Abel Depois de Morto Ainda Fala

Meditação do dia 11/12/2017

Hb 11.4 – “Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala.”

Abel depois de morto ainda fala – Esse texto bíblico de Hebreus onze é chamado por muito de “Galeria dos Heróis da Fé;” e faz sentido, pois desde a exposição em boa ordem, como a idéia de que eles testemunham a nosso favor pela perseverança e persistência na fé até o triunfo final, como se eles estivessem nas arquibancadas e nós nas pistas, nós, competindo e com chances de vencer e eles aplaudindo e incentivando a não desanimar. Tem momentos que fico meditando nisso e até viajo na imaginação e no meu coração eu percebo que quem já correu e venceu, pode muito bem incentivar os colegas da mesma equipe. Nós, você e eu, somos a equipe de Deus, da fé, representantes do reino de Deus na atualidade. Somos nós que agora estamos nas pistas, como numa competição de corrida de bastão. Não basta correr muito, correr certo, mas também saber receber da geração anterior e passar o bastão para a próxima. Ninguém ganha sozinho, ninguém perde sozinho, afinal somos um corpo. E o primeiro personagem na descrição do escritor, foi justamente Abel, e ele já abordou o elemento chave de todo o relacionamento com Deus, a fé. “Pela fé Abel ofereceu a Deus…” Já que sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6); é evidente que Abel possuía fé e a utilizava com exatidão. Nesse caso, a fé não para mover coisas ou produzir resultados pessoais, o que também é possível e viável através dela, mas Abel estava apenas e tão somente cultuando ao seu Deus e fazendo do jeito certo, do jeito que Deus se agrada e nesse caso, o importante é o objeto do culto, Deus, e não a si próprio, seu conforto, sua conveniência; o culto a Deus pela fé genuína, é Deus mesmo no centro. Ele merece o que as palavras dizem tanto e a experiência esvazia sempre: Deus seja digno de todo o louvor, toda a adoração e em todo tempo… Abel não estava competindo com seu irmão, eles não eram protótipos de Renovados e Tradicionais ou Pentecostais e Ortodoxos, não nós contra eles, ou é eles ou é nós. Não havia bandeira para ser hasteada e ficar sob tal insígnia. Só havia Deus, um Deus, o criador a ser adorado. E Abel só teve, ao que tudo indica, uma oportunidade, e acertou cem por cento na primeira tentativa, porque na verdade não foi uma tentativa, foi um culto pela fé. Nós brasileiros, somos como se diz, “sangue latino” aversos a muita formalidade, por isso nossos cultos tem mais de informalidade do que liturgia finamente elaborada e seguida metodicamente. Gostamos do improviso, mas mesmo assim, tem momentos que ainda fico um tanto incomodado com formalidade demais e vida de menos. Muita organização e pouca unção e, isso, claro, estou falando de mim e do meu ministério. Temos fé demais para certas coisas e aspectos da vida cristã, e fé de menos para outras, como a sensibilidade, a complacência, a contemplação e a profundidade das experiências. Mas Abel nos inspira e muito. Pela fé podemos obter melhores resultados. E faremos isso, em nome de Jesus.

Pai, obrigado por gostar tanto que teus filhos se apropriem das maravilhas da comunhão e da intimidade contigo, pela fé, em Cristo e no seu sacrifício na cruz. Graças, pelas experiências de irmãos como Abel e outros que viveram o melhor do Senhor e ganharam o selo de aprovação tua. Obrigado, pelo Espírito Santo que vai nos ajudar a superar dia a dia. No nome de Jesus, amém

Pr Jason

Sangue Justo

Meditação do dia 10/12/2017

Mt 23.35 – Para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que matastes entre o santuário e o altar.

 Sangue justo – Para um judeu, essa declaração de Jesus significava as vítimas registradas na totalidade das Escrituras Sagradas. Para nós, é o equivalente a uma citação “de Gênesis à Apocalipse.” Mas muito mais do que compor uma lista de vítimas da violência humana em atentado contra a vida, a descrição de Abel como uma pessoa que foi morto de forma violenta e injusta, também representa uma sentença da justiça divina de que haverá juízo contra o pecado e a violência contra a vida. A sociedade humana tem a tendência de pensar que seus atos não tem consequência, ou que tais possibilidades estão resguardadas para um contexto coletivo, assim todos sofrem as consequências por igual. Nos nossos sistemas judiciais, há diversos institutos, que sendo levados em conta, acabam servindo mais para os propósitos de defesa dos direitos do ofensor, do que propriamente fazer justiça de forma equilibrada e justa. Desde a presunção de inocência, direito ao contraditório, falta de evidencias fortes, ausência de testemunhas, provas não substanciais e ademais mecanismos de protelação, que no final, quem perdeu a vida, perdeu de fato, sem direito à defesa, sem chances de apelação e o infrator, recorre e acaba saindo ileso. Isso, é o melhor que conseguimos produzir. Mas com Deus não é bem assim! Lá é individual, cada um dará conta de si e diante de um juiz que tudo vê, tudo sabe e tudo pode e é por essência, justo em todos os seus caminhos e não perverte a justiça e nem aceita a injustiça. Conseguimos enquanto sociedade organizada, prover-nos de mecanismos para nossa própria destruição e permitir que o mal ganhe força e peso em decisões importantes. Mas alimentamos também uma bendita esperança, em que alguém com justiça assumirá o governo e o poder desses reinos e então haverá paz e justiça verdadeiros. É só uma questão de tempo!

Senhor, nossos justiça, nossa paz está em ti. Guia os nossos corações para caminhos mais próximos de ti e dos teus princípios de vida. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Outro Filho em Lugar de Abel

Meditação do dia 09/12/2017

Gn 4.10 – E tornou Adão a conhecer a sua mulher; e ela deu à luz um filho, e chamou o seu nome Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou.

 Outro filho em lugar de Abel – Pessoas são importantes e no fim é o que conta! São criadas segundo um propósito específico divino e são colocadas nesse mundo para realizar um trabalho significativo. Somos limitados e temos uma capacidade pequena de percepção do quadro todo, mesmo nos esforçando para ser compreensíveis no mais elevado nível; nos faltam informações, que a razão desconhece, embora o coração saiba ou não (?). Eu pergunto a mim mesmo: “Abel então cumpriu o seu propósito?” Eu digo sim! Muitos também dirão comigo que sim! Hoje, pode ser muito fácil dizer isso e crer nisso; mas façamos essa mesma pergunta para Adão ou Eva! Façamos a mesma pergunta para Deus! Estou no fundo do meu coração procurando ser compreensivo e sensível a irmãos na fé, que perderam filhos muito jovens, ou crianças e em alguns casos de forma tão estúpida ou mais do que foi com Adão e Eva. Há filhos que também perderam um dos pais, ou os dois numa época muito precoce e passaram os próximos anos procurando uma resposta ou um sentido naquilo tudo. Na minha fé, há uma pedra de esquina, muito firme por sinal, que assegura que Deus é fiel e justo em tudo que faz. Não importa a circunstancia, entendendo ou não, eu sei que ele é bom e que fará sempre o melhor e que no devido tempo, vou entender (ou não), mas posso confiar e isso não vai jamais interferir no caráter de Deus. Como pessoas, com liberdade plena, qualquer um pode crer e descrer, duvidar e até ultrajar a Deus e responsabilizá-lo de seus sofrimentos e ou o sofrimento de outros – mas nada disso altera quem Deus é! Ele é o que e assim o será para sempre e sempre, por toda a eternidade. Faço uso dessas palavras para incentivar em amor, os que sofrem com tais perdas, para que vocês não se afoguem em suas próprias mágoas e desânimo e assim desistam de cumprirem os propósitos para os quais vocês foram criados. Enquanto não finalizarmos o nosso papel, não podemos desistir, desanimar e culpar ou transferir para a conta da nossa dor, perca ou falta de sentido de viver. Deus é o sentido de nosso viver, fora disso é areia movediça emocional. Também o outro filho não vem para substituir o anterior, como se fosse atleta na partida, substituído por contusão ou opção técnica. Esse outro filho, vem para cumprir o seu próprio propósito e servir aos pais no cumprimento de seus próprios, e assim ele deve ser criado, tratado e preparado para ser ele mesmo e cumprir um papel dado por Deus a essa família. Se a tristeza, a depressão, a dor, a insegurança ou a acusação vier, busque ajuda especializada, quer profissional, quer espiritual, afetiva e na oração, mas não desista da vida e da bênção de Deus. Nada mudou! Se algum de vocês argumentar contra dizendo: “Pastor Jason, só quem passou por isso, sabe o que é!” Te respondo afirmativamente, sim, é verdade! Por isso estou escrevendo sobre isso, por Deus sabe como é, porque ele já passou por isso; e não desistiu, por isso estamos aqui!

Pai, obrigado, por entender o que se passa no coração dos seus filhos aqui na terra, porque passaste pelo mesmo caminho e ninguém de todos nós, tinha um filho tão bom e tão justo e prestativo como o Senhor tinha; Obrigado, porque tu trataste daquilo como uma doação a nós, humanos e não como uma perda de tua parte. Obrigado, Senhor Jesus, pois sendo tu a vítima, sabias que produziria muitas vidas salvas para a família do Pai e assim suportaste a cruz, a zombaria e o sofrimento. Obrigado Espírito Santo, por acompanhar de perto todos os casos, desde o primeiro até o último e consolar e confortar os corações. Obrigado, por nos acompanhar e nos reerguer, com o amor de Deus. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Sangue Que Clama

Meditação do dia 08/12/2017

Gn 4.10 – E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra.

 O sangue que clama – Ando estudando finanças e investimentos e tenho aprendido algumas coisas interessantes. Entre os profissionais dessa área há algumas colocações significativas e uma delas que me chama a atenção: “No mundo das finanças e investimentos há aqueles que não sabem nada e há aqueles que não sabem que não sabem nada.” Percebi que no meio eclesiástico não é muito diferente; alguns participam de uma palestra ou conferencia sobre um assunto e já se torna especialista no tema e até saí reproduzindo as mesmas palestras e conferencias. Outros passam na porta de um seminário e já entram em discussões teológicas de grande complexidade e brigam pelos seus pontos de vista. Como não sou teólogo, nem pregador e muito menos conferencista, fico de fora só assistindo. Quando penso e medito sobre a vida humana, tal qual Deus a concebeu e como a recebemos, percebo que é tão ou mais complexo do que minha vã filosofia supõe. Vejo o que as ciências médicas dizem, avalio o que os teólogos afirmam, ainda sobram filosofias, ética, religião, e um sem número de institutos onde o mesmo tema pode ser trabalhado. O interessante é que todos os participantes das discussões estão vivos, nasceram, se desenvolveram, estudaram, pesquisam, debatem, examinam e fazem experiências até quando, a vida deles se vai e outros entram na ciranda. Veja o que diz esse texto bíblico: “Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma” (Lv 17.11). Em termos de igreja, o conceito mais aceito é o seguinte: “Biologicamente, é inegável que a formação de um novo ser, com um novo código genético, começa no momento da união do óvulo com o espermatozóide. … Para a Igreja, vida é o encontro de um óvulo e um espermatozóide e, portanto, não há qualquer diferença entre um zigoto de 3 dias, um feto de 9 meses e um homem de 90 anos.” Embora admitamos como linguagem figurada a expressão de clamor do sangue de Abel, o que indica a culpa elevadíssima do criminoso, fica o registro da identidade pessoal de cada ser humano vítima de violência e injustiça, como que em memória diante da justiça divina para um dia ser julgado e punido. Mt 23.35 aponta nessa direção: “Para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que matastes entre o santuário e o altar.” A vida de fé e culto da pessoa também o segue pela eternidade, pois fica incorporada na pessoa real que ela foi e que diante de Deus continua sendo. Assim, Abel pela sua fé e sua vida de adoração, permanece vivo e pregando com seu testemunho. “Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala” (Hb 11.4). Resumindo: Não sabemos nada sobre o verdadeiro poder da vida e o sangue pode não ser meramente um líquido vermelho importante na circulação do corpo humano. Ele parece ter valor plenamente incompreensível ainda para nós.

Deus, obrigado, porque mesmo sem saber tudo sobre a vida, estamos vivos e vivendo e mesmo não compreendendo tudo sobre o valor do sangue, a tua Palavra dá um valor elevado e precioso, tanto é que fomos comprados por ti, pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado. Mesmo que eu não saiba, eu posso crer no que tua palavra diz e isso me basta; em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Um Passeio Trágico

Meditação do dia 07/12/2017

Gn 4.8 – E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou.

 Um passeio trágico – Nos livros Senhores da Terra e O Totem da Paz, Don Richardson descreve a vida e os costumes culturais daquelas tribos aborígenes da região da Papua Nova Guiné, e o trabalho missionário entre aquele povo, que no passado fora canibais e praticavam a antropofagia. Mas um dos aspectos mais curiosos à nós naquela cultura, era o sistema de valores morais em contraste aos nossos. Ali um indivíduo astucioso, enganador e traiçoeiro era altamente estimado e considerado. Quanto mais vil fosse o ardil e a traição, mais mérito aquela pessoa tinha diante do grupo social. Não é de admirar que quando conheceram a história de Cristo, sua vida, ministério e como ele morreu na cruz, traído por um dos seus discípulos, Judas se tornou o herói deles; afinal alguém que convive intimamente com outra e a serve, sendo tratada como amigo e consegue trair ninguém menos do que o filho de Deus, esse cara tem que ser bom mesmo. Cá com meus botões, acredito que Caim foi nada mais nada menos do que o precursor dessa cultura; pois após passar aquela situação de desagrado com o seu culto e com grande probabilidade de tentativas de ajuda dos pais e irmão, ele dissimulou que estava tudo bem, já esfriara a cabeça e que no momento certo faria as devidas reparações e tudo ficaria bem. Não seria perigo algum para Abel sair ao campo num passeio com seu irmão mais velho, ainda mais agora que estavam tentando restabelecer uma normalidade nas relações com o Criador. Para Abel, seria um momento à sós para trocar idéias e Caim receber atenção e ajuda. Os pais não teriam como pensar na possibilidade de violência, pois isso não existia e os dois filhos saírem para ver o rebanho, ou conhecer uma nova área de pastagens ou um bom local com água cristalina para se refrescarem ou cuidarem do rebanho de Abel. Caim, que era agricultor, poderia estar querendo conhecer uma nova área para plantio, ou quem sabe, descobrira uma nova espécie de planta, que poderia ser cultivada; enfim, há um sem número de causas possíveis que justificaria os rapazes saírem juntos, mas a única exceção foi exatamente a que veio a acontecer. Estando no campo, à sós, Caim revelou seu intento, sem dar chances ao irmão de defender-se. Claro, que este relato, mais de seis mil anos depois, ainda levanta perguntas e se busca alternativas. Posso não entender tudo e sei que não entendo mesmo, mas ainda escolho acreditar que Deus soube, sabe e sempre saberá como dirigir o curso da história. Por mais complexo que pareça a minha mente racional, aceito que dentro de um propósito eterno, nas mãos de alguém infinitamente sábio e justo e que não permite que seus planos sejam frustrados, “Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido” (Jó 42.2). Deus administrou bem e corretamente a situação. Como serem humanos e com uma boa dose de egoísmo e egocentrismo, temos verdadeira aversão ao sofrimento e a injustiça, especialmente se nos diz respeito. O humanismo trabalha para levar a Deus às barras dos tribunais, como réu e cumplice de todo o mal ocorrido no mundo, valendo-se da premissa de que se ele é Todo Poderoso, então pode e deve evitar que o mal aconteça e vítimas inocentes sejam sacrificadas. Por ser Deus o Todo Poderoso, ele pode, faz e fará o que lhe apraz sem jamais ser injusto, infiel ou complacente com o mal. No devido tempo todas as coisas serão devidamente reveladas e o mal não só será punido, como banido. Como filhos e adoradores, precisamos conhecer e amar o caráter de Deus e confiar plenamente na sua capacidade de juízo e decisões. Não foi fácil para Adão e Eva como pais, como adoradores, como educadores ver aquilo acontecer diante deles e não terem uma explicação plausível. Mas vida deles continuou, a fé também e por isso Jesus veio e por isso estou aqui hoje escrevendo sobre isso e você está lendo isso. Por maior que seja o seu sofrimento, sua perda…. ainda assim Deus é fiel! Uma âncora para a minha alma em situações difíceis é: “Justo é o Senhor em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras” (Sl 145.17). Me agarro a ela, leio, recito e oro isso até minhas emoções e minha alma voltar ao sossego e descanso em Deus.

Senhor, eu creio em ti, acredito no teu caráter e nas tuas intenções amorosas e não tenho nenhum motivo de discrer disso. Não há ninguém em todo o universo com propósitos tão grandes, eternos, justos e perfeitos como os teus. O teu amor por nós e incontestável e o preço que pagaste para nos ter de volta é simplesmente alto, tão alto quanto o teu poder e a tua graça. Obrigado, por podermos aprender com o testemunho de vida de irmãos que passaram e passam por situações tão difíceis e não desistem e nem deixam de confiar em ti, antes, se fortalecem ainda mais. Obrigado pelas lições de coração compassivo e perdoador de Adão e Eva, de recomeçarem suas vidas e crerem na tua promessa de um redentor. Obrigado, Senhor Jesus, obrigado Espírito Santo, obrigado, Pai, Abba Pai! Amém.

Pr Jason

O Culto de Abel

Meditação do dia 06/12/2017

Gn 4.4 – E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta.

 O culto de Abel – Neste último domingo, ensinando sobre “bem-aventurados os pobres de espírito” eu disse à igreja o seguinte: “No relacionamento com Deus, a atitude é muito importante. Não é uma questão de como parecemos ser, mas como somos realmente. Deus conhece o nosso coração.” Isso tem tudo a ver com o tema de hoje de nossa meditação, bem como sobre o que entendemos por cultuar e servir a Deus. É provável que haja pessoas que entendam ou hajam como se assim fosse, que é um privilégio de Deus receber qualquer coisa delas; então de todo jeito e de qualquer jeito que elas fizerem, está certo, está bom e será assim mesmo. Mas não servimos a Deus nos nossos termos! Definitivamente não! Logo de início tem que se considerar quem somos e quem ele é; quem é servo e quem é Senhor; quem é criatura e quem é criador. Nesse caso, saber e reconhecer quem somos, faz muita diferença. Abel fora instruído por seus pais, tal qual seu irmão; mas ambos acolheram de formas diferentes a idéia de culto e servir a Deus. Abel reconheceu-se um pecador e nessa condição, a primeira coisa a se fazer é tratar dos pecados mediante a redenção pela fé. Naquele tempo, já se fazia a remissão de pecados através do sacrifício de um animal inocente em substituição ao pecador arrependido. Depois de acertada a questão do pecado, então todas as ofertas e oferendas teriam seu lugar e sua aceitação. É um engano pensar que qualquer coisa, até coisa boa e cara, valiosa que for oferecido a Deus é aceito por ele, afinal é oferta e se é dado de coração tá bom demais. Não é verdade! As relações com Deus precisam estar em perfeitas condições, fora disso, é culto vão! Veja o que diz o Salmo 50, todo ele versa sobre culto e relacionamento com Deus – do jeito certo e do jeito errado, ali há muito o que aprendermos. Vou destacar apenas dois versos: “Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca. Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus” (Sl 50.16 e 23). Ímpio não é sinônimo de “não evangélico,” mas pessoa que pratica impiedade – seja evangélico ou não, cristão ou não, religioso ou não. Pratica impiedade é ímpio e pronto. Abel fez o certo. Ele é o primeiro da linhagem humana a entender e praticar corretamente o relacionamento com Deus. Assim, em termos de servir a Deus temos duas formas, duas linhagens: Abel e Caim. Somos uma ou outra; fazemos do jeito de Abel ou do jeito de Caim. Nem mais e nem menos!

 

Deus seja louvado e adorado eternamente e da forma verdadeira, pela fé através da sua própria graça. Somos o que somos, e pela sua misericórdia agora somos pecadores transformados, perdoados e aceitos, acolhidos na família do Pai. Em nome de Jesus, que nos amou e nos comprou com seu precioso sangue. Amém.

 

Pr Jason

Abel Foi Pastor de Ovelhas

Meditação do dia 05/12/2017

Gn 4.2 – E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.

 Abel foi pastor de ovelhas – Como estamos meditado na vida de personagens da Bíblia que tem algo de bom para nos ensinar, Abel não pode ficar de fora de jeito nenhum. É um personagem muito importante, cuja vida foi relativamente curta, mas a sua influencia perdura até hoje e sempre estará presente porque sua memória será eterna. Foi a quarta pessoa a viver na terra, a segunda a nascer aqui. À Medida que cresceu, foi dividindo as tarefas com os pais e o irmão mais velho; acredito que destacou-se pelo prazer e habilidade de lidar com os animais domésticos e então se tornou o pastor de ovelhas da família. Assim como Caim se ligou mais às atividades do campo e tornou-se lavrador, Abel se deu bem com o rebanho e tornou-se assim um pastor de ovelhas. Sua vida foi interrompida pela ação de seu irmão, mas no pouco tempo que ele viveu e no pouco que a Bíblia fala sobre ele, percebe-se que que viveu intensamente e fez valer a pena sua passagem por essa terra. Nenhum de nós gostamos da idéia de morrer cedo e isso causa uma enorme perda para os pais e familiares, frustrando as expectativas de ver o futuro daquela pessoa. Mas a sabedoria do Senhor nosso Deus, permite coisas assim e prefiro acreditar que ele tenha perfeito controle sobre essas situações e que tudo se encaixa perfeitamente bem nos seus eternos e bons propósitos. Como pessoas humanas, com nossas limitações e fraquezas, tendemos mais a ver apenas o deveria ser normal e lógico, de forma racional, mas Deus pode e faz transformações tremendas à partir de situações dadas como anormais, impossíveis ou inviáveis. Provavelmente Abel com sua história de vida interrompida neste vida física, produz mais para o reino de Deus com seu testemunho, do que outras pessoas que viveram ou vivem muitos anos, mas improdutivamente ou até desperdiçando propositalmente sua vida em rebeldia contra Deus. Abel é exemplo para nós pela sua atitude de amor: “Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. Não como Caim, que era do maligno, e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas” (1 Jo 3.11, 12). Mesmo nos primórdios da história humana, Abel já agia pela fé, algo que realmente agrada a Deus: Foi pela fé que Abel ofereceu a Deus um sacrifício melhor do que o de Caim. Pela fé ele conseguiu a aprovação de Deus como homem correto, tendo o próprio Deus aprovado as suas ofertas. Por meio da sua fé, Abel, mesmo depois de morto, ainda fala” (Hb 11:4). Exemplo de pessoa, de vida e de testemunho!

Senhor, nos te agradecemos pela maneira especial de conduzir a história e as pessoas que fazem os teus propósitos acontecerem. Graças podemos te render pela vida e testemunho de adoradores e servos do Senhor como foi nosso irmão Abel. Até hoje sua vida inspira e influencia outras tantas. Obrigado por tua graça e misericórdia, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Com Quem Caim Casou

Meditação do dia 04/12/2017

Gn 4.17 – E conheceu Caim a sua mulher, e ela concebeu, e deu à luz a Enoque; e ele edificou uma cidade, e chamou o nome da cidade conforme o nome de seu filho Enoque;

 Com Caim casou? – Essa é mais velha do que andar pra frente! Provavelmente é uma das perguntas mais feitas, mais respondidas, todo mundo sabe a resposta, mas ela não sai das paradas, geração após geração. Voces já devem estarem desconfiados de que desse mato não vai sair coelho algum. Não vou mesmo entrar nessa eterna discussão, mas também não faz mal algum dar pitaco. Certamente ele se casou com uma irmã, senão teremos que admitir a chamada teoria da conspiração, onde havia outros povos e outras tribos e que Adão e Eva nunca foram os primeiros e muito menos os únicos habitantes da terra naquela mesma época. Fico com a Bíblia, pura e simples. Como os textos ou narrativas necessariamente não seguem rigorosamente uma ordem cronológica dos fatos, deve haver um bom espaço de tempo entre sua saída da casa dos pais e o seu casamento. Parem quem viveria centenas de anos, próximo a mil anos, não era nenhum problema ficar solteirão até os setenta, oitenta ou cem anos. Sabemos que da criação até o nascimento de sete, o terceiro filho de Adão e Eva, foram cento e trinta anos (Gn 5.3). Só brincando com as hipóteses de dados, digamos que Caim e Abel estejam apenas entre um e cinco anos mais novos que seus pais, já que esses foram criados adultos! (?) Depois do nascimento de Sete, Adão e Eva tiveram filhos e filhas (Gn 5.4), então seguido a linha mais comum, em que Caim tenha se casado com uma irmã, a diferença de idade não seria tão gritante e nem teria esse peso cultural que tem nos nossos dias, onde as opções de casamento segue outros padrões de conveniência. Mas, quero pensar um pouco sobre a iniciativa da vida de Caim, iniciou uma linhagem familiar longe da influencia paterna, divina e fora do foco da piedade e comunhão com Deus. Mas mesmo pensando em termos morais e éticos, como muitos preferem pensar, que Ele e tudo que lhe diz respeito é e está ligado ao mal, ele levou consigo muito aprendizado, experiência e coisas que foram legados da vida em família. Ele era dotado de inteligência e habilidades, pois ainda na casa do pai, ele era agricultor. Agora, precisando iniciar uma civilização, sendo ele o patriarca e o primeiro daquele grupo social, vemos que ele iniciou uma cidade com o nome do primeiro filho. Claro que não é uma cidade com o nosso conceito moderno de civilização, mas sem dúvida, um povoado, como protótipo de ares urbano e nessa situação, aparecem as oportunidades de surgirem demandas e onde tem demanda, aparecem as ofertas e esse intercambio, produz comércio, serviços e inovações e oportunidades para o desenvolvimento. Quase que como o conceito de Darwin sobre a evolução das espécies e a sobrevivência dos mais forte e dos que se adaptam melhor, (isso é o conceito, não estou fazendo apologia à teoria); assim também num grupo de pessoas, as suas necessidades vão promovendo a seleção dos mais hábeis e assim vem a especialização e dissiminação dos ofícios e a distribuição de tarefas e serviços. Daí vem tudo o que temos hoje nos grande centros urbanos e os modernos processos industriais e fabris, para suprir toda a demanda. Semelhantemente assim funciona os dons e habilidades pessoais distribuídas por Deus a cada pessoa quando nasce e tem como finalidade a operacionalidade do reino e dos afazeres sociais. Se na igreja local, houver uma boa gestão dos recursos humanos e o bom aproveitamento dos talentos naturais, das habilidades e dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo ao corpo, ela tem todas as chances de sucesso e desenvolver bons trabalhos. Dai, a centralização de poder e controle humano, sem levar em conta os dons, pode se tornar nocivo e restringente para a obra de Deus. Tudo o que é vivo, pode crescer, desenvolver, reproduzir e também morrer.

Obrigado, Senhor, pela vida e pela oportunidade de crescer e fazer bem feito e o melhor com os teus recursos. Somos teus filhos e temos a mente de Cristo, com a dádiva do Espírito Santo habitando em nós e nos guiando à plenitude daquilo que Cristo é em cada um e em todos nós. No nome dele oramos agradecidos. Amém.

Pr Jason

Caim Saiu da Presença de Deus

Meditação do dia 03/12/2017

Gn 4.16 – E saiu Caim de diante da face do Senhor, e habitou na terra de Node, do lado oriental do Éden.

 Caim Saiu da Presença de Deus – Essa frase, que serve de título para essa meditação pode ser vista e interpretada de mais de uma forma e claro, pretendo respeitar o direito de pensar de cada leitor. Mas, quer seja literal ou figuradamente, é uma nota triste. Olhando o quadro até aqui, com os olhares de cristãos evangélicos brasileiros, que nos propomos abraçar as Sagradas Escrituras como verdades reveladas de Deus, e valorizar o programa evangelístico da nossa fé, ainda assim contemplamos a grande misericórdia divina em amar o pecador e andar com ele, acompanhando-o com amor e cuidado na esperança de que se arrependa e tome a decisão certa. Mesmo quando isso não acontece, o coração paterno de Deus persiste em nos amar. Caim pecou feio, fez acusações grotescas a Deus e seu caráter; articulou que Deus era parcial e dava preferencia para um em detrimento do outro e outras coisas mais. Deus falou com ele, pessoalmente, frente a frente, mostrando bondade e disposição de acolhe-lo por tomar novamente o controle de sua vida e enfrentar o pecado e o seu domínio sobre sua alma. Caim foi mais longe ainda, tramando em seu íntimo um meio de resolver seu problema pessoal, eliminando quem ele julgasse culpado ou empecilho e culminou com um ato de violência extrema no assassinato premeditado de seu irmão Abel e na ocultação das provas e dissimulação quando Deus lhe pediu contas. Quando Deus o desmascarou, falando que o sangue de Abel clamava desde a terra, ele ainda se fez de vítima e de coitado achando pesado demais o fardo de seu castigo e sentindo-se miserável e digno de ser punido por qualquer um que o encontrasse. Ainda assim, ele escolheu sair da presença de Deus e ausentar-se. Não era uma simples questão de mudar de lugar geograficamente para procurar um outro mais adequado e propício a um recomeço; era sim, um sair intencional, como se Deus morasse ali naquele lugar e agora ele iria deixar de ser seu vizinho para não vê-lo todos os dias. Sair da presença de Deus era na verdade afastar-se da influencia da bondade divina e da presença piedosa dos pais que ainda permaneciam crendo em Deus e ficando do seu lado, diante da dureza de seu coração e da recusa de se arrepender e voltar a trás. Continuar ali seria dar uma oportunidade ao amor e a graça infinita constrange-lo a viver valores que ele sabia que eram eternos e estavam enraizados na alma e no espírito de seus pais e das próximas gerações. Sair da presença de Deus era dar oportunidade a novas experiências sem essa incômoda consciência e provar a si e para si mesmo que longe da presença divina e de sua influencia também há alternativas boas e promissoras. Ele poderia, criar uma dinastia de pessoas não religiosas, não crédulas e não obedientes à regras que limitavam sua genialidade e geniosidade. Modernamente chamamos isso de “fazer do meu jeito” ou “criar alternativas viáveis.” Não sei vocês, mas vejo esse filme se repetindo todos os dias em vidas que lançam mãos de verbalizações atuais para um problema endêmica da era pós edênica: “Estou saindo da igreja, só isso!” “Sou desigrejado convicto!” o que no fundo estão fazendo é o mesmo que Caim; afinal quem criou a igreja, como corpo de Cristo, a comunidade dos salvos, com seus sacramentos e oportunidades de serviços e aperfeiçoamento do caráter e do crescimento em fé e tudo mais que igreja significa. Se nascemos de novo dentro de um contexto de Corpo de Cristo, só nele há esperança e redenção e por esse corpo ele selou a todos com o seu espírito para viver e vivenciar comunidade e comunhão, como sair de um sem abandonar o outro? Obedecer e amar a Deus e suportar as debilidades dos outros fazem parte de um mesmo pacote. É fato que a igreja não é uma organização humana, mas é sim, um organismo vivo e ativo composto por todos os remidos, que apoiam e se ajudam para o próprio crescimento e unidade de propósito, conforme doutrina São Paulo, aos Efésios no capitulo quatro, quando fala dos múltiplos dons distribuídos por Deus ao Corpo de Cristo e suas finalidades. Não saia da presença de Deus! Não faça uso de argumentos racionais humanos em substituição ao princípios divinos que são eternos. O justo, vive pela fé.

Querido Espírito Santo, você estava presente quando da conversa entre o Pai e Caim e ele não anuiu à graça e ao apelo do amor e escolheu o caminho solitário do egoísmo e de fazer do seu jeito. Hoje, ainda vemos isso acontecendo, mas eu e muitos dos filhos do Senhor, ansiamos por andar em amor e depender da graça que há em Cristo para ver a prosperidade do reino que foi preparado para nós antes da fundação do mundo. Só podemos ter acesso a isso mediante a fé e dependemos da tua assistência e guiar-nos à toda a verdade. Nosso coração e vidas estão abertas e disponíveis a ti para arrependimento e retorna à verdade. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Sinal de Caim

Meditação do dia 02/12/2017

Gn 4.15 – O Senhor, porém, disse-lhe: Portanto qualquer que matar a Caim, sete vezes será castigado. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que o não ferisse qualquer que o achasse.

 O Sinal de Caim – Um pastor que cuidava bem das pessoas da sua igreja e estava sempre preocupado em resolver as questões e diferenças com discrição e sobriedade, certo vez se deparou com um caso sério e apropriado para se tornar um grande escândalo e trazer muitos transtornos para toda a igreja. Ele ao sair de casa para atender a essa situação pediu que a esposa permanecesse em oração para que tudo desse certo. Mais tarde quando ele retornou, ela, já estava na porta, ansiosa por saber o desfecho, já foi lhe antecipando: “E aí, como foi?” Ele parou e lhe perguntou muito seriamente: “Você sabe guardar segredo?” Ao que ela afirmou com toda a convicção: Sim, claro que sei! – Então ele disse: “Eu também!” Antes de você me excluir por isso, quero lhe dizer que contei essa ilustração para lhe revelar a verdade sobre o sinal de Caim, que o texto fala e que todos comentam, ao menos é o que sei desde quando me converti à Cristo e comecei a estudar a Bíblia. A verdade sobre esse sinal, é que também não sei o que é! Tudo que a Bíblia diz sobre isso, é isso aí que lemos nesse texto. Agora, existem um punhado de teorias e afirmações que vão desde ofensas racistas, até situações genéticas e místicas, passando por manchas e sinais de pigmentos na pele, até absurdos que nem compensa cita aqui. Do alto da minha pequenez, eu posso deduzir que algo poderia ser visto ou notado, assim que alguém se aproximasse dele, porque o Senhor afirma que colocou a tal marca ou sinal para que se alguém o encontrasse, não o matasse, por saber que aquele sinal lhe fora dado com essa finalidade. Como não havia muitas pessoas e todas que viesse a existir seriam originarias de uma mesma origem e conhecedores da história, então poderia ser algo bem simples mas que cumpria bem um propósito. Os cineastas e escritores tem se desdobrado em criatividade para aproximar as mentes modernas  a entenderem o que poderia ser e quem sabe, eles até estejam certos, mas quem sabe também eles estejam cada vez mais distantes da verdade. Para mim, que creio em Deus como criador e sustentador de todas as coisas e aceito as verdades das Escrituras como sendo autenticas, não fico preocupado em ter que descobrir o significado ou que seria, como se isso fosse um código para a felicidade ou um passaporte para algo maior e melhor ainda. Fico muito à vontade com aquela verdade de Dt 29.29 que afirma: As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei. Não acredito que Deus inseriu tantos mistérios e códigos nas páginas e letras dos manuscritos originais autografados das Escrituras para que mentes brilhantes e boas de matemáticas e cálculos viessem a desvendar seus segredos; para mim, verdades espirituais da Palavra de Deus são assimiladas apenas pelo espírito humano, guiado e iluminado pelo Espírito Santo.

Pai, te agradeço porque a maior revelação que esteve oculto, foi sobre Cristo em nos a esperança da glória. Isso tem a ver com a redenção e para isso o Senhor dá a sabedoria para os homens alcançarem a salvação pela graça através da fé em Cristo. As demais coisas virão à seu tempo. E sou grato por isso. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason