A Saga de Judá

Meditação do dia: 22/04/2020

 E aconteceu no mesmo tempo que Judá desceu de entre seus irmãos e entrou na casa de um homem de Adulão, cujo nome era Hira,” (Gn 38.1)

A Saga de Judá – Na Bíblia encontramos algumas ilhas, textos ou capítulos inteiros que se destacam dos demais no contexto imediato, que são separados para descrever uma história ou um ensinamento em particular. Judá mereceu sozinho um capítulo de Gênesis, e vamos mergulhar nele e conhecer a vida desse homem e aprender como fazer e como evitar de fazer certas coisas. Nosso texto começa simultâneo ou paralelo ao episódio da venda de José por seus irmãos. Na lida com o rebanho e os negócios da família, os filhos de Jacó entraram em contato com as pessoas e os povos cananeus e  desenvolveram amizades e relacionamentos comerciais, porque todos precisavam negociar, oferecendo seus produtos e adquirindo aqueles que não podiam produzir; criando um círculo comercial e nessas relações nascem também as relações sociais, que enriquecem as vidas uns dos outros ou recebem influencias destrutivas. Não podemos tirar de vista que o povo escolhido, aqui representado por Israel e seus filhos, eram o povo da Aliança com Deus e com o papel principal de testemunhar de Deus, como o Criador de todas as coisas e que tinha uma aliança de bênçãos com eles. Difundir esse conhecimento através do culto ao Deus Eterno, que não se fazia representar por figuras físicas ou símbolos e que amava todos os povos. Eles eram a terceira geração do povo escolhido e de certa forma, já eram conhecidos pois Abraão e Isaque viveram e peregrinaram muitos anos, ultrapassando séculos de testemunho. Judá se separa de seus irmãos e estabelece relações com os cananeus e ali inicia sua história. Ao longo dos dias veremos muito do efeito dessa escolha e das consequências na sua experiência pessoal e no desenrolar do projetos da Aliança com Deus. Mas uma lição ou uma experiência que me gostaria de compartilhar aqui, se trata da questão geracional no reino de Deus. Queiramos ou não, as influencias na vida das pessoas acontecem e mesmo com o zelo e a dedicação espiritual, a situação tende a se repetir. Vi, um dia uma entrevista do cantor e compositor nordestino, Tom Zé, falando exatamente sobre isso, no contexto social e familiar brasileiro, expressando ele nas seguintes palavras: “Pais trabalhadores, filhos burgueses e netos degenerados.” Não vou nem comentar. Na Bíblia e na história da igreja, tanto bíblica e histórica, quanto contemporânea, a primeira geração é comprometida profundamente e fervorosa, zelosa e missionária. A segunda geração conhece a operação de Deus e viu a graça e a bondade de Deus em suas vidas e famílias, assistiram e presenciaram coisas tremendas. A terceira geração não sabe de nada, são meros assistentes, andando na sombra da segunda geração, quando não arrastada pela primeira, através dos avós. Em grande parte, a terceira geração precisa experimentar de novo o processo de conversão e consagração. Até isso acontecer, dão muito trabalho! Olha o início da história: Abraão tinha uma promessa de filho e lutou, esperou, fabricou resultado, deu errado, perseverou até o milagre acontecer, ali, firme, fiel, ou Deus fazia ou não tinha nada. Isaque veio na sombra, solteirão rico e bonitão, mas o pai se virou e impôs que ele Não casaria com cananeia e encarregou Eliézer de ir até Harâ para buscar uma moça da mesma linhagem e seguir com o pacto. Isaque teve dois filhos e um parece que já nasceu desviado e o outro era trapaceiro. O pai e a mãe o despacharam para Hará, por dois motivos básicos: evitar que fosse morto por Esaú em vingança e conseguir uma esposa da linhagem e seguir com a aliança de Deus. Ele teve sua experiência no caminho, acertou a vida e aprendeu ao longo da jornada. O filhos dele, é o que estamos vendo, povo da aliança mas sem compromisso com a aliança. Judá se afasta dos irmãos, se separa da família e entra em relações com o povo que suas gerações anteriores evitaram. Isso fala alguma coisa para você, sobre sua conversão, crescimento espiritual e as suas gerações posteriores? Nosso legado de fé! Qual é, como está sendo conduzido? Separar-se dos irmãos e descer…

 

Senhor Deus da história, misericordioso e fiel. Estamos conscientes de que nosso testemunho de vida e nossa fé é determinante para nossos filhos e netos e as próximas gerações. Cada é, de fato responsável por seus atos e suas escolhas e darão conta disso diante do trono da justiça divina; mas o exemplo é importante em nossa vida. Preciso de ajuda e creio que muitos dos teus filhos e servos também precisam, porque deixaram os filhos escolherem o que quisessem e muitos deles não escolheram nada e outros fizeram escolhas erradas. Pedimos misericórdia e graça, para influenciarmos melhor e construtivamente, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s