As Primeiras Palavras

Meditação do dia 20/09/2017

Lc 1.64 – E logo a boca se lhe abriu, e a língua se lhe soltou; e falava, louvando a Deus.

 As Primeiras Palavras – Permitam-me interromper a sequencia de meditações com base na biografia de João Batista, mas o faço para escrever sobre alguém deveras importante no mesmo cenário, que o Zacarias, o seu pai. Nosso amado irmão, ficou mudou, por disciplina do Senhor, por aproximadamente 9 meses, desde o anúncio da promessa do filho, até que ela se concretizasse, disciplina com início e fim, já determinados. Serei breve, mas desejo aproveitar bem a idéia. Quais seriam as minhas primeiras palavras depois de um período tão grande de impossibilidade de falar? Qual seria o teor dessas palavras. Provavelmente, sendo um tanto calculista frio, eu reservaria algo que expressaria os meus sentimentos interiores, sufocados por todos esse tempo. Por outro lado, poderia deixar acontecer espontaneamente, favorecido pelo momento do destravamento da língua. Pois, bem, é provável que vocês também já estejam pensando em como seria contigo, estando na mesma situação. Mas ao olhar para a vida e as atitudes de pessoas espirituais e de bons exemplos nas Escrituras, percebo que as nossas escolhas invariavelmente revelam o nosso caráter. Jesus, algum tempo depois daqui, disse algo significativo até hoje: “Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más” (Mt 12.34,34). Podemos demonstrar algo diferente nas aparências, disfarçar, dissimular, agir diplomaticamente, ser politicamente correto e tudo mais, mas sempre será revelado o que estiver no baú interior. Gosto muito de pensar no que faria eu, estando numa situação semelhante a que esteve os discípulos do Senhor Jesus, porque admiro a decisão que eles tomaram estando expostos como estavam. E, soltos eles, foram para os seus, e contaram tudo o que lhes disseram os principais dos sacerdotes e os anciãos. E, ouvindo eles isto, unânimes levantaram a voz a Deus, e disseram: Senhor, tu és o Deus que fizeste o céu, e a terra, e o mar e tudo o que neles há… (At 4.23,24). Em meio a severa perseguição e risco de prisão e até morte, quanto soltos, foram diretos procurar os irmãos e juntos adorarem a Deus e reconhece-lo como soberano acima de tudo. Que escolha! Que caráter! Que prioridade na vida! O mesmo foi vista em Zacarias, cujas primeiras palavras foram de louvor e gratidão ao Senhor pelos seus planos e propósitos eternos e redentivos. A sequencia do texto afirma que Zacarias foi cheio do Espírito Santo e profetizou… eu paro aqui, para não incluir nada mais que essa essência de corações gratos e cheios de coisas que valem mesmo encher o coração e a vida, fecho com uma oração nas palavras de Davi: “Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” (Sl 19.14).

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s