Considerando a Palavra do Senhor

Meditação do dia: 21/08/2022

“Mas aquele que não tinha considerado a palavra do Senhor deixou os seus servos e o seu gado no campo.” (Ex 9.21)

Desconsiderando a Palavra do Senhor – Levar em consideração uma advertência, que se mostra confiável, é demonstrar inteligência ou no mínimo, bom senso. Temos meditado na Palavra de Deus, nos valendo da experiencia vivida por Moisés, Arão, os hebreus e Faraó, onde todos tiveram oportunidades de ouvir a orientação de Deus para suas vidas, seus trabalhos e o futuro, que poderia se lhes apresentar como um final feliz e próspero, ou ficarem numa terra arrasada. Faraó, digamos, por ser o líder, tinha mais responsabilidade, porque suas ações diziam por si e sua família imediata, mas também representava todo o Egito e sua população. O que ele fazia ou deixava de fazer produzia efeitos que reverberavam em pessoas que não tinham o poder de escolha da obediência às questões maiores, como a libertação dos povos escravizados. Mas independente das decisões tomadas pela corte, as pessoas dentro de suas esferas de influencias e responsabilidades, deveriam fazer coisas e tomar decisões que lhes traria proteção e segurança. Quando a Palavra de Deus era anunciada, em forma de nova sentença de castigo, cada cidadão ou habitante daquela terra, poderia escolher de qual lado ficar. O Evangelho de João, fala sobre o modo de escolha das pessoas e as consequências de tais escolhas. Às vezes, não escolher, já é uma escolha, ruim, mas é. “E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas (Jo 3.19,20). Podemos aprender sobre isso, mesmo que sejamos mais esclarecidos, já sejamos cristãos e até mesmo comprometidos com a causa do Evangelho. As escolhas estão sempre diante de nós e tomamos decisões baseados na luz que temos e no uso correto do conhecimento e comprometimento com as boas práticas da vida cristã. Tiago, que era irmão de Jesus, ao escrever sua carta fez uma excelente colocação de como o cristão deve proceder diante da Palavra de Deus que lhe é apresentada: “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tg 1.22,25). Lá no antigo Egito, que temeu a Deus, ouviu e obedeceu, considerando a sua Palavra, foi protegido, guardado e pode prosperar. E aí? Estamos comprometidos em considerar a Palavra do Senhor?

Senhor, obrigado por sua bondade e por enviar a tua Palavra aos nossos corações, de forma que podemos entender, acolher e colher os frutos da prática. Agradecemos por ter nos enviado o Espírito Santo que vivifica a verdade a cada dia em nossos corações e mentes, nos levando a conhecer e a praticar a Palavra da salvação. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Servos de Faraó, Mas Tementes ao Senhor

Meditação do dia: 20/08/2022

“Quem dos servos de Faraó temia a palavra do Senhor, fez fugir os seus servos e o seu gado para as casas;” (Ex 9.20)

Servos de Faraó, Mas Tementes ao Senhor – Estamos presenciando nesse texto o poder o testemunho contagiante. A presença do povo de Deus em um local é uma oportunidade que aquelas pessoas nativas, ou visitantes, imigrantes tem de conhecer o poder e a graça de um Deus verdadeiro, salvador e cheio de misericórdia. O papel de sal da terra e luz do mundo sempre será eficiente, embora não precisemos ser a maioria, ter os melhores recursos e nem posição de prestígio e autoridade. A fé é o mistério da própria fé! O poder do Evangelho está no próprio Evangelho, que na verdade é uma pessoa – Jesus! Precisamos pregá-lo, testemunhar, no poder do Espírito Santo, mas não somos os autores ou protagonistas da salvação. Não conseguimos converter ninguém, no máximo conseguimos convencer alguém, mas o podemos, qualquer outro de qualquer fé, com bons argumentos também o faz. Mas produzir novo nascimento é só com Deus mesmo. A definição de novo nascimento que gosto de utilizar é: “Uma mudança completa, feita por Deus, na vida total do pecador, através da sua Palavra, através do Espírito Santo.” Mesmo em estado de escravidão, muitos dos israelitas eram pessoas piedosas e amavam a Deus e honravam reverentemente os preceitos da aliança e viviam isso diante das pessoas a quem serviam e com quem conviviam, de forma que quando o mover de Deus começou a acontecer através de Moisés e Arão, diante de Faraó e seus servos, esses testemunhos que pareciam serviço de formiguinhas, anônimas e até mesmo invisíveis, agora, regada pelas chuvas abundantes das demonstrações do poder de Jeová, começaram a brotar e crescer. A Bíblia está repleta de exemplos tais como esses. Podemos lembrar de Noemi influenciando Rute em um tempo difícil e de muita provação. Os espias enviados por Israel em Jericó, influenciaram Raabe e sua família. Que tal a influencia da rainha Ester nos seus dias? Não precisamos ser a maioria, precisamos brilhar, dar bons exemplos, sermos fiéis e Deus fará o que for preciso, no devido templo. “Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.
Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel”
(1 Co.1,2). Muitos servos de Faraó, já temiam ao Senhor e já prestavam atenção à Palavra do Deus dos hebreus. Esses, desfrutaram de bênçãos e proteção, enquanto os demais permaneciam sofrendo as consequências de suas escolhas. Façamos a nossa parte, de forma que pessoas sejam salvas, até mesmo sem palavras.

Pai, te adoramos como o Deus Criador, Todo-Poderoso, Senhor de tudo e de todos. Nosso testemunho, das grandes bondades para conosco, deve servir para estimular a fé e a obediência das pessoas a também temerem a Ti e escolherem andar pelos teus caminhos. Estamos aqui com uma missão, uma tarefe e um propósito muito especial, que fazer conhecidos os grandes feitos de Deus e levar todos a adorarem e amarem ao senhor. Que o teu santo nome seja louvado através de nosso testemunho. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Oportunidade à Vista

Meditação do dia: 19/08/2022

“Agora, pois, envia, recolhe o teu gado, e tudo o que tens no campo; todo o homem e animal, que for achado no campo, e não for recolhido à casa, a saraiva cairá sobre eles, e morrerão.” (Ex 9.19)

Oportunidade à Vista – Ao meditarmos na Palavra de Deus, conhecemos mais da sua pessoa, do seu caráter, propósitos e intenções. Por mais que as pessoas queiram ver as coisas do ponto de vista estritamente humano e centrando tudo no próprio homem, isso não desqualifica quem Deus de fato é. Como se trata da pessoa de Deus, ele é perfeito em tudo e em todos os sentidos; é um grande engano se apegar à apenas um ou outro atributo da divindade e chorar as pitangas por outras situações que nos parece desfavoráveis. Nesses dias, estamos meditando sobre a ação de Deus com o rei do Egito, um Faraó, arrogante, irreverente e de coração duro. O plano do Senhor era libertar o seu povo que estava ali, cativos por muitos anos e agora o tempo da libertação e de cumprir as profecias e promessas antigas chegara. Faraó, que é um símbolo bíblico do poder do mal e também da atitude do homem sem Deus, tentando ser o dono da verdade e o centro iluminado de seu próprio mundo; está recebendo uma grande, grandíssima oportunidade de mudar de idéia antes que seja tarde e lhe sobrevenha uma tempestade de problemas, tempestade, não é só figura, literalmente ele seria atingido por uma saraivada colossal. Por princípio bíblico, a humildade precede a honra, assim como a soberba precede a queda, isso é tão certo quanto dois mais dois e quatro. “O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai a humildade. A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda (Pv 15.33;16.18). Também antes do juízo vem a manifestação da graça, favorecendo o pecado, seja ele quem for e independente do seu grau de iniquidade, Deus sempre oferece uma porta de escape, uma saída através do arrependimento para receber perdão e purificação. Todos os casos e narrativas das manifestações da justiça e do juízo divino sobre os homens ou nações seguem esses parâmetros. Aqui está Moisés entregando a Faraó a mensagem da sentença divina sobre o rei e seu povo e suas propriedades, para o dia seguinte, mas com um gatilho de tempo suficiente para agir pela fé e humildade, recolhendo seus animais e protegendo-os de perecerem na tempestade de granizo que sobreviria sobre todo o Egito no dia seguinte. Só não se salva quem não quer. Às vezes, por preferir o “status quo” a se arrepender e aceitar que Deus tem razão, as pessoas se perdem e os que ficam se colocam numa ofensiva amargurada e crítica de que “eram todos boas pessoas…” e não mereciam tal sorte. A sabedoria bíblica reclama: “Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, Não endureçais os vossos corações, como na provocação” (Hb 3.15).

Senhor, eu também sou pecador e preciso me arrepender, e me arrependo de todos os meus pecados e não confiando na minha vontade e no meu conhecimento que tão limitado, apelo para a tua graça e misericórdia, para me livrar dos males que me são ocultos e sabedoria para perceber a tua voz e a tua direção, porque todos os teus caminhos são justos e verdadeiros e o Senhor é santo em todas as tuas obras; sendo assim não há e não haverá injustiça de tua parte. Peço abrigo na proteção que há no nome, no sacrifício e no sangue de Jesus, vertido lá na cruz do calvário, para propiciação dos meus pecados. No nome mais poderoso do universo eu clamo, creio e recebo as tuas bênçãos, amém.

Pr Jason

Saraiva

Meditação do dia: 18/08/2022

“Eis que amanhã por este tempo farei chover saraiva mui grave, qual nunca houve no Egito, desde o dia em que foi fundado até agora.” (Ex 9.18)

Saraiva – Literalmente, saraiva se trata de uma chuva de granizos maiores que normalmente acontece num fenômeno atmosférico ou meterologico. O que aconteceria no dia seguinte, por ordem do Senhor através de Moisés, não seria nada natural e resultado de variações climáticas; era sim um fenômeno provocado pelo poder de Deus para destronar o orgulho e rebeldia de Faraó. Uma simples chuva de granizo, é por si só um fator de provocar destruição material. Uma saraiva então, potencializa todas as possibilidades, podendo provocar perdas e ferimentos em pessoas, animais, plantas e construções. Somos agora uma sociedade com fortes tendências a explicar tudo que nos for possível através de raciocínio lógico e cientificamente explicáveis. Chegamos a um tal grau de crédito nas ciências que há correntes muito fortes que negam quaisquer fatos não científicos. Seria como dizer: “Se não pode ser explicado, então não existe!” alguém disse que devido a grande proliferação de literatura, estudos e dados, não há mais nada de fato original, apenas a pessoa leu pouco. Voltando a nossa meditação, queremos aprender o que nos edifica e constrói, através do estudo e contemplação das verdades descritas nas Escrituras, que foram fatos acontecidos com pessoas reais, em situações reais, em tempos passados, mas que o legado e o aprendizado ficaram para as gerações futuras, que no caso, somos nós agora. Um lado dos fatos ocorridos no Egito, diz respeito ao agir de Deus de forma amorosa e compassiva para como seu povo, cumprindo uma promessa feita aos patriarcas, sobre a libertação dos eu povo. Do outro lado da mesma história, está um país e um rei, sofrendo terríveis ataques sobrenaturais, para forçar a rendição do rei ao propósito divino, na libertação do povo hebreu. Acredito, sim, que tudo poderia ter acontecido do jeito mais fácil e prático, seguindo o caminho da obediência pela fé, como foi proposto inicialmente por Deus ao rei e ao povo egípcio. Como eles endureceram e resistiram, passando disso para a hostilidade e perseguição mais acirrada ao povo de Deus, eles sofreram as consequências de suas próprias escolhas. Nos tempos de José, nesse mesmo Egito, o Faraó ouviu os conselhos e orientações de Deus através de José e ele e o seu povo foram abençoados com a preservação de suas vidas e depois com a prosperidade que as bênçãos de Deus lhes trouxeram por acolherem os filhos de Israel e o próprio Israel em sua velhice. Você e eu, podemos aprender pelo caminho da fé e obediência e evitar as saraivas da vida, que arrasam com tudo o que fora adquirido ou preservado até então.

Senhor, agradecemos a bênção de sermos chamados teus filhos e estarmos protegidos pelas tuas promessas. Queremos andar pelos caminhos da obediência e da fé, cooperando para todas as coisas se tornem produtivas e bondosas para com os que confiam em ti. Que hoje seja um dia de obediência e fé no teu poder de cuidar de tudo, incluindo nos dar as chuvas e as estações certas e boas, sem que produzam destruição e morte, mas bênçãos e vida. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Pergunta Difícil

Meditação do dia: 17/08/2022

“Tu ainda te exaltas contra o meu povo, para não o deixar ir?” (Ex 9.17)

Pergunta Difícil – Fazer boas perguntas é uma arte, pois elas podem determinar o tipo e a qualidade das respostas. Quando assistimos entrevistas em programas de TV ou rádio, percebemos que até profissionais de gabarito e de anos de experiencia nem sempre fazem boas perguntas. Quem sabe fazer boas perguntas, consegue bons resultados e as vezes faz com que o interlocutor fale até mais do que pretendia. Sou um admirador daquela entrevista que Deus fez com Jó, registrada nos capítulos 38-41; já fiz um exercício certa vez, tentando responder as questões propostas ali e confesso que tirei zero, não tinha resposta para nenhuma delas. Talvez você tenha melhor sorte que eu e se dê bem, boa sorte e me conte o resultado depois. Já afirmei em mais de uma vez, que acredito sinceramente que quando Deus faz uma pergunta ele não espera uma resposta, e sim uma atitude. Isso também pode ser visto aqui, pois ele estava dando uma oportunidade ao Faraó, para que libertasse o povo hebreu, de boa vontade, sem que houvesse sofrimento para a população egípcia e até mesmo o próprio Faraó. Aqui, utilizando uma linguagem mais atualizada, poderíamos dizer que o Senhor lhe disse: “Você ainda quer crescer pra cima do meu povo?” É claro que Deus sabia que Faraó era soberano, como rei do Egito, sendo senhor dos israelitas no plano humano e político. Mas já havia dito ao rei que aquele povo pertencia a Ele por uma aliança muito antiga, com Abraão e ratificada com os demais patriarcas. Antes de servir aos homens, eles eram servos de Deus. O Egito não era sua terra, nem sua pátria e muito menos eles se estabeleceriam ali, ainda que fossem livres para escolher. Os escolhidos de Deus são guardados e protegidos por ele e quando alguém se propõe perseguir, maltratar ou oprimir ele terá que prestar contas ao legítimo dono, que Deus. “…porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho” (Zc 2.8).

Obrigado Senhor pela proteção e cuidado, nos defendendo das garras dos maus e de tudo o que tenta assenhorear do teu povo. Somos gratos pela cobertura do sangue de Jesus que nos mantém à salvos e protegidos e assim podemos servir e trabalhar mesmo diante de muita oposição; sabemos que aquele que está conosco é bem maior e mais poderoso do que aquele que está no mundo. Oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Um Propósito Maior

Meditação do dia: 16/08/2022

“Mas, deveras, para isto te mantive, para mostrar meu poder em ti, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.” (Ex 9.16)

Um Propósito Maior – Uma queda de braço ou um jogo de poder! A parte desafiadora era Faraó, sem saber com quem estava lidando, se propôs a resistir e fazer sua vontade prevalecer, mas agora aparece esse revelação da parte de Deus, pronunciada por Moisés, que embora ele pudesse ser destruído a qualquer momento, o Senhor Deus de Israel o estava mantendo vivo e em boas condições para um propósito bem maior. Revelar sua grandeza, glória e poder não só sobre Faraó e os egípcios, mas em toda a terra. Aquele homem agia como se ele tivesse o controle de sua vida, mas não sabia que nada de verdade estava sob o seu poder e controle. Isso, sabemos, não é privilégio do antigo rei do Egito, pois os homens vivem e leva a vida como se eles estivessem comandando suas vidas. A sabedoria bíblica nos ensina que a vida é muito frágil e passageira, para que alguém sem o devido conhecimento se estribe em manter o controle. “Uma voz diz: Clama; e alguém disse: Que hei de clamar? Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente” (Is 40.6-8). Se Faraó não estava disposto a aprender qualquer coisa, todavia ele servia muito bem como material didático para Deus se revelar a outros tantos que poderiam vir a conhecer o Deus dos hebreus e a manifestação do seu poder. Isso me faz recordar uma discussão de que participei sobre material de ensino para Escola Bíblica Dominical, o que alguns consideram aquele conteúdo muito fraco e um pastor muito amigo e de poucas papas na língua nos disse: “Não existe lição fraca, mas sim professor incompetente.” Comparando o material faraônico, era de bem pouca utilidade e importância, mas quem estava no comando do ensino era Deus, e aí todo material pode ser de grande valia, até os rebeldes e obstinados. Se ele não cooperava para o bem de seu povo e até seu próprio, servia para que os hebreus testemunhassem sobre o poder manifesto do Deus de seus antepassados e que agora se lhes manifestava para livrá-los e a cada novo sinal, mais evidente ficava, que de fato ele era poderoso o suficiente para cumprir cada promessa feita e que lhes fora transmitida de pai para filho por gerações seguidas. Como disse o apóstolo São Paulo: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28).

Pai, obrigado por dispor de todos os meios e recursos para ensinar e promover o aprendizado daqueles que te amam e esperam em ti. O teu amor está disponível em Cristo Jesus, ao alcance de todos os homens e em qualquer lugar, desde que os seus corações estejam quebrantados e abertos a ti. Queremos aprender para crescer e servir melhor e cumprir os propósitos para os quais fomos criados; oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Ninguém Igual em Toda a Terra

Meditação do dia: 15/08/2022

“Porque esta vez enviarei todas as minhas pragas sobre o teu coração, e sobre os teus servos, e sobre o teu povo, para que saibas que não há outro como eu em toda a terra.” (Ex 9.13)

Ninguém Igual Em Toda a Terra – Para a mentalidade pós-moderna, sem limites, sem absolutos, sem preto e branco, com tudo cinza, fica bem difícil compreender a verdade bíblica sobre um Deus único, soberano e absoluto que exige exclusividade na adoração e no reconhecimento. Deus tem razão, ele tinha razão e sempre terá. Nas palavras do apóstolo São Paulo, na carta aos Romanos: “De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, e venças quando fores julgado” (Rm 3.4). Sou ortodoxo na minha fé e acredito plenamente na integridade das Escrituras Cristãs, como sendo Palavra de Deus, infalível, sem erros e nem contradições. Ela encerra em si mesma toda a revelação da pessoa de Deus e é totalmente veraz, viva, poderosa e eterna. Ela diz, eu creio e descanso. Medito e escrevo nesses termos e condições; grande parte do público que recebe e leem essas parcas linhas, são também cristãos e validam a Bíblia como verdade absoluta para suas vidas. Ela é minha única regra de fé e prática. Se perdermos isso de volta, vamos achar que o mundo bíblico tal como descrito nos primeiros livros da Bíblia era uma bagunça generalizada e de repente aparece Deus querendo uma fatia de atenção. Não é nada disso! Olhemos a descrição do profeta Isaías: “Todas as nações se congreguem, e os povos se reúnam; quem dentre eles pode anunciar isto, e fazer-nos ouvir as coisas antigas? Apresentem as suas testemunhas, para que se justifiquem, e se ouça, e se diga: Verdade é. Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salvador. Eu anunciei, e eu salvei, e eu o fiz ouvir, e deus estranho não houve entre vós, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor; eu sou Deus” (Is 43.9-12). A sociedade pós diluviana se distanciou mui rapidamente dos ensinamentos sobre do Deus Criador. Na Torre de Babel já estavam rebelados, me Ur dos caldeus nos dias de Abrão, já havia cultos e deuses estranhos. Quando ele chegou em Harã e posteriormente em Canaã, a idolatria e o paganismo já eram tão comuns, que cultuar um Deus único e sem representação física, como Abraão professava já era estranho àqueles povos. Quando Jacó foi para Hará morar com o tio Labão eles já cultuavam deuses estranhos embora tivessem conhecimento do Deus único. José, no Egito já era minoria e o seu Deus se tornou uma novidade ao Faraó e aos nobres que tinham contato com José. Aqui nos dias de Moisés, o Egito já era um reino consolidado e também o seu panteão de deuses e ídolos. Agora o Senhor está se colocando na posição que lhe é devida e reivindicando junto ao Faraó, que ele deva reconhecer e reverenciar o Deus dos hebreus, pois igual a ele não há em toda a terra. Na Nova Aliança, somos chamados a fugir da idolatria e culto a deuses estranhos. Deus não faria questão e colocar isso em sua Palavra, se de fato não fosse uma realidade perigosa e que atrairia as pessoas. Hoje já é fato que países e continentes que foram totalmente cristianizados ao longo de séculos, hoje são conhecidos como “pós-cristãos.” Estados Unidos caminham para essa mesma direção; África com todo o empenho missionário e altos investimentos da igreja por três ou quatro séculos, está na condição que estamos presenciando. Estou convidando você a pensar na sua fé pessoa, na sua experiencia com Deus e não cair na onda modernista, pós-modernista, no liberalismo cristão e teológico e se distanciar da verdadeira fé. O que Deus espera de você e de mim, ainda é o mesmo: “… para que saibas que não há outro como eu em toda a terra.”

Senhor, obrigado por nos receber em tua família, como filhos e adoradores. Reconhecemos que não há outro deus, não há ninguém semelhante a ti e não há salvador além do Senhor Jesus. Nosso culto é para ti e somente para ti. Assim é nossa fé e a nossa oração, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Esta Vez

Meditação do dia: 14/08/2022

“Porque esta vez enviarei todas as minhas pragas sobre o teu coração, e sobre os teus servos, e sobre o teu povo, para que saibas que não há outro como eu em toda a terra.” (Ex 9.13)

Esta Vez – Era uma vez… Nos tempos… Quando… Em algum lugar distante… Estas são as frases iniciais de muitas histórias que nos são contadas e ou que os autores fazem uso para iniciar uma narrativa. Desta vez, estou dizendo que “Esta vez” foi a maneira que Deus falou ao Faraó que iria iniciar uma nova fase no relacionamento entre eles. Moisés foi enviado a lhe transmitir uma palavra que Deus estava mudando de nível as suas ações contra Faraó. Deus conhecia aquele rei, por dentro e por fora! Deus conhecia as suas intenções e não estava sendo surpresas à cada nova situação que lhe era proposta. No diálogo inicial do chamado de Moisés isso fora pautado, que o Faraó resistiria e só mesmo por uma mão forte, ele permitiria a saída dos israelitas do Egito. A cada nova ação, também era uma nova oportunidade do rei se humilhar, se quebrantar diante do Deus Todo-Poderoso e receber uma bênção e não um castigo. Deus é um pai abençoador, generoso que tem prazer em dar boas dádivas a quem quer que seja. Uma verdade muito importante que não podemos tirar de diante dos nossos olhos ao estudarmos a história do povo de Deus, levando em consideração que somos a continuação do povo de Deus. É que o chamado de Abraão foi para ser um abençoador para todas as nações, todas as famílias da terra.  Israel é descendente biológico e espiritual das promessas, das alianças e das bênçãos prometidas à Abraão. Hoje, nós somos o Israel de Deus, “E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus” (Gl 6.16). O Egito acolheu José e Jacó, e ali eles se tornam uma nação e o Egito foi grandemente abençoado enquanto abençoou o povo de Deus e dele cuidou. Esse Faraó e esse Egito poderia também colher as bênçãos do Deus Criador, tão somente se colocassem na condição de humildade e permitisse o favor do Senhor lhes alcançar. Como estavam resistentes, perversos e dispostos a arrasar com o povo escolhido, pesava sobre eles o inverso da bênção. Esta vez, agora, Faraó receberia no seu coração, na sua vida e na vida do seu povo uma dose maior de pressão, através de pragas. Foi escolha dele! É escolha sua, escolha minha, o que vem sobre nós. Esta vez, pode ser a oportunidade de dizer ao Senhor que nos rendemos, nos humilhamos, acolhemos o seu governo e a sua Palavra.

Senhor, obrigado por estender a misericórdia e a graça a todos os nós, todos os dias. Pedimos perdão e nos humilhamos diante de ti, e pedimos ajuda e discernimento para agirmos no poder do Espírito Santo, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Falar Com Faraó de Novo

Meditação do dia: 13/08/2022

“Então disse o Senhor a Moisés: Levanta-te pela manhã cedo, e põe-te diante de Faraó, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus dos hebreus: Deixa ir o meu povo, para que me sirva;” (Ex 9.13)

Falar Com Faraó de Novo – Não mais do mesmo, mas é a misericórdia do Senhor dando a um homem de coração duro e impenitente a oportunidade de fazer a coisa certa do jeito certo. Moisés aqui, sou eu, é você, é a igreja chamada para anunciar as bondades de Deus a um povo de obstinado coração e fartos de migalhas e sobras sem saber que há provisão abundante em Deus para eles, graciosamente. A insistência de Deus em enviar a Moisés com a mesma mensagem, com o mesmo padrão de ação: levantar de manhã bem cedo, encontrar com Faraó, se apresentando em nome do Senhor e dizendo-lhe: “Deixa o meu povo ir…” Deus não se cansa de nos advertir e nos enviar porque a preciosidade daqueles que se perdem é um grande prejuízo para aquele que é o Criador e ele sabe o quanto vale cada alma. “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se” (2 Pe 3.9). Vejo essa agir longânimo de Deus com Caim, com a geração de Noé, com os cananeus desde os tempos de Abraão, aqui com Faraó e com Israel no deserto e em Canaã, com o povo no tempo dos juízes, dos reis, e até hoje no tempo da graça. Nossa lição principal é que se o Senhor, que tem todo o poder e sabe o presente e o futuro com domínio absoluto sobre tudo e todos, escolhe manifestar a sua graça e generosidade, sendo paciente e insistente com pessoas de índole dura e resistente à sua verdade revelada, como não devemos ser também perseverantes e resilientes nas lidas com a entrega da preciosa mensagem. Preciso aprender mais a identificar-me como coração paterno de Deus.

Senhor, obrigado pela paciência que tiveste comigo até que o meu coração se abriu para a tua Palavra e assim fui alcançado com a graça salvadora em Cristo. Depois veio o processo de crescimento e maturidade, vocação e dedicação ao seu serviço. Continuo aprendendo que a tua perfeição não tem  limites e precisamos te conhecer mais e melhor a cada dia, para sermos também bons representantes do teu amor aos que resistem a oferta de salvação oferecida em Cristo Jesus, através da pregação do Evangelho pela igreja. Somos ministros de uma Nova Aliança, e somos gratos pela tua escolha, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Senhor Endureceu o Coração de Faraó

Meditação do dia: 12/08/2022

“Porém o Senhor endureceu o coração de Faraó, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito a Moisés.” (Ex 9.12)

O Senhor Endureceu o Coração de Faraó – Esse é um daqueles textos que produzem perguntas sobre qual é o verdadeiro sentido do que está escrito. Como ele se repete várias vezes, porque Faraó foi resistente até a décima praga, então essa atitude sua foi descrita em quase todas elas, após um alívio e uma possível mudança de conduta. Não sou muito de forçar os textos para dizerem aquilo que não consigo explicar ou a verdade ali registrada, pode ser diferente daquilo que gostaria ou que é politicamente correto. Acredito piamente na infalibilidade da Bíblia como Palavra de Deus; concordo que não há nela erros e nem contradições e que ela se auto explica. Se não entendo algo, não atribuo isso ao texto, mas a minha ignorância ou incapacidade de chegar ao ponto central daquilo pretendido. Conheço o caráter de Deus o suficiente para saber que não há nele nada que não mereça minha inteira confiança. Aqui, para mim, o texto diz que o coração do rei do Egito era endurecido pelo Senhor. Só e tudo isso. Duas coisas sobressaem do que podemos demandar: primeiro, que Faraó em si mesmo já era renitente, osso duro de roer e orgulhoso o suficiente, por muitas razões para manter seu próprio coração numa condição de resistência. Em segundo lugar, Deus agia para ensinar a todos, incluindo o próprio Faraó, a Moisés e Arão, ao povo hebreu e ao povo egípcio. Pelo que conheço do ser humano, santo ali, só Deus mesmo. Até Moisés e Arão estavam em processo de discipulado, quebrantamento e confiança no Senhor, para liderarem aquela turma numa jornada que se mostrou longa e penosa. A continuidade da história, prova que dureza de coração não foi privilégio só de Faraó. Por quarenta anos o povo testou a paciência de Moisés e Arão e até mesmo de Deus. Havia o agravante de que Faraó sendo um homem mortal como qualquer outro aceitava os afagos de que era “deus” e que junto com todo o panteão de outros parceiros igualmente deuses, ele poderia desafiar o Deus dos hebreus e fazer prevalecer sua vontade. Deus aceitou o desafio e a queda de braço. Ele podia e pode mexer, mover e tocar os corações; Faraó não podia nada, mas não sabia que não sabia. Pagou para ver e viu! Deus é TODO PODEROSO – ONIPOTENTE, ele pode endurecer corações? Pode! Ele pode tudo! E não precisa dar explicações, concordemos ou não! Foi Tiago que disse: “Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus” (Tg 1.20).

Senhor, obrigado por tua maneira santa e junta de agir, concordamos que tu és perfeito e santo em tudo que fazes e a minha fé me leva a acreditar e a esperar o tempo quando estarei plenamente amadurecido, santificado, glorificado em condições de entender e aceitar tudo aquilo que hoje aceito pela fé, acreditando no teu caráter santo. Afirmo isso em fé e com alegria; em nome de Jesus, amém.

Pr Jason