Lidando Com Tragédias em Família

Meditação do dia: 27/10/2019

  E saiu Diná, filha de Lia, que esta dera a Jacó, para ver as filhas da terra. E Siquém, filho de Hamor, heveu, príncipe daquela terra, viu-a, e tomou-a, e deitou-se com ela, e humilhou-a. (Gn 34.1,2)

 Lidando Com Tragédias em Família – Por alguma razão eu vou tratar a história inteira registrada em no capítulo 34 de Gênesis, que é um texto fora do convencional, e que trata de como uma tragédia se abateu sobre a família de Jacó. Ainda hoje, tragédias, violências e males ainda acontecem com boas famílias cristãs piedosas; pastores e ministros bons e honestos, fiéis e dedicados sofrem com alguma situação fora do controle. Então vamos aprender alguma coisa aqui. – Gn 34 tem uma história sombria e desastrosa para uma família que serve a Deus e tem a promessa de abençoar todas as famílias da terra. Mas temos o que aprender aqui: Jacó estava regressando de seu exílio e superado momentos difíceis, como encontrar com Esaú, seu irmão, lutar com um anjo de Deus em Peniel e ter sua grande experiência espiritual com Deus. Chegou em Siquém e comprou sua primeira propriedade e levanta seu primeiro altar e até deu-lhe um nome pomposo (33.18-20). Diná, filha de Jacó “saiu para ver as filhas da terra.” (ela deveria ter 14,15 anos). Pode ter ido a alguma recepção de boas vindas à sua chegada, ou um festival local; (segundo o historiador Josejo). O passeio terminou em violência sexual contra ela, praticada pelo “Príncipe” do pedaço. (Provavelmente ela ficou em cativeiro – v.17,26). É a primeira citação de estupro na bíblia e a primeira tentativa satânica de corromper uma virgem em Israel, para frustrar os planos de Deus de fazer com que o Messias viesse ao mundo através de uma virgem. O rapaz se dispôs a reparar o erro e se casar com ela. Jacó “calou-se” quando ficou sabendo do ocorrido até que conversasse com os filhos que ficaram indignados. Eles tinham um padrão de família, de moral elevada, em contraste com a vida relaxada e imoral dos cananeus pagãos seus vizinhos. E tinham uma ordem de não se casarem com filhas dos povos de Canaã. Hamor, o pai do rapaz veio tratar do assunto e resolver pacificamente a situação. Siquém, o príncipe se mostra disposto a pagar qualquer preço ou fazer qualquer coisa para se casar com Diná. Os filhos de Jacó agem com dolo, (repetindo as características familiares de engano e manipulação, males do passado da vida de Jacó, e do lado materno também). Lançam mão de um artifício cerimonial de sua fé para atingir seus propósitos nada espirituais. A religião sendo usada para o mal; uma prática que Deus abomina, como descreve o profeta Isaías – “Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as Festas da Lua Nova, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniquidade associada ao ajuntamento solene (Is .13 ARA). Hamor e Siquém caíram na armadilha, morderam a isca! Foram convencer os demais cidadãos da cidade da importância de se aliarem com o “povo pacífico” que chegou aqui. Hamor e Siquém também tinham segundas intenções na aliança e usaram isso para convencer os outros a segui-los. Se não tinham a intenção de tomar a riqueza de Jacó, então estavam enganando o seu próprio povo. E todos, em massa “se converteram.” Ao terceiro dia da circuncisão, “chegou o boleto!”  Simeão e Levi armados, entrou na cidade e exterminaram todos os homens e levaram Diná para casa. 34.27-29,31 – Os outros filhos de Jacó se juntaram e saquearam e pilharam tudo na cidade e no campo, com a justificativa: “Porque violaram sua irmã.” O que faz um pai de família piedoso numa situação dessa? Deus nos ensina muita coisa em Gênesis, mas um dos temas principais é a influencia de indivíduos nas famílias, das famílias nas comunidades e finalmente das comunidades nas tribos. O discipulado das nações começa em casa! Em menos de uma semana, eles chegam no povoado, compram terras, realizam um culto e convidam certamente as pessoas a conhecerem o culto ao Deus Altíssimo, que são sacerdotes e adoradores. A jovem adolescente é violentada sexualmente, fica refém, se casa e fica viúva num genocídio praticado pelos irmãos. Tudo isso numa família que serve a Deus e tem como missão e propósito abençoar todas as famílias da terra! Voce pode imaginar o coração de Jacó, de Leia, Raquel, Diná? SE você pode se identificar com a tragédia de Jacó e sua família, não desista e não perca a fé. Não permita que a ira, o ressentimento e a amargura roube os seus dons e a sua chamada. Mesmo pessoas boas podem cometer coisas ruins e mesmo assim, existe perdão e restauração. Essa é a história da humanidade e a necessidade da redenção em Cristo Jesus.

Pai amado, obrigado por nos guardar de tragédias e calamidades; mas elas podem ocorrer e afetar pessoas boas, que amam ao Senhor e tem compromisso com a verdade e a justiça. Intercedo por famílias que enfrentaram males sem que pudessem evitar ou provocadas por erros pessoais. Pedimos cura e restauração para que as boas novas da obra de Cristo não sejam bloqueadas de chegarem à outras tantas, que também sofrem e clamam por ajuda e precisam do testemunho de quem sofreu e foi ajudado pela fé em Cristo. Que os corações sejam liberados para o perdão e a restauração que o sangue de Jesus derramado lá na cruz pode proporcionar. O Senhor ama a cada pessoa e cada família e também se identifica com a dor e o sofrimento, porque passaste por tudo isso, ao dar o seu único filho para ser sacrificado, inocente, santo e puro naquela cruz. Pela fé, nos recebemos socorro em tempo oportuno. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s