Rúben, O Protetor

Meditação do dia: 30/03/2020

 “E ouvindo-o Rúben, livrou-o das suas mãos, e disse: Não lhe tiremos a vida.” (Gn 37.21)

Rúben, o Protetor – Estamos meditando na Palavra de Deus baseando-nos em vidas de pessoas que tiveram experiências que nos servem de lições para a vida e o ministério. A história das pessoas são importantes e são ricas, porque elas também, como nós tinham fraquezas, virtudes, erraram, acertaram, ganharam, perderam, sofreram e passaram pelas mesmas coisas que nós, apenas em épocas, lugares e situações diferentes; mas como dizem por aí, pessoas são pessoas, só muda mesmo é o endereço. Agora estamos iniciando meditar na vida dos filhos de Jacó, e começando pelo começo, Rúben é o primogênito. Esse é o terceiro texto sobre ele. Voltando aos princípios: Meditar é um processo espiritual e mental de se digerir a Palavra de Deus, de tal forma que ela venha a se tornar parte de nós. Para meditar, precisa-se ler com ATENÇÃO, mas também com INTENÇÃO! Se trabalha para descobrir coisas e lições que a leitura e o estudo mais casual não detecta. Posso lhes garantir que tenho aprendido muito, mas muito mesmo ao escrever sobre essas pessoas, que antes desse trabalho eram apenas ilustres desconhecidos. Em termos de ler a Bíblia, já completei 137 vezes, e estudo-a desde minha adolescência e fiz seminários, cursos, sou pastor á 35 anos e mesmo assim, até parece algumas dessas pessoas estão sendo me apresentadas agora. Sobre Rúben imaginava que escreveria dois textos e partia para outra, mas tem hora que a ignorância é uma bênção; vou tirar proveito disso para aprender mais e vocês, junto com os três leitores mais assíduos das meditações do dia, também vão serem beneficiados. Deus tenha misericórdia de nós e nos permita crescer em graça e sabedoria a cada dia. Voltando ao tema; os filhos de Jacó andam com José atravessados na garganta, por causa dos sonhos dele, e ninguém quer ter um irmão metido a besta, folgado, protegido pai, mimado e mais querido, se auto predizendo que será rei, que governará sobre todos os demais; como costumo dizer: O futuro é incerto, misterioso, opaco e imprevisível. A imaturidade do Zezinho foi levado à sério demais, a ponto de gerar uma conspiração de fratricídio. Foi aí que aparece Rúben, o irão mais velho e já tirou deles essa possibilidade. Ele agiu em defesa do irmão, levando em conta, que por mais ambiciosas que fossem as ações de José, eram apenas coisas de garoto, não havia perigo ou ameaça real e consubstanciada de imposição sobre eles; por isso ele não concordou com eles e agiu em defesa do irmão. Aqui foi uma ameaça legítima à vida do jovem; mas temos visto em nossos dias, acidentes e até ações fatais de irmãos contra irmãos, em ações de brincadeiras irresponsáveis ou por não saberem o limite das coisas e quando percebem já ultrapassaram as linhas de segurança. Pais, como Jacó, no mundo todo já perderam filhos, em situações internas de família. Quando criança, me lembro de primos em segundo grau, brincando de subir e pular de um banco de madeira, grande e pesado na sala de casa, até que o banco caiu sobre uma irmãzinha deles, ela devia ter uns 3 ou 4 anos de idade e estava sentado no chão comendo alguma coisa num prato. Foi fatal e instantâneo. Somos cristãos e absolutamente contra qualquer tipo de violência, somos pacíficos por opção; mas isso não tem impedido de acidentes e até mesmo situações de intempestivas emoções entre familiares e provocado dores. Rúben aqui é a voz da sensatez, da pacificação e do bom senso. O papel dos irmãos mais velhos ou mais ajuizados é servir e proteger os demais e servir de ponto de confiança para os indefesos e evitar abusos dos de fora e também dos de dentro de casa. Tem irmãos brigados por aí? Isso não é bom e não é de Deus, busquem a reconciliação? Tem irmãos revoltados e sem falar ou participar da família? Seja o elo de ligação da reconciliação e da bênção de Deus voltar a favorecer a todos. Alguém aí é implacável? Estamos em busca de pacificadores, pessoas decididas a serem mediadoras e buscar a paz e o bem. Siga o exemplo de Rúben. Sigamos esse exemplo! Vale também para irmãos na fé, entre membros de igreja, entre obreiros, pastores e instituições. Pode ser que cada um está de um lado da trincheira e se dizendo vítima e agindo em legítima defesa! Dois cristãos não podem estar brigando e um estar certo!

Senhor, a paz e a reconciliação é um ministério vocacional da igreja, Deus nos reconciliou consigo mesmo em Cristo Jesus e nos deu o ministério da reconciliação; de sorte que somos embaixadores de Cristo, pedindo aos homens que se reconciliem com Deus. Abençoamos os pacificadores que lutam e não desistem buscando soluções de amor e comunhão com base na redenção em Cristo. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s