A Filha de Um Homem Cananeu

Meditação do dia: 23/04/2020

 E viu Judá ali a filha de um homem cananeu, cujo nome era Sua; e tomou-a por mulher, e a possuiu.” (Gn 38.2)

A Filha de Um Homem Cananeu – Gosto de meditar contando histórias, não só porque em termos de literatura facilita a compreensão, mas também porque todos nós nos engajamos melhor quando há uma boa história envolvida. Todos temos uma história e nem sempre a nossa tem um bom enredo, mas de um modo ou de outro nós vivenciamos a nossa própria história  e há tantos outros personagens em ação que podemos passar muito bem como coadjuvantes que ainda assim não estraga a história. Mas não podemos tirar olho do roteiro, afinal só escrevo a minha própria história, nela preciso ser protagonista e não coadjuvante. Nessa história em específico, estamos vendo as peças que vão se movimentar no tabuleiro: Judá, um do herdeiros da aliança eterna entre Deus e o povo escolhido; podemos destaca-lo de um homem de Deus, um ministro com um grande ministério pela frente e cujo testemunho de vida fará a diferença e também servirá de referencia para os seus irmãos mais novos. Vemos também a senhorita Sua, filha de um homem cananeu, que atraiu a sua atenção e acabou em casamento. O sogro de Judá, esse homem cananeu, que não é citado mais nada dele, mas como dizemos no mundo dos negócios e investimentos, “Ausencia de evidencias não significa evidencia de ausências.” Hoje sei que sou um pregador no deserto, falando ao vento e os poucos transeuntes, mal param para ao discernir de que será que aquele pregador está falando. Mas como embaixador do Reino de Deus, tal qual eu, a igreja do Senhor Jesus é também emissária de uma mensagem que não faz bem ao ouvido da plateia: Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes,  com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas (2 Tm 4.1-4). Não suportarão a sã doutrina e tendo comichão nos ouvidos – a verdade dá coceira nos ouvidos. Estamos falando sobre as exortações que a Palavra de Deus sempre manteve em foco para a vida das pessoas comprometidas com Deus e com a expansão do seu Reino. Casamento é coisa séria, maravilhosa e profundamente espiritual. À medida que a espiritualidade vai ficando rasa, supérflua e irrelevante, os demais aspectos que circundam a vida, também se tornam apenas adereços acessórios, que podem ser colocados, tirados, substituídos e modificados ao bel prazer. É certo, que em toda celebração de alianças, há duas partes envolvidas e ambas contribuem com elementos para manter e firmar os propósitos de tal aliança; o casamento é uma aliança e muito antes de ser um contrato civil sob os auspícios do governo humano, ele já era celebrado e o primeiro deles, foi o próprio Deus Criador que celebrou lá no Éden. Quando se casa, entra-se na e para a família do outro. A convivência e as necessidades de tais relações trazem para dentro desse lar, o que há de melhor e o de pior e forma uma nova realidade. Judá um adorador e tendo uma aliança eterna e geracional com o Deus verdadeiro, se colocando em aliança pelo casamento com uma moça cananeia, adoradora politeísta e muitos deles, eram agoureiros, supersticiosos e misturavam-se num sincretismo místico, que o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, já havia condenado e dito para fugirem de tais alianças, haveria razões de sobra para evitar. Quando disse que sou um pregoeiro no deserto, me refiro a esse valor não ser mais relevante nos dias de hoje, mesmo nas igrejas mais denominacionais e conservadoras. As relações acabam enfraquecidas e como o melhor disso é a média, certamente a média é sempre abaixo do melhor e do ideal. Mas o alerta, também vai além de casamentos. O papel do povo de Deus é ser sal e luz para um mundo em trevas e se perdendo. Sempre que nossa influencia positiva não puder se efetivar e servir de bênçãos, alguma coisa não vai bem. Não estamos falando de cortar relações de amizade, serviços úteis e cooperação com pessoas de outra fé. Não! Amizades são preciosas e o respeito e o companheirismo e importante e todos tem algo a oferecer e a receber. Estamos falando de discernimentos espirituais, que determinam nossa vocação e testemunho.

 

Senhor Deus e Pai, queremos estar à postos, firmes em nossa fé em ti e nas tuas promessas, cientes de que temos um papel relevante à oferecer e contribuir para o teu nome seja conhecido, amado, reverenciado e adorado entre todos os povos. Jesus teve boas relações com todos e amou a todos, trazendo-os para perto da redenção e deu-nos uma missão para a vida e o trabalho. Graça, é o que precisamos e pedimos, em nome do Senhor Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s