discernir coisas que a lógica masculina não é tão aguçada. A família pensada e descrita por Deus nas Escrituras é uma perfeita combinação de graça e força; sensibilidade e rigidez; melodia e ritmo, suor e suave perfume. No sermão do meu casamento o pastor José Honório do Carmo, ilustrou isso com a figura do harmonia na união do touro com a borboleta trabalhando juntos. Biblicamente, disciplina não é sinônimo de castigo e retaliação; como também usar a vara para correção não tem nada a ver com espancamento, tortura e abuso de poder; separam uma coisa da outra. Em lugar algum da Palavra de Deus e dos conceitos bíblicos de criação de filhos encontramos algo que fere a dignidade da criança ou da pessoa e também que produza traumas e recalque emocional. Disciplinar uma criança não é tirar sua iniciativa, sua criatividade e nem subjugar sua vontade à subserviência de modo humilhante e degradante. Disciplina e correção andam lado a lado com amor e apoio, tal qual indisciplina e permissividade vão paralelo com fracasso e abuso de direitos. Dificilmente veremos alguém bem sucedido que não seja alguém disciplinado e que tem respeito por limites e direitos. Os pais ao não se preparar adequadamente para o exercício da paternidade responsável, se preocupam em prover alimento e bem estar físicos e confundem a identidade com o comportamento dos filhos e assim para preservar a identidade eles liberam a indisciplina de comportamento ou invertem, mantendo um comportamento firme detonando a identidade dos filhos e em ambos as acepções o resultado é negativo. Temos que confirmar a identidade e disciplinar o comportamento e fazê-los ver a diferença: “Eu amo, por isso corrijo!”

Pai celestial, somos gratos pelos ensinamentos firmes estáveis que tua palavra proporciona a nós pais humanos; observando as tuas ações para conosco encontramos graça e misericórdia juntamente com disciplina e bênção. Todos os que amam a disciplina alcançam sabedoria e o caminho da vida. Concede a nós pais a graça de vermos as correções justas que necessitamos fazer em nós e assim nos qualificarmos para sermos os modelos mais próximos que nossos filhos podem ver e imitar. É uma decisão de fé, escolhermos seguir os teus princípios ou abraçarmos a falibilidade dos projetos humanos, baseados em conceitos teóricos de mentes carnais e dominadas pelo pecado em um mundo controlado pelo mal e pelo maligno. Somos teus filhos e assim queremos espelhar o teu caráter e a tua santidade, para tua glória e honra. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s