Se Conheceram na Prisão

Meditação do dia: 21/08/2020

E entregou-os à prisão, na casa do capitão da guarda, na casa do cárcere, no lugar onde José estava preso.(Gn 40.3)

Se conheceram na Prisão – Se fosse a manchete de uma notícia atual, diríamos quase impreterivelmente que se tratava de uma notícia de um crime, ou formação de quadrilha. Mais que isso, não deveria ser coisa boa. Me lembro de uma ilustração de pregação evangelística, em que se afirmava que determinado governador com direito a conceder indulto a presos condenados a execução capital; optou por visitar uma ala desses candidatos e assim escolher a quem oferecer o benefício. Após a visita, na entrevista, perguntado se havia escolhido alguém ali, ele disse que infelizmente não encontrara nenhum detento em condições de receber perdão governamental, pois conversou com todos da ala e todos lhe disseram que estavam ali por engano, erro da justiça, ou quaisquer outras situações; nenhum deles admitiu ser um criminoso e precisar de perdão, que era o que ele fora oferecer. A moral dessa história, é que praticamente em todos os presídios, é “Tutti bona gente!” Eu e você sabemos que José não era criminoso, não era foragido da justiça e nem mesmo a acusação de assédio moral contra a ex senhora se sustentava; eu sei e nós sabemos disso; mas o capital da guarda e o carcereiro não sabiam e não se importavam. José não se fez de vítima e nem de injustiçado; se pôs a trabalhar e a servir e com o seu caráter e sua disposição de servir e abençoar, logo ele encontraria o seu lugar e o seu propósito. Algum mal comportamento de dois serviçais da confiança do Faraó os levaram para o xilindró até veredito final do soberano; o que era uma tragédia para uns era também o início de um relacionamento que significaria a porta de acesso de José a sua real missão naquele lugar, coisa essa que nem ele sabia o todo ainda. Já escrevi em outras meditações, que precisamos estar no lugar onde a pessoa que Deus vai usar para nos abençoar nos veja. Não posso afirmar quem precisaria encontrar quem, mas aqueles três homens precisavam se conhecer, para futuramente operarem um em favor do outro e validar uma operação na qual Deus vinha trabalhando a bastante tempo. Os caminhos pelos quais José passou para aprender e desenvolver habilidades e capacidades foram muito sofridos, injustos e até cruéis, mas eram as melhores opções para se formar um caráter consistente e equilibrada de alguém que assumiria uma posição de autoridade até com direitos de vida e morte sobre outras pessoas. Quem melhor do aquele que passou por todos os portais da vida egípcia, desde um escravo acorrentado no mercado, Mordomo da alta sociedade, administrador bem sucedido, até preso injustiçado e sem julgamento até chegar a ser a última esperança de Faraó encontrar respostas para um dilema que lhe atormentava. José precisava ter passado por todos esses lugares, conhecido todas essas pessoas e lugares, para que seu trabalho no futuro fosse sólido e fundamentado em justiça e retidão. Eu, e a maioria das pessoas que conheço, não somos chegados em sofrimento, especialmente o meu! Contudo, todos temos certeza que na nossa vida inteira, aprendemos muito mais com a dor, o sofrimento e as situações difíceis do que em quaisquer outras oportunidades que tivemos. Paulo acreditava em algo que podemos compartilhar na fé: Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada (Rm 8.18). Que Tenhamos graça e perseverança para viver a vontade de Deus e passarmos com paciência nos testes e provas para aprimoramento.

Obrigado, Senhor pela sua bondade e pelos propósitos eternos acima de nossa compreensão e assim nosso caráter vai sendo aprimorado dia a dia. Obrigado pelas experiencias e pelos companheiros de caminhada que também passam pelas mesmas provações, mas juntos somos mais fortes e podemos vencer, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Tudo Prosperava Nas Mãos de José

Meditação do dia: 20/08/2020

E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o Senhor estava com ele, e tudo o que fazia o Senhor prosperava.(Gn 39.23)

Tudo Prosperava Nas Mãos de José – Já escrevi anteriormente sobre isso, mas a repetição nos faz lembrar e conservar mais nitidamente as verdades. Para entender os princípios de Deus, precisamos entender os seus mandamentos. Para entender os seus mandamentos, precisamos entender o seu caráter. Para entender o seu caráter, precisamos conhecê-lo pessoalmente. Quando lemos esse versículo que serve de base para a meditação de hoje, até parece que estamos lendo o Salmo primeiro. Aquele Salmo fala de uma qualidade de pessoa que abre mão de determinadas condutas, que para outras é absolutamente normal e elas encontram o seu prazer e satisfação na Palavra de Deus, de uma tal forma que elas investem muito do seu tempo e atenção para meditar e aplicar as conclusões em sua vida diária. Como resultados elas se assemelham a árvores frutíferas plantadas em boa terra e em lugar irrigado, onde elas podem extrair o melhor para suas vidas e com isso elas são sempre viçosas, cheias de vida e dinamismo, chamando a atenção de todos pela sua condição e sempre que alguém precisa de frutos, é só se aproximar porque ali há abundante provisão. O salmista afirma que esse tipo de pessoa, tudo o que ela faz, prosperará. Ali é uma poesia para ser cantada orginalmente; mas se tornou Palavra de Deus e esse princípio é eterno, tão eterno quanto o próprio Deus. Notamos que José, não aparecia em cenário nenhum, a não ser como um garoto mimado pelo pai e que trazia más notícias das más atitudes dos irmãos e o ambiente em tenso com a presença dele. Ele era José, o filho de Jacó ou Israel, era um dos irmãos mais novos entre os doze e mais protegido. Na tentativa de se livrarem dele, o que fizeram foi lança-lo na responsabilidade de comandar sua vida e seu destino, seguindo os princípios da fé que seu pai e seus ancestrais patriarcas cultivavam. De imediato apareceram qualidades e virtudes que nem parece o mesmo menino. O José do Egito, não tem nada a ver com o José de Canaã. O que fez a diferença? Com certeza foi a prática da fé! Ele foi fiel na vida de oração, de adoração, de andar em santidade e evitar o pecado e ser proativo, encarar os desafios como algo que faz crescer e não derrubar. José era uma pessoa abençoada por Deus, mas a graça divina vinha sobre a vida de alguém que era laborioso, previdente, interessado e ele assimilou os golpes da vida e se Deus abençoava e prosperava tudo o que ele fazia, significa que ele fazia alguma coisa. Ele não ficou deprimido, chorando num canto, dizendo que estava com saudades de casa, e hoje nem dava para trabalhar. Gosto de pensar e recitar Efésios 3. 20 Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, Deus pode fazer muito mais … muito mais significa que alguma coisa já está feito e essa parte é minha, é sua. Se faço um e Deus multiplica por dois ou dez, já é bom demais, pois todo número multiplicado por um é igual a ele mesmo; como Deus faz muito mais do que eu fiz, então sempre será maior que um. Se não faço nada e o Senhor multiplicar por mil, todo número multiplicado por zero é zero. Temos que agir, temos realizar e a bênção de Deus é que fará a diferença. José foi próspero em tudo, Deus multiplicou as posses de Potifar por amor a José; agora estamos vendo o trabalho do carcereiro sendo abençoado e prosperando; iremos encontrar ele prosperando o Egito inteiro e até as nações ao redor e toda a sua vida até sua morte aos cento e dez anos foi de prosperidade e paz. Vamos amar a Deus, cultivar uma vida de fé e boas práticas; a prosperidade e outras bênçãos serão consequências e não a causa de nossa vida devocional.

Obrigado Senhor, por nos dar a oportunidade de conhecer a ti, como Deus verdadeiro e Pai amoroso. Meditar e praticar os princípios eternos que estabeleceste na tua Palavra, proporciona crescimento e paz interior. Estamos procurando agradar ao Senhor e alcançar equilíbrio e forças diárias para prevalecermos nesses dias difíceis, mas que a tua graça tem sido presença constante. Te louvamos e agradecemos no nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Nas Mãos de José

Meditação do dia: 19/08/2020

E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali.(Gn 39.22)

Nas Mãos de José – Toda grande caminhada começa com um primeiro passo. Toda grande construção também inicia bem pequena, mas  cresce conforme sua base lhe permite. Alguém ao ver o que sobrou de uma tempestade que arrasou e quebrou várias árvores, perguntou a um velho e sábio senhor: Porque a figueira caiu e quebrou, enquanto o bambu não sofreu nada? A resposta: O bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina que se tivermos a grandeza e a humildade dele vamos experimentar o triunfo da paz no coração. Uma grande verdade que o bambu nos ensina e a mais importe é a humildade diante dos problemas e  das dificuldades. Ao meditar na Palavra de Deus, e no nosso caso, observando a vida de José, percebemos que ele não tinha problemas com sua imagem, sua posição ou prestígio. Ele se adaptava de imediato e começava a servir com a mesma qualidade e devoção como se estivesse servindo a seu pai ou como uma função remunerada. Isso o fez prosperar e ser promovido na casa de Potifar, assim que foi comprado no mercado de escravos. Agora fora traído e levado à prisão; mas nada disso alterou sua fé e seu espírito de vencedor. Ele conseguiu a simpatia do chefe da prisão e em bem pouco tempo, ele é que comandava tudo por ali, de forma que o guarda-chefe, não mais se preocupou e entregou na mão dele todos os presos. Estou entendendo que ele ganhou também a simpatia dos colegas de prisão e que cessaram as rebeliões e crises de relacionamentos tão comuns num lugar daqueles. Quem deseja aprender, há espaço para isso em todo e qualquer lugar; quem deseja servir, não falta oportunidade para se dedicar à causas nobres. Entre nós, cristãos, não é raro, vermos reclamações de falta de espaços para serviço e ministério. Será mesmo? Conta-se que uma senhora da igreja de  Spurgeon, disse a ele ao final de um culto que gostaria de cantar para o Senhor. Ele estava bem, era uma boa coisa. Mas ele não lhe facultou uma oportunidade, mas ela voltava ao assunto semanalmente: “Pastor eu gostaria de cantar para o Senhor!” de tanto insistir, após um culto, ela o cumprimentou à porta e repetiu o pedido; ele então disse a ela que pudesse cantar, ali, agora; mas ela disse-lhe: mas agora todos já se foram! Ao que ele lhe devolveu: “Não era para o Senhor que a senhora deseja cantar?” Com poucas exceções, todas as cidades brasileiras tem menos de dez por cento de cristãos comprometidos com o Evangelho e alguns desses dizem que na igreja que frequentam não tem espaço para eles servirem a Deus e pregarem a Palavra de Deus. Verdade? O que será que eles vem quando olham para Jo 4.35? Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.” Antes de José ser O Primeiro Ministro no Egito, ele foi servo numa casa de família e foi muito bem na sua função até assumir toda a administração de todas as propriedades do seu senhor; depois foi levado à prisão e ali se destacou, não só por bom comportamento, mas por servir e liderar o ambiente e conseguir colocar a casa em ordem. O chefe da prisão, não colocaria sua cabeça à premio entregando suas responsabilidades a um dos prisioneiros, se o caráter e a fidelidade de José não lhe fosse tão evidente. Agora que ele estava indo bem no serviço público, na Vara de Execuções Penais, estava se qualificando para postos maiores. Uma verdade importante: Precisamos nos preparar para o próximo lugar que Deus irá nos colocar e não somente para ficarmos onde já estamos. Quem olha a vida por esse prisma, está sempre se qualificando, se reinventando e pronto a novos desafios. Gosto da sugestão de alguém sábio: Em todo o tempo sejam alvas as tuas roupas, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça. Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma” (Ec 9.8,10).

Pai, obrigado por esse novo dia e com ele as tuas misericórdias e bondade. Somos teus filhos e servos voluntários por gratidão e resposta ao teu amor demonstrado por nós, especialmente através do sacrifício de Jesus lá na cruz. Desejamos servir com qualidade e eficiência onde for a tua vontade e naquilo que nos vier à mão. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Graça do Senhor

Meditação do dia: 18/08/2020

O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor.(Gn 39.21)

A Graça do Senhor – “Nascuntur poetae; fiunt oratores” para quem não fala, lê ou escreve latim, como eu, essa frase se traduz por: “Poetas nascem; oradores são feitos!” é verdade que as pessoas nascem com certos dotes, talentos, habilidades que se desenvolvem naturalmente e algumas nem precisam de instrução sobre aquilo. Outros, temos que aprender e dedicar muito tempo e treino prático para até sermos considerados medíocres naquela arte. Há pessoas que são graciosas e encantadoras por natureza, desde bebês elas já são cativantes e não tem dificuldades em se relacionar. Provérbios de Salomão, faz uma citação, que lembra isso: “O que ama a pureza do coração, e que tem graça nos seus lábios, terá por seu amigo o rei.” (Pv 22.11). encontramos muitas pessoas e muitas histórias na Palavra de Deus, que foram abençoadas por Deus, como José aqui, por encontrar o favor de determinadas pessoas. Grande parte dos casos, tal graciosidade foi uma ação de Deus, concedendo aquela pessoa um atrativo especial, de forma que ela alcançou o coração da outra pessoa, em vários casos, uma autoridade ou um rei. Esses eventos, também são obra da graça de Deus, presentes de sua natureza graciosa, e com a comunhão, isso é passado pelo Espírito Santo, como uma ferramenta que abrirá portas para que determinada missão seja realizada. Quando ensinamos homilética, para os novos candidatos a pregadores, apresentamos os vários estilos de esboços e sermões, que para eles devem servir de canal para transmitirem A MENSAGEM, que deve ser divina; o sermão é humana, a mensagem tem que ser divina. Então dizemos a eles, que o “o ouro é de Deus, mas a forma que molda a joia, é humana.” Deus dá graça para a pessoa ser favorecida, mas ela precisa apresentar essa graciosidade com seu estilo, característica e atitudes, senão pode colocar tudo à perder. Lembramos a história de Davi, como ele saiu do pastoreio das ovelhas da família para sentar-se no trono de Israel e ser até hoje, o maior e mais aclamado rei de Israel. Saul não emplacou como rei e Deus precisa treinar Davi pra ser um bom rei; a melhor escola e o melhor lugar para isso seria o rei Saul fazer o discipulado com Davi, mesmo sem saber que estava treinando o seu sucessor e não era seu filho. Mas o que me chama a atenção é os elementos do currículo de Davi pra preencher a vaga. O rei precisa de um tocar de instrumentos para umas sessões de musicoterapia e abriu o edital. Davi teve uma recomendação e passou na entrevista, e o resto é história. Então respondeu um dos moços, e disse: Eis que tenho visto a um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente e vigoroso, e homem de guerra, e prudente em palavras, e de gentil presença; o Senhor é com ele. Assim Davi veio a Saul, e esteve perante ele, e o amou muito, e foi seu pajem de armas. Então Saul mandou dizer a Jessé: Deixa estar a Davi perante mim, pois achou graça em meus olhos” (1 Sm 16.18,21,22). Ser adolescente rebelde sem calça, trajes prá lá de esquisitos, linguagem vulgar e cheios de maus costumes e que não sabem se comportar em ambientes sociais diferentes, são desqualificados para vagas importantes na vida. Até onde sei, nenhum carcereiro e especialmente nos tempos antigos, é símbolo de gentileza e graciosidade com presos, pois todos que ali chegam são “inocentes, bonzinhos e estão sendo injustiçados pelo sistema.” Então eles já nivelam tudo na pancada e rigor da brutalidade. Vemos que José ganhou o coração da pessoa, com um modo gracioso que Deus lhe contemplara para aquela situação. Saber utilizar os dons da graça de Deus abre portas e realiza milagres; pode acreditar. Já pensou em ser um pouco mais gracioso nos seus modos de trato com as pessoas? Eu, estou trabalhando nisso, e  literalmente, só a graça de Deus para mudar o jeito da madeira!

Pai, obrigado por conceder dons e presentes que podem abrir portas para os teus filhos e assim realizarem o trabalho que precisa ser feito. A graça do Senhor é maravilhosa e transformadora, quando cooperamos com o Espírito Santo, para fazermos as coisas do teu jeito e assim abençoarmos as pessoas. Agradecemos as muitas vezes que a graça do Senhor nos assistiu e fomos abençoados; agora queremos ser os instrumentos de abençoar outras pessoas. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Benignidade do Senhor

Meditação do dia: 17/08/2020

O Senhor, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor.(Gn 39.21)

A Benignidade do Senhor – Numa pesquisa rápida, encontramos artigos e estudos que falam do tema “benignidade,” como essa que apresento aqui: Ambas as palavras podem ser consideradas sinônimos, mas de acordo com a interpretação religiosa, por exemplo, benignidade e bondade apresentam algumas diferenças. A benignidade está relacionada com o caráter do indivíduo, enquanto que a bondade consiste nas atitudes deste. Assim, seria correto afirmar que a bondade é a exteriorização, em forma de ações, da benignidade. No nosso caso aqui, para a meditação, estamos nos referindo à benignidade divina, que para nós, servos e adoradores do Deus Altíssimo, não paira qualquer sombra de dúvida desse traço do caráter dele; reafirmado tantas vezes nas páginas sagradas, quanto na experiencia de todos nós e de todos os cristãos em todos os tempos. Piedoso e benigno é o Senhor, sofredor e de grande misericórdia” (Sl 145.8). Um texto de Salmos, sempre me despertou interesse, porque ele aborda assuntos que  devem ser compreendidos dentro daquele contexto particular da experiencia do Salmista, que não pode ser replicado na experiencia humana em termos de salvação, redenção, mas vida prática e atitudes do dia a dia. Vou colocar o texto e fazer os esclarecimentos. “Assim que retribuiu-me o Senhor conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos. Com o benigno te mostrarás benigno; e com o homem sincero te mostrarás sincero; Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás indomável.” (Sl 18.24-26). O rei Davi, fala do favor de Deus para com ele “segundo a sua justiça, pureza das mãos;”  ele se refere á conduta honesta e correta, fazer o que é certo como dever moral; não está em foco aqui a doutrina da salvação, que só pode ser alcançada pela graça através da fé, sem merecimento ou obras, conforme ensina o Novo Testamento, especialmente Efésios 2.8,9. “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” Esclarecido isso, voltemos ao nosso tema, onde o salmista proclama que Deus age com benignidade para quem é também benigno; assim como age com sinceridade para quem se mostra sincero, age com pureza para quem age também com essa atitude; mas revela também que Deus é inflexível, indomável, implacável para com os perversos. Separemos sempre a obra da redenção, com a justa ação de Deus para com o comportamento das pessoas. Deus, melhor do que ninguém, sabe separar a identidade do comportamento das pessoas. Ele ama incondicionalmente a todos os pecadores, mas odeia, aborrece e abomina o pecado. Com a pessoa de José, é compreensível, ver a bondade e a benignidade agindo em seu favor, porque em linguagem nossa do cotidiano, José era “um doce de pessoa.” Quem não desse bem com José, tinha problemas. Emprestando o verso do poeta do samba brasileiro: “Quem não gosta de José, bom sujeito não é, tem problema na cabeça ou é doente do pé.” Aprendemos com a vida desse jovem, que a benção e o favor divino acompanha-nos em todo o tempo e em qualquer lugar. Não se deve buscar a felicidade e a realização fora da gente mesmo, pois isso leva qualquer um à frustração. Provavelmente, José esteve até mais em paz na casa da prisão, do que na mansão com aquela senhora lhe aperreando a vida. Ele foi para uma prisão material, externa, porque por dentro, no seu coração ele sempre foi livre e essa paz e estado de espírito, não poderia ser tirado dele. As palavras do poema do Apóstolo São Paulo, se encaixava muito bem para José. “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Rm 8.35-39). Não esperemos paz e serenidade em nossas vidas vindas de fora, das pessoas, circunstancias e condições. Isso  está dentro de nós, pelo Espírito Santo, fruto de comunhão e intimidade com Deus ou é isso, ou é sofrimento e frustração.

Pai, obrigado, porque habitas em nós, através do Espírito Santo, que nos guia a toda a verdade e nos convence quando estamos fora da rota destinada a nós em cada dia. Agradecemos por saber que és benigno e misericordioso em todo o tempo e não estaremos sós, mesmo que ao redor pareça que tudo está ruindo e se dispersando. Em Cristo, podemos prevalecer pela fé. No nome dele, oramos agradecidos. Amém.

Pr Jason

Ruim, Mas Muito Bom

Meditação do dia: 16/08/2020

E o senhor de José o tomou, e o entregou na casa do cárcere, no lugar onde os presos do rei estavam encarcerados; assim esteve ali na casa do cárcere.(Gn 39.20)

Ruim, Mas Muito Bom – “Depende!” O professor  já estava indignado com aquele menino, abusado, cheio de si e de ambiguidades para toda pergunta que lhe fizesse. Joãozinho, quantos braços tem o  São Francisco? Depende, professor. Depende de que? Se o senhor tá falando do Rio ou do Santo. Aqui cabe também a pergunta sobre a situação  de José, a prisão dele foi ruim? Depende! Ser preso, em nenhuma circunstancia é agradável, mas José nunca estivera no controle de sua vida e de suas ações. Exceção ao pedido do pai para ir ver os irmãos no campo com os rebanhos, que ele aceitou e foi de bom grado; daí em diante ele não esteve mais no controle de suas decisões para onde ir ou o que fazer. Por outro lado, ele sabia que alguém maior e muito mais competente do que ele estava no controle de todas as coisas. Sendo assim, entre todas as prisões existentes no Egito, ele foi colocado exatamente onde ficava os presos de Faraó, em sua maioria, servidores diretos do palácio e do próprio rei. Ali estava a próxima etapa do treinamento de José. Sempre entendi a prisão de José como um prêmio, uma consideração muito grande da parte do senhor Potifar. Pela autoridade que ele possuía como homem de confiança da guarda pessoal do Faraó, uma grande reputação a ser zelada e direitos legais de executar qualquer prisioneiro; em se tratando de um servo pessoal, estrangeiro, cometera um crime de desonra contra sua esposa, qualquer outro servo teria sido executado sumariamente. Mas as entrelinhas deixam patentes que ele ouviu a história da esposa, mas acostumado a investigações criminais e acusações jurídicas, ele viu que aquela história, estava mal contata e alguma coisa não fechava. Um amigo meu, muito dos filósofos, diz que em termos de discussões com a esposa, ”é melhor ser feliz do que ter razão!” Porifar escolheu ser feliz, tirando José de casa, como “exigia a esposa”  e coloca-lo na prisão. No mínimo, ao deixar o jovem no cárcere, ele deve ter dito a ele: “Voce ficará trancado aqui, nesse lugar ela não vai de alcançar.” Na verdade ele estava protegendo José de sua esposa, que era de fato a causa e o risco de tudo o que estava acontecendo. Aquela prisão era agora o menor distancia entre José e os seus sonhos. Ali, estava ele em contato direto com pessoas que conheciam a rotina da corte e até mesmo os hábitos diários do poderoso Faraó. Nova etapa de treinamento se iniciando. Algo muito interessante a ser pensado por nós, é que a obra final que Deus tem planejado para nossas vidas é mais importante do que as etapas dela. Somos muito ligados no aqui e agora, onde nossas pretensões é apenas ascensão, subir e subir; até recuos estratégicos não são bem vistos. Deus olha o quadro todo e como o resultado final irá impactar o propósito eterna que envolve a redenção de todos os demais serem humanos. Cada etapa nos qualifica para a próxima; por isso fazer bem feito e aprender o que se pode em cada uma delas é fundamental. Olhe e observe as circunstancias a sua volta, foi por todas elas, juntas e combinadas, que chegamos onde chegamos e fazemos o que fazemos, como fazemos. A soma de nossos erros e acertos, pecados e virtudes, se tornaram a trama que teceu a nossa vida e nosso ministério. Não só as virtudes e também não só os erros. O conjunto da obra é que se leva em conta. Seja grato, se acredita que Deus está no controle de sua vida e que está construindo uma história de sucesso. Deixa ele agir! Seja grato e mantenha a esperança sempre em alta.

Obrigado, pai por cuidar de cada detalhe de nossa história. Nada acontece por acaso e nem sempre aprendemos tudo de uma única vez. Agradecemos a ação do Espírito Santo que é um mestre pro excelência e sabe como conduzir todo o processo de ensino e aprendizagem em nossas vidas. Obrigado, pela batalha de hoje e as lições que ela nos trará, para nos aperfeiçoar e nos encaminhar para a vitória total. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Salve-se Quem Puder

Meditação do dia: 15/08/2020

E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora.(Gn 39.12)

Salve-se Quem Puder – Apreciei a história mitológica de aplicação moral, em que conta-se que a Verdade e a Mentira eram duas mulheres muito bonitas. Em um dia de muito calor, a Verdade encontrou a Mentira numa fonte se refrescando e foi convidada para também entrar na água. Sabendo que não se pode confiar na Mentira ela inicialmente recusou, mas com a insistência ela experimentou a temperatura e a água de fato estava muito fresca e convidativa. Ela então se despiu e entrou na água e pouco  depois  furtivamente a Mentira saiu da água, vestiu as roupas da Verdade e fugiu. A Verdade desesperada saiu nua correndo atrás da Mentira para recuperar suas roupas, mas acabou detida e presa por conduta imoral, atentado ao pudor e outros crimes. Moral da história: até hoje o mundo todo prefere a Mentira travestida da verdade, do que a Verdade nua. José tinha que fazer escolhas, muitas e rápidas e escolheu o caminho que a tentação achava ser o único que ele não escolheria. Ele perdeu as vestes, perdeu o dia de trabalho, perdeu a confiança dos colegas de trabalho, perdeu a moral com o chefe, perdeu tudo, exceto sua dignidade, seus valores e sua comunhão com Deus. O corpo ficou nu, mas a alma e o espírito estavam revestidos de honra, respeito próprio e convicção de que fez o que era certo. Ser homem é mais que ser macho, ou do sexo masculino. Homem é capaz de assumir seu lugar, sua responsabilidade e responder por seus atos. Na tentativa de provar o que não se precisa provar, pessoas caem em cilada e ficam presos e o tipo de mancha que sobra, não é fácil de limpar. As opções da fé cristã, sempre que confrontados com escolhas difíceis, a recomendação é sempre fazer o certo e estar disposto a pagar o preço que for necessário. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas. (Mt 5.39-41). Pedro,  reflete os ensinos de Jesus, mesmo quando já amadurecido e experiente na vida cristã, escreveu: Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; Porque melhor é que padeçais fazendo bem (se a vontade de Deus assim o quer), do que fazendo mal (1 Pe 3.14,17). Na verdade, a decisão de José de fugir, ainda que sem roupas e largar tudo e se expor ao ridículo não foi tomado ali, na hora do sufoco; isso já era uma posição consolidada no seu coração. É diferente ter um ATO de fidelidade e ter uma VIDA de fidelidade! Fazer uma coisa certa é diferente de ter uma vida comprometida com o certo, o correto em todo tempo. Não pecar porque não tem oportunidade é diferente de escolher uma vida de santidade e justiça. No final de sua vida ministerial, Josué disse a Israel que se decidisse o que fariam, porque ele e sua casa já haviam escolhido ser vir ao Senhor. (Js 24.15). José havia feito suas escolhas muito antes de ser assediado pela senhora. Você e eu? Aí, como fica! Deixar como está, para ver como é que fica, não me parece muito inteligente!

Senhor, obrigado pelos meios de livramento que há em tua Palavra e precisam ser cultivados no dia a dia de comunhão e fidelidade. Nunca virá sobre nós tentação maior do que a nossa capacidade de suportar e junto com a tentação o Senhor sempre provê meios de livramento; é nossa a responsabilidade e aprender, praticar e estar pronto para resistir e escolher o bem. Pedimos sabedoria e graça, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Num Certo Dia

Meditação do dia: 14/08/2020

Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali;(Gn 39.11)

Num Certo Dia – “São necessários doze doidos para dar um incutido!” Isso é é o que reza a sabedoria popular no Centro-Oeste brasileiro, onde fui criado. Quando uma pessoa “incute,” fica obcecado por alguma coisa, ela não descansa até conseguir seus objetivos ou ser barrada em definitivo. Todos sabemos da força da obsessão; e ninguém me convence do contrário em relação a essa senhora, que colocou José no seu radar e passou a arquitetar planos para uma caçada que se tornou um dos pontos de transição de uma nova fase na vida dele. Para José e para alguns pessoas cristãs, as coisas nunca são fáceis e nunca acontecem das maneiras mais usuais como com todos os demais. Com ele parecia que tudo acontecia na força bruta, ninguém lhe pedia licença, ninguém falava “por favor”, com ele o jogo era sempre bruto. Quando observei o texto para hoje, confesso que na primeira leitura, minha imaginação já ligou esse texto com o início do livro de Jó. E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles (Jó 1.6). Dia de reunião da diretoria, todos os líderes de departamentos e autarquias celestiais, na sala de reunião com o Senhor – olha quem apareceu sem agendar e nem pediu permissão para adentrar à sala? Ele mesmo, o CEO dos Quintos dos Infernos. Quando lemos o Livro de Jó, até parece que isso é uma excepcionalidade, mas ao longo da caminhada de crescimento espiritual e os treinamentos que Deus nos proporciona, vamos aprendendo mais e mais e nos são fornecidos treinamentos, armas e armaduras. Por que será? Porque o inimigo é real, a luta é real, os perigos e armações são reais. Não importa se você acredita ou não; se prontifique a batalhar ou não; existe uma guerra desde a eternidade quando houve essa rebelião contra Deus e de lá para cá, são dois lados – a luz e as trevas, o bem e o mal. Embora Deus lute e conforme seu caráter, ele o faz com princípios e regras; o outro lado é sujo e trapaceador, nada confiável. Não se faz acordo e nem se assina tratado de paz com Satanás e espera-se que ele siga as convenções e honre sua palavra. Se fizesse isso, não seria quem é. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz(2 Co 11.14). Aos cristãos de Éfeso, Paulo foi bem claro: Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos (Ef 6.11,12,18,). Para se tornar alvo e ser atacado, é somente pertencer a Deus ou estar se aproximando de Deus. Mas, não  é para ficar em pânico, e se sentir ameaçado. “Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo(2 Co 10.3-5). Lembrete: Ter armas boas e poderosas e não saber operá-las pode se colocar em risco, tanto quanto se tais armas estivesse do outro lado. Aquilo tudo que estava para acontecer na casa de Potifar, já estava tramado e planejado no mundo espiritual e as hostes estavam posicionadas bem antes de José chegar ali para fazer seu serviço. Isso se repete no mundo inteiro, com muita gente todos os dias. Nem é motivo de espanto. “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo (1 Pe 5.8,9). Deus nos concederá graça e sabedoria e cada cristão deve se revestir do poder do Espírito Santo, lançar mão das armaduras espirituais e ser vigilantes e pedir discernimento, pois existe dons espirituais que municiam a igreja para isto. A cada dia vamos rompendo em fé.

Senhor, obrigado pela luta e pela vitória de cada dia, guarda os teus valentes que estão em frentes de combate pela verdade do Evangelho e pelo resgate de vidas preciosos. Guarda nossas famílias e conceda acesso aos meios de livramento e vitória. Obrigado em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Pergunta Retórica ou Homem de Caráter?

Meditação do dia: 13/08/2020

Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?(Gn 39.8)

Pergunta Retórica ou Homem de Caráter? – Para meus dois leitores mais assíduos (uma terceira está suspensa por disciplina jasoniana), pergunta retórica é uma figura de linguagem, uma forma de expressar através de uma pergunta, que não precisa ou se espera ser respondida, porque a forma da pergunta já é a resposta sabida e esperada. Encontramos em toda literatura, e a Bíblia é literatura por excelência, bons leitores das Sagradas Escrituras, adquirem bom conhecimento geral em história, geografia, cartografia, ciências, matemática, física, química, povos e culturas antigas, política governamental, ciências sociais, arquitetura, saúde, natureza, navegação, siderurgia, administração e a fila vai virar a página e dobrar quarteirões e como disse João: Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém (Jo 21.25). Olha que ele está se referindo somente a sinais e milagres operados por Jesus em três anos e meio de ministério. Dá-se também o desconto de que na época dele os livros eram bem maiores e mais difíceis de produzir e manusear. Temos vantagens na tecnologia moderna. Salomão, que era de longe mais bem preparado academicamente que João, também deixou sua contribuição: E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne (Ec 12.12). Os editores concordam com o rei na primeira parte do versículo e os estudantes do Enen e vestibular concordam mais com a segunda parte. Voltando ao centro da nossa real intenção, que é meditar para edificação e aprendizado na comunhão com a fé e a bênção de Deus, observando intencionalmente a vida e a conduta de José, diante de momentos tão difíceis. Não se pode meditar, ler ou interpretar um texto antigo, com a cabeça e a mentalidade atual, de como os fatos relatados, num contexto atual tomaria outros contornos. Textos antigos, lê-se e entende com a visão de quem estava presente naquele mundo e naquele contexto. Se não, muitos já teriam ido a STF (Supremo Tribunal Faraônico), via Sindicato dos Trabalhadores e Serviçais de Mordomia e Administração; apresentando queixa crime de assédio moral e sexual e bullyng, além de abuso de poder da senhor Potifar. Mas não é assim que a banda toca e nem tocava na época. José era um servo, escravo comprado e o único direito que ele possuía era o de não ter direito nenhum. Era uma mercadoria, um bem adquirido de uso pessoal e que poderia ser vendido, doado, morto e destruído, segundo a conveniência do proprietário, sem ter que prestar contas a ninguém. Lembrando, que anos mais tarde, quando os hebreus se tornaram uma nação, receberam as Leis de Deus, dadas por Moisés, a constituição deles, havia legislação sobre a posse e o tratamento mais humano e valores importantes no sistema de servos e escravos em posse dos israelitas. como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” Subentende-se que a mulher sabia da sua fé, da sua conduta e que estava ciente de como ele via aquele proposta dela. Ela já sabia que ele considerava uma maldade contra a amizade e confiança que o senhor lhe devotava; seria um pecado contra Deus, que ele servia e adorava. Ele não conhecia os dez mandamentos, nem havia lido os escritos de Paulo ou os Evangelhos com o ensinamento de Jesus. Mas ele conhecia a Deus e sabia do valor da reverencia. Se fosse mal caráter, ele tinha todos os álibis que se pode imaginar; apresentar todas as desculpas de como a carne era fraca, a saudade de casa, o momento de carência afetiva, o medo de perder o posto, ou que ela era demais… e insistiu tanto que ele …. quando viu já tinha acontecido! Fecho com uma frase que alguém me disse um dia: “Um pessoa vale tanto quanto a sua palavra!”

Senhor, segundo a tua infinita bondade e misericórdia, obrigado por nos assistir todos os dias e nos ajudar a permanecer de pé e fazer a escolha, de permanecer de pé, mais hoje! Amanhã será um novo dia e a suas misericórdias serão renovadas a cada manhã. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Única Exceção

Meditação do dia: 12/08/2020

Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?(Gn 39.8)

A Única Exceção – A ilustração do elefante na sala, é muito apropriada para ilustrar a necessidade de mudanças. A história é de um elefantinho que entrou na sala de estar de uma residência e os donos deixaram ele ficar e trataram dele ali, até que ficou adulto e um paquiderme enorme. Atrapalha a todos e todo jeito, para frequentar a sala tinha que conviver  com o elefante, que abanava as orelhas, batia o rabo, enfiava a tromba e impedia a visão, o mal cheiro, a sujeira e o pior, ele não podia mais ser tirado porque não passava na porta. Solução: alguém um dia teria que ficar tão incomodado, a ponto de quebrar a parede, arcar com os custos e os transtornos, mas hoje esse elefante sai daqui! Essa história ilustra mudanças que precisam ser feitas. Todos sabem disso, todos estão incomodados, mas ninguém assume que o problema existe. Até que alguém resolva botar para quebrar e fazer o que tem que ser feito, contra os protestos de muitos. Isso acontece na família, na igreja, em sociedades e grupos. Esse assunto de hoje, imoralidade sexual também é um elefante na sala. Todos evitamos, rodeamos, contornamos, e sabemos que existe, é pecado, destrói famílias, ministérios, igrejas e vidas, mas mesmo assim, apenas se sussurra ao pé do ouvido, trocam olhares e falam à boca pequena. Vamos botar pra quebrar!?? Tiago diz: Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Não erreis, meus amados irmãos” (Tg 1.14-16). Começa com CADA UM, que em grego significa o mesmo que em português, CADA UM. Eu, você, nós, vós e eles. Cada é tentado quando atraído. Se não atrai, então não existe tentação, não haveria perigo. Cada um é atraído e engodado, enganado; ou seja, há uma armação ali, uma armadilha; na verdade a ilustração aqui é de um anzol com isca apetitosa, o(a) besta será fisgado. É atraído e enganado pela PRÓPRIA COBIÇA. Se não fosse chegado naquilo, não teria graça. A fonte da tentação está dentro da pessoa, ela só precisa ser despertada; esse é o papel da isca. Segue-se os passos semelhante a uma gestação, até chegar na morte. (da pessoa, da comunhão com Deus e o Corpo de Cristo, da reputação, da autoridade, do ministério). Tiago fecha o assunto dizendo: Não erreis, meus amados irmãos.” Em TLJ é “Não faça essa besteira, meu irmão.” Outro texto que ensina, para quem quer aprender, é: Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela” (Mt 5.28). Jesus é mais profundo, afinal tantos os mandamentos da Lei de Moisés, quando esse agora, ambos fora ele que dera, então ninguém sabia melhor o “espírito da lei” do que ele. E a lógica de Jesus é o que o problema está no coração, no íntimo de quem cobiça, é mais profundo do que o olhar 43 da figura. Não havendo imoralidade dentro, não vasa pelos olhos e espalha por todos os lados. Provérbios bate forte! Assim, o que adultera com uma mulher é falto de entendimento; aquele que faz isso destrói a sua alma.
Achará castigo e vilipêndio, e o seu opróbrio nunca se apagará”
(Pv 6.32,33). A linha de pensamento bíblico é igual para ambos os lados, aqui, tanto faz ser um homem ou uma mulher – veja que não é coisa de gente inteligente, ainda que na circunstancia o pecado e a sensualidade obscureça a mente e o entendimento, para que a pessoa fique “falto de entendimento,” no bom português, “fique tapada.” Quem faz isso destrói a sua alma. Uma outra versão utiliza “O que adultera com uma mulher está fora de si; só mesmo quem quer arruinar-se é que pratica tal coisa” (Pv 6.32 ARA). Como diz o comentarista de arbitragem e futebol, Arnaldo César Coelho: “A regra é clara!” A razão porque a destruição é tão devastadora e acaba com a pessoa por dentro, é que além de ser um ato intencional, premeditado, articulado e trabalhado para esconder as provas do crime, envolve o que a de mais profundo e sagrado na pessoa, ela mesma, seu espírito e sua relação espiritual com Deus. Provavelmente os dois relacionamentos dos quais não se tem como esconder – de Deus e de si mesmo. Paulo, aos Coríntios trás a imoralidade sexual para dentro do mesmo nível de responsabilidade que a intimidade com Deus na comunhão espiritual. Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne.  Mas, o que se une ao Senhor é um só espírito com ele. Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo” (1 Co 6.16-18). Sempre imagino um copo de agua mineral, cristalina, saborosa e saudável como sendo a pessoa cristã; ela se envolve sexualmente com uma pessoa imoral, suja e contaminada espiritualmente, como um copa de água de esgoto. Mistura-se os dois conteúdos e depois separa, reparte igualmente; o cristão sai perdendo muito mais. O que um adolescente de dezessete, dois anos, vivendo no antigo Egito, sabia que os pastores, obreiros, líderes, adultos esclarecidos e instruídos (ambos os sexos), até hoje não sabem, ou não prestam atenção? Faço questão de registrar aqui também que acredito na redenção que há em Cristo Jesus na forma bíblica: “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência” (Ef 1.7,8). Pecados são perdoados mediante arrependimento e confissão, exceção só a blasfêmia contra o Espírito Santo (Mt 12.31,32). Quem se insere nesse contexto de ter praticado esse ou qualquer outro pecado, há perdão, reconciliação e purificação garantidas na Palavra de Deus. Conforme o contexto que vimos em provérbios, contudo, as marcas, digamos cicatrizes de guerra, dessa prática perduram e acompanham a pessoa. Davi é lembrado até hoje por muitas virtudes, apreço de Deus, generosidade, valentia e também pelo adultério; aquela mulher que seria apedrejada, nos dias de Jesus e por ele perdoada, lembramos dela e DA sua conduta; Sansão entre seis grandes feitos, tem a mulher com a tesoura na sua cola. Oséias, profeta, e seu ministério, interpretando na vida real a condição espiritual da nação. Minha mensagem de paz, é levante a cabeça, haja à altura da nova realidade alcançada com a redenção em Cristo e sirva de modelo e exemplo de prudência e piedade. Não aceite mais acusação no seu coração e mente e rejeite as insinuações daquele que ronca e fuça. Viva pela graça de Cristo, um dia de cada vez e seja humilde e leal. Deus te abençoe.

Pai, obrigado por sua infinita bondade e misericórdia para com todos nós e em todas as situações. Somos salvos pela graça através da fé em Cristo, sem nenhum merecimento ou justiça própria. Clamamos pelo nome poderoso de Jesus para nos guardar de tropeçar e andarmos na luz, dia após dia, atendendo as orientações do Espírito Santo e da tua Palavra. Lava-nos no precioso sangue redentor de teu amado filho e sustenta a nossa sorte. Oramos e agradecemos a ajuda e o livramento de cada dia, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason