O Preço do Campo

Meditação do dia 05/07/2018

 “Então Abraão se inclinou diante da face do povo da terra, e falou a Efrom, aos ouvidos do povo da terra, dizendo: Mas se tu estás por isto, ouve-me, peço-te. O preço do campo o darei; toma-o de mim e sepultarei ali a minha morta.”  (Gn 23.12,13)

 O preço do campo – Quando criança, morando em Goiania, havia lá uma imobiliária cujo lema era: “Quem compra terra, nunca erra.” Além da rima, a idéia é muito boa em termos de investimentos. Ao meditar sobre essa fase da vida de Abraão e a insistência dele em comprar esse campo, com uma gruta, para servir de sepultura, inicialmente para Sara e depois para ele e no final todos os patriarcas, Isaque e
Rebeca, Israel e Leia. Fora as lendas e o misticismo histórico, como sendo aquele o local da sepultura de Adão e Eva e daí o interesse de Abraão em ter a tal propriedade. Outra versão é que deveria ser um local muito bonito e o interesse do patriarca era por uma exigência de Sara, que era muito exigente. Prefiro ficar com o básico, isto é, ele precisava de um local apropriado e encontrou naquele campo com um bosque e uma gruta apropriada e negociou a compra, só isso me satisfaz, qualquer coisa à mais, vou esperar para perguntar pessoalmente a ele. Mas a atitude positiva de Abraão de não tirar proveito ou ganhar vantagem, se apropriando de um bem valioso, sem preço, ainda que isso lhe fosse oferecido e como ele desfrutava de uma condição privilegiada entre aqueles moradores, como um príncipe de Deus a quem eles de fato respeitava e considerava em alta estima, tal presente não seria absurdo ou sacrificial para eles. Mas esse servo de Deus agiu pelos caminhos de apresentar um testemunho da graça divina e de reconhecer o valor e o respeito à propriedade alheia. Vejo isso conectado a duas outras histórias de campos serem adquiridos com fins que envolvia a fé e os valores espirituais. Um desses casos, foi no tempo de Rei Davi, o maior dos reis de Israel e claro, descendente e herdeiro das promessas de Deus para Abraão. Houve uma praga com grande mortandade, por pecados nacionais, sob patrocínio do rei e o castigo veio em medida pesada. Ao pedir misericórdia a Deus, Davi foi instruído a oferecer um holocausto em um determinado lugar e lá chegando, o rei propôs comprar o campo para fazer o sacrifício e o dono, um jebuseu (nativo) ofereceu de graça o campo e os animais e instrumentos de trabalho como lenha, para que Davi cultuasse a Deus e a praga cessasse. Foi então que apareceu uma das maiores lições sobre culto a Deus. Todo adorador precisa aprender e praticar esse princípio, porque ele é transformador e alinha com todos as verdades que conhecemos sobre cultuar a Deus em espírito e em verdade. Davi disse para aquele homem bondoso: “Porém o rei disse a Araúna: Não, mas por preço justo to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada. Assim Davi comprou a eira e os bois por cinqüenta siclos de prata.” (2 Sm 24.24). Não oferecer a Deus qualquer coisa sem custo, sem valor. Culto que não custa nada, não vale nada! Ir às celebrações por que está à toa, não tem outra coisa para fazer, faz porque tá sobrando (tempo, dinheiro), dando sobras, restos, o que não tem importância, serventia, utilidade, já que será jogado fora mesmo, então…. Pessoas que fazem ministérios com as suas sobras, mal feito, inadequado, imperfeito, porque há prioridades, e o chamado ou a ordem de Deus entra na prateleira das prioridades não importantes. “O filho honra o pai, e o servo o seu senhor; se eu sou pai, onde está a minha honra? E, se eu sou senhor, onde está o meu temor? diz o SENHOR dos Exércitos a vós, ó sacerdotes, que desprezais o meu nome. E vós dizeis: Em que nós temos desprezado o teu nome? Ofereceis sobre o meu altar pão imundo, e dizeis: Em que te havemos profanado? Nisto que dizeis: A mesa do Senhor é desprezível. Porque, quando ofereceis animal cego para o sacrifício, isso não é mau? E quando ofereceis o coxo ou enfermo, isso não é mau? Ora apresenta-o ao teu governador; porventura terá ele agrado em ti? ou aceitará ele a tua pessoa? diz o Senhor dos Exércitos” (Ml 1.6-8). Outra história de campo adquirido, vou citar mas não vou discorrer, a história dele fala por si.  Com as trinta moedas recebidas de volta, de Judas, que traíra a Jesus, foi comprado um campo. “E os príncipes dos sacerdotes, tomando as moedas de prata, disseram: Não é lícito colocá-las no cofre das ofertas, porque são preço de sangue. E, tendo deliberado em conselho, compraram com elas o campo de um oleiro, para sepultura dos estrangeiros. Por isso foi chamado aquele campo, até ao dia de hoje, Campo de Sangue.” (Mt 27.6-8).

Obrigado, Senhor pela lição do valor do serviço ao Senhor e dos meios de adquirirmos bens e propriedades; tudo o que fazemos é culto ao Senhor e precisamos aprender e valorizar os princípios da tua Palavra. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s