Encolheu os Pés e Expirou

Meditação do dia: 12/02/2020

 Acabando, pois, Jacó de dar instruções a seus filhos, encolheu os pés na cama, e expirou, e foi congregado ao seu povo. (Gn 49.33)

Encolheu os Pés e Expirou – Esse texto, é um clássico dos meus favoritos e ansiava por chegar nele, mas não tinha pressa, pois até chegar aqui havia muito o que aprender e assim podia degustar devagarinho, como uma sobremesa deliciosa que nem queremos que acabe. Dizemos que tem histórias e tem “histórias,” assim também digo que há registro de falecimentos e há o registro do falecimento de Israel. Encontramos alguns registros que ficam fora da curva dos demais, como esse de Jacó, o de Arão, de Moisés, Elias, e a história e tradição cristã se encarregou de registrar alguns dignos dessas mesmas notas para alguns do Novo Testamento. Aprecio muito esse registro, porque ele me leva a reflexão sobre a pessoa madura na fé e que alcançou uma espiritualidade tão equilibrada e sadia, que ela se porta de forma tão natural diante de momentos críticos, que não tem como não chamar nossa atenção. Dizem os filósofos de plantão que as duas únicas coisas das quais não temos como escapa é a morte e os tributos do governo. Enquanto a morte parece um terror e um encontro indesejado para a maioria das pessoas, mesmo algumas que se encontra em nosso meio cristão e estão de posse de vasto conhecimento teológico e bíblico sobre o que ela é e o quem segue depois. O que dá a entender é que a maioria encara isso como meros exercícios de teoria, pois na prática ela só pode ser experimentada uma única vez e quem vai, não volta para contar. Sempre dizemos que a morte é o ponto final, o desembarque de uma jornada que todos passarão por essa estação e que embora seja certa, sua hora é sempre incerta; nada justifica o que vemos diariamente, quando pessoas passam meses ou anos numa UTI hospitalar em coma e depois volta e vive por muito tempo; enquanto outros simplesmente anoitece e não amanhece, simples assim! Israel parece que sabia a hora exata, de forma que podia cronometrar tudo até chegar a hora de simplesmente parar de respirar, como se apenas saísse de cena ou dissesse, agora vou dormir e não acordo mais nesta vida. Ele reunião a família, fez a cerimonia de bênção individualmente para cada um dos filhos, que de agora em diante seriam os patriarcas da nação, não prolongou o discurso e também não diminuiu o ritmo para caber tudo naquele pouco espaço de tempo de que dispunha, tudo estava sob controle. Quando acabou, imagino que estava sentado no leito, ele simplesmente recolheu os pés e se ajeitou, como para dormir e partiu. Serenamente, com dignidade e honra de quem andou com Deus, lutou e prevaleceu e não tinha mais nada para fazer aqui e sabia que era a hora e o momento de descansar e estar com o Senhor, e deixar o palco para que outros atores entrassem em cena. É coisa linda, a pessoa saber o seu lugar, saber a sua hora, saber a sua vez e ser um cavalheiro em todas as oportunidades. A observação tem me levado a perceber, como disse o profeta Malaquias, a diferença entre quem serve e quem não serve a Deus. Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve (Ml 3.18).  Nas cerimonias e rituais fúnebres, podemos observar o semblante, a feição da pessoa, e parece que fica a última impressão da vida dela, o registro de sua última fotografia; do cristão piedoso e maduro na fé, parece alguém que só está dormindo e que foi muito feliz para a cama. Quando não é alguém da fé e sem intimidade com Deus, é diferente, a impressão que nos deixa é de alguém que partiu contra sua vontade ou que resistiu o quanto pode e perdeu. Eu me apego ao conselho de Paulo: Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele” (I Ts 4.14). Eu creio assim, e a minha esperança está em Deus que é fiel para me trazer de volta a vida, para a continuidade dos seus propósitos eternos.

Senhor Deus e Pai, autor da vida e Senhor de vivos e mortos, porque para contigo vivem todos. Nossa esperança é Jesus que morreu e ressuscitou; ele experimentou a morte por causa dos nossos pecados e tornou-se o autor da nossa salvação. Vivemos para ti e em todas as situações, iremos glorificar o teu santo nome. Nossas vidas está em tuas mãos e é um excelente lugar para ela estar guardada. Queremos dar um bom testemunho de que andamos e servimos a um Senhor maravilhosa, que nos guia e nos acompanha em todo tempo. Permita que tenhamos a maturidade e a espiritualidade no ponto ideal quando chegar a nossa hora e a nossa vez. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s