Servir No Deserto

Meditação do dia: 25/06/2022

“E lhe dirás: O Senhor Deus dos hebreus me tem enviado a ti, dizendo: Deixa ir o meu povo, para que me sirva no deserto; porém eis que até agora não tens ouvido.” (Ex 7.16)

Servir No Deserto – Muitos de nós não temos experiencias vivenciais com desertos no sentido literal. No Brasil, embora haja alguns desertos em determinadas localidades, como no nordeste e me parece no Tocantins (Jalapão), mas estão mais para serem pontos de prazer e recreação, do que desafios a serem conquistados. Mesmo para quem já foi ao exterior e visitou um deserto como turista ou à trabalho, não é a mesma coisa que enfrentar as vicissitudes de um deserto com meio onde se vive, trabalha ou precisa ser atravessado. Figuradamente, o deserto é um período difícil, de provações, privações e extremos constantes como o calor escaldante do dia e o frio congelante da noite; perigos de  feras e armadilhas da natureza, impossibilidade de precisar a localização porque as dunas podem se mover em questões de horas e nem vamos pensar em assaltos por bandidos que ali vivem para saquear desavisados. Estamos certos de que o deserto não é um campo de recreio! No sentido bíblico, quando não é literal, se trata de um tempo de provação e dificuldades com um propósito de aprendizagem. Todos os grandes homens de Deus passaram por essa escola, literal e figuradamente. Até Paulo: “Nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia, e voltei outra vez a Damasco” (Gl 1.17). Não interessante Deus querer tirar seu povo do Egito para que o servissem no deserto? Entendemos que eles eram muitos, um grande povo, mas não tinham uma estrutura de governo, de exército e administração, pois viviam como escravos no Egito, um estado eficiente, bem organizado e consolidado. Digamos, que as responsabilidades de cada cidadão hebreu eram apenas com sua família e sem grandes preocupações. Mas o propósito para o qual eles existiam era muito maior do isso e do que eles mesmos podiam imaginar. Deus prometera a Abraão, que faria dele uma grande nação e que através dela abençoaria todas as famílias da terra. Convenhamos, uma grande nação e influenciadora para o mundo todo, é um desafio e tanto. Para transformar aquela matéria prima bruta em uma joia das nações, o processo seria duro, longo e exigiria muito esforço e consagração. Só Deus estava certo de tudo o que seria necessário. Nem Moisés, nem Arão e muito menos o povo. Vamos pensar nos planos de Deus para a igreja: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém (Mt 28.19,20). Achamos lindo, desafiador, mas na prática, a maioria da massa de membros de igrejas simplesmente não quer compromisso com “obra de Deus!” Querem bênçãos, isso sim! Até os próprios ministros, pastores e denominações – focam prioritariamente em seus próprios “reinos.” Por isso Deus está sempre levando a igreja para o deserto! Tem que aprender! Precisa aprender! Precisamos ser moldados! Servir a Deus quando tudo está fácil, nas mãos e sem grandes responsabilidades é muito fácil. Mas precisamos crescer e alcançar objetivos maiores e isso produz por si mesmo incômodos, e eles fazem parte do processo de crescimento. Servir mesmo em tempos de provações e dificuldades, dores e perseguições, quando tudo isso passar, já estaremos sob novos desafios. Ser provado, testado e tentado não é ruim, se for visto pelo ponto de vista certo, “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma” (Tg 1.2-4).

Obrigado, Senhor, pelo desafio de nos libertar do pecado e do mundo, para nos levar ao deserto do aprendizado, da intimidade, onde a escassez de tudo, mas abundancia de graça e misericórdia. Onde a tua presença é sem igual e a tua mão poderosa opera em favor dos que confiam e se deixam ser tratados. Queremos crescer e ser bênçãos e fazer tudo aquilo para o qual acreditamos que fomos criados, chamados e treinados para ser. Oramos em fé e gratidão, no nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s