Raquel Era Estéril

Meditação do dia: 21/02/2020

 “Vendo, pois, o Senhor que Lia era desprezada, abriu a sua madre; porém Raquel era estéril.(Gn 29.31)

Raquel Era Estéril – Com o passar do tempo, as coisas mudam, os valores mudam e aquilo que era apreciado passa a ser depreciado; aquilo que era rejeitado passa a ser acolhido e valorizado. A vida da sociedade vive de ciclos, e em cada etapa algo aparece e depois desaparece e como disse Salomão, O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós (Ec 1.9,10). Incluo aqui, a fertilidade humana – ter muitos filhos até a pouco tempo era sinal de bênção, saúde, era privilégio, causava inveja em quem não podia ter ou tinha poucos. Estamos vivendo dias em que isso não é mais desejado, ao contrário, é recusado, ter filhos já é considerado um estorvo para a carreira profissional, realização pessoal, fora o custo financeiro. Até casais cristãos, e solteiros cristãos estão cultivando essas idéias e dizem estarem preocupados em construir um mundo melhor – mais vai deixar esse mundo melhor para quem? Para que? Isso contraria os propósitos divinos para a vida de todos. Não estou fazendo apologia a encher a casa de crianças e agir sem responsabilidades. A vida no sentido biológico, procura realizar sua maior vocação, que é a reprodução de sua espécie, para assim continuar existindo. Mas hoje vamos falar de situações que Raquel teve que enfrentar na sua vida e que os filhos de Deus e seus ministérios passam por experiências semelhantes e precisamos saber como agir, com base na experiência de quem foi vencedor. Raquel descobriu que era estéril e isso para aquela época era algo muito triste para uma mulher e sua família. Gerar filhos fazia parte das bênçãos de pessoais e familiares. Ela se casara com um homem diferente dos demais, pois ele existia para cumprir uma chamada divina, de gerar filhos que se tornariam uma grande nação. Ele tinha uma aliança pessoal com Deus, assim como seu pai antes dele e o avó, também. Não se tratava de uma convicção fanática ou idéia obsessiva de alguém com mania de grandeza e poder. A tia dela, Rebeca, fora buscada para fazer parte dessa aliança e também lutara contra a esterilidade e por fim, em resposta de orações, veio a ter dois filhos, e um era exatamente o marido de Raquel. A expectativa dela era de ter filhos com o homem que ela amava, pois isso contribuiria para a promessa de Deus da qual ela agora também fazia parte. Não gerar filhos abriria uma porta favorável a possibilidade de uma outra esposa consorte, que na verdade já estava de posse desse direito, sua irmã mais velha, que também estava lutando sua própria batalha para ter filhos e legitimar seus direitos como esposa. É bom entendermos, que se por um lado elas tinham obstáculos de ordem física e biológica, para gerar filhos, Jacó tinha fé e a promessa de Deus, de que ele voltaria para Canaã com muitos filhos. Aqui está a vida real querendo contradizer as promessas de Deus. As dificuldades para se realizar coisas boas sempre existiram e sempre existirão. Não era só esterilidade física e biológica tentando atrapalhar a vida de Jacó e sua família. Por trás dessa cortina de “coisas naturais” estava os planos de alguém querendo frustrar os planos de Deus para a vinda do Messias, o Cristo. Se aquela era a linhagem da promessa, seria dali que surgiria aquele que esmagaria a cabeça da serpente. A aparente naturalidade de coisas, pode estar ocultando uma ação orquestrada do mal. Mas se o maligno tinha sua mão peluda naquilo, também havia a poderosa mão de Deus. Quem criou o homem e a mulher e os abençoou e deu-lhes o mandado cultural de crescer e se multiplicar, tem os meios de contornar problemas no percurso. Deus sempre tem a última palavra para nossas vidas! Não importam as decisões e declarações certeiras da ordem natural, pois um mover sobrenatural é capaz de reverter tudo. Os planos de Deus a existência de Israel como nação escolhida, passava pelo ventre estéril de Raquel, pois ela seria a mãe de José, que garantiria a sobrevivência de todos anos mais tarde no Egito. Eu não sei nada do futuro e não posso ver nada lá na frente, nem eu e nem você; mas sabemos que Deus está no controle da nossa história e de toda a história. Assim, dá até para ser fatalista e dizer: “O que tem de ser, será!” Faz com que a mulher estéril habite em casa, e seja alegre mãe de filhos. Louvai ao Senhor (Sl 113.9). Ele pode!

Senhor, nada e ninguém pode impedir o teu agir e o teu maravilhoso plano se concretizar. Dentro da tua perfeita vontade, todas as coisas são possíveis e mesmo com as nossas limitações, fazemos parte de algo muito maior do que nós mesmos e muito mais importante do que aparentemente compreendemos. Nossas fraquezas e limitações não são empecilhos diante de ti. Nos consagramos a permanecer disponíveis para sermos tudo aquilo para o qual fomos criados e assim teus propósitos se hão de cumprir em nós e através de nós; pois através da igreja a tua multiforme graça se revelará trazendo salvação e glória. Oramos em fé em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s