Tendo Fome No Egito

Meditação do dia: 08/12/2020

E tendo toda a terra do Egito fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser, fazei.(Gn 41.55)

Tendo Fome No Egito – Ontem escrevemos que havia pão em toda a terra do Egito e hoje, seguindo o versículo seguinte, escrevo que havia fome no Egito. Contraditório? Não! É assim mesmo que a roda gira e como as coisas acontecem na vida real. No Seminário Habitudes da UDF, numa das aulas, se introduz com a história de um padeiro que fazia os mais gostosos pães da região e a demanda era tamanha que ele, trabalhava tanto para atender as pessoas, que não lhe sobrava tempo para comer e foi diagnosticado com inanição grave. Alimentando os outros e ele mesmo passando fome. Nessa aula se trabalha com a idéia da importância dos líderes e pastores cuidarem bem de suas vidas devocionais e intimidade com Deus, se alimentando bem e assim poderem cuidarem das necessidades das demais pessoas. Aqui na Monte das Oliveiras, a vida devocional particular é incentivada, cobrada e levada à sério o tempo todo. Voces jamais encontrarão alguém com uma vida radiante, contagiante e produtiva espiritualmente, que não seja alguém de vida devocional constante, crescente e como prioridade de vida. Se há devoção na vida, haverá vida na devoção! As coisas lá no antigo Egito estavam indo bem, obrigado. Deus lhes antecipara os eventos futuros – Faraó foi ajudado a interpretar a revelação – José interpretou e sugeriu as medidas administrativas que tornariam viáveis – Tais medidas foram tomadas – Os sete anos de Fartura e abundantes colheitas vieram como previstos – a parte humana, administrativa e logística foi precisa e eficaz. Tudo como manda o figurino. Sem uma maturidade espiritual equilibrada, se pensaria que então não haveria crises e a bênção de Deus livraria todos porque, afinal tudo que Deus disse foi obedecido e seguido à risca. E foi! Mas a verdade é completa e que lhes fora revelado era que viria em seguida sete anos tão duros, de escassez tão severa que aquela fartura toda seria esquecida. Quando fazemos o dever de casa, não é para não sofrer danos, mas para ter condições de resistência até que as dificuldades passem. Quando Jesus contou a história dos dois construtores que edificaram casas, uma sobre a  rocha e outra sobre a areia, não significava que o que fez bem feito, evitaria as tempestades e o mal tempo. Ele e a sua edificação enfrentaria as mesmas intempéries que todos os demais; a diferença é que ele havia se preparado para resistir e passar pelas provações. Quando cultivamos uma vida de piedade, sinceridade e boa comunhão, não significa que as crises e provas não nos atingirá, muito pelo contrário; mas resistiremos na força do Senhor. Acredito, que além dos estoques reguladores do governo de Faraó, as pessoas também se preveniram de algum modo, abastecendo suas despensas, mas logo que começou os anos de fome, sem produção e sem abastecimento, muito em breve, os estoques se esvaziaram. Pense na cidade onde você mora, e imagine ela ficar bloqueada sem poder receber abastecimento de qualquer espécie, e sem acessos quer rodoviários, aéreos ou mesmo fluviais, dependendo do caso. Quantos dias você imagina que demora para o caos se estabelecer? Agora amplie isso para um país e além fronteiras, para as nações vizinhas e apenas ali tendo estoques disponíveis? Alimento no estoque, nos silos por si só não satisfaz a fome das pessoas. O mesmo vale para ter uma bíblia em casa, ter uma igreja na rua, bairro ou cidade, ter pregadores e sacerdotes… Isso é como alimento nos silos… precisam serem distribuídos e as refeições preparadas e cada um se alimentar. A vida espiritual é em muitos aspectos similar a vida natural. Se cuida!! Se alimente e ajude preparar refeições para os outros também.

Senhor, obrigado porque a tua parte está feita e bem feita! Os avisos foram dados e entregues em tempo e em condições de se produzirem ações de prevenção. Profetas do Senhor tem alertado a todos sobre os tempos difíceis que estão pela frente e muito próximo de onde estamos, mas só alertar não é o suficiente se as pessoas não se atentarem para os alertas. Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR. E irão errantes de um mar até outro mar, e do norte até ao oriente; correrão por toda a parte, buscando a palavra do Senhor, mas não a acharão”(Am 8.11,12). Agradecemos a tua graça disponível a nós em Cristo Jesus, no nome de quem oramos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s