Noé e Suas Gerações

Meditação do dia 21/12/2017

Gn 6.9 – “Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus.”

Noé e suas gerações – Esse texto é da Bíblia on line, mas a versão atualizada de Almeida, deixa ele bem mais expressivo: “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.” Para hoje, quero refletir com vocês, sobre a vida de Noé dentro do contexto de gerações. De uns anos para cá, esse tema tem me aguçado muito o apetite pelo estudo do tema nas Escrituras e procurar outros cristãos que também tiveram o mesmo despertamento e como alguns deles são bem mais talentosos e honram a Deus abençoando o Corpo de Cristo com escritos, estudos, seminários e treinamentos, com alguns materiais verdadeiramente maravilhosos. Entre alguns que conheço, posso citar a Universidade da Família e em seus muitos seminários; também a Daphne Kirk, essa inglesa tem feito coisas grandiosas para o reino de Deus em termos de reconectar as gerações. Biblicamente, uma geração é responsável pela próxima geração. Sucesso ou fracasso está diretamente ligado ao quanto uma geração leva à sério o treinamento e o suporte para que a nova geração consiga cumprir o seu papel. Aquela geração que muitos conhecemos que fabricava os próprios brinquedos, inventava seus próprios jogos, criavam seus lazeres e diversões, com o seu dinheiro, e na maioria das vezes sem, porque os pais eram trabalhadores e não muito escolarizados, mas criativos e visionários que sacrificaram a si mesmos para investir na educação do filhos; é essa galera que criou tudo isso de tecnologia, robótica, mecatrônica, cibernética, digital, tempo real e que deixa a moçada super antenada e se achando que são os espertos e até zombam, como é que vivíamos sem essas parafernálias. Vivíamos, vivemos e viveremos com e sem elas, porque as criamos na nossa geração. Eles é que parecem completamente perdidos se os desconectarmos. Ainda sabemos fazer contas na ponta do lápis, escrever em papel e memorizar informações e criar alternativas, pois somos uma geração transicional entre duas eras de desenvolvimento. Noé herdou coisas muito boas das gerações anteriores e viveu a sua com extrema integridade e foi abençoador e modelo nos seus dias e com isso formou o caráter e moldou a vida de seus filhos e noras, seis pessoas que recomeçaram a sociedade humana. Não se pode falar em geração abençoada e responsável pela próxima, se não incluir o papel dos pais nesse contexto. Afinal, não existe próxima geração sem os pais e os filhos serão moldados por eles. Paternidade responsável é muito mais do que botar filho no mundo e dar conta de sustentar com alimento, roupas, casa, estudos e brinquedos. É preciso imprimir uma marca, deixar um legado apreciável e prazeroso de ser continuado. A cultura bíblica incute isso, mas é exatamente por isso que ela sofre tantos ataques e nas igrejas o ensinamento, a doutrina e tradição cristã de vida vai sendo dia a dia esquecida e substituída por lazer e comodidades. O culto domestico foi aposentado a um bom tempo; a leitura bíblica em família foi deixada de lado; a gloriosa EBD está entregue às moscas em muitas igrejas; a oração está escassa e as tradições bíblicas e conceitos de família estão indo pro ralo. Muitos pais, vendo os filhos afastados de Deus e com uma vida bem fora dos padrões cristãos ainda suspiram e perguntam: “Onde foi que erramos?” Modelos errados, isso sim. Pais acham que depois que os filhos casam, não é mais responsabilidade deles; pais acham que se os filhos já ganham o suficiente para se manterem, já não é mais responsabilidade deles; pais pensam que se os filhos estão fora de casa para estudar ou trabalhar, não é mais problema deles… isso é o padrão do mundo sem Deus!

Senhor, ensina-nos a seguir os teus princípios que são eternos e não mudam com cada nova geração. O Senhor é o mesmo em todo tempo e os teus princípios também o são. Na verdade, é tempo de nos arrependermos e voltar as boas práticas e servir só ao Senhor e não a outros deuses que se nos apresentam. Em nome de Jesus, oramos por sabedoria e discernimento nesse assunto. Amém.

Pr Jason

Noé e a Graça Divina

Meditação do dia 20/12/2017

Gn 6.8 – “Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.”

Noé e a Graça Divina – O relacionamento com Deus é experimentado pela fé, do começo ao fim. Sempre foi assim e sempre será, pois um dos lados da relação é imutável, fiel e infalível, portanto não tem nenhuma razão para mudar de posição ou de ponto de vista. Nada surpreende a Deus, pois ele é possuidor de todo o conhecimento e sempre soube como lidar com as situações. É até complicado a gente pensar ou escrever sobre essas coisas, afinal, somos imensamente limitados e finitos e estamos a todo momento aprendendo e descobrindo que até agora à pouco, não sabíamos disso ou daquilo, ou fomos surpreendidos por algo inteiramente novo. As vezes eu fico pensando que ao chegar no céu, o Pai, vai chamar a gente no canto e perguntar sobre algumas coisas que falamos, escrevemos e acreditamos sobre ele: “De onde vocês tiraram aquelas conclusões sobre mim?” Temos a tendência de valorizar a nossa experiência e fazer dela a referencia, então cada geração entende que “ESSE” é o período mais…. da história. A idéia é que aqui, as coisas estão nos maiores níveis, quase insuportáveis, até que temos contato com outras realidades e comparamos com a nossa e é claro, agora temos um parâmetro. Permitam-me dizer que cada geração tem seu próprio desafio e compete a ela lidar com isso com as armas e conhecimento acumulado, para que se tenha êxito. Noé estava no que hoje poderíamos dizer que era o começo da escalada do mal e do pecado em largas proporções. Assim, sendo, ninguém jamais tinha visto tamanha impiedade e criminalidade. O mundo, em termos de sociedade, estava na faixa de mil e quinhentos anos de existência e tudo era ainda muito novo. Sempre houve uma linhagem santa, piedosa e que serve a Deus e o representa com seu governo; a terra nunca ficou sem sal e luz e ao que tudo indica jamais ficará, mesmo nos dias difíceis que teremos pela frente. Quanto maior as trevas, mais brilhante será a luz. Proporcionalmente a luz gera mais influencia que as trevas. Uma única lâmpada, afasta muitas trevas e pode ser vista e percebida de longe, inclusive pelos amantes das trevas. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más (Jo 3.19). Em meio a tudo aquilo de ruim que estava crescendo, havia uma linhagem de luz e que contava com o favor divino. O mal tenta convencer-nos de que não podendo vencer um inimigo é melhor se aliar com ele; mas a graça divina nos adverte que devemos resistir ao mal e permanecer firmes naquilo que cremos. É uma lei inexorável: O bem sempre prevalecerá, porque é oriundo do amor e Deus é amor, portanto as chances dele ser suplantando exterminado é reduzido a zero. Já o mal, será punido, mais cedo ou mais tarde, pois o único eterno é Deus. Tomar a decisão de ficar ao lado do bem e do certo, é sempre uma decisão melhor e vitoriosa. Achamos graça diante de Deus por causa do seu amor e de sua promessa infalível. Somos da semente de piedosos e precisamos fortalecer uns anos outros, mesmo que o mundo abra a sua grande boca ameaçando nos engolir. O que entendemos por igreja, pode não ser o mesmo que Deus entende e nesse caso, ele terá razão e eu prefiro estar do lado dele. Confundir o Corpo de Cristo, um organismo vivo, espiritual e eterno, com instituições humanas, legisladas por mecanismos que facilitam o humano em detrimento do divino, pode levar a prejuízos muito sérios. A igreja que o Senhor vem buscar no arrebatamento, com quem ele tem identificação e compromisso, são pessoas, salvas, libertas, lavadas no sangue do Cordeiro, comprometidas com as verdades do reino e não com o politicamente correto ou socialmente agradável. Existimos para achar graça diante de Deus e vivermos sob suas bênçãos.

Senhor, obrigado por tua graça imensa, maravilhosa e que nos acolhe. Somos carentes dessa ajuda para prevalecermos a cada dia contra o mundo, a carne, o diabo e a nós mesmos. Mantenha-nos com os olhos e os corações voltados para ti e para as tuas promessas. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Noé e Seus Tres Filhos

Meditação do dia 19/12/2017

Gn 5.32 – E era Noé da idade de quinhentos anos, e gerou Noé a Sem, Cão e Jafé.

Noé – E seus três filhos – Não parece ser engraçado, mas não deixa de ser – estou ainda na casa dos cinquenta anos e caminhando já para a “curva da boa esperança” e alguns amigos da mesma idade já estão aposentados curtindo a vida. Noé, com quinhentos anos iniciava o maior projeto de sua vida que levou mais de cem anos… quanta diferença! Numa época em que a média das famílias em número de filhos era bastante grande, Noé só teve três filhos, a razão, não sei e não parece que haja uma explicação nas Escrituras para isso. Mas também isso não o limitou ou contribuiu negativamente para o desempenho da sua missão. Com eles também foi plenamente possível reestruturar toda uma sociedade pós diluviana e chegar até nós. Mas uma oportunidade de meditar e pensar sobre os projetos de Deus para nossa vida, está no fato simples deste versículo, sobre a idade de Noé. Mesmo para os padrões longevos dos seus dias e de seus familiares ancestrais, podemos dizer que ele já estava, como dizem os goianos, “do meio dia para a tarde!” Encarar um novo desafio nessa idade, requer fé ou maluquice, mas como parece que pessoas de fé são mesmo meio malucas, pois elas conseguem ver o que os demais não veem; conseguem ouvir o que os demais não ouvem; conseguem fazer o que os demais não fazem. Mesmo nadando contra a correnteza da dúvida dos outros sobre suas capacidades e potencialidades, quando colhem os frutos de seus esforços, aí é que aparecem os elogios e até alguns intrometidos para pegar carona e aparecer na foto. Como filhos de Deus e adoradores, servos, no sentido da palavra, de um Deus Todo-Poderoso e que não conhece limites, não seria anormal, encarar grandes desafios mesmo considerando em que fase da vida estamos. Na juventude, somos imaturos, na fase primária da vida adulta, somos ocupados demais com provisão e formação de família e etc. na velhice, já aparecem as concorrências e limitações próprias para não mais iniciar novos ou grandes projetos. Mas, permita-me dizer, que na Bíblia essa lógica é bem contraditada. Aqui, está Noé, um “quinhentão” – Abraão só depois de centenário, é que realmente se materializou a paternidade da promessa, com Sara, na casa dos noventa anos. Jacó, com quarenta, ainda era um solteirão na casa dos pais e brigando com o irmão. Moisés, só aos oitenta iniciou de fato a libertação do seu povo. Os pais de Sansão, de João Batista e outros mais. Alguns projetos precisam de maturação e experiência para serem levados a bons termos e Deus é muito sábio e paciente para realizar as coisas no seu tempo e no seu modo. Comecei a pastorear com vinte e cinco anos de idade, e agora que estou ficando experiente e aprendendo o caminho das pedras, já está na hora de pensar em transição e para fazer bem feito, tem que ser bem pensado em oração, para cuidar daquilo que é precioso aos olhos de Deus, a igreja. Espero estar escrevendo e sendo lido por amados que tem pensado que agora não dá mais tempo, não tenho mais condição ou deixei escapar a oportunidade. Começo lembrando a vocês o que está registrado no livro de Daniel: “Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força; E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz” (Dn 2.20-22). Se o que há no seu coração foi colocado por Deus, então nada está perdido e impossível de se realizar. Uma condição importante é sua disposição de ser fiel, buscar sabedoria e disponibilizar para ser o agente de Deus, para o que ele entender. Eu amo a lição da sarça ardente onde Moisés viu que ela ardia e não se consumia. Quem sustentava a chama era Deus e não a sarça, e sendo assim, qualquer arbusto serviria. Até eu sirvo, você serve, até a mula de Balaão serviu, os corvos para levar alimento para Elias, o jumentinho para levar Jesus… Ser usado por Deus é possível a qualquer um e qualquer coisa; agora ser amado por Deus e ser filho de Deus é para escolhidos. O que somos é infinitamente mais importante do que o que fazemos ou que pode ser feito através de nós. “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” (Fp 2.13).

Senhor, meu Deus, obrigado por me aceitar com filho amado e acolhido entre os muitos filhos da grande família espiritual. Obrigado pela vida e exemplo de pessoas como Noé, que se colocaram a disposição para servir e fizeram exatamente o que tinha que ser feito, por acreditar na tua fidelidade e no teu caráter santo, ainda que desdenhado e ridicularizado pelas pessoas ao seu redor. Oro a ti, para que o meu coração esteja em perfeita sintonia com o teu querer e o teu agir, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Noé – O Que Trará Consolo

Meditação do dia 18/12/2017

Gn 5.29 – “A quem chamou Noé, dizendo: Este nos consolará acerca de nossas obras e do trabalho de nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou.”

Noé – O que trará consolo – Literalmente Noé significa “Descanso, Repouso.” Foi este o sentido que se referiu seu pai ao seu nascimento. Ficando tentando pensar como a cabeça dos outros, para entender tanto as coisas positivas quanto as adversas que permeiam o universo humano ao nosso redor. Mui facilmente alguém diria: “Como pode dizer que Noé trouxe consolo para a humanidade ou mesmo a sociedade que lhe era contemporanea? Um detalhe muito significativo é conseguir ver o quadro inteiro e não apenas uma faceta da realidade. Considero similar o que vivemos na atualidade e o que entendemos ser nossa promessa de futuro, que as profecias messiânicas nos trazem. Estamos em convulsão social desde que entendo por gente; guerras e guerrilhas por todos os lados, quando um acordo de paz está sendo finalizado em uma parte, em outra já se inicia um novo foco de hostilidades. Quando todos pensávamos que na modernidade não veríamos mais invasão de uma nação sobre outra por conquista de território, igual a história nos mostra no passado; eis que surge, tentativas e anexações de territórios por nações vizinhas, grupos terroristas querendo criar estados sob uma bandeira de violência e ilegalidades. As questões humanitárias de refugiados e imigrações forçadas por conflitos ou fome… mas no meio de tudo isso, estamos olhando a promessa da volta de Jesus, em que ele estabelecerá um reino de paz e justiça sem fim, algo que na verdade, nunca vimos. Mas cremos firmemente. Por outro lado, o próprio Senhor Jesus nos advertiu: E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem (Mt 24.37). A volta de Cristo, trará paz e descanso para os escolhidos e ao mesmo tempo que trará angústias e destruição para os perversos e os que rejeitaram a proposta do amor de Deus. O nome e a vida de Noé significavam exatamente o propósito divino para todos. As boas novas da graça salvadora fora proclamada e na oferta generosa, todos podiam se beneficiar, mas escolheram o lado errado da história. O que Noé fez, foi muito mais do que simplesmente construir uma grande arca e oferecer passagens de graça para um outra vida pós-dilúvio. Só quem está em sofrimento sem alívio e sem esperança, sabe o significado de um abrigo seguro, que esteve disponível o tempo todo e foi rejeitado por ignorância e querer viver pelas próprias regras. Quando viram o dilúvio, as pessoas queriam a segurança e o consolo oferecido, mas já era tarde. Estamos anunciando o Evangelho e falando da graça de Deus disponível em Cristo até o arrebatamento e muitos, muitos mesmos, até de dentro da igreja, não está levando isso à sério, mas quando a porta se fechar, aí sim, vão ter que procurar a alternativa B. Noé fez de tudo e ofereceu a paz, mas só conseguiu salvar a própria família; hoje, isso já seria uma vitória fantástica, pois quantos pastores e líderes e famílias cristãs, que não conseguirão essa mesma taxa de sucesso. É tempo de acertas a vida e colocar as prioridades em ordem.

Senhor, temos uma proposta de ministério de vida e salvação sendo oferecida gratuitamente em Cristo e sendo rejeitada sistematicamente. Nossa tarefa é continuar fazendo o que nos foi comissionado e no devido tempo o Senhor fará a prestação de contas. Amamos a tua volta e esperamos com fervor esse dia! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Lameque – O Pai de Noé

Meditação do dia 17/12/2017

Gn 5.28,29 – “E viveu Lameque cento e oitenta e dois anos, e gerou um filho, a quem chamou Noé, dizendo: Este nos consolará acerca de nossas obras e do trabalho de nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou.”

Lameque – O Pai de Noé – Gosto da idéia de estudar personagens na bíblia porque eles nos apresentam oportunidades de aprender e enriquecer nossas vidas, em situações semelhantes às que vivemos em nossos dias, com a diferença de que nos dias em que eles viveram, não havia tanta iluminação cultural, acadêmica e fontes de consulta ou mesmo modelos a serem copiados, tais quais a vastidão que temos à nossa disposição. Então eles foram pioneiros de verdade e abriram portas e caminhos que hoje nos parecem tão normais e óbvios, que nem valorizamos tanto. Em toda e qualquer cultura, já está constatado que há certo conhecimento e ou até alguma citação ainda que lendária ou mitológica sobre a pessoa de Noé e de sua aventura com a arca em uma situação de dilúvio. Noé recebe todas as honras e homenagens e acho justo, porque ele fez a diferença em todo e qualquer sentido. Mas e o pai dele, alguém já comentou alguma coisa? Alguém já parou para pensar no papel dele em tudo isso? Estou Fazendo isso agora, apesar de não ser a primeira vez que penso na vida desse amado; o que começou a me chamar a atenção é o fato de que no nascimento de seu filho Noé, ele expressou uma verdade profética de bênção sobre o filho. Ele teve uma percepção espiritual de grande significado, não apenas para o futuro do filho ou da família, mas da humanidade. Pela minha experiência de vida e de observação, sempre que nasce uma criança os pais vibram e se alegram e eles criam uma expectativa de felicidade, prosperidade, vida longa e desejam tudo de bom e de melhor para o recém nascido. Mas Lameque não agiu como um pai feliz pelo nascimento de um filho. Ele declarou: : Este nos consolará acerca de nossas obras e do trabalho de nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou.” No seu íntimo ele sabia do ministério do filho, em relação às necessidades que o povo estava passando e que os efeitos do pecado do povo, sob a maldição proferida, estava crescendo e o desconsolo era aparentemente muito triste. Lameque foi um pai que recebeu de Deus uma missão de preparar um filho para cumprir uma missão significativa para que no seu devido tempo, ele estive pronto e disponível para cumprir o seu papel. A capacidade de Noé, ouvir a Deus, responder satisfatoriamente, se dispor a receber instruções técnicas sobre um projeto e realizar um trabalho que ninguém jamais havia realizado e que contrariava a lógica e o bom senso dos seus dias, indica que ele foi criado em piedade e sob influencia de um lar que respeitava e verdadeiramente temia a Deus. Admiro Lameque por ser generoso e desprendido de vaidade no sentido de preparar alguém para ser importante, sem querer ser importante ou participar dessa glória. Ele estava preparando alguém para ser salvo e salvar o maior número de pessoas, sem que provavelmente ele mesmo não estivesse mais ali para ver os frutos do seu trabalho. Seguindo a cronologia bíblica, Lameque morreu em questão de meses, ou dias antes do início do dilúvio. Isso é muito profundo, quando uma pessoa, conhece sua identidade e seu destino e se propõe a fazer a sua parte sem cobiçar mais do que lhe está destinado, ou reivindicar direitos ou herança, devido sua folha de serviço prestado a Deus. Lameque nasceu e viveu para ser Lameque e fazer um trabalho importante, mas anônimo, que alguém teria que fazer. Eu estou aqui para fazer o trabalho que me compete fazer, dentro do espaço e tempo determinado pelo meu Deus. O sentido da minha vida é o sentido de importância que Deus considera importante. O grande trabalho de uma vida, pode ser um único trabalho, que nem seja percebido por outros, mas sendo fiel, ele cumpriu sua missão e fez valer o investimento divino. Lameque tinha um grande ministério: Ser o pai de Noé; e ele fez isso bem feito. O que estou fazendo? o que você está fazendo?

Senhor, obrigado por me privilegiar com a vida eterna em Cristo Jesus e ser chamado para ser ministro da reconciliação dos pecadores contigo. Obrigado por me permitir viver nesta época da existência humana e certamente há um propósito nisso e tenho o grande desejo de fazer exatamente o que preciso fazer. Há uma tarefa que é minha e há tarefas que são dos meus amigos e irmãos que leem estas meditações e um dia teremos que comparecer diante de ti e prestar contas da administração do que nos foi confiado; em nome de Jesus, abra os nossos corações para revelações maiores e mais claras daquilo que o nosso papel, importante papel, mesmo que seja simples e pequeno, mas é a nossa parte na tarefa, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Matusalém – A Bênção da Longevidade

Meditação do dia 16/12/2017

Gn 5.27 – “E foram todos os dias de Matusalém novecentos e sessenta e nove anos, e morreu.”

Matusalém – a Bênção da longevidade – Nosso amado irmão na fé, Matusalém, entrou definitivamente para a história como o homem que mais viveu entre nós. Novecentos e sessenta e nove anos bem vividos. A longevidade é uma bênção e todos buscam conseguir viver o maior número de anos possível e para isso muitas buscas e pesquisas tem sido feitas. Quando penso em longevidade, algumas coisas para mim, devem estar associadas a isso, para que essa experiência verdadeiramente seja considerada uma bênção. Começo por qualidade de vida; viver demais, sem qualidade não tem a menor graça. Certamente qualidade de vida não cai do céu na porta de ninguém; é algo que precisa ser trabalhado e escolhas precisam ser feitas e perseguir isso como um alvo a ser alcançado e mantido. Aqui entra outros fatores, como disciplina, equilíbrio, bom senso, perseverança e etc. Também quando penso em longevidade, penso em compartilhamento; algo de tão grande importância  e não ter com quem compartilhar, é na verdade muito triste. Aqui entram os vínculos familiares, os amigos e aquela cereja no bolo que é a interação geracional. Viver perto de mil anos como foi o caso de Matusalém, é tempo suficiente para ver várias gerações se formando e crescendo. Essa pessoa precisa estar disposta a compartilhar sua sabedoria, sua experiência e seu afeto com outros. A velhice nesse caso não pode ser sinônimo de rabugice, teimosia e obstinação. Temos observado que nos círculos fora da fé cristã, muitas culturas valorizam a velhice como algo de precioso e como um depósito de sabedoria e segredos da vida que não estão ao alcance dos mais jovens; daí, o misticismo cultivar reverencia pelos velhos gurus, sábios e anciãos como detentores de poderes espirituais secretos. A nossa fé, nos ensina uma leal reverencia e respeito aos cabelos brancos e suas experiências de vida. Nossos anciãos, na verdade são como verdadeiras bibliotecas em termos de conhecimento armazenados. Na lista dos mandamentos, a honra aos pais é um mandamento com promessa de longevidade de vida. Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá (Ex 20.12).  Quando penso nesse homem com um vida tão longeva, eu não posso deixar de pensar na vida de obediência e respeito aos seus pais. A experiência tem nos mostrado que esse princípio é muito verdadeiro. Mas para mim, que em menos de dois anos serei um sexagenário, fica a lição de que envelhecer é uma bênção e só chega nesse ponto que viveu, viu e venceu. Mas mais significativo ainda é que isso tudo esteja à disposição da verdade e da justiça para que possamos fazer mais ainda e melhor, só com a influencia, pois agora, já começamos a saber os atalhos e melhores caminhos, para ajudar quem ainda está cheio de energia e força mas sem sabedoria para tomar as melhores decisões. Coroa de honra são as cãs, quando elas estão no caminho da justiça (Pv 16.31). Bem-vindos à maturidade!

Pai, obrigado por permitir ter chegado até aqui, com essa qualidade de vida e com o potencial de poder abençoar as novas gerações. Obrigado pelos meus amigos que estão à minha frente e tem me servido de guia e de modelos. O desejo do meu coração é ser um bom exemplo e uma presença desejável para as novas gerações. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Enoque – O Homem do arrebatamento

Meditação do dia 15/12/2017

Gn 5.24 – “E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.”

Enoque – O Homem do Arrebatamento – Como tenho dito outras vezes, tudo tem o seu início no Gênesis. E aqui está um protótipo do que esperamos como arrebatamento da igreja. Para nós, ainda é algo mais futurista do que tudo o que temos visto até hoje; é algo que está à nossa frente e demanda tecnologias de dar inveja aos pretendentes a criar viagens teletransportadas e outras coisinhas mais ainda no campo da ficção e da experimentação. Enoque é uma figura típica da igreja verdadeira, pura, militante que anda com Deus mais alva que uma garça branca em meio ao pantanal de pecados e maldades do mundo atual. Enquanto a pseudo igreja de Laodicéia se envolve em se misturar mais e mais com o mundo, ficando praticamente irreconhecível, se amoldando aos padrões pecaminosos e cheia de sincretismo, parecendo uma verdadeira colcha de retalhos religiosos, com pedaços que satisfazem a todos e quaisquer gostos. Mas o remanescente santo de Deus sempre permanece e prevalece; sempre foi assim e sempre será. Enoque andou com Deus, e depois de cumprir seu papel e seu ministério, Deus o levou para si; tal qual fará com a Noiva de Cristo, assim que os tempos tiverem cumpridos e o ministério terreno da igreja tiver completado o seu ciclo. A igreja será retirada daqui, para estar para sempre com o Senhor e irá não apenas descansar de suas tribulações, ser recompensada por sua fidelidade e trabalho prestado, mas também seguir servindo e consolidando o reino que lhe foi destinado. “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor” (I Ts 4.16.17). Até onde sabemos, pelo menos na história bíblica, apenas duas pessoas seguiram para seus destinos eternos sem passar pela morte física aqui na terra. Prenuncio do que está por acontecer com a igreja do Senhor Jesus, que é composta de salvos de todos os tempos e de todas as raças, tribos, línguas, povos e nações, que estarão reunidos como um corpo diante do trono de Deus nos céus. Daqueles há um contingente que viveu, serviu e morreu aqui na terra e participarão da ressurreição e do arrebatamento. Também há outro contingente de salvos que estão vivos e militantes no momento do arrebatamento, comparecendo diante do Senhor exibindo seus corpos novinhos, recém transformados, sem passarem pela morte física. Então, mais do nunca, estejamos firmes e alertas, como o mestre ordenou e espera nos encontrar.  “Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai” (Mt 24.27,30,36).

Maranata, ora vem Senhor Jesus!

Pr Jason

Enoque, Um Profeta Messiânico

Meditação do dia 14/12/2017

Jd 14 – E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos;

Enoque – Um profeta Messianico – É uma citação breve e única nas Escrituras, essa descrita na carta de Judas. Mas sabendo que Judas era irmão biológico de Jesus e que foi um dos líderes da igreja no seu início, podemos estar certos que ele não citaria uma inverdade. Certamente que os hebreus tem tradições e histórias suficientes para muitos livros. Mas se Deus na sua infinita sabedoria, através do Espírito Santo ao inspirar as Escrituras, permitiu a inclusão de uma citação como esta, eu fico muito à vontade para acreditar na veracidade da narrativa. O nível de intimidade e comunhão com Deus cultivado por Enoque, é razão mais que suficiente para crer que ele tenha recebido revelações e instruções que a maioria dos mortais não tem a mínima idéia do que se trata. Mas como Adão e Eva, ainda no paraíso receberam a revelação do futuro Messias, que seria um legítimo descendente da mulher e que enfrentaria a sagaz serpente, esmagando-lhe a cabeça, e tudo isso ainda nos primórdios, é razoável espiritualmente acreditar que Enoque viu o dia da vinda do Senhor Jesus, com todos os seus santos, o que para nós, ainda está no futuro, pois isso é após o arrebatamento e todos aqueles episódios apocalípticos. O que Enoque viu, foi a volta do Senhor Jesus em sua glória e com os seus santos para implantar o seu reino e o governo milenar. O que conhecemos como a segunda fase da segunda volta de Jesus. A idéia e a mensagem da redenção portanto, sempre esteve presente entre os homens, pois se trata de uma promessa de Deus para abençoar a todos. À medida que os anos foram se passando, novas revelações e com mais detalhes foram sendo dadas por Deus e assim o seu povo ia sendo preparado para não apenas esperar o messias, mas também trabalhar para que a sua chegada se tornasse possível. Hoje, nós esperamos a segunda vinda de Cristo à terra para arrebatar a sua igreja e iniciar uma nova contagem de tempo para a consumação da obra redentora. Mais do que esperar, precisamos amar esse advento e trabalhar firmemente na obra do Reino de Deus, pois um dos elementos chaves da volta do Senhor é justamente arrebatar a sua igreja, e sem pregação e discipulado não tem igreja. Fazer missões, seja no exterior, na floresta, entre os ribeirinhos, ou nos grandes centros urbanos, e lançar mão nas novas tecnologias e recursos de que hoje dispomos, deve estar em pauta, mas visando um fim maior e mais proveitosos, que é promover o reino de Cristo e sua volta. Aproveito para exortar os amados a manterem firmes em suas posições de vida e santidade, mas também com um olhar nas janelas da história contemporânea, nos líderes mundiais e em pessoas que demonstrem potencial para fazer parte daquele cenário descrito nas Escrituras, apropriado para o aparecimento do homem da iniquidade, o anticristo, e logo em seguida os demais personagens. Para nós, aguardamos a volta de Cristo, Senhor nosso e Deus bendito. Os santos de Deus sempre o aguardaram, desde os primeiros passos da caminhada com Deus, como fez Enoque.

Senhor Jesus, sempre serás bem-vindo, pois a casa é sua e a igreja também. Com o teu sangue compraste para Deus homens de todas as raças, tribos, línguas, povos e nações e estamos constituídos como reinos e sacerdotes, para contigo reinar para todo o sempre. Ora vem, Senhor Jesus! Amém.

Pr Jason

Enoque – O Homem do Ano

Meditação do dia 13/12/2017

Gn 5.23 – “E foram todos os dias de Enoque trezentos e sessenta e cinco anos.”

Enoque – o homem do ano – Enoque, um homem notável para o seu tempo e muito além dele. Entre homens que viviam muitos séculos, alguém viver menos de quatro, era de fato, partir ainda muito jovem deste mundo. Mas Enoque é exceção em praticamente tudo.  Num mundo onde o pecado ia crescendo proporcionalmente ao mesmo nível que a população, alguém se destaca por uma vida piedosa e de comunhão com Deus, merece toda a nossa atenção e simpatia. Foi um homem como os outros, que nasceu, teve infância, adolescência, juventude e vida adulta com responsabilidades como todos os demais, casou-se, teve filhos e filhas como todos os demais. Mas o coração e a vida de Enoque tinha inclinações diferentes dos demais, até mesmo entre a linhagem de piedosos que serviam a Deus. Esse amado de Deus, digamos, se especializou em comunhão e intimidade com Deus, que é descrito como alguém que ANDOU com Deus! Não se tratava de crer em Deus, pois muitos criam; não se tratava de cultuar a Deus pois também muitos o faziam; não se tratava de orar e buscar a Deus, porque ele aprendera isso de alguém, fazia isso junto com outras pessoas. O que então o diferenciava dos demais homens? Se vocês estão esperando que eu diga, exatamente a resposta certa, estão me supervalorizando, e com toda a certeza e temor de Deus, não tenho esse calibre ainda, mas o meu coração admira e tem sede de aprender com quem sabe, e Enoque sabe, porque ele fez. Sabemos que cada um de nós, é especial e amado por Deus, sem distinção alguma e que o Deus a quem servimos não faz acepção de pessoas e nem prefere um em detrimento de outro; podemos estar certos de que na individualidade de cada um, o Senhor encontra mais ou menos espaço, mais ou menos resistência. Cada um de nós percebe verdades espirituais com rapidez diferente e respondemos aos apelos e anseios do nosso coração atraído pelo Espírito de Deus, em níveis pessoais. Olhando os homens de Deus nas páginas das Sagradas Escrituras, podemos nomear listas grandes de pessoas piedosas e verdadeiramente espirituais e cada uma delas com um timbre diferente. Homens mansos de coração e vida comedida; homens valentes e guerreiros; homens de ação; homens de oração; pessoas radicais no quebrantamento, no jejum e consagração; homens zelosos pela lei e cerimonias e homens caridosos e generosos, de forma que a comunhão com Deus toma uma dimensão multicolorida. Mas em comum tinham andar com Deus e não abrir mão de agradá-lo. Enoque viveu trezentos e sessenta e cinco anos, um ano correspondendo a cada dia, daí eu chama-lo de “o homem do ano.” Ele viveu pouco em relação aos demais? Ele viveu o suficiente ou pela sua conduta, ficou aqui até demais? Mas o que conta mesmo é o legado que deixou; como será comigo e contigo!

Pai, andar com o Senhor é um desafio dos mais agradáveis, pois é preciso ter concordância contigo e com tua santidade. Obrigado, pelo privilégio de poder ser aceito na caminhada rumo à eternidade. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Enos – Começaram a Invocar a Deus

Meditação do dia 12/12/2017

Gn 4.26 – “E a Sete também nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do Senhor.”

Enos – Começaram a invocar a Deus – Com exceção do próprio Deus, tudo neste mundo (e noutros também) tem começo. Em algum lugar, em algum tempo, por alguma razão, algo começou a ser feito. Muitas destas coisas podem ter sido abandonadas, outras modificadas e outras aperfeiçoadas, mas no dizer do sábio Salomão, tudo tem o seu tempo e propósito. “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1). Entendamos que o registro sagrado dos fatos que começaram a ocorrer após o nascimento de Enos, não significa que até então as pessoas não oravam a Deus, ou não o cultuavam. Isso sempre foi feito; Adão e Eva tinham uma estreita relação com o Criador desde a sua criação e isso foi mantido e cultivado por um bom tempo, até a entrada do pecado em suas vidas. Aqui, se trata da invocação a Deus de forma pública, sistemática e metódica. Digamos que iniciou-se aqui o cerimonialismo. Uma vez que a sociedade humana esta se desenvolvendo e o número de pessoas ia crescendo, alguém viu a necessidade de criar uma sistemática, para evitar uma confusão e possivelmente a profanação ao nome e à santidade de Deus. Eles já haviam experimentado um dissabor, no episódio de Caim e sua oferta e a consequente tragédia familiar. Provavelmente o patriarca Adão, instituiu uma forma mais adequada de transmitir para cada geração, uma maneira adequada e respeitosa de buscar a Deus. Também, se via que a cada nova geração, as informações da criação e do relacionamento de Deus, se tornava mais distante e teórico, pois eles apenas recebiam informações, mas era necessário terem uma experiência pessoal com o Criador, que ainda se manifestava amorosamente a eles. A tradição da transmissão oral da cultura e do conhecimento era o elemento principal do ensino-aprendizado; então requeria-se a experimentação e a repetição constante, para não apenas fazer, mas entender o que se está fazendo e porque se faz. Conhecemos isso com mais ênfase no Novo Testamento, com o ministério de Jesus, discipulando pessoas e comissionando-as para saírem praticando sob sua autoridade. Na proclamação do Evangelho, é nos dito e ensinado e devemos crer de coração na importância de se invocar o nome de Deus, pois aí está o caminho da salvação. “Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas” (Rm 10.13-15). Só para nossa edificação, há outras indicações na Palavra de Deus, que nos leva a prática da invocação divina e que são muito salutares. “E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás” (Sl 50.15). “Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração” (Jr 29.12,13).

Senhor, meu Deus, obrigado pela graça de podermos comparecer diante do teu trono e apresentar a nossa causa. Obrigado pela assistência que o teu Espírito Santo nos dá, porque nem sempre sabemos orar como convém, por isso ele intercede por nós. Seja sempre louvado e engradecido o teu nome, de eternidade a eternidade entre os teus filhos, comprados por precioso preço, no sacrifício de Jesus, nosso senhor, em nome de quem oramos com gratidão, amém.

Pr Jason