Nem Faraó Escapa

Meditação do dia 21/05/2017

 Ez 29.15 – Mais humilde se fará do que os outros reinos, e nunca mais se exalçará sobre as nações; porque os diminuirei, para que não dominem sobre as nações.

Nem Faraó Escapa – O Senhorio de Deus é formidável! Deus não precisa se promover, também não tem problema de baixa auto estima, como também ele não se move devido à comentários, fatos e boatos que se promovam contra o seu nome e as às vezes até em seu nome. Ele é Deus e está entronizado muito acima das mediocridades humanas. Conhecer a Deus é sem dúvida alguma o melhor projeto para uma vida e a mais sábia de todas as decisões que alguém possa tomar. Ele governa soberanamente sobre os céus, terra, o universo e estamos falando de coisas que nem mesmo sabemos, pois em pleno século 21, ainda se discute se estamos sós no universo ou se tem mais alguém “em casa.” Quem observa a natureza, a perfeição dos detalhes de como são feitas as coisas mais simples e as mais complexas, a beleza das cores, das formas, os meios de propagação e preservação das espécies, a capacidade de se adaptar, a harmonia das forças, a provisão para cada uma das milhares de necessidades distintas, sem falar nos códigos escondidos que parecem ter uma assinatura comum em todas elas. Se aceitamos que a mente poderosa do criador bolou tudo isso e mantém o mais perfeito controle, então o que mais ele não pode governar com precisão e justiça? A Bíblia nos permite ver a história dos povos e nações da perspectiva de que todos foram criados por Deus, colocado em seu devido lugar para cumprirem propósitos estabelecidos e com determinados espaços de tempo. O pecado que pode ser evitado, corrido, renunciado, sempre aparece em todos os capítulos, e ao não aceitar orientações e chamadas ao arrependimento e conversão, pode se tornar um instrumento de auto destruição de poderosos povos e nações. Hoje, o nosso texto, mostra o Senhor Deus sentenciando o Egito, por suas práticas ruins e seu orgulho. Seria dado ao cativeiro para os babilônios de Nabucodonosor, tal qual os israelitas e com o diferencial de que, quando voltasse para sua terra de origem, NUNCA MAIS seria um reino poderoso e nem mais governaria sobre outros povos, nem também serviria de escudo e proteção para a confiança de Israel. E assim, é e está até hoje. Nem mesmo na África e Oriente Mèdio, ele ocupa um papel de evidencia maior. Olhar a história dos povos, inclui ver a história das pessoas individualmente. Olhar a história e o serviço de uma igreja é olhar para a história e o ministério dos seus membros individualmente. Somos um corpo e todos dependem de todos, assim sendo, sucesso ou fracasso e até uma existência mediana ou medíocre, passa pela cooperação de cada um. A média do esforço de cada um é que forma a nota total do ministério. Deus conhece a nossa história, na sua mente, ele vê um final de vitória e sucesso, mas nós fazemos as coisas acontecerem, ou não!

Senhor, que hoje seja um dia de soberana vontade tua sobre nós e nosso papel na construção de uma história melhor para o Brasil e através da igreja brasileira. Oramos por sabedoria para as grandes decisões, que estão nas mãos de pessoas colocadas nesses lugares para estabelecerem a verdade e a justiça. Pedimos perdão pela omissão ou por não nos envolvermos com mudanças que verdadeiramente produzem transformações legítimas, espirituais e eternas. Permanecemos debaixa da cobertura do Sangue de Jesus, que morreu também pelo nosso povo e queremos ve-los salvos e prostrados diante de ti, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

É Até Quando Deixar de Ser

Meditação do dia 20/05/2017

 Ez 28.15 – Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.

É até quando deixa de ser – Para alguns amigos próximos, a sabedoria macalônica reza que “uma pessoa é o que é até o dia em que resolve deixar de ser!” Se não fosse eu, o autor dessa frase, eu concordaria plenamente com ela. A verdade bíblica sobre a conversão nos diz que o arrependimento muda todo o quadro da vida da pessoa. Tudo o que o pecador fez e em quais proporções sejam, é totalmente alterada com a sua conversão. A rota de colisão fatal, deixa de existir e um novo horizonte se abre, no exato momento da tomada de posição ao lado da verdade transformadora do Evangelho de Cristo. Verdade essa apoiada nas Escrituras Sagradas no Velho quanto no Novo Testamento. Tu, pois, filho do homem, dize aos filhos do teu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão; e, quanto à impiedade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua impiedade; nem o justo poderá viver pela sua justiça no dia em que pecar (Ez 33.12). No livro de Atos, na sua mensagem pregada aos atenienses, Paulo enfatizou verdade semelhante. Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os morto (At 17.30,31). Uma pessoa escolhe ou aceita viver seus caminhos e o faz soberanamente até o dia em que se conclui que não quer mais aquele estilo de vida. Uma mudança se faz no momento dessa decisão e pode ser de uma vida errante para uma vida nobre e de construtiva, como também pode ser o inverso, alguém exemplar, assume uma postura destrutiva e perigosa, mas agora, é o que está valendo. O Rei da cidade fenícia de Tiro, simbolicamente apresentado aqui pela profecia divina, é tido como uma figura do processo de corrupção que aconteceu a um dos principais anjos de Deus, que veio a se tornar o seu arqui-inimigo. Criado e ocupado prestigiosas posições diante de Deus, perfeito em tudo e tendo acesso completo a toda a criação, acabou se corrompendo, por dar atenção a si mesmo e suas qualidades. Sua formosura, sua sabedoria, sua posição em termos de louvor e adoração à Deus com música e instrumentos musicais, como também o brilho das preciosidades minerais e questões de autoridade, fê-lo cobiçar o que não lhe pertencia e desejar ter e ser o que não poderia. Era perfeito até o dia em que se achou corrupção… Ninguém nasce corrupto moralmente, ninguém nasce desonesto ou mau caráter, mas um dia isso bate à nossa porta e tomamos uma decisão e essa vai alterar nossos caminhos e até nosso destino eterno. Ninguém planeja fracassar, mas fracassa-se por não planejar. Valores bons são construídos na vida e desde cedo é que se toma as grandes decisões. Alimentar maus hábitos, más companhias e facilitar para o pecado é prenuncio de problemas futuros. O mau e mal, começam pequenos e no interior, onde ninguém percebe e assim que se percebe, é hora de tomar a decisão do que se fará, porque de agora em diante ele terá cobertura, apoio e abrigo, ou será expulso e trancadas as portas de aceso e passa a ter vigilância constante contra sua presença e assédio. Deus falou exatamente isso à Caim, antes dele fazer o que até então era uma idéia e uma possibilidade íntima dele: E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar(Gn 4.6,7). Hoje, sou o que sou e você é o que é, enquanto assim determinarmos – então escolhamos rejeitar a corrupção e o mal e seguir o que cremos ser a vontade perfeita de Deus para nós.

Pai, só por hoje, permita andar os teus servos em vitória e com o coração puro, desejosos de agradar a ti e sermos verdadeiramente sal e luz numa conjuntura de mal e corrupção, mas ainda estamos comprometidos com o Senhor e o teu padrão de vida, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Globalização à Moda Antiga

Meditação do dia 19/05/2017

 Ez 27.3 – E dize a Tiro, que habita nas entradas do mar, e negocia com os povos em muitas ilhas: Assim diz o Senhor Deus: Ó Tiro, tu dizes: Eu sou perfeita em formosura.

Globalização à moda antiga – Quando lemos palavras como as ditas por Salomão, sobre os ciclos da vida, aquele vai e vem de coisas novas que são antigas e aquelas antigas novíssimas, O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós (Ec 1.9,10). temos que considerar mesmo a busca da sabedoria para ver a vida do ponto de vista de Deus, senão fica muito complicado. Há bem pouco tempo, o mundo era muito grande e as distancias eram enormes, as comunicações era demoradas, os acessos aos novos produtos e novidades era privilégio para uns poucos sortudos. As coisas mudaram muito rápido e quando apareceram expressões como “mundo globalizado – sem fronteiras e aldeia global,” aquilo até assustava a gente; em menos de trinta anos isso é coisa do passado e não se cumpriram as previsões dos otimistas que viam todos os problemas se diluindo e nem a dos pessimistas que já viam o caos generalizado. Os dois lados se decepcionaram e os aproveitadores tiraram proveito de qualquer cenário e se por um lado, tudo é tão perto e tão próximo e tudo acontece em tempo real, por outro lado tem relacionamentos tão distantes embora vivam na mesma casa, a comunicação avançou tanto que se bate aos papos e dá se grandes gargalhadas, sentados ao redor de uma pequena mesa, sem nenhum som se ouça, tudo com caretinhas e umas poucas letras (kkk – rsrs – ah ah). Na velha Fenícia, o mundo já era ultra moderno e globalizado e as riquezas das nações passavam por ali como nos grandes shoppings centers da atualidade. A formosura daquela cidade cosmopolita, não deixava a desejar a nenhuma das nossas grandes, como Nova Iorque, Hong Kong, Dubai ou Cingapura. O que havia de melhor de todos os povos estava ali e certamente também o que era de ruim e perverso, pois a riqueza sem Deus atrai o mal e o pecado tal qual uma carniça atrai abutres. Nela se valia o dito brasileiro: “Por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento.” Tão grave foi a situação que ela foi varrida do mapa e até hoje não se reergueu e nem será reerguida, pois assim foi a sentença divina, contra a formosa, mas pervertida e maligna cidade de Tiro, que até serviu de símbolo para a encarnação do mal. Queridos, definitivamente não sou contra o progresso, o desenvolvimento e as tecnologias. Tudo isso são meras ferramentas, o problema é o uso que a civilização faz dessas tais coisas. Elas podem acelerar o bem, o evangelismo, as transformações sociais e à aproximação dos mercados de demanda e oferta. Paulo nos seus dias, utilizou o que melhor havia disponível para apressar a chegada do Evangelho e do reino de Deus em praticamente todo o mundo conhecido dos seus dias. O que ele não faria hoje? Com internet, comunicação em tempo real, moedas circulantes e cambio quase universal, distancias aproximadas por meios de transportes ultra rápidos, conferencias simultâneas por vídeo-conferencias via satélite? Claro, há igrejas e ministérios tirando o melhor proveito disso e dando passos gigantescos, enquanto algumas ainda estão discutindo se é ou não de Deus ou do Diabo! Não temos como parar o tempo, os avanços e os sistemas, mas podemos utilizar tudo isso com os recursos divinos, à começar pela sabedoria e um zelo santo. Oremos pela nossa parte e da nossa igreja local, ainda que pequena, mas temos um campo a influenciar.

Senhor, nada disso é novidade para ti, e nem tampouco atrapalha os teus planos, que não podem ser frustrados. As coisas e as ferramentas são para serem utilizadas e as pessoas para serem amadas e acolhidas em teu nome. Permita que a tua sabedoria conduza os teu filhos que estão em posição de liderança e autoridade, para que tenham pensamentos e atitudes generosas e criativas, para que o teu amor se estenda a todos os necessitados e ao nosso alcance. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Perigo de Não Existir Mais

Meditação do dia 18/05/2017

 Ez 26.21 – Farei de ti um grande espanto, e não mais existirás; e quando te buscarem então nunca mais serás achada para sempre, diz o Senhor DEUS.

O Perigo de não existir mais – Mesmo sabendo que humanamente não ou fisicamente não somos eternos e também nossas obras tendem a nos acompanhar, é muito comum os humanos terem atitudes como se tudo fosse muito eterno. Ninguém quer lidar com a falibilidade, com a morte e o fim das coisas. Muito interessante. Sempre achei muito interessante uma descrição bíblica desses conceitos de ser e não ser, registrada no Salmo 49.11 O seu pensamento interior é que as suas casas serão perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes. Cidades importantes da antiguidade, como descritas aqui, Tiro, Sidon e outras tantas, que se ergueram, formaram civilizações avançadas e prósperas, outras que dominaram e foram capital de reinos e impérios por centenas e até milhares de anos, jamais imaginaram que sucumbiriam à ruínas e escombros e que só seriam lembradas na literatura e arqueologia. Muitos povos se orgulharam de si mesmos e de seus feitos e desafiaram quaisquer pretensões de serem conquistados ou subjugados, e assim se julgavam eternos e agora sabemos que não é bem assim. Uma parte dessa idéia errônea está em pensar que Deus não se importa, ou que está ausente de sua criação e ainda mais, tudo o que acontece aqui, acaba aqui. Os cristãos, dos quais fazemos parte agora, em muitas circunstancias agem como se Deus fosse um ministro de confissão religiosa, isto é, só se relaciona com a religião e não com a vida como um todo. Mesmo sabendo que a Mordomia Cristã, prega não haver separação entre sagrada e secular, pois tudo pertence a Deus e somos apenas seus mordomos. Quando setorizamos a vida e colocamos cada coisa no seu quadrado e tudo junto mas separado, o caos se estabelece mais facilmente. Ações de governo, gestão, atos de justiça, integridade e atos de fé e culto não sendo aceitos como partes integrais da vida humana e sim, partes laicas e partes religiosos e partes sem partes, abre-se as portas para o destruidor de mundos. A própria igreja passa por isso, foi o que Jesus revelou a João em Apocalípse, na carta à igreja de Éfeso: Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres (Ap 2.5). Quando uma igreja deixa de ser verdadeira agencia do reino e perde sua capacidade brilhar, ela pode ser removida por Deus. O que as pessoas não se dão conta, é que ela continua, mas apenas como uma “instituição religiosa,” um mero clube gospel onde os associados se reúnem para satisfação pessoal e agendas sociais. Um servo de Deus do passado, disse uma frase legal: “Quando uma igreja deixa de ser evangelística, em breve ela deixa de ser evangélica.” Autocrítica, meus amados, é uma excelente ferramenta de auto purificação e ajuda a manter a lubrificação das engrenagens dos relacionamentos internos no Corpo de Cristo.

Pai, as tuas Palavras são eternas, porque são tuas Palavras. Tuas obras são eternas, porque são as tuas obras. A tua vontade é eterna e perfeita, porque é tua vontade. Só preciso de sabedoria dos céus, para entender e acolher no meu coração essa sabedoria. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Para Onde Dirigir o Olhar

Meditação do dia 17/05/2017

 Ez 25.2 – Filho do homem, dirige o teu rosto contra os filhos de Amom, e profetiza contra eles.

Para onde dirigir o olhar – Aceitamos pacificamente que o nosso Deus é grande e soberano, acima de tudo e qualquer coisas; o Senhor dos povos e nações, que não está limitado ao tempo, ao espaço, nem a cultura, religião e quaisquer outras barreiras. Como cristãos evangélicos, entendemos que Deus não é e nem pertence a essa ou àquela denominação e nem religião. Também entendemos que o chamado divino em termos de vocação e ministério, é para servi-lo, o tempo e o lugar, é determinação e vontade dele. Todos concordamos com tudo isso! Amamos e admiramos missões e histórias missionárias, e quanto mais recheada de aventuras e peripécies de sobrenaturais, melhor, até com sabor de filme de aventura. Missionários em terras exóticas, são muito apreciados e viram celebridades com seus depoimentos cheios de aventuras. É unanimidade, que Deus ama todos os povos, todas as pessoas, indistintamente, mas na prática essa verdade vai até a página 5… é também uma autocrítica ou auto avaliação, pois até achamos meio diferente, o Senhor enviar uma palavra profética, como essa, através de um profeta hebreu, com ministério aos israelitas, direcionando a atenção divina para um povo estrangeiro e de certo modo inimigo político e territorial deles. Mas nesse capítulo, o Senhor se dirige a vários outros povos também e ao menos por quatro vezes ele sentencia-os e afirma: e sabereis que eu sou o Senhor. A minha proposição não se trata se Deus é ou não conhecido, amado e respeitado entre aqueles que eu avalio que não pertence a Ele; mas se o meu trabalho, a minha vocação e o meu ministério, contempla, em nome do Senhor, abençoar “os de fora!” A maior parte dos nossos recursos são exauridos internamente, e os esforços aos de fora, visa mais o catequismo e a angariação de novos membros. Nosso ministério local, precisa ser mais abrangente do que nossa própria paróquia, estender-se a mais pessoas da comunidade em amor e serviço. Quero ajuda em oração e até mesmo sugestão de atividades que estão dando certo e podem ser compartilhadas com outros para que o bem se espalhe. Conto com vocês, leitores também.

Senhor, Deus de todos os povos e nações, mas também das pessoas do nosso bairro e vizinhança, todos são alvos do teu amor através de Cristo pela igreja, que é o seu corpo presente hoje aqui na terra. Desejo ter mais visões do Senhor sobre esse tema e sobre as coisas boas que estão acontecendo através dos outros teus filhos em outros locais. Conceda-nos a graça de compartilhar e abençoar uns aos outros, como tens feito para conosco, oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Engole o Choro!

Meditação do dia 16/05/2017

 Ez 24.17 – Geme em silêncio, não faças luto por mortos; ata o teu turbante, e põe nos pés os teus sapatos, e não cubras os teus lábios, e não comas o pão dos homens.

Engole o choro! – Sou da geração da Vara da Infancia e da Adolescencia, comandada Pela minha mãe e meu pai, nada demais e não havia abuso de poder, mas a coisa funcionava, ah! Pode acreditar. Mas me lembro de algumas ou muitas situações comigo e com meus irmãos e irmãs e já descobri que em todas as demais Varas de Família da vizinhança, parentela e Brasil à fora, ocorria o mesmo: Depois de levar uma “piaba” eles ainda nos diziam: “Engole o choro, pare de chorar!!!” Não entendia naquela época e ainda hoje também não, mas agora é até divertido pensar naquela situação; como uma criança leva umas varadas e não pode chorar? Ainda que algumas eram bem escandalosas e faziam questão de compartilhar seu choro com toda a vizinhança. Hoje eu me deparo com um texto que vou escrever sobre ele, devocionalmente, mas confesso que não é uma experiência fácil para empatia e até para solidarizar é quase ímpar para qualquer um. Não temos registros mais precisos sobre a vida familiar e social do profeta Ezequiel, mas fica a inferência que era casado e que amava muito a sua esposa, diria até que era apaixonado e admirava muito essa pessoa. Veio a ele uma palavra poderosa de Deus, na qual ele e ela seriam personagens centrais de uma ilustração para toda a nação. Ela, a esposa do profeta morreria de imediato, sem estar doente, sem acidente ou sei lá; seria um golpe trágico, fatal, letal… e não era para ele seguir qualquer costume, tradição ou ritual da cultura em relação a morte de uma pessoa querida e próxima. Sem choro, sem desespero, sem luto, sem reação, só aceitar o fato! A cultura e os costumes são elementos muito fortes na vida de um povo e sempre a uma reação esperada, em cada caso e no caso de Ezequiel, a reação dele de obediência à Palavra de Deus, causaria mais choque nas pessoas, do que a própria morte instantânea de sua jovem esposa, sem causas razoáveis. Todos entenderiam como um sinal inusitado e que significaria algo da parte de Deus e eles esperariam dele uma explicação imediata. Aqui, com os meus botões, com cabeça de cristão, de pastor e com responsabilidades ministeriais que incluem interpretar os acontecimentos no tempo e na história, e fazer conhecida a vontade de Deus para a igreja e isso inclui a minha vida e a minha experiência. Eu sei muito bem que não sei tudo e nem muito; mas sei o suficiente que o caráter de Deus é perfeito, seus atos são justos, retos e ele tem todo o direito de dispor das nossas vidas no tempo e no modo que lhe apraz e isso não compromete nem o seu amor, nem a sua fidelidade e tão pouco as suas promessas. Ele tem o perfeito controle de tudo e mesmo que eu não entenda, eu posso crer e descansar minha alma. Deus não tem que me dar satisfação de todos os detalhes de seus atos, e em sua sabedoria todas as coisas terminarão em glória e louvor para o seu santo nome. Justo é o Senhor em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras (Sl 145.17). A pergunta que vale um milhão, que faço a mim mesmo e permito que se identifique também com ela: O quanto estou comprometido e disposto na minha identificação com o ministério e suas implicações para ser feita a vontade de Deus?

Senhor, graças de dou, porque não sei a resposta, mas mantenho a disposição de permanecer dentro de tua vontade e andar na tua luz todos os dias da minha vida e ser e estar disponível em tudo que o Senhor precisar. A tua graça é melhor do que a vida, e quero compreender melhor isso. Consagro e mantenho-me no teu altar, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Engole o Choro!

Meditação do dia 16/05/2017

 Ez 24.17 – Geme em silêncio, não faças luto por mortos; ata o teu turbante, e põe nos pés os teus sapatos, e não cubras os teus lábios, e não comas o pão dos homens.

Engole o choro! – Sou da geração da Vara da Infancia e da Adolescencia, comandada Pela minha mãe e meu pai, nada demais e não havia abuso de poder, mas a coisa funcionava, ah! Pode acreditar. Mas me lembro de algumas ou muitas situações comigo e com meus irmãos e irmãs e já descobri que em todas as demais Varas de Família da vizinhança, parentela e Brasil à fora, ocorria o mesmo: Depois de levar uma “piaba” eles ainda nos diziam: “Engole o choro, pare de chorar!!!” Não entendia naquela época e ainda hoje também não, mas agora é até divertido pensar naquela situação; como uma criança leva umas varadas e não pode chorar? Ainda que algumas eram bem escandalosas e faziam questão de compartilhar seu choro com toda a vizinhança. Hoje eu me deparo com um texto que vou escrever sobre ele, devocionalmente, mas confesso que não é uma experiência fácil para empatia e até para solidarizar é quase ímpar para qualquer um. Não temos registros mais precisos sobre a vida familiar e social do profeta Ezequiel, mas fica a inferência que era casado e que amava muito a sua esposa, diria até que era apaixonado e admirava muito essa pessoa. Veio a ele uma palavra poderosa de Deus, na qual ele e ela seriam personagens centrais de uma ilustração para toda a nação. Ela, a esposa do profeta morreria de imediato, sem estar doente, sem acidente ou sei lá; seria um golpe trágico, fatal, letal… e não era para ele seguir qualquer costume, tradição ou ritual da cultura em relação a morte de uma pessoa querida e próxima. Sem choro, sem desespero, sem luto, sem reação, só aceitar o fato! A cultura e os costumes são elementos muito fortes na vida de um povo e sempre a uma reação esperada, em cada caso e no caso de Ezequiel, a reação dele de obediência à Palavra de Deus, causaria mais choque nas pessoas, do que a própria morte instantânea de sua jovem esposa, sem causas razoáveis. Todos entenderiam como um sinal inusitado e que significaria algo da parte de Deus e eles esperariam dele uma explicação imediata. Aqui, com os meus botões, com cabeça de cristão, de pastor e com responsabilidades ministeriais que incluem interpretar os acontecimentos no tempo e na história, e fazer conhecida a vontade de Deus para a igreja e isso inclui a minha vida e a minha experiência. Eu sei muito bem que não sei tudo e nem muito; mas sei o suficiente que o caráter de Deus é perfeito, seus atos são justos, retos e ele tem todo o direito de dispor das nossas vidas no tempo e no modo que lhe apraz e isso não compromete nem o seu amor, nem a sua fidelidade e tão pouco as suas promessas. Ele tem o perfeito controle de tudo e mesmo que eu não entenda, eu posso crer e descansar minha alma. Deus não tem que me dar satisfação de todos os detalhes de seus atos, e em sua sabedoria todas as coisas terminarão em glória e louvor para o seu santo nome. Justo é o Senhor em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras (Sl 145.17). A pergunta que vale um milhão, que faço a mim mesmo e permito que se identifique também com ela: O quanto estou comprometido e disposto na minha identificação com o ministério e suas implicações para ser feita a vontade de Deus?

Senhor, graças de dou, porque não sei a resposta, mas mantenho a disposição de permanecer dentro de tua vontade e andar na tua luz todos os dias da minha vida e ser e estar disponível em tudo que o Senhor precisar. A tua graça é melhor do que a vida, e quero compreender melhor isso. Consagro e mantenho-me no teu altar, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Filhos Sacrificados aos Ídolos dos Pais

Meditação do dia 15/05/2017

 Ez 23.39 – Porquanto, havendo sacrificado seus filhos aos seus ídolos, vinham ao meu santuário no mesmo dia para o profanarem; e eis que assim fizeram no meio da minha casa.

Filhos Sacrificados aos Ídolos dos Pais – Ficamos horrorizados quando lemos na história sobre cultos primitivos onde os pais ofereciam seus filhos em sacrifício aos deuses, em busca de um benefício particular ou coletivo. No Velho Testamento isso era expressamente proibido aos hebreus, na lei de Deus. E da tua descendência não darás nenhum para fazer passar pelo fogo perante Moloque; e não profanarás o nome de teu Deus. Eu sou o Senhor (Lv 18.21). Isso foi lhes dado quando ainda na peregrinação no deserto, antes de entraram na posse da sua terra prometida. Anos mais tarde e depois de muitas rebeliões e atitudes de violação da Palavra de Deus, encontramos esse povo indo para o cativeiro babilônico e uma das razões foi assim descrita por Jeremias: Porquanto me deixaram e alienaram este lugar, e nele queimaram incenso a outros deuses, que nunca conheceram, nem eles nem seus pais, nem os reis de Judá; e encheram este lugar de sangue de inocentes. Porque edificaram os altos de Baal, para queimarem seus filhos no fogo em holocaustos a Baal; o que nunca lhes ordenei, nem falei, nem me veio ao pensamento (Jr 19.4,5). Os anos se passaram e a vida trouxe nossos ares modernos e nossos neologismos para dizer com outras palavras, o que Deus disse para não se fazer e evitar as ciladas da idolatria. Modernamente, troca-se a coleira, mas o cachorro ainda é o mesmo. Tendo uma visão universalizada da fé cristã, cada um define para si mesmo o que é e o que não é idolatria, feitiçaria, paganismo, culto falto, obediência, desobediência e assim, a fé vai se tornando mais e mais permissiva e suavizada para que caiba a todos com suas bagagens pessoais. João, na sua primeira carta, finalizou-a com uma solene advertência: Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém” (I Jo 5.21). Sinceramente, vemos cada vez mais as Escolhas Bíblicas das igrejas mais esvaziadas de crianças, para aprenderem e serem edificadas na fé pelos princípios bíblicos ao mesmo tempo que encontramos essas mesmas crianças com uma agenda superlotada de atividades e afazeres, para satisfazer o anseio e a ambição dos pais e familiares, preparando-as para um mundo mercantil e competitivo, consumista e que cultua esses valores, de tal forma que arrastam todos para uma desenfreada vida onde o espaço para Deus é cada vez menor. O interessante é a colocação bíblica, que se encaixa perfeitamente na realidade que presenciamos todos os dias – os pais fazem esses “sacrifícios” (e admitem o uso desse termo), e correm para chegar a tempo e sair mais cedo das reuniões da igreja, para mais atividades com os filhos. Acendem uma vela para Moloque e vem igreja, pedir a bênção de Deus para os seus projetos de vida, para serem “bem-sucedidos.” As crianças não sabem um só versículo da bíblia ou um princípio da vida com Deus, mas estão muito bem conectadas e cheias de todos os cacarecos tecnológicos, que dominam com precisão absoluta, para orgulho dos pais, que também se valem disso para entretê-los e evitar o relacionamento pessoal. Quando a criança chora, ao invés de ganhar colo, um afago, um abraço e um tempo de qualidade, recebe um aparelho conectado para se acalmar. Haja coração! Mês de Maio na Monte das Oliveiras é Mês da Família, e em muitas igrejas também, mas mais do que separar um mês no ano para refletir, é necessário mudar os hábitos, especialmente os errados e pecaminosos, que trarão danos irreparáveis na vida dos filhos, não pelos aparelhos, mas pelas atitudes subtraídas e oportunidades perdidas ou ignoradas. É tempo de arrependimento e conversão e não deixar que nossos pequeninos seja sacrificados ao ídolos, mesmo os modernos, com bonitos nomes de aplicativos e softwares.

Senhor, precisamos da ajuda urgente para que as verdades da tua palavra sejam compreendidas e contextualizadas na nossa geração, sem prejuízos para a verdade eterna e imutável que são os teus princípios. Se era pecado sacrificar crianças no passado, ainda o é hoje e em qualquer tempo. Se os ídolos atraiam a atenção a ponto de merecer tamanho valor dos pais, eles hoje se modernizaram e mudaram de estética, mas no fundo são tão malignos quanto antes. Desperta o teu povo em tempo de produzir mudanças e salvarmos muitas das nossas crianças que estão próximas demais de tudo isso. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Poder da Intercessão

Meditação do dia 14/05/2017

 Ez 22.30 – E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei.

O Poder da Intercessão – Nós, que vivemos em sociedades mais organizadas e não envolvidas em conflitos bélicos, necessariamente não entendemos, na prática, a utilidade de um muro para proteger uma cidade. Conhecemos isso pela história, pelos filmes, onde os colonizadores se viam obrigados a edificarem forte e cidadelas para proteção contra animais ferozes, inimigos de guerra, índios e etc. Os antigos, nos tempos bíblicos viviam em cidades-fortalezas, isso era uma necessidade vital, diante das guerras e conquistas territoriais constantes entre as tribos e nações ao redor. Uma brecha no muro poderia se tornar letal para uma população inteira. Diante de uma vivencia assim, quando espiritualmente se utilizava o termo, não havia nenhuma dificuldade de entender o que se pretendia. Uma pessoa poderosa em oração, intercedendo de fato e de verdade, faria e faz muito diferença para um projeto ser bem sucedido. Os grandes ministérios, ou pelo menos, os bem sucedidos, tem grupos de oração e intercessão que os sustentam enquanto o trabalho é realizado pelos que estão na linha de frente. A história registra, que a rainha Mary, da Escócia, tinha mais medo das orações de John Knox do que de todo o exército da Inglaterra. Mas creio que o temor dela tem mais a ver com uma vida errado e valores do que qualquer outra coisa. A intercessão é um forma de ministério de muita importância na igreja e não são muitos os que se aventuram por essas sendas. Intercessores quase sempre são solitários, pois levar cargas sobre seus ombros, não é algo atraente e não trás holofotes ou aplausos, que são recompensas alvissareiras para o ego humano. Mas se Deus tem colocado esses pesos de oração em seu coração, não fuja e não deixe de se aperfeiçoar e crescer nesse ministério. Todos temos propósitos e objetivos para quais fomos criados, alcançados, salvos e preparados por Deus. O corpo de Cristo depende da operação correta de cada parte para funcionar perfeitamente bem. Esteja na brecha.

Pai, obrigado por nos enviar Jesus, como mediador e como nosso intercessor eterno. Ele fez um trabalho maravilhoso, único, perfeito e eterno, e foi assim que nos tornamos teus filhos e somos imensamente gratos por isso. Em dele, o INTERCESSOR por excelência, que nos dispomos a servir e entrarmos na nossa parte da tarefa. Amém.

Pr Jason

Juízos Sobre a Terra

Meditação do dia 13/05/2017

 Ez 21.2 – Filho do homem, dirige o teu rosto contra Jerusalém, e derrama as tuas palavras sobre os santuários, e profetiza sobre a terra de Israel.

Juízos sobre a terra – Nada do que aconteceu com o povo de Deus, a nação de Israel, foi sem aviso com antecedência e chamado ao arrependimento e conversão. Ninguém estava sem conhecimento dos fatos e muito menos foram envolvidos em destruição sem nenhum propósito. Desde o êxodo, de onde se iniciou a história da nação, havia indícios proféticos de que a bênção e as promessas de paz e de prosperidade estavam vinculadas a uma vida de obediência e fidelidade as palavras de Deus. No famoso capitulo 28 de Deuteronomio, onde aparecem as bênçãos da obediência e a maldição pela rebeldia e desobediência, já estava previsto que o abandono por parte deles das doutrinas e preceitos da aliança, traria cativeiro, fome, destruição e sofrimento. Quando o rei Salomão inaugurou o grande templo, também recebeu palavra profética de que suas vidas seriam prósperas ou atribuladas através de suas escolhas de obediência ou não da aliança com o Deus de sua fé e mesmo estando em cativeiro e dificuldades, quando orassem e clamassem a Deus, ele estaria disposto a perdoar os pecados e restaurar a nação. E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar (2 Cr 7.14,15). Desejo mostrar aos amados que o juízo divino, disciplinador, corretivo, cirúrgico, sempre aconteceu sobre os povos e nações e especialmente quando se tem uma aliança estabelecida. Deus ama as pessoas, e quando trata com uma nação, se refere ao todo e não apenas aos políticos, autoridades, nobres e determinadas classes. Os sacerdotes, os ministros são tão responsáveis pelos acontecimentos nacionais quanto os demais protagonistas. Porque somos membros de uma boa igreja, com muitas pessoas corretas e bom testemunho, que o juízo divino não chega até nós, não se engane. Pessoas boas e piedosas forma para o cativeiro, sofreram e lutaram por libertação. Daniel, seus amigos, Ester, Neemias e Esdras, o próprio profeta Ezequiel, Jeremias e muitos outros cujos nomes não temos registrado nos textos sagrados. Somos responsáveis pela bênção do Senhor sobre nosso povo, nossa cidade e país, mas também participamos dos sofrimentos e crises. Precisamos exercer o papel de sal e luz em todo tempo e lugar.

Senhor, graças te rendemos por estarmos vivendo em uma época fantástica e promissora, mas com desafios gigantescos diante de nós. Estamos no tempo certo, no lugar certo, para servir e abençoar. Queremos muito ver a cura do nosso Brasil, e seremos parte dela, proclamando o Evangelho da graça salvadora em Cristo Jesus. Permita, que cada um dos teus filhos, descubra o seu lugar na batalha e se ponha de pé, no seu posto, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason