Odre de Abraão X Poço de Deus

Meditação do dia 27/09/2018

 “E abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço de água; e foi encher o odre de água, e deu de beber ao menino.”  (Gn 21.19)

 Odre de Abraão X Poço de Deus – Não é nenhuma novidade para quem me conhece pessoalmente ou por essas meditações que sou apaixonado pela Bíblia, como literatura, como Palavra de Deus e procuro adquirir conhecimento transformador para minha vida. Acredito que o conhecimento que não gera transformação em nossas vidas, é uma mera informação. Sabemos que informações podem ser adquiridas em muitas fontes, e a cultura religiosa não fica de fora em fornecer bons conteúdos de informações sobre a Bíblia. Mas isso por si, não é agente transformador. É a verdade que liberta, que santifica e que prevalece. Um filósofo disse: “Só os loucos e as crianças falam a verdade; deve ser por isso que os loucos são aprisionados e as crianças são educadas.” A qual desses grupos eu pertenço? Certamente do primeiro, já que os cabelos brancos já invalidam a segunda opção. Vamos para a Palavra de Deus com uma fome e uma sede legítimas e com uma humildade que nos permita aprender de qualquer um e em qualquer tempo. Devemos ser importadores de conhecimento bíblico e não exportadores. Para algumas lições com a vida de Agar, especialmente nessa sua jornada rumo à liberdade, escrevi algumas meditações, já que o volume de escritos sagrados sobre ela é bem diminuto, mas muito enriquecedor.  Hoje vamos pensar nas questões de necessidades, provisões, suprimentos e cuidados que fazem parte da rotina de vida de qualquer pessoa e os servos de Deus não estão isentos e nem à parte de tudo isso. Quando Agar saiu de casa, na propriedade de Abraão, ela saiu na companhia do filho e levando em mãos alguns suprimentos necessários para uma jornada, mas insuficientes para toda a sua vida. A condição e a situação dela era diferente, por exemplo da situação de seu antigo senhor Abraão; lá ela vivera por muitos anos e eles tinha um estilo de vida nômade, peregrinando por toda a extensão daquela região. Mas eles viajam em comboio grande e familiar, com escravos, empregados, animais e bens; assim não eram jornadas longas e apressadas, pois iam no compasso dos pequeninos, do rebanho leiteiro que era frágil e faziam rotas que permitiam abastecimento regular. Havia proteção, cuidados pessoais e companhia e etc. Por muito tempo, nossa vida foi ou teve uma rotina, que se não era a melhor, a ideal, mas era o bastante para um nível de conforto e segurança e tínhamos fontes geradoras de apoio suprimentos. Alguém dava as cartas e nós simplesmente seguimos o comboio e cumpríamos nossas tarefas e isso era o bastante. Mas com a liberdade, vem também a responsabilidade. Alguém aí que era solteiro e vivia na sombra e água fresca e sem grandes preocupações, até que se casou e descobriu o preço do sal? Quem é agora que fecha e trancas as portas, apaga as luzes, vê se as crianças estão agasalhadas, se a despensa está abastecida? Ou quem foi morar longe dos pais por estudo ou trabalho e saiu celebrando a independência, até que descobriu que isso tem um custo. Agar saiu com um pão caseiro e uma vasilha com água, dada por Abraão, homem de Deus. Mas a água acabaria uma hora e acabou mesmo. O pão poderia até ser saboroso, grande e eles comeriam aos poucos, bem regrado para durar mais, mas mesmo assim acabaria e acabou. A jornada de Agar, não era apenas física, material e geográfica, mas também e acima de tudo espiritual, como a nossa. Mesmo sendo espiritual em direção a liberdade, a promessa, a bênção, ainda assim, precisamos caminhar, comer, beber, e todas as necessidades da vida humana. Abraão deu um odre d’agua, mas deu providenciou um poço, uma fonte. Você consegue perceber a diferença entre a capacidade de suprimento do homem em contraste com a de Deus? Abraão levantou de madrugada, deu um pão, um vasilha com água e um abraço e desejou boa sorte e que Deus te abençoe e te proteja; depois voltou para sua tenda, sua vida, triste ou feliz, mas voltou para suas ocupações. Deus acompanhou a Agar e Ismael, foi com eles, estava presente na hora difícil, viu seu choro e seu desespero e confortou-os, supriu o que precisava, renovou suas promessas e seguiu com eles até o fim daquela jornada e de todas as outras. Nossos pais, irmãos, pastores, líderes, patrões, funcionários, colaboradores, são todos humanos, todos tem suas ocupações e suas próprias jornadas e eles voltarão para elas. Deus continuará contigo e comigo desde o princípio e não nos deixará em todo e qualquer tempo; mesmo os tempos difíceis, de lágrimas e solidão. Quero fechar com dois textos. Use seu discernimento espiritual e tire suas lições.” É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem. É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes(Sl 118.8,9). Se você não sabia, esses são os dois versículos que marcam o meio exato da Bíblia. Um deles é o eixo. O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua direita. O sol não te molestará de dia nem a lua de noite. O Senhor te guardará de todo o mal; guardará a tua alma. O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre (Sl 121.5-8).

 

Senhor Deus Altíssimo,, o Possuidor dos céus e da terra; obrigado por seu o nosso provedor, a nossa proteção e o nosso guia em toda a nossa jornada. Graças podemos te render e rendemos, porque quando findam os recursos e auxílios dos homens, os teus continuam e duram para sempre. Receba a nossa gratidão e o nosso louvor pela nossa liberdade e pelas responsabilidades que ela trás, mas contigo, somos sempre vencedores, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s