O Secreto Conselho de Simeão

Meditação do dia: 16/04/2020

 No seu secreto conselho não entre minha alma, com a sua congregação minha glória não se ajunte; porque no seu furor mataram homens, e na sua teima arrebataram bois.” (Gn 49.6)

O Secreto Conselho de Simeão – Família é tudo! Tudo de bom, tudo de confuso, tudo de problema, tudo de solução, tudo de certo e tudo de errado, tudo de fraco e tudo de forte. Família não se explica, não se define, só se experimenta e pronto. O bom de tudo isso é cada um tem a sua e cada uma delas tem seu próprio sabor e sua própria textura. Não aguentamos mas se mexer com ela a gente vira fera! Só nós podemos implicar; sapo de fora não entra! Mesmo assim, quem não tem uma família, lamenta muito e diz que daria tudo para ter uma. Vai entender! Mas não existe estrutura ou instituição mais resiliente e adequada para essa miscelania de coisas. Só uma família passa por todos esses testes e embates e sai do outro lado só com uns arranhões; entre mortos e feridos salvam-se praticamente todos. Podemos até dizer que é a instituição mais humana que existe! Tudo que há no ser humano, pode ser encontrado nessa célula. Estamos meditando esses dias sobre a pessoa de Simeão, um ilustre desconhecido que de repente tem tanto a nos ensinar sobre como ser e como não ser; mesmo não sendo ilustre ou importante é imprescindível. Sem Simeão, não seriam doze tribos, seriam onze; melhor sem ou melhor com? Deus preferiu melhor com! Jacó é aqui, nesse texto, um ancião de cento e quarenta e sete anos, quase um século e meio e está proferindo as bênçãos suas e as de Deus para os seus filhos. Importante que ele não confundiu as coisas, ou misturou nada. Disciplinou os comportamentos e afirmou e abençoou as identidades de todos os seus filhos e descendentes. Ao impor as mãos sobre Simeão ele falou dessas coisas terríveis que ele cometera na sua juventude, no auge da imaturidade, quando entendia que podia resolver todas as coisas no soco, na espada e na carne. Ele arquitetou um Conselho, um núcleo de irmãos para decidirem juntos as ações, que seu pai, disse jamais sua alma participaria de algo tão sinistro; nem ele que fez malvadezas com o pai e o irmão, não faria aquilo que eles deliberaram sob a presidência de Simeão. Ele agregava pessoas ao redor de si; tinha facilidade de fazer a cabeça das pessoas e usá-las para atingir seus fins e assim não sujava as mãos sozinho. Esse tipo de coisa, é muito maligno e como tal, esse mal e esse tipo de atitudes continuam existindo até hoje. Dentro das nossas igrejas e congregações sempre tem alguém com disposição e talento para juntar pessoas para o mal e a rebelião, enfraquecer a liderança, desviar o foco das ações, apagar o fogo do mover de Deus em nome de “tem um grupo que não concorda.” Anos mais tarde Salomão escreveu: Estas seis coisas o Senhor odeia, e a sétima a sua alma abomina: Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos (Pv 6.16-19). Simeão na sua imaturidade apresentou um comportamento irascível tão intenso que se mostrou implacável; saiu cortando cabeças e matando gente de todo tamanho, idade e condição, indiscriminadamente, por vingança de um ato ruim cometido contra sua irmã; força desproporcional. Matou e se apropriou dos bens e propriedades das vítimas e juntou aquilo ao seu patrimônio pessoal e familiar, como se fosse conquista de trabalho. Riquezas do crime! Bens adquiridos às custas de vidas alheias. Gente, um dia o boleto vem! O contexto não é esse, mas o princípio pode ser aplicado, Jesus disse que Toda a planta, que meu Pai celestial não plantou, será arrancada (Mt 15.13). No início do capitulo cinco, Tiago trás uma dura reprimenda aos cristãos ricos que oprimem e prejudicam os pobres e angariam mais riquezas com origem iníqua e injusta, manipulando as regras e tribunais. Estou falando sobre o que Simeão fez na sua mocidade. Ele teve oportunidade de viver muitos anos, se arrepender e acertar as coisas e construir sua parte na nação escolhida. Recebeu a bênção de seu pai e a bênção de Deus. Estou contando que os cristãos atuais e especialmente os que estão vivendo nesses moldes, ou construíram carreiras e subiram na vida seguindo a cartilha do Simeão jovem, se arrependam e se convertam para receberem a verdadeira bênção e a aprovação de Deus. Não coloque seu Status e prestígio pessoal acima a verdade eterna de Deus. Não vale a pena! Faça o que é certo. Faça as restituições necessárias e construa uma nova riqueza. Um dia tudo isso será testado e aquilatado e virá à luz. A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo (I Co 3.13-15).

 

Senhor, tenha misericórdia de nós e permita que os teus filhos tenham tempo e oportunidade de se arrependerem e fazerem os devidos acertos  das atitudes que são reprovadas pela tua Palavra e assim encontrem a verdadeira riqueza e o verdadeiro propósito de suas vidas. Somos mordomos, servimos a um Senhor maravilhoso que nada nos permitirá faltar. Que nada que está sob nosso poder e responsabilidade seja de origem iníqua e tenha custado a vida de inocentes e justos sacrificados para produzir o que chamamos de “a bênção do Senhor sobre a minha vida.” Oramos em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s