Despedida e Abençoada

Meditação do dia 11/03/2019 

 E abençoaram a Rebeca, e disseram-lhe: Ó nossa irmã, sê tu a mãe de milhares de milhares, e que a tua descendência possua a porta de seus aborrecedores!”  (Gn 24.60)

 Despedida e Abençoada – Os antigos povos e suas culturas valorizavam muito o convívio familiar e como basicamente os povos ainda estavam em formação, eles abençoavam seus filhos e descendentes para que viessem a ser uma grande tribo ou até nação e nações. Contudo o mais importante, que está nas Escrituras e que precisa ser entendido e cultivado até hoje em nossos dias, é a boa prática de abençoar os filhos e honrar os pais e as pessoas mais velhas. Muitos desses aspectos ficou relegado a um plano religioso formal. Falar em profetizar sobre a vida dos filhos ou dos descendentes, vai soar muito estranho, pois profetizar está relacionado à vida religiosa da igreja e especialmente do exercício dos dons espirituais, que também já estão entrando para a  lista de extinção. A cultura industrial, trouxe a demanda de trabalho e mão de obra arrastando para as fábricas e balcões todos os indivíduos úteis; assim, pais, mães, filhos mas crescidinhos, todos precisaram colaborar com as crescentes demandas de gastos da vida moderna e assim surgiu a demanda opões de terceirização do cuidado familiar e educacional. Hoje é comum, crianças muito recém nascidas já irem para as creches e de lá para as escolinhas e ir se graduando até chegar ao nível universitário, e dentro desses quase vinte anos, toda a sua educação e formação ficou sob a tutela de “tias, babás e educadoras, cuidadoras, todas profissionais.” Os pais, avós, tios e outros parentes ou empregados domésticos se encarregaram de levar e buscar. Tanto é fato, que os pais ficam malucos nos períodos de férias, pois não sabem e não conseguem controlar ou lidar com as crianças. Os infantes não adquirem características familiares, pois o nível de convivência e transferência desses legados é muito baixo, quando não é zero. Enquanto encontramos explicações e justificamos tais necessidades, os princípios de vida saudável e as heranças geracionais são roubadas das gerações em formação. Posso afirmar com muito convicção que os maiores influenciadores e quem tem imprimido as maiores marcas relevantes nos nossos jovens, não são mais os pais ou familiares; são estranhos, professores, influenciadores e até mesmo de forma digital e não mais presencial. Então quando lemos que uma moça bonita e de família, está de malas prontas para seguir o caminho do seu projeto de vida, pelo qual ela havia orado e buscado em Deus e com o respaldo de sua família, dá esse passo e a família está ali presente para abençoar e impetrar uma bênção profética, é muito significativo. Rebeca não saiu de casa para ser independente, ou para se livrar dos pais e irmãos, mas foi formar a sua família, formada por Deus e revelada a ela e de modo tão esplêndido que todos ficaram maravilhados e sem ter como contestar. Rebeca foi abençoada com bênçãos de fertilidade para ser mãe de milhares de milhares e acompanhando a sua história, sabemos que isso se realizou, em meio a muitas lutas e provações, vencidas por batalhas em oração e fé. Na verdade ela só teve dois filhos, gêmeos, mas o poder da bênção e o que conhecemos como o poder da semente se multiplicar é exponencial e com esses dois filhos ela teve pelo menos vinte e quanto netos, que se tornaram tribos poderosas e vieram a ser nações, poucas gerações depois. A fé possibilita ver as coisas à frente de onde estamos e assim podemos preparar as bases para se construir aquilo que foi profetizado. O dom da paternidade/maternidade vem de Deus e está acompanhado de autoridade profética. É questão de fé e exercício.

 

Pai, obrigado por construir grandes coisas à partir de pequenas sementes. Graças podemos te render todos os dias, pelas muitas maravilhas disponíveis a nós e a nossos filhos. Queremos construir gerações tão bem sucedidas e abençoadas hoje quanto o foram no passado. Somos parte de um reino que permanecerá para sempre e cujo trono não será jamais ocupado por outra dinastia. Assim, podemos elevar os nossos corações ao que se assenta no trono e ao Cordeiro, dignos de louvor e adoração de geração em geração pelos séculos dos séculos, amém.

 

Pr Jason

Dia de Despedida Para Rebeca

Meditação do dia 10/03/2019 

 Então despediram a Rebeca, sua irmã, e sua ama, e o servo de Abraão, e seus homens.”  (Gn 24.59)

 Dia de Despedida Para Rebeca – Antes de mais nada, permitam-me voltar aos pilares fundamentais do meu trabalho de Meditações do Dia, que tem propósito escrever um texto com base bíblica, em forma de devocional, de onde extraímos alimento para a nosso alma e espírito. O aprendizado visa o sentido prático das verdades das Sagradas Escrituras, sem um propósito doutrinário específico, contudo sem fugir da boa interpretação. Todos vocês que recebem, leem e aprendem algo delas tem todo o direito de rejeitar e refutar aspectos que não se alinham com a doutrina de sua fé e ou aspectos que sejam apenas de cunho geral. Não estamos impondo, ou doutrinando nada e ninguém; tão somente desejamos exercitar o raciocínio, e os dons que nos foram dados pela graça de Deus e nos edificar mutuamente. Sempre que alguém me dá um retorno que uma meditação lhe foi edificante, construtiva, instrutiva e sanou alguma sombra sobre um tema ou assunto, isso muito me edifica e dá sentido ao propósito original. Desde já obrigado pela companhia e pelo apoio de todos vocês. O nosso texto de hoje, mostra o dia da despedida de Rebeca, pois ela encontrou o seu destino e o propósito de sua vida estar à partir de agora em Canaã, ao lado de Isaque, a quem ela não conhecia ainda, mas estava comprometida a vir à ser a consorte e mãe de nações. Para os pais e familiares, não é sempre fácil despedir os filhos e alguns são tão apegados que isso gera conflitos e traumas. Todos sabemos que criamos nossos filhos para que cumpram o seu propósito e sigam o rumo que lhes é apontado por suas vocações. Eles não nos foram dados para nós mesmos. São como frutos de uma árvore – nenhuma árvore dá fruto para si mesma, ou para o seu prazer; eles são gerados para alimentar, nutrir, saciar e abençoar a outros e suas sementes serão espalhadas longe da original para a seu tempo também produzir. Todo cristão cita o texto de Salmos sobre seus filhos, mas alguns tem dificuldade de sair da teoria para a prática. “A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa” (Sl 128.3). Na expressão do Sl 127.3,4, Vem o outro lado da questão: “Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade.” Filhos são herança do Senhor, pertencem a ele e são também flechas nas mãos do valente (os pais). Um flecheiro hábil, se prepara para quando tiver que atirar suas flechas e quando o faz, a tendência é que ele acerte o alvo e nesse caso, a flecha não volta, ela fica presa; se ele errar o alvo, ela também não volta, ela se perde ao longe. Isso significa a liberação de nossos filhos; nós nos preparamos e os preparamos para o dia do lançamento e é maravilhoso quando acertemos o alvo de primeira, mas se isso não acontecer, mesmo assim nossos filhos irão começar suas vidas e ainda que nunca deixaremos de ser pais e amá-los e ajudar, eles precisam partir para suas jornadas, tal qual nós partimos um dia. É para isso que os preparamos, não é para causar pânico, medo, mas é para ser também um exercício da nosso fé e confiança que o Deus que cuidou de nós e nos ajudou a cuidar deles, os acompanhará pelas suas jornadas. Despedida não significa o fim, mas o começo de um novo ciclo e se torna sinal de que os pais fizeram um bom trabalho. Animem-se!

 

Obrigado Senhor pela vida de nossos filhos e pelo sucesso que eles alcançarão no seu tempo e dentro dos seus propósitos. Somos gratos pela ajuda que recebemos em nossa jornada e por tudo que fizeste para nos abençoar. Agora é a oportunidade de vermos os resultados dos nossos esforços e da graça do Senhor imprimida na vida deles. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Rebeca, Uma Mulher Determinada

Meditação do dia 09/03/2019 

E disseram: Chamemos a donzela, e perguntemos-lho. E chamaram a Rebeca, e disseram-lhe: Irás tu com este homem? Ela respondeu: Irei.”  (Gn 24.57,58)

 Rebeca, Uma Mulher Determinada – A vida proporciona muitas oportunidades de aprender por meio da observação e fazer uso de conhecimento de uma área para aplicar em outras que produzem bons resultados. Quando dirijo por rodovias, sempre vejo uma placa educativa de transito que me trás um tipo de aprendizado que faço uso em outras áreas da minha vida; trata-se de “NA DÚVIDA NÃO ULTRAPASSE.” Literalmente ela adverte aos motorista para evitarem uma ultrapassagem arriscada; assim, na dúvida, melhor não ultrapassar; primar pela segurança. Esse ensinamento pode ser levado para muitas áreas da vida, pois havendo dúvidas não é aconselhável tomar decisões importantes. Quando se trata de questões de alta relevância, pode haver qualquer margem para dúvida. É preferível não ter mapa nenhum do que ter o mapa errado. Fortuitamente posso chegar a um destino sem um mapa, mas com o mapa errado, certamente não. Já presenciei casamentos contraídos com mais dúvidas do que certezas e fatalmente o resultado é predominantemente fracasso ou infelicidade geral. Algumas inseguranças levam a decisões ruins e algumas delas incorrigíveis depois. Então pesando na nosso Rebeca, embora não tenhamos muitas informações sobre sua vida, até essa ocasião, entendemos que ela tinha uma proposta de vida muito bem definida e sabia do que queria e dos esforços para atingir seus objetivos. É inusitado para qualquer um de nós, ver uma moça inteligente, sensata, de boa família, precipitar-se em aceitar uma proposta de casamento, de um representante do noivo, que ela nunca vira ou se quer tinha conhecimento, tudo isso dentro do espaço de tempo de um por do sol ao raiar do dia seguinte. Todos nós já vimos e ouvimos falar de histórias de amor à primeira vista, paixões fulminantes entre pessoas no primeiro encontro e que levam para um compromisso de toda a vida e são felizes para sempre, como nos contos. Mas essa história de Rebeca, vai além disso, muito além. Mas ela estava pronta, estava decidida e determinada, mesmo que isso surpreendesse a toda a sua família. Nos situando: Logo ao amanhecer, Eliézer disse bom dia e obrigado pela hospitalidade, “assim que tomar o café da manhã já estaremos de partida, levando a moça.” A família tentou argumentar, por um espaço de tempo para fazer as malas, despedidas, confeccionar algo para o enxoval, etc. Ele disse Não! Deus prosperou o meu caminho e é assim que “a banda toca!” Foram consultar Rebeca, afinal ela estava envolvida em tudo isso, e a idéia seria que ela também tivesse suas dúvidas, precisasse de mais tempo, pois “a ficha  nem caíra ainda,” e são muitas coisas envolvidas e não podemos precipitar! Quando perguntada: Irás tu com este homem?” Ela já tinha a resposta no ponta da língua, Ela respondeu: Irei.” Eu gosto de pessoas decididas, determinadas, que sabem o que querem e quando a oportunidade chega, elas não tem dúvidas e abraçam. Jesus, ao chamar os discípulos, alguns deles estavam em meio à suas atividades de trabalho e simplesmente largaram as redes, a coletoria de impostos e seguiram o mestre. Por outro lado tem aquela história daqueles que o Mestre mandou que recalculassem os custos do discipulado. Rebeca é um tipo da igreja de Cristo e como tal ela não teve dúvida ou insegurança sobre suas escolhas. Somos hoje, a Igreja, o corpo de Cristo e temos um importante papel a desempenhar num muito cheio de armadilhas e armações, mas o nosso coração precisa ter um foco único, um centro único, um Senhor único! Sabemos o que queremos e queremos o que sabemos! Hoje, farei dos versos do velho hino, a minha e a nossa oração:

Para Onde For Irei

Se eu tiver Jesus ao lado e por ele auxiliado,
Se por ele for mandado a qualquer lugar irei.

Seguirei ao meu bom Mestre, (3x)
Onde quer que for irei.

Seja meu caminho duro, espinhoso ou inseguro,
Em seus braços bem seguro, aonde me mandar irei.

Males poderão cercar-me, ou perigos assustar-me,
Mas, se Cristo segurar-me, aonde me mandar irei.

Quando terminar a vida, finda minha triste lida,
Tenho a glória prometida, eu pra meu Senhor irei.

 

Pr Jason

 

Presentes Para Uma Mulher

Meditação do dia 08/03/2019 

 E tirou o servo jóias de prata e jóias de ouro, e vestidos, e deu-os a Rebeca; também deu coisas preciosas a seu irmão e à sua mãe.”  (Gn 24.53)

 Presentes Para Uma Mulher – Hoje é o dia Internacional da Mulher e estamos justamente escrevendo sobre uma mulher muito especial, e assim, através de Rebeca, homenageamos todas as mulheres maravilhosas de nossas vidas. Sou muito grato a Deus pela minha mãe, uma pessoa de muita fibra e posições muito firmes por toda a sua vida e ela merece todo o nosso carinho, lá em Aparecida de Goiania, em Goiás. Também tenho quatro irmãs, todas muito comprometidas com Deus e as coisas do Reino de Deus, motivo de alegria para os dois últimos moicanos da família e meus pais que fizeram um excelente trabalho, nós, os filhos fomos o trabalho da vida deles. Ainda, claro, tem as sobrinhas, cunhadas, primas e irmãos em Cristo que são pessoas que merece serem honradas nesse dia e nos outros trezentos e sessenta e quatro também. As colegas esposas de pastores e pastoras, por esse Brasil à fora e também as nossas missionárias Jami-CBN no Brasil e nos campos missionários por todos os continentes. Sem deixar de honrar as milhares de mulheres anônimas em nossas igrejas e missões e as outras em postos estratégicos de amor e serviço, tornando a vida mais leve e agradável de se viver. Deus abençoe a todas, de todo o nosso coração, em nome de Jesus.  Voltando ao nosso texto, agora foi que Rebeca ficou sabendo de tudo, e porque aquele servo estava fazendo aqueles testes e distribuindo presentes caros lá na beira do poço. Na verdade ele viera buscar uma moça para se casar com o filho de seu senhor e ela sem saber passara em todos os requisitos. Agora, que ele expôs sua razão e foi bem recebido e nem quiseram contestar a ação de Deus em providenciar aquele encontro para Rebeca vir a ser a esposa de Isaque. Nessa nova rodada de distribuição de presentes, ela recebeu mais jóias, vestidos e isso indicava o poder aquisitivo do futuro noivo e sua capacidade de prover um casamento digno e uma condição de vida abastada para aquela moça. Como trabalhamos com figuras e tipos na Bíblia, essas pessoas personificam aspectos da obra redentora de Deus e aqui, o mordomo é um tipo do Espírito Santo que fica encarregado de preparar a noiva para o encontro do noivo, tal qual no futuro deles e no presente nosso, somos a igreja, o corpo e a noiva de Cristo, através de uma obra tremenda do Espírito Santo, nos tomando de uma condição natural e nos preparando para sermos recebidos por Cristo. Esses presentes e enfeites, são os dons que Deus dá gratuitamente a seus filhos e os embelezam e aperfeiçoam no serviço do Rei. A muitos texto proféticos sobre as qualidades da noiva de Cristo, sendo preparada para ele. “Filhas de reis estão entre as mulheres da tua corte; à tua direita está a noiva real enfeitada de ouro puro de Ofir” (Sl 45.9). “É grande o meu prazer no Senhor! Regozija-se a minha alma em meu Deus! Pois ele me vestiu com as vestes da salvação e sobre mim pôs o manto da justiça, qual noivo que adorna a cabeça como um sacerdote, qual noiva que se enfeita com joias.” (Is 61.10). “Vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia dos céus, da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para o seu marido. Um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas aproximou-se e me disse: “Venha, eu mostrarei a você a noiva, a esposa do Cordeiro” (Ap 21.2,9). Rebeca é sim, um tipo da Noiva de Cristo, ou seja, Rebeca representa a Igreja e como ela encontra e serve a Cristo por amor e cumpre seu destino.

 

Obrigado Senhor, por revelar seus planos e sua vontade, que são bons, perfeitos e agradáveis. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Casa da Mãe

Meditação do dia 07/03/2019 

 E a donzela correu, e fez saber estas coisas na casa de sua mãe.”  (Gn 24.28)

 A Casa da Mãe – Gosto de prestar atenção em detalhes, até pequenos detalhes dizem alguma coisa, afinal, foi para isso que eles foram colocados ali. Uma pequena informação pode fazer conexão com outras verdades ao longo das Escrituras e completar um quadro de fato importante. Hoje, com certeza não estou querendo levantar uma discussão ou polêmica e muito menos achar coisas a mais do que realmente está expresso, mas me chamou a atenção, o fato de que Rebeca após servir água para o Mordomo de Abraão e abastecer o bebedouro para os camelos, ela correu para notificar seus familiares do que estava se passando, e tradicionalmente, se diria que ela contaria isso na casa de seu pai, mas o texto diz que ela “…fez saber estas coisas na casa de sua mãe.” Olhando no contexto, lá no verso 50 está registrado a presença e a ação de seu pai juntamente com seu irmão; A pergunta que me vem em mente é: Será que essa família tinha uma forma peculiar com o poder matriarcal mais prevalecente que o patriarcal? Por outro lado, podemos estar lidando tão somente com uma situação de absoluta normalidade cultural, onde a filha iria se dirigir primeiramente à sua mãe e relatar assuntos importantes e então a mãe faria o repasse aos homens da casa. Mesmo estando a muitos anos de distancia daqueles eventos e nossa cultura ocidental, bem diferente em seus valores e pontos de vista da cultura oriental, é bastante comum em nossas famílias, haver certa afinidade em maior grau entre mães e filhas e pais e filhos; mas também não nos é estranho filhas e pais serem muito próximos e filhos e mãe também. As vezes esse papel de confidente e apoiador se altera de família para família. O princípio bíblico na criação de filhos e que a maioria dos cristãos entendem por um bom modelo, requer que haja canais de comunicação abertos e que os pais sejam acessíveis aos filhos num ambiente de confiança e segurança para ambos. A honra devida aos pais independem dessa boa qualidade de comunicação, pois os filhos são exortados biblicamente a respeitar e tratar com honra os seus pais, sendo isso, um mandamento com promessa: Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” (Ef 6.1-3). O que Rebeca veio notificar sua família era até então apenas a presença de um visitante vindo da Palestina, servo de Abraão e que lhe dera umas joias muito preciosas e caras, como recompensa e gratidão pela gentileza dela e que eles precisavam de hospedagem para aquela noite. O melhor da festa ainda estava por vir!

 

Pai amado, graças de rendemos por teu cuidado para com os teus filhos, que andam na fé e na dependência do teu Espírito Santo. Estamos agradecidos por revelar através da história de Rebeca, como o teu poder e o teu governo estão à serviço daqueles que estão comprometidos com o teu reino. Tua fidelidade é grande, em todo tempo e o teu amor é generoso e abençoador. Que hoje seja um dia de grandes revelações do conhecimento da tua glória e graça em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Rebeca, Antiga Mulher Moderna

Meditação do dia 06/03/2019 

 Disse-lhe mais: Também temos palha e muito pasto, e lugar para passar a noite.”  (Gn 24.25)

Rebeca, Antiga Mulher Moderna – No último capítulo de Provérbios a um texto muito bonito dedicado a uma mulher muito especial que não aparece o seu nome, mas ficou para a posteridade como a “Mulher Virtuosa;” e não é para menos. Ela vivendo num tempo bem remoto e num contexto oriental de predominância masculina em termos de espaço social, ela é apresentada como alguém muito além dessas barreiras e limitações culturais. Ela é empreendedora, tem iniciativa comercial, habilidosa profissional artesã, mãe dedicada, esposa influente e determinante no sucesso do marido e tem o reconhecimento dentro do lar e fora na sociedade. Em termos mais simples, eu diria que ela dá um show em muitas das nossas mulheres modernas em todo e qualquer sentido. Mesmo assim, as pessoas insistem em dizer que a o ensino bíblico é eminentemente machista devido a cultura hebraica antiga e que também Deus apoio esse lado do exercício da liderança. Francamente eu pago para ver, pois a prática da vida cristã no modelo bíblico não dá nenhuma margem para qualquer tipo de opressão, domínio e controle obsessivo e muito menos tirania. Jesus teve ótimos relacionamentos com as mulheres e muitas delas tinham muita iniciativa e participação ativamente das atividades do reino de Deus e lendo Atos dos Apóstolos vemos irmãos valorosas servindo e influenciando poderosamente. Acho que precisamos ler melhor a Palavra de Deus. Agora, falando de Rebeca, percebemos claramente que ela sabia sua posição dentro da família e era ligada nas rotinas da casa e dos recursos e hábitos de hospitalidade, de forma que ela tomou atitudes e decisões como alguém que tem autoridade e poder de decisão, que posteriormente se confirmou sem contestação. Isso nos leva a fazer perguntas para nós mesmos, pois vivemos num contexto que consideramos modernos, liberais, independentes e participativos sem discriminação e onde todos os membros da família tem direitos e deveres iguais e compartilhados; mas é um tanto difícil imaginar uma cena dessas da beira do poço, numa família cristã atual. Temos tanto protocolos de segurança e prevenção, cuidados com estranhos e sem falar no perigo dos golpes e assédios de trapaceiros dispostos a se passar por qualquer coisa para tirar proveito, que ficamos muito desconfiados e a hospitalidade e cortesia tem que tomar contornos bem restritivos. Mas isso não afasta a minha admiração por essa jovem linda e cheia de iniciativa; o tipo ideal escolhida e preparada para ser uma matriarca do povo de Deus. Nossas qualidades e potenciais precisam ser expressos como culto a Deus e a serviço do próximo, porque é o caminho da realização pessoal e também de se descobrir os ministérios e nosso lugar no Corpo de Cristo.

 

Senhor Deus e Pai, graças te rendemos e também trazemos o nosso reconhecimento por todo o teu sábio processo de preparar e incluir nossa participação nas atividades do Reino. Todos somos especiais e amados por ti; temos espaço e oportunidade de servir e sermos úteis a ti e ao próximo. Nesse dia, consagramos nossa vida e nossas iniciativas para o louvor da tua glória, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Identidade de Rebeca

Meditação do dia 05/03/2019 

 E ela lhe disse: Eu sou a filha de Betuel, filho de Milca, o qual ela deu a Naor.”  (Gn 24.21)

 A Identidade de Rebeca – Certa vez ao introduzir um ano letivo do seminário, fiz um questionário para ver como os alunos responderiam a perguntas sobre identidade, vocação, propósitos e metas pessoais, me deparei com uma grande dúvida dos alunos na primeira questão: “Quem é você?” Muitos escreveram o nome, depois riscaram, outros deixaram em branco enquanto trabalhavam as outras questões e alguns insistiam para que eu lhes dissesse o que realmente eu queria saber com aquela pergunta. Foi até divertido, apesar de meio trágico. As pessoas fazem uma tremenda confusão sobre suas identidades; elas não tem uma definição clara ou confundem com outras coisas, como sua ocupação, ou nem arriscam dizer o que de fato pensam, quando não, admitem que nunca pensaram sobre o assunto. Há duas perguntas muitas muito cruciais na vida, que precisamos responder claramente para sermos bem sucedidos no que somos e no que fazemos, e uma coisa está diretamente ligada à outra. As perguntas são: Quem sou eu? e porque estou aqui? A primeira define a identidade da pessoa e a segunda determina o destino; quem não sabe quem é, como saberá o seu destino e seu propósito na vida? Porque fazem o que fazem e porque procuram algum sentido para sua existência. Rebeca demonstra que tinha sua identidade muito clara e muito bem definida. Quando interpelada pelo mordomo de Abraão sobre de quem ela era filha, ela prontamente disse o que está no nosso texto de hoje. Ela se identificava com seu pai, com sua mãe e sua família. Essas raízes faziam dela uma pessoa definida, consciente de quem era e a que grupo pertencia, portanto, estava dentro de um contexto de pertencimento. Ali a pessoa é útil, é querida, é aceita e é parte integrante com significado para si e para o grupo. Não é raro vermos pessoas que não se identificam com suas raízes; elas não se sentem parte da família, não se sentem aceitas e amadas, e portanto não se aceitam e não amam, não vê senso de importância e significado e assim cai por terra qualquer tentativa de ter participação construtiva. Vivem um vazio, por não são daquele grupo, não são de outro e não sabem para onde ir e se ligar pois não são parte de nada e de lugar nenhum. Vivendo um grande vazio existencial, essas pessoas podem se esconder atrás de trabalho, esforço para agradar, fazem enormes sacrifícios para serem aceitos, vistos e notados. Buscam fama e um lugar ao sol por medidas de compensação e mesmo alcançando altos níveis, continuam vazios e inquietos querendo novos desafios. Mesmo dentro da igreja e dos grupos cristãos, tais pessoas continuam tendo dificuldade com a paternidade divina e a aceitação da vida em comunidade; a comunhão parece medidas restritivas, por precisam se conformar com outros que seguem uma rotina de família, amor e aceitação. Em termos gerais, elas deixam de expressar o fato de SER humanos para FAZER humanos; o sentido da vida para elas é fazer coisas, para elas, para os outros, para a sociedade, para Deus. Isso é cansativo e esgotante, estressante. Assim como temos uma identidade e um destino físico e natural da humanidade, também temos uma identidade e um destino espiritual, ligados ao Reino de Deus e com propósitos eternos e altamente realizantes. Uma coisa leva a outra. Pense nisso, pense em você! Defina-se!

 

Pai, graças te damos por sermos quem somos e sermos exatamente aquilo que planejastes desde a eternidade para cada um de nós. Obrigado por Jesus ter nos encontrado e nos alcançado com tão grande salvação. Agora sabemos quem somos e para onde vamos, qual o itinerário da nossa jornada. Obrigado pela obra maravilhosa do Espírito Santo nos guiando a toda a verdade. A ti, seja a honra e a glória para todo o sempre. Amém.

 

Pr Jason

Rebeca a Admirável

Meditação do dia 04/03/2019 

 E o homem estava admirado de vê-la, calando-se, para saber se o Senhor havia prosperado a sua jornada ou não.”  (Gn 24.21)

 Rebeca, a Admirável – É uma situação de crédula incredulidade! O mordomo orou crendo que o Deus de seu senhor Abraão era solícito em atender orações de seus servos e tudo aconteceu de forma muito imediata, tão imediata que causava admiração. Parece que era melhor do que a encomenda! A moça era linda, gentil, hospitaleira, comunicativa, disponível e serviçal, tudo isso condensado numa única pessoa. No fundo acreditamos que Deus faz todas as coisas perfeitas e singulares, mas a nossa parte mais racional, trabalha contra a fé, dizendo que “tudo que é demais, passa!” ou como diz o adágio popular, “quando a esmola é demais, o santo desconfia.” Tudo conspirava para isso, pois ele mal chegara na cidade e estava à beira de um poço, onde iria saciar a sede e abeberar os animais, para então tomar as providencias de sua missão; quando fez a oração de gratidão ao Senhor Deus pela viagem ter transcorrido tudo bem e já estar no lugar designado por Abraão, agora era localizar a família e dar os demais passos. Mas tudo estava acontecendo ainda ali na beira do poço. Uma moça admirável, diante dele, se dispondo a servir até além da hospitalidade normal. A minha reflexão é sobre como Deus revela ou manifesta a sua bondade e misericórdia através de pessoas que cruzam os nossos caminhos. Pessoas são muito especiais, cada uma com suas particularidades, com suas histórias e a parte de cada uma complementa e faz conexões admiráveis com as demais, de forma que os propósitos eternos, grandiosos de Deus se firmam e se consolidam através da história nossa de cada dia. As vezes levam-se anos para se firmar um relacionamento e produzir algum resultado, e outros a conexão é imediata e complementar, feita sob medida. Eliézer estava familiarizado com milagres e ações grandes do Todo Poderoso, através do relacionamento do seu senhor Abraão e até mesmo em favor do senhorzinho, Isaque. Agora ele tinha a oportunidade de ter a sua própria experiência através da disponibilidade de uma jovem que lhe arrancava admiração. O que eu tenho que desperta a atenção e a admiração das pessoas que aparecem no meu caminho? Como o atender de um pedido ou favor simples pode revelar a operosidade do amor de Deus? Com certeza Rebeca se preparava para ser alguém prestativa e gentil, mas também é muito provável que ela não tinha a menor idéia de que seu gesto de servir um viajante, abrisse-lhe a porta da felicidade, da realização dos seus maiores sonhos. Verdadeiramente a simplicidade é a maior sofisticação! Precisamos deixar os nossos corações disponíveis para ser surpreendido por Deus em sua grandeza e generosidade. Servir sempre foi uma marca importante do Reino de Deus; Deus servir, Jesus serviu, o Espírito Santo serviu e serve até hoje e o fará até tudo se completar. Rebeca, a admirável é um bom modelo para todos nós, e não sem méritos, que ela é uma figura da Igreja que aguarda o tempo certo de encontrar o noivo.

 

Senhor, graças por tua generosidade e bondade. Por nos abençoar diretamente e através de outros servos, suprir e fazer o teu amor se manifestar. Louvado seja o teu nome e a tua glória! Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Rebeca, a Moça Bonita

Meditação do dia 03/03/2019 

 E a donzela era mui formosa à vista, virgem, a quem homem não havia conhecido; e desceu à fonte, e encheu o seu cântaro e subiu.”  (Gn 24.16)

 Rebeca, a Moça Bonita – Se formos filosofar sobre beleza feminina, teremos campo para escrever e discutir muita coisa. Uns dizem que a beleza está nos olhos de quem vê; outros, dizem a beleza é fugaz e não deve ser levado tão à sério; também há os críticos que dizem que a beleza é a inteligência que ficou por fora; ainda aqueles que afirmam que “beleza não põe à mesa;” Já o poeta Vinícius de Moraes, apelava, “as feias que me desculpem, mas beleza é fundamental!” Salomão, alguém com autoridade para falar do assunto, escreveu: Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada” (Pv 31.30). Falando mais sério, a verdade é que praticamente todas as citações acima e tantas outras que existem, abordam um aspecto da qualidade beleza e normalmente em contra-ponto com outras virtudes desejáveis. Já ouvi e já li, que cientificamente, o padrão de beleza de cada pessoa e determinado por uma simetria de traços que o cérebro classifica como sendo ideal para o seu padrão de beleza e perfeição. Assim que os olhos avistam, digamos um rosto, o computadorzinho dentro da cuca avalia e mede todos os traços e encontra ou não as medidas que ele considera ideais e então emite um veredito de que é lindo, bonito, acima da média ou não se encaixa nos parâmetros; por isso que o que lindo para alguém necessariamente não o é para outro; então sorte nossa, que somos feios! Eliézer estava à procura de uma moça com certas qualidades e virtudes, e ele não havia citado o quesito beleza, mas evidentemente que não descartaria. Foi então que aparece na sua frente uma linda garota, linda era pouco, belíssima e que ficava ainda mais atraente com aquele cântaro no ombro, enquanto descia as rusticas escadarias para pegar água no poço. Por minha conta e risco, ele deve ter pensado, “Uau! Essa certamente é a nora que todo sogro gostaria de ter e Isaque, meu senhor também não iria reclamar nada dela!” Essa família tinha uma forte ligação com beleza feminina, pois Abraão fora casado com Sara, que era lindíssima e até bem próximo dos noventa anos, ainda despertava interesse até de reis que a queriam como esposas; Agora aparece Rebeca para não perder e nem fazer feio perante uma comparação com a falecida sogra e futuramente veremos que Jacó também se deu muito bem com Raquel, em termos de beleza. Talvez alguém pense que isso não tem nada de espiritual, edificante ou construtivo para a nossa vida! Tem sim! Em sua perfeita economia, Deus não desperdiça nada e muito menos faz qualquer coisa sem um propósito. Por que ele faria tantas coisas bonitas, lindas, deslumbrantes, se nada disso tem valor? Cada coisa tem o seu lugar e no devido lugar todas as coisas tem o seu valor. Anos mais tarde, a nação de Israel foi abençoada e salva da extinção, graças ao uma moça linda, que ganhou um concurso de Miss e se casou com o rei e depois evitou uma tragédia – Ester não só era linda, mas fiel, temente a Deus e disponível para ser instrumento nas mãos dele. Errado, pecaminoso e ruim é fazer uso dos atributos dados por Deus na criação para fins errados, egoístas, perniciosos e imorais. Dar lugar a carne, tirar proveito da beleza para explorar os incautos ou afirmar ego e manias, isso não glorifica a Deus e constrói o Reino de Deus.

 

Obrigado Senhor, por fazer todas as coisas para propósitos muito especiais. Quando entendemos os teus caminhos, todos os fatores disponíveis em nossas vidas por ser úteis para construir vidas e abençoar a tua obra. Toda a tua criação está repleta de beleza com propósitos e nossas vidas também fazem parte desse todo. Obrigado, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Prima Rebeca

Meditação do dia 02/03/2019 

 E sucedeu que, antes que ele acabasse de falar, eis que Rebeca, que havia nascido a Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, saía com o seu cântaro sobre o seu ombro.”  (Gn 24.15)

 A Prima Rebeca – Impressionante, para não dizer outra coisa, a maneira do agir de Deus em nossas vidas, mesmo quando não estamos vendo ou sabendo. Nós somos por demais limitados e só vemos as coisas linearmente, em fileiras, uma de cada vez; Deus muito pelo contrário, tem uma visão ampla abrangendo todos os ângulos e todas as possibilidades e tudo isso, ao mesmo tempo, ao vivo e à cores. Quero voltar um pouquinho no tempo em termos de meditações já escritas e lembrando quando estudamos a vida de Abraão; no relato do capítulo vinte e dois, após o episódio do Monte Moriá, quando ele fora oferecer Isaque, pois bem, logo em seguida a essa narrativa, há um registro que parece fora de contexto, que diz o seguinte: “E sucedeu depois destas coisas, que anunciaram a Abraão, dizendo: Eis que também Milca deu filhos a Naor teu irmão. Uz o seu primogênito, e Buz seu irmão, e Quemuel, pai de Arã, E Quésede, e Hazo, e Pildas, e Jidlafe, e Betuel. E Betuel gerou Rebeca. Estes oito deu à luz Milca a Naor, irmão de Abraão.” (Gn 22.2-23). Abraão fora informado que sua cunhada lá em Harã havia dado filhos à seu irmão e fica registrado os nomes deles, e um deles, se for por ordem de idade, o Naorzinho, sobrinho neto de Abraão, primo em primeiro grau de Isaque veio a ser o pai de Rebeca, quando do lado de cá, nada disso era sabido, Deus estava trabalhando na outra ponta para no tempo certo juntar as partes e dar tudo certo. Fico maravilhado, com o fato de que assim que Abraão estava doando seu filho a Deus num gesto de consagração ímpar, também estava sendo preparada a bênção futura para Isaque. Se eu não fosse cristão, adorador de um Deus Todo Poderoso e que governa tudo muito bem, provavelmente apenas iria dizer que o universo estava conspirando para que esse encontro desse certo. A prima em segundo grau estava sendo preparada e no momento certo seria apresentada ao plano de Deus para sua vida, que seria transformador e abençoador. Assim, quando Eliézer fez aquela oração à beira do poço, Rebeca estava saindo, a moça certa, no lugar certo, para encontrar a pessoa certa e ela com disposição de serva e na condição de servir ela encontrou o seu grande tesouro e o propósito para sua vida. Aquela velha lição da bacia e da toalha que Jesus ensinou aos seus discípulos antes de ser entregue. Viva os propósitos divinos, sirva sem esperar recompensas, elogios ou ser tratado como astro e estrela.

 

Obrigado Senhor, por construir a minha história e me permitir estar no lugar certo no tempo certo para te servir ao servir alguém. Graças também pelas pessoas certas que tem sido colocado no meu caminho para me abençoar e me permitir ver o teu amor e cuidado. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason