Mataram Um Cabrito

Meditação do dia: 18/07/2020

 “Então tomaram a túnica de José, e mataram um cabrito, e tingiram a túnica no sangue.” (Gn 37.31)

Mataram Um Cabrito – “O que é irremediável, remediado está!” A doutrina da Redenção é o tema de toda a Bíblia. Seu personagem principal é Jesus, o Redentor. De forma simples, a substituição do pecador condenado por seus atos e pecados pelo Cordeiro de Deus, santo e inocente. Jesus morreu no lugar de cada um de todos nós. É assim que acontece o propósito eterno de Deus. Nas páginas sagradas, essa história é    representada muitas vezes por atos figurativos, através de muitos personagens. Não é o caso aqui, não se aplica nesse evento, mas os irmãos de José precisavam criar uma prova ou álibi, que lhes pudessem apresentar ao pai uma prova, ainda que forjada, mas que pudesse passar, e assim estariam cometendo o crime perfeito (na cabeça deles, é claro). Um cabrito morreu para que o seu sangue pudesse ser utilizado como substituição do sangue de José na túnica, que seria apresentada ao pai, como meio de identificar a peça encontrada e tinha todas as possibilidades de ser a Túnica de José, que eles encontraram ao acaso no campo. Certamente fizeram marcas de unhas e dentes de feras, como possíveis predadores que atacaram o garoto, assim o pai se convenceria de fato. Quantas vezes nos últimos anos eu já pensei ao ler essa cena: “Quanto falta fazia um exame de DNA naquela época para desmascarar esses pilantras?” José estava vivo, à caminho do Egito, mas para seu pai, ele de fato havia sido morto, numa missão que lhe fora dado. Uma vez que Israel era tão humano como você e eu, e amava seus filhos com uma predileção maior por José, o filho de Raquel; podemos imaginar como ficou a cabeça do bom velhinho, imaginando e refazendo os planos centenas de vezes, remoendo dentro de si, o quanto poderia ter sido feito e evitado esse tragédia. Poderia ter enviado alguém com ele; poderia não ter enviado; poderia ter esperado até a volta natural dos filhos daquela jornada com o gado… poderia, poderia, poderia!!!! Como seria se fosse comigo? Se fosse contigo? Viajo na imaginação, vendo a chegada de Jacó lá no céu e ao ser recebido por Deus, juntamente com Abraão e Isaque, ele pergunta para o Pai: Precisava tirar o meu filho amado de mim, daquela forma? Ao que Deus lhe responde: Agora você sabe o que um pai sente, como eu me sinto, pois fiz isso primeiro que você! Seu pai Abraão fez isso com seu pai Isaque; seu pai fez isso vendo você indo embora para Harã e agora foi a sua vez. Israel, nós fazemos a história!! Como toda história tem dois lados, se não foi fácil para José viver dali em diante até alcançar maturidade e compreensão dos propósitos eternos no qual ele estava servindo e preparando um plano melhor para sua nação futura; não deve também sido fácil para aqueles dez homens, viverem com eles mesmos vendo o que se passava no coração de seu pai e de Benjamim, que perdera o irmão que lhe servia de companhia. Eles se auto impuseram um regime de escravidão, sofrimento e dor, que os atormentava dia e noite e com o passar dos dias, quando o ódio e o ciúme não tinha mais peso em seus corações, mas era irreversível o que fizeram e nem eles mesmos poderiam apresentar uma verdade, sem justa causa para o pai. Essa é a saga do pecador; preferem viver com a culpa, a admitir que pecaram e confessarem a Deus que já sabe de tudo, mas espera uma atitude da parte que busca perdão e cura para suas feridas interiores; ficar calado, nem tocar no assunto, manter escondido e isolado até de si mesmo lá no fundo do coração, naquele quartinho escuro; e não deixar nada e ninguém se aproximar daquela porta é um fardo muito pesado para se carregar. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (I Jo 19).

Pai amado, obrigado por Jesus ter se apresentado em meu lugar e morrido a minha morte, levado as minhas dores e enfermidades e sacrificar-se para purificar-me dos meus pecados e me permitir acesso livre ao teu amor e perdão para toda a eternidade. Agradeço, porque agora nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus! A redenção em Cristo é uma realidade agora possível a mim e a todos os que crerem nos teus propósitos eternos. Sou grato! Obrigado Jesus! Obrigado Pai, Obrigado, Espírito Santo. A Deus todo louvor, honra e glória em todos os tempos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s