Os Conflitos da Vida

Meditação do dia 28/01/2019 

E disse-lhes Isaque: Por que viestes a mim, pois que vós me odiais e me repelistes de vós?”  (Gn 26.27)

 O conflitos da vida “Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens” (Rm 12.18). Com esse pensamento, eu posso entender um pouco do que se passava na cabeça e no coração de Isaque. Depois de tantas perseguições e injustiças contra sua pessoa e seu patrimônio, praticados pelos moradores da terra e mesmo ele mudando de lugar e começando de novo, eles apareciam com novas reivindicações e se apossavam à força das terras e das águas dos poços cavados por Isaque e seus servos. Ele sempre agira pacificamente e se cedia sem contestar, indo embora e esperando em Deus que lhe fizesse justiça. Juntando-se ainda o fato de que ele fora convidado gentilmente pelo rei de gerar a se retirar, por seu mais poderoso do que eles. Agora que ele encontrara um bom lugar e se fixara, aparece na sua porta uma comitiva real, e nesta circunstancia que encontramos nosso patriarca, aborrecido ao recepcionar com uma pergunta indignada, ao invés de uma calorosa saudação, que em outras situações um rei mereceria. Resolver conflitos exige habilidade e disposição de negociação e muita diplomacia; por isso nem todos são pacificadores naturais. Na experiência de Isaque, sempre que aquelas pessoas apareciam, alguma encrenca estava sendo armada. Não eram pessoas fáceis de lidar e nem sempre tinham boas intenções e amabilidade. Isso se parece com alguma coisa na sua experiência prática? Isso te leva a pensar em situações semelhantes, que soube agir, ou que agiu instintivamente e os resultados não foram os melhores? São os chamados “relacionamentos quebrados,” que vão acontecendo ao longo da jornada; podem ser com familiares, parentes, amigos, colegas de trabalho ou dos relacionamentos ministeriais, dentro da igreja local ou da denominação. É importante confrontar mas sem perder a ternura ou cometer um novo erro ao invés de corrigir os anteriores. Como nossas vidas estão sob os cuidados do Senhor, e temos orado e apresentado nossas causas esperando ajuda e sabedoria, torna-se necessário, não agir por impulso ou emocionalmente agitado, pois ainda não temos a capacidade de ler os corações, como Deus e assim, a pessoa pode já estar sendo trabalhada pelo Espírito Santo, para mudanças significativas, e até estar vindo para propor acertos e se desculpar e sem a sabedoria do alto, podemos dificultar o processo no qual Deus estava preparando para resolução. Lembrando também, que somos agentes da paz e do amor, como representantes de um Deus misericordioso e perdoador. Somos embaixadores de um reino diferente dos demais entre os homens. Fazemos o certo porque é certo, não por ser mais fácil, lucrativo ou menos desgastante. Somos da fé, sempre!

 

Senhor, graças te damos pelo amor do Senhor derramado em nossos corações através do Espírito Santo. Estamos aqui para realizar uma missão, representando ao Senhor e ao teu reino. Precisamos ser perdoadores e seguir o teu exemplo. Pedimos ajuda e graça transformadora para fazer isso, hoje. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s