Inclinaram-se Diante de Esaú

Meditação do dia: 07/03/2020

E chegou também Lia com seus filhos, e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se. (Gn 33.7)

Inclinaram-se Diante de Esaú – Tudo o que pensamos e pregamos sobre Esaú é verdade, porque está na Bíblia, mas temos que admitir que temos uma preferencia por Jacó e consequentemente, aprovarmos tudo de Jacó e rejeitar tudo de Esaú. Mas como toda moeda tem dois lados, as pessoas também; com Esaú da mesma forma. Estou pegando um gancho no episódio do encontro deles, para refletir sobre atitudes que podemos melhorar, ou ao menos dar as pessoas a oportunidade de se expressarem. A mais comum para nós é separar tudo e todos em dois lados: De Deus X do Capeta. Imagina-se que tudo que não é do nosso lado, ou do nosso jeito, é do mal e não tem qualquer chance. Mas nossa própria fé nos faz entender que o nosso Deus foi quem criou TODAS as coisas, todas as pessoas, todos os povos, todas as línguas e Ele é Senhor de tudo e de todos em todo tempo, para sempre, amém! Para Jacó, não havia tais distinções, tão somente ele estava correndo atrás de herdar a aliança de bênçãos e ser a origem das muitas nações que Deus havia prometido a Abraão e Isaque e agora, também a ele. Esaú, era seu irmão, e tido como mais velho. Agora que ambos haviam amadurecidos, crescera o respeito um pelo outro. Esaú ainda permanecia zangado e desejoso de vingança, mas Jacó já havia se arrependido e orava buscando uma reconciliação e nessa viagem isso precisava ser confirmado. Não tenhamos dúvidas de que Jacó, contara a suas esposas e filhos as histórias deles, incluindo a que dera razão para que ele tivesse que sair de casa e ir para Harã. Eles então sabiam, que o pai estava aberto ao diálogo e que tinha a promessa de Deus de que tudo daria certo e terminaria em paz, na casa de Isaque seu pai. Havia sim, uma enorme expectativa por parte dos meninos e das esposas Lia e Raquel, de conhecer o irmão peludo, o tio brutamontes e bom caçador e que também tinha muitos filhos e assim seria bom conhecerem muitos sobrinhos e muitos primos. Se olharmos a história com zelo sem entendimento, estaremos sujeitos a encarar os fatos de que a linhagem de filhos de Deus, de justos, se curvaram diante da linhagem de ímpios e profanos. Mas nem em todas as aplicações essa ilustração pode ser efetivamente aceita. Imaginemos um pai de família, que tem cinco filhos, já todos adultos, morando alguns fora, longe e com suas próprias famílias e que se reúnem depois de muitos anos, para uma celebração na casa do pai. A vida se encarregou de leva-los por caminhos diferentes, até mesmo na fé que professam, mas para o pai, são apenas filhos, todos seus filhos, com gostos, preferencias e hábitos diferentes, mas filhos. Essa é uma forma da gente ver as diversas pessoas diferentes de nós por aspectos que não conhecemos, não entendemos e até não gostamos, mas Deus as ama e tem planos para elas. Esaú era tudo aquilo e muito mais, mas era o irmão de Jacó, era o tio dos meninos, o cunhado das esposas de Jacó. o que eles fizeram ao se inclinarem diante dele, era uma questão de respeito e honra, muito valorizado na cultura do Oriente antigo e ainda hoje também. Esaú a essa altura era um chefe de tribo e sendo assim um senhor poderoso e de respeito. Entendemos que o respeito à pessoa e à sua identidade, facilita o testemunho da fé. Sabemos quem somos e o valor que Deus atribui a nós, por causa da obra da redenção. Mas diferentemente do mundo sem Deus, para expressar o nosso valor, não é preciso diminuir o de ninguém! Outras pessoas terem a honra que lhes é devida, não nos desmerece. A boa lição é a ensinada por Jesus: Mas Jesus, chamando-os a si, disse-lhes: Sabeis que os que julgam ser príncipes dos gentios, deles se assenhoreiam, e os seus grandes usam de autoridade sobre eles; Mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será vosso serviçal; E qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos (Mc 10.42-44). Sejamos grandes, do jeito de Deus!

Senhor Deus e Pai, nós expressamos a nossa gratidão e o nosso reconhecimento por todas as oportunidades dadas a nós por tua graça. Queremos muito agradar e ter boas relações com todos, para edificar os irmãos e revelar o teu amor àqueles que não te conhecem bem. Precisamos de sabedoria para discernir a importância dos laços de amizade, fraternidade e como isso pode produzir vida espiritual e glória para o teu santo nome. Oramos por atitudes de servos, nos curvarmos em devoção a ti e respeito e consideração às pessoas que são alvos do teu amor. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s