Medo da Morte

Meditação do dia 10/01/2019 

Então chamou Abimeleque a Isaque, e disse: Eis que na verdade é tua mulher; como pois disseste: É minha irmã? E disse-lhe Isaque: Porque eu dizia: Para que eu porventura não morra por causa dela.”  (Gn 26.9)

 Medo da Morte E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão (Hb 2.15). Normalmente quando se fala em morte, alguns já morrem de medo de morrer e outros preferem evitar o assunto à qualquer custo. Outros se apegam à suas crenças ou filosofias de vida, que não ajudam muito, mas protelam até o último dia e aí, salve-se quem puder. Esse texto de Hebreus me trouxe alguma luz adicional ao que entendia e a compreensão de verdades importantes, se juntam para assumir o controle de fato da vida das pessoas. Aqui não é apenas a questão de morrer fisicamente, ou espiritualmente, porque são as vias principais. A grande questão é quando se mexe com os medos, que são tão mortais quanto a própria morte e escravizam de tal forma que chantageia e oprime levando a pessoa a uma condição de escravidão. Pensemos por exemplo no medo da morte da reputação. A pessoa sujeita a essa tragédia, fará qualquer coisa ao seu alcance para evitar perder sua condição e isso pode levar até a praticar quebra de princípios morais e éticos que ela defende; a pessoa pode renegar a fé e até se comprometer com padrões de comportamento completamente alheios a suas escolhas. Quando um casal, por exemplo tem uma das famosas DR (discutir a relação); e acertam determinados parâmetros, para serem seguidos e quando um, deles o que normalmente estava mais falho, se vê numa situação em que irá violar a palavra dada ao cônjuge, ele já começa a projetar em sua mente, maquinações mentirosas ou não verdadeiras, para ao encontrar o outro ter uma justificativa do porque não cumpriu a sua palavra. Na sua mente, ao ver que irá violar o trato, ele já diz: “ela vai matar!” “estou morto dessa vez!” Esse medo leva cristãos a violar a consciência e não confessar pecados praticados e conhecidos, porque ele teme ser rejeitado e destruído pela comunidade. A mente carnal, maquina desculpas e mecanismos de justificar para si mesmo que tudo vai ficar bem e isso é preferível a uma confissão e correção. Quero lembrar aos amados, que o Espírito Santo jamais acusa e condena ninguém! Ministério de acusação é do diabo, vem dos infernos. O trabalho do Espírito de Deus é convencer e ele o faz com sua voz mansa e suave, levando a pessoa a confiar na graça de Deus e no poder do sangue de Jesus para perdoar e purificar dos pecados. Ele atrai o coração da pessoa para a comunhão e a andar na luz, porque esse é o caminho de Deus. A mente carnal vai estar sugestionada pela voz de acusação que vem do inimigo da alma, que acusa e empurra a pessoa para um beco sem saída de desespero e vergonha; apontando que todos a irão desprezar e envergonhar e que ela mesma conhece outras pessoas daquele círculo de relacionamentos, que faz pior do que ela e está tudo bem. O diabo induz a pessoa a tomar a decisão afastar da luz e da verdade, pois isso facilita a queda. Esse medo de morrer emocional, escraviza e angustia. Nas Palavras de Paulo, é assim: Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte. (2 Co 7.10). Isaque, já naquele tempo jurássico, se viu enredado emocionalmente com a possibilidade de sua esposa vir a ser requisitada pela corte ou por alguém disposto a mata-lo por isso. E só com a idéia ele já armou uma maquinação, se passando por irmãos, mentindo e levando-a a mentir e quem sabe, levando até os servos e empregados a fazer a mesma coisa. Pastores e obreiros, podem ser vítimas desse mesmo modo, por medo de perder o pastorado local, alguém querer dividir o ministério, alguém se apresentar melhor, a igreja gostar mais de alguém mais dinâmico, fluente, eloquente ou melhor preparado e por medo e ciúme arquitetar saídas para “não morrer.” Somos de Deus e Ele cuidará de nós. Fazemos o certo, porque é certo, sempre. Não se deixe arrastar pela areia movediça emocional. O remédio ideal é o amor; em doses generosas. No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor (I Jo 4.18).

Senhor, obrigado pelo teu amor. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s