Servo do Capitão da Guarda

Meditação do dia: 28/09/2020

E estava ali conosco um jovem hebreu, servo do capitão da guarda, e contamos-lhe os nossos sonhos e ele no-los interpretou, a cada um conforme o seu sonho.(Gn 41.12)

Servo do Capitão da Guarda – As pessoas não se importam de serem chamadas de servas, o que elas de fato não aceitam é SEREM TRATADAS COMO SERVAS. Pelas searas cristãs espalhadas por esse mundão sem porteira, um contingente considerável de pessoas são chamadas de “servos de Deus,” ou “grande servo/a de Deus” e são paparicados e seus egos massageados, alguns até com exigências absurdas para se apresentarem “no serviço do Senhor;” se quiser acabar com a festa, é só lhes darem um balde, um pano de chão e um rodo, que você verá instantaneamente a atitude de servo brotar suavemente como um vulcão em erupção furiosa. Ensinando sobre a vida verdadeiramente vitoriosa, o Apóstolo São Paulo, escreveu aos Romanos que a condição e servos ou escravos, é uma questão de escolha que se faz. Vocês não sabem que se tornam escravos daquilo a que escolhem obedecer? Podem ser escravos do pecado, que conduz à morte, ou podem escolher obedecer a Deus, que conduz à vida de justiça” (Rm 6.16 NVT). Para dirimir conflitos de interesse entre o colégio apostólico, Jesus, trabalhou com ensinamentos das bases da questão, e assim seus discípulos poderiam encaminhar suas decisões de conduta e voluntariedade para o serviço do reino. Não deixem que pessoa alguma os chame de Rabi, pois vocês têm somente um mestre, e todos vocês são irmãos. Não se dirijam a pessoa alguma aqui na terra como Pai, pois somente Deus no céu é seu Pai. Não deixem que pessoa alguma os chame de Mestre, pois vocês têm somente um mestre, o Cristo. O mais importante entre vocês deve ser servo dos outros, pois os que se exaltam serão humilhados, e os que se humilham serão exaltados” (Mt 23.8-12 NVT). Ao acompanharmos a vida de José e suas labutas no antigo Egito, percebemos o quanto a vida é sensível em alguns aspectos e uma decisão que aparentemente tem pouco importância, se torna decisiva e com reflexos na eternidade. Minha atenção voltou-se nesse texto para a expressão que separei como título da meditação. José estava ali como servo do capitão da guarda. Com o tempo de convivência e serviço a esse homem, ele passara a conhecer muito bem a José, sabendo do caráter e confiabilidade à toda prova, mas mesmo assim, manteve-o como um servo comum, não tomou nenhuma providencia em seu favor, mesmo tendo conhecimento de sua história de vida. É aquilo que conhecemos por ter a oportunidade de fazer o bem e não fazer, omitir em nome dos direitos adquiridos ou do que é legal e socialmente aceito. Manter José como servo, não só era legal, como era conveniente e produtivo para ele, pois o gerenciamento de sua prisão ia muito bem e ele ficava com os elogios e os louros da vitória. Antes que o coração da gente fique azedo e nosso humor fique ácido e comecemos a expelir faíscas e fogo estranho, incomodados com tanta injustiça e indiferença, voltemos nossa atenção para aquele que cuida de tudo e de todos. José era paciente e pratica as disciplinas espirituais que lhe permitiam sofrer com resiliência e perseverança até que o Altíssimo operasse em seu favor. Quantas pessoas cruzaram o caminho de José e todos se viam melhores, superiores, livres e mesmo tendo oportunidade de servir, não o consideraram digno ou merecedor. Como conhecemos o futuro deles e de José, sabemos que todos eles seguirão com suas vidinhas e José no devido tempo será alçado a um posto de grandeza que não era para qualquer um. Quando digo qualquer um, estou me referindo literalmente qualquer um, porque nem José ousava pensar no que lhe estava reservado e qualquer outra pessoa que pudesse almejar algo semelhante, certamente não incluiria um servo, muito menos um hebreu e nem se pensa num prisioneiro, agora à serviço do capitão da guarda. Mas José era na verdade servo de Deus e estava ali, por um propósito maior e melhor para todos, e não por crimes de que fora injustamente acusado e nunca julgado. Deus cuidava de José. Deus cuida de mim e de você. O que acontece ao nosso redor só tem importância de fato, se o Senhor atribuir a isso alguma importância ou se nós mesmos por fraquezas e falhas superestimar algumas dessas ocorrências. O coração precisa estar livre para fluir a graça e a bondade de Deus, que primeiro irriga e abençoa a nós mesmos e depois nos habilita a servir aos outros. Nunca encontramos José concentrado nos seus problemas e sofrimentos injustos, de forma que não podia servir e ajudar as pessoas que ele entendia serem amadas pelo seu Deus e que tinha as respostas que elas precisavam.

Pai, nos somos teus filhos e por escolhas nossas, somos servos do Senhor, o Deus Altíssimo, que governa e controla tudo com absoluta perfeição. Acreditamos que estamos aqui para um propósito muito especial e que podemos servir a essas vidas que estão ao nosso redor e que estão sedentas e famintas de amor e aceitação. Acreditamos que Jesus morreu por cada uma delas e o preço já está pago e elas precisam saberem disso e se apossarem da salvação e da bênção de se tornarem teus filhos; serem perdoadas, curadas, libertas, acolhidas e amadas na família do Senhor. Parte disso, está sob nossa responsabilidade como igreja e com a missão de proclamar o Evangelho que o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. Consagramos nossos corações para serem canais da graça e amor para chegar a essas pessoas. Agradecemos a ajuda e a inspiração do Espírito Santo, para nos revestir de poder para testemunhar. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s