Voltar em Paz

Meditação do dia 22/06/2019 

 “E eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor me será por Deus; (Gn 28.21)

 Voltar em Paz – Pensando aqui com os meus botões, se tem alguém, que teve uma vida cheia de tribulação e lutas, esse camarada foi Jacó. Mas isso nos dá motivos de meditar nas experiências dele e assim, divisar em nós e em nossas experiências, as boas práticas que nos alimentarão e servirão de combustível para mais rodagem em nossa jornada. Ele estava em situação difícil em casa, depois dos meios utilizados para chegar na bênção paternal e as relações com o irmão estavam muito ruins. Agora estava seguindo caminho para Harã, uma terra desconhecida e lá reiniciaria tudo do zero. Nessa primeira noite fora de casa teve uma experiência sobrenatural e espiritual que transformaria sua vida para sempre. Ao fazer seu voto ao Senhor, ali naquela manhã, ele lembrou de seu ministério de ser bênção em família e que a sua terra era Canaã, e ele pretendia voltar o quanto antes, mas gostaria de voltar EM PAZ! A definição mais singela de paz, é “ausência de conflitos,” certamente isso é mais bem empregado em termos de povos e nações. Quando pensamos em pessoas e famílias, a idéia de viver em paz, precisa ser mais aprofundada, pois não estar em choque e brigando ainda é pouco para significar estar em paz. Como cristãos, adotamos o Príncipe da Paz como Senhor em nossas vidas e adotamos um estilo de vida pacífico e segundo os ensinamentos apostólicos, dependendo de nós, não haverá conflitos. “Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens” (Rm 12.18). subentende-se, que seremos provocados, quer por pessoas ou situações e circunstancias para nos tirar dessa posição de descanso e confiança e assim, quando depender de nós, faremos as escolhas de quem não só deseja a paz, mas trabalha por ela. A base de sustentação disso é o próprio Senhor de nossas vidas. Deixovos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (Jo 14.27). Quando olhamos para a vivencia de Jacó, lá em Harã, com o tio Labão, entendemos bem que não foi fácil para ele. Se ele recebera um nome com significado de ser alguém trapaceiro, suplantador, ele viu que seus grandes feitos (mal feitos), era coisa de amadores, diante da sagacidade e desonestidade do tio. Ainda bem que não acreditamos em Karma, senão… mas cremos na lei da semeadura, tudo aquilo que o homem semear, isso ele ceifará; e Jacó colheu com gosto e desgosto tudo e mais um pouco do que fizera. Lembrando algo que ainda veremos mais à frente, até instantes antes de encontrar o irmão Esaú, na sua volta, ele viveu conflitos e angústias. Jacó, porém, jamais desacreditou de Deus, de suas promessas e mesmo do seu voto. Assim foi sua vida inteira, até quando foi morar no Egito, com José, as coisas nunca foram fáceis para ele; mesmo assim, ele nunca facilitou para a descrença, incredulidade, murmuração ou entrar em crise. Ele andou em alto nível com Deus e com sua fé. No fim, é isso que conta. Ser aprovado!

 

Senhor, obrigado por dar-nos a sua paz e segurança, ainda que as circunstancias ao nosso redor digam o contrário, para nós, o Senhor continua o mesmo, ontem, hoje e eternamente. A tua fidelidade é inigualável e felizes são aqueles que confiam em ti em todo tempo. Obrigado Espírito Santo por guiar os nossos corações a isso. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s