Ismael Filho de Abraão

Meditação do dia 08/09/2018

 E Agar deu à luz um filho a Abrão; e Abrão chamou o nome do seu filho que Agar tivera, Ismael.  (Gn 16.15)

Ismael filho de Abraão – Os dias passam e novas oportunidades aparecem. Agar voltou para a casa de seus senhores e a vida voltou ao normal dentro daquilo que seria possível. O passado é inalterável, mas a forma como olhamos para ele e como reagimos em relação a ele determina novas opções que não sejam o sofrimento e a dor. As únicas pessoas nesse mundo sob as quais podemos produzir mudanças, são nós mesmos. Em relação às demais, temos que nos adaptar, submeter, conviver e desenvolver mecanismos que lubrifiquem os relacionamentos. Tentar de outra forma é tragédia anunciada por antecipação. Viver as expectativas de que minha qualidade de vida e produtividade só poderá acontecer com a mudança dos outros é na verdade transferência de responsabilidade. É como se afirmássemos: Você me irrita; você me tira do sério, você me enlouquece… quando na verdade, a opção salutar seria dizer: me irrito com você; saio do sério com você; me enlouqueço com você. Na primeira opção, os resultados só podem obtidos se os outros se alinharem com minhas vontades, gostos e preferencias, ou seja, se não existissem elas, o mundo seria perfeito para mim. Assumir suas próprias responsabilidades é sinal de maturidade. Agar volta para casa e se submete a Sara e seu filho nasce; a criança é recebida por Abraão como seu filho e lhe dá o nome que o anjo dissera a Agar lá perto do poço. Sabemos então que ela ao chegar de volta, teve uma conversa madura e responsável com seus senhores e contou-lhes a experiência que tivera e as promessas que recebera de Deus. Abraão era um homem de Deus e com certeza buscou confirmação daquelas informações e ao que se nota, ficou satisfeito e convencido, tanto é que obedeceu e seguiu as instruções. É muito importante as pessoas, e não estou alijado disso, entender a importância de seu papel como personagem de uma história, especialmente uma como a história da redenção, que Deus vem escrevendo desde os princípios dos tempos. Cada pessoa é uma peça importante nesse grande tabuleiro e cumprir minha parte da tarefa, por mais simples que me pareça, é um ministério. Pessoas são únicas, dotadas de características que as tornam distintas e competentes para produzir resultados que estão fora de nossa limitada capacidade de compreender; então é essencial a fé, para viver, realizar e permitir que Deus seja glorificado através de nossa vida. Acredito piamente que a vida é um ministério, estamos aqui para uma razão específica e ela faz sentido, mesmo que fora do meu alcance de entendimento. Assim, gerar um filho, ser pai, ser mãe, adotar uma criança, servir de alguma forma se torna importante para uma causa maior. O ministério de Agar poderia ser gerar um filho, com DNA semita/camita? Mardoqueu adotar a sobrinha Ester seria seu propósito primário de vida? José, o carpinteiro de Nazaré? Eu, você! Não somos descartáveis e nem descartados depois que produzimos e realizamos o propósito divino; somos amados, aceitos, acolhidos e importantes do começo ao fim.

 

Senhor, obrigado por ter um projeto de vida muito pessoal para minha vida. Obrigado ser fiel à tua própria palavra e velar para que ela aconteça. Me rendo à tua sabedoria e consagro o que sou e o que tenho para ser exatamente o que planejaste para mim, ao me criar. Obrigado pelas pessoas e situações que tem produzido influencias transformadoras para o bem e meu crescimento na tua graça e conhecimento. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s