Rúben e a Cova Vazia

Meditação do dia: 1º/04/2020

 “Voltando, pois, Rúben à cova, eis que José não estava na cova; então rasgou as suas vestes.” (Gn 37.29)

Rúben e a Cova Vazia – Qual o maior susto que você já levou, em se tratando de alguma coisa sobre sua reponsabilidade e alguma coisa aconteceu? Toda pessoa responsável, em alguma situação passa por experiências que fogem ao seu controle e domínio. Por mais que haja explicações e justificativas, quem é responsável sente o peso e sabe que não poderia falhar ou fracassar, ainda mais se houver vidas em questão. Enquanto Rúben se ausentou para realizar alguma tarefa importante, seus irmãos assumiram uma posição dissimulada de desaparecer com José com uma desculpa esfarrapada de que não vamos matar, só fazê-lo desaparecer; passando a responsabilidade para as mãos de mercadores. Isso é a versão antiga da síndrome de Pilatos: “Lavo as mãos desse sangue inocente.” Como filhos de Deus, servos e adoradores, somos unidos pelos laços da fé em Cristo pela Redenção. Isso nos faz partes de um mesmo Corpo e assim somos co-responsáveis uns pelos outros. Não pode acontecer entre nós, como aconteceu com o lar de Adão e Eva, que alguém se negou a ser responsável pelo seu irmão. E disse o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão? (Gn 4.9). sabemos pela reação de Rúben que ele não teria qualquer participação na armação contra José e ele nem mesmo sabia o que de fato acontecera para que o rapaz não estivesse ali na cova. Ele se desesperou pelo irmão. Ele de fato se importava e sentia o peso daquela vida sobre os seus ombros. Cada irmão que estava ali, estava sob sua responsabilidade e o pai iria requerer dele pela segurança e o bem estar dos filhos que estavam no trabalho juntamente com ele. Eu, procuro olhar aqui, o meu papel e o de todos nós, independente da função ou ministério que tenhamos na igreja local, o fato é que há vidas colocadas sob nossa responsabilidade e de fato, prestaremos contas delas ao Pai. Nenhum irmão é mais ou melhor do que o outro, mas temos níveis de responsabilidades confiadas de acordo com o grau de maturidade e responsabilidade dada por Deus. Se olharmos aqueles rapazes lá no campo apascentando os rebanhos da família, espiritualmente estamos olhando para nós mesmos, cuidando das ovelhas de do pastoreio de Deus. Somos do rebanho e também somos do pastoreio. Sou pastor, mas não deixei de ser ovelha. Aqueles rapazes eram a semente, o protótipo da igreja, do reino e de tudo o que entendemos por obra de Deus. Jesus disse algo ensinando sobre postura de liderança entre aqueles discípulos em treinamento que nunca podemos esquecer ou não levar em conta. Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos. E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus. Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo. O maior dentre vós será vosso servo (Mt 23.8.11). Deus e Jesus acima e nivela os demais, somos todos, filhos e irmãos, ocupamos funções diferentes, mas não temos graus de autoridade e nobreza diferentes, criando hierarquias. A postura de Rúben de se preocupar com o irmão é o que deve nos servir de inspiração e cuidados com os nossos queridos. José não estava mais no cova, era um lugar ruim, mas seguro naquela situação. Onde está aquele irmão, aquela irmã da igreja que não está aparecendo mais? Alguém sabe, alguém se importa, alguém vai atrás? Alguém se desespera se não encontrar? James Milton Black, um líder de jovens, sentiu falta de uma jovem que começara à pouco frequentar a reunião e naquela noite não respondeu a chamada. Ele ficou apreensivo e se perguntando: “E se ela nunca mais responder a chamada? E se ela não responder a chamada de Deus?” Com esse peso ele compôs o hino 108 do Cantor Cristão, que conhecemos por “Chamada Final.” https://youtu.be/36bKuGtrqQE

 Senhor, graças te rendemos e somos profundamente agradecidos pela obra de Cristo que nos torna possíveis sermos chamados teus filhos, e o somos; também nos tornamos membros do Corpo de Cristo e irmãos uns dos outros. Obrigado por compartilhar com os teus filhos o privilégio e a responsabilidade de sermos cuidadores uns dos outros, como se faz em família. Podemos com a tua graça fazer mais e melhor pela comunhão e cuidado uns dos outros. Nos abençoe nesse ministério, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s