João o Batista

Meditação do dia 12/09/2017

Mt 3.1,2 – E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.

 João, o Batista – João, o Batista, é uma pessoa muito significativa na Bíblia. Veio com um propósito de vida e ministério muito especifico e cumpriu fielmente seu trabalho. Era parente próximo de Jesus, primos na verdade e tudo indica que suas mães eram ótimas amigas. Com uma diferença de meses apenas de idade, Jesus e João, ao que tudo indica não se relacionaram de maneira mais próxima no tempo de suas vidas infantis e ou mais tarde, antes de entrarem para seus respectivos ministérios. Na verdade, tudo leva-nos a crer que se viram pela primeira vez por ocasião do batismo de Jesus, e que João precisou de uma ajuda divina revelando quem seria o homem que ele batizaria e daria continuidade ao programa de apresentação do reino de Deus entre os homens. “E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito, e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo. E eu vi, e tenho testificado que este é o Filho de Deus” (Jo 1.33,34). O ministério de João, era marcado pelo desafio de preparar o coração das pessoas para receberem o reino de Deus, que seria logo em seguida apresentado por Jesus, a quem ele servia, mas sem o conhecer pessoalmente. Para os padrões de hoje, João também não seria muito popular, pois era incisivo contra as práticas pecaminosas das pessoas e isso incluía também a elite governante. Para João, o reino de Deus era para todos e igualmente a necessidade de arrependimento e conversão aos caminhos de Deus, com o abandono dos pecados e da injustiça. O coração do homem é continuamente suscetível de corrupção e maldade, e a tendência natural é contextualizar e admitir que tudo o que socialmente é aceito, também o é em termos espirituais. O conceito de que Deus não interfere nem intervem nas vidas humanas, permite que eles então se auto determinem, estabelecendo os conceitos do certo e errado, bom e mau e suas devidas escalas de valores. Seguindo assim, ações ruins são plenamente compensáveis com uma ou outra boa ação, que não só alivia a consciência, como adquire méritos religiosos e aplausos aos seus pares em ações beneméritas, que na verdade são meios de promoção pessoal e expor-se a visibilidade como alguém que faz o bem e tem um grande coração. João o Batista, não engolia isso e nem tampouco aliviava para os pervertidos e imorais dos seus dias. Era um homem cheio do Espírito Santo e o poder de Deus estava com e sobre ele, o que sustentava. Quando se trata de ministério para Deus, não importa se naturalmente a pessoa é ousada, corajosa e destemida para dizer as verdades mais duras e sustentar isso diante de tantas adversidades e correntes contrárias. Se trata de ter a unção e autoridade ministerial, disposição de obedecer a Deus e ser fiel á mensagem recebida, decodificada e entregue no poder do Espírita Santo. O que é a marca do seu ministério?

Senhor, levanta em nossos dias mais homens e obreiros corajosos no Senhor, para pregarem a tua Palavra no poder do teu Espírito Santo, sem estarem comprometidos com a ética e moral dos nossos dias e os conceitos humanos do que é a verdade. A tua igreja, tem uma história e faz a história acontecer dia a dia, proclamando o evangelho que o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. Eis-nos aqui, para ser os arautos desses dias difíceis, mas promissores, por causa da tua graça. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s