Intimidade Pessoal

Meditação do dia: 25/02/2022

“E disse-lhe mais o Senhor: Põe agora a tua mão no teu seio. E, tirando-a, eis que a sua mão estava leprosa, branca como a neve.” (Êx 4.6)

Intimidade Pessoal – Estamos meditando nas experiencias de Moisés no seu chamado e preparo para trabalhar a libertação do povo hebreu. Estamos sim, tratando de vocação, chamado específico para um trabalho específico. Não deixa de ser um quadro espiritual de profundidade elevada. Não estava acontecendo um evento social ou religioso, como se alguém estivesse se preparando para fundar uma religião ou coisa parecida. Gosto de pensar que há pouca coisa entre Deus e religião. Na Bíblia nos deparamos com a pessoa divina desde o início, onde lemos: “No princípio criou Deus o céu e a terra” (Gn 1.1). Ele continuou a obra de criação até surgir o homem, com quem manteve um estreito relacionamento, com encontros diários e mesmo assim, não se fala em religião, atividades de culto e solenidades. Posteriormente, após o pecado e o crescimento populacional, as pessoas começaram a invocar a Deus. “E a Sete também nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do Senhor” (Gn 4.26). Pensando nas experiencias dos patriarcas, Abraão, Isaque e Israel, todos eles permaneceram ativos na adoração ao Deus único e aquilo estava relacionado ao íntimo e particular de cada um, sendo ensinado e passado de pai para filho, como o Senhor havia recomendado a Abraão, para que no futuro viessem a ser uma grande nação e abençoasse todas as famílias da terra. Depois de muitos anos de cativeiro e sofrimento, os hebreus se voltaram para Deus e começaram a clamar por libertação, baseados nos relatos das promessas de Deus aos pais e patriarcas. Foi assim que em resposta ao clamor do povo e estando dentro do limite de tempo determinado para aquele povo retornarem às suas origens, na terra de Canaã. Deus chama Moisés, e é aqui que nos encontramos, pois Moisés e Deus estão dialogando no Monte Horebe, acertando os detalhes do chamado. Já meditamos em diversos aspectos daquele diálogo e estamos na fase onde o elemento humano apresenta suas fraquezas e limitações e tenta convencer a Deus, de que ele não é a melhor opção. Deus está   agindo para elevar a moral de Moisés e fazê-lo assumir a condição para a qual fora trabalhado desde antes do seu próprio nascimento. A vida dele fora uma sucessão de milagres, livramentos e provisões milagrosas, exatamente para deixa-lo apto para a tarefa. Quero destacar em poucas palavras aqui, que além das manifestações poderosas de Deus, o homem ou obreiro chamado, precisa ter a sua própria experiencia de conhecer a Deus, poder confiar nele e aprender a operar em seu nome, representando o seu caráter e a sua pessoa. Acrescente-se a isso que também é fundamental a experiencia de conhecimento pessoal, sua intimidade com Deus, mas também consigo mesmo. Colocar a mão no próprio seio é uma metáfora muito apropriada, sobre intimidade. Qual o resultado ou percepção quando focamos em nossa intimidade pessoal? Que é que sai desse contato? Talvez seja aquilo que nós, brasileiros chamados de “colocar a mão na consciência.”

Senhor, agradecemos muito a graça de sermos participantes da tua família e servir na tua causa. Estamos aprendendo que andar contigo, também é conhecer a nós mesmos e nos depararmos com aquilo que somos intimamente. Queremos pedir graça e sabedoria para sermos tudo aquilo que tens preparado para o teu povo através de nós. em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s