A Circuncisão

Meditação do dia: 04/04/2022

“Então Zípora tomou uma pedra aguda, e circuncidou o prepúcio de seu filho, e lançou-o a seus pés, e disse: Certamente me és um esposo sanguinário.” (Êx 4.25)

A Circuncisão – Embora seja apenas uma pequena intervenção cirúrgica, isso tem um grande valor e uma significação muito forte na vida espiritual do povo hebreu. Ela não foi uma invenção de Deus para Abraão e seus descendentes, já era uma prática entre muitos povos antigos, por diversas razões. Mas com Abraão ela ganhou status de pacto divino com um povo exclusivo de propriedade de Deus para torna-lo conhecido, amado e adorado em todas as nações. Tratando da cirurgia em si, naqueles tempos os instrumentos de corte mais precisos ainda eram artefatos de pedras afiadas, e na ausência da nossa amiga anestesia, o processo era de fato dolorido e a recuperação pós-cirúrgica requeria cuidados e muito descanso. “Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado. E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós (Gn 17.10,11). O fato de Deus não ter dado maiores explicações sobre o procedimento, indica que Abraão sabia muito bem do que se tratava. Esse procedimento levanta perguntas e suscita questionamentos exatamente por não ser algo parte de nossa cultura e costumes e muito menos temos valores referenciais tão firmes e fortes como os antigos orientais. Mesmo sem entrar em doutrina ou pormenores, mas à título de informação edificante, acredita-se que por ser um sinal entre Deus e Abraão e suas descendências futuras eternamente, o local escolhido para a realização de tal procedimento era o mais significativo, pois para se pensar em gerações, é preciso primeiro pensar em geração de filhos e não há geração de filhos sem que esse órgão seja utilizado. O outro lado, o do sofrimento, está relacionado à sensibilidade da região afetada pelo procedimento. Os filhos eram submetidos a ele no oitavo dia de nascimento e isso seria levado à sério por todas as gerações dos filhos de Abraão. “O filho de oito dias, pois, será circuncidado, todo o homem nas vossas gerações; o nascido na casa, e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência. Com efeito será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua” (Gn 17.12,13). Por comparar com as vacinas que nossos bebês tomam e deixam os pais em pânico quando as reações são mais fortes; podemos imaginar o que se passava nos corações das mães e pais de primeira viagem, ao submeter os filhos a esse procedimento. Por outro lado, a criança já cresceria sem trauma e não teria que enfrentar isso em outra época de seu crescimento. Também, pensando no lado espiritual, uma pessoa só se sujeitaria a tal procedimento se a sua fé em Deus e confiança na aliança, fosse forte, mais forte do que a dor e os incômodos cirúrgicos. Agora podemos entender um pouco sobre o que se passou no coração e na mente de Zípora. Andar com Deus demanda compromisso sério o suficiente para ter que abrir mão de confortos e comodidades. Jesus também passou por isso: “E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido” (Lc 2.21). Na Nova Aliança, ela tem um significado diferente, uma vez que a igreja agora como povo de Deus é formado por povos de todas as nações, tribos, línguas e povos e selados na família de Deus pela unidade do Corpo de Cristo, através do Espírito Santo. “Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne” (Fp 3.3). Aos Romanos Paulo ensinou muito retamente e de forma firme sobre a verdadeira circuncisão. “Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus” (Rm 2.28,29). E aí? Temos um coração circuncidado?

Senhor, Deus de alianças e de bênçãos pra todas as gerações. Graças a esse amor tão grande e um plano tão perfeito, posso ser hoje participante do teu plano de salvação e fazer parte do povo do Senhor. Permita que o nosso coração alcance conhecimento e graça suficiente para te amarmos e obedecermos as tuas instruções, ainda que não entendamos, mas podemos confiar em ti. Oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s