O Homem Interior

Meditação do dia 19/11/2016

Pv 20.27 “O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo.

 O homem interior – Vamos nos ater aos aspectos devocionais do tema e respeitar as várias correntes de pensamento doutrinários da Antropologia Bíblica, pois temos mais em comum do que divergentes. Aceitamos pacificamente que o homem é criação de Deus e veio a existir por ato da vontade soberana do Criador e é sua imagem e semelhança, dotados de capacidades grandiosas e o muito que perdeu na queda diante do pecado é restaurado na redenção em Cristo. Um determinado momento haverá em que voltará aos planos e propósitos originais. Também é muito bem aceito que os anjos são seres espirituais sem corpos físicos, e os animais são seres com corpos físicos sem o espírito, já o homem é composto de espírito, alma e corpo, devido sua importância e seu meio necessário de vida e atuação. O corpo é a conexão com o mundo físico onde vive e atua, assim, o corpo humana está plenamente adaptado a todo esse ambiente. A alma é a parte metafísica, que anima o corpo e possui as características do indivíduo, é eterna e por ela é que se acessa a pessoa ela dá consciência de sí própria. O espírito é a pessoa em si, é eterno e dá conexão com Deus e as coisas espirituais. Na morte física, espírito e alma se separam do corpo e vão para outra dimensão, onde prestarão contas ao Criador de tudo o que fizeram durante a vida física da pessoa aqui na terra. Embora muitas pessoas tenham certas dificuldades em determinar o que é uma coisa e outra e outros se confundem intercambiando essas faculdades da pessoa, vou manter a base mais comum, tricotomista e caso você creia diferente, apenas faça a adaptação necessária, pois a minha idéia é como podemos acessar as verdades de Deus e aproveitá-las o melhor possível na vida devocional e de comunhão. Assim sendo cada uma desses três elementos humanos se subdividem em três partes, apenas à nível de estudo e observação, já a pessoa não se separa ou age separadamente e independentemente uma da outra. O CORPO: Membros – Desejos e Sentidos (dão contado com o físico e material). ALMA: Intelecto (mente) – Emoções – Vontade (dão contado consigo mesmo). ESPIRITO: Comunhão – Intuição – Consciencia (dá contado com o espiritual). Na nova Aliança, alcançamos uma compreensão maior da revelação divina e de seus planos e propósitos eternos, incluindo a revelação de que Deus não apenas está conosco, mas também EM nós, através do Espírito Santo. Assim, nos tornamos o santuário onde Deus habita; Deus é espírito e como tal ele tem comunhão, contato e acesso a nós a nível de espírito, então somos a morada de Deus, porque ele habita no nosso espírito, não em nossa mente ou nosso corpo. O corpo é a sede da nossa pessoa (o espírito), e esse sim, é a morada ou a sede da presença de Deus. Uma vez que o Espírito Santo, que é Deus, habita em nosso espírito, ele transmite o conhecimento e as revelações necessárias ao nosso desenvolvimento e educação espiritual, por sua vez, o nosso espírito se encarrega de traduzir esses acervos à nossa parte inteligente, para entendermos racionalmente ou digamos, em linguagem humana. Um exemplo: Em I Co 2. Paulo faz umas revelações profundas sobre isso – “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus” (v.9,10). Ele afirma que coisas inimagináveis à capacidade humana já nos foram reveladas pelo Espírito de Deus. O meu espírito já tem essa revelação, mas necessariamente, ainda não tenho a tradução disso intelectualmente, ou em conhecimento humano e isso só acontece por revelação espíritual, que acontece através da intimidade com Deus na vida devocional, estudo da Palavra, oração, meditação séria e comprometida, santidade e busca por sabedoria espiritual. Deus não vai revelar coisas profundas para pessoas superficiais, descuidadas e sem intimidade com ele. É preciso investimento nisso. É por isso que O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo.

Obrigado Pai, por se revelar de maneira tão suave e ao mesmo tempo profunda e comprometida com os seus filhos. As tuas verdades estão aí, claras e patentes a quem tem sede e fome de Deus. Assim, muitos tem olhos mas não veem e tem ouvidos mas não ouvem, pois nem mesmo sabem que podem acessar verdades espirituais. Permita que eu possa crescer e desenvolver a minha salvação com temor e tremor diante de ti, e ser um instrumento disponível do Senhor para abençoar o Corpo de Cristo aqui na terra. Preciso de ti e das verdades reveladas de tua Palavra; guia-me por teu caminhos planos, e veredas direitas, para cumprir o teu propósito para o qual fui criado, alcançado e transformado pela graça de Cristo. Em nome dele, o meu Senhor, amém.

Pr Jason

Anúncios

Presente de Deus

Meditação do dia 18/11/2016

Pv 19.14 “A casa e os bens vem como herança dos pais; mas do Senhor, a esposa prudente.

 Presente de Deus – Todos temos em comum a fato de virmos de uma família; a condição dela é outra história! Outro fato de relevância para os cristãos é que em todas as nossas ações e práticas o ideal é fazer a vontade de Deus ou voltar a fazer aquilo que é o ideal dele e que de alguma forma foi abandonado. Muitos de nós, não nascemos em lares “cristãos,” no máximo em lares religiosos, o que não foi suficiente para nos dar uma verdadeira formação cristã. Muitas igrejas e ministérios Para-Eclesiásticos, tem trabalhado muito para trazer de volta os valores e as verdades da cultura bíblico cristã de família e assim também implantar uma cultura de bênção geracional nos nossos dias. Hoje, o nosso texto nos leva a um tema muito empolgante, que é sobre o casamento e sobre bens e propriedades. Nossos sistemas de bens familiares tem se modificado muito nos últimos 60-100 anos; saindo de uma sistema familiar onde o que era construído pelo trabalho conjunto da família e filhos (que eram muitos) e depois repartido, de forma que todos tinham uma parte e com seu trabalho o multiplicava ou pela insensatez, perdia parte ou todo. O mais comum hoje, é que os pais bancam a educação dos filhos e estes ao se firmarem na profissão ou carreira, adquirem seus próprios bens e patrimônio. Mas isso, de acordo com o texto de hoje, já é um patrimônio que vem de herança dos pais. Agora como cristãos, o casamento propriamente dito, acontece seguindo algumas diretrizes básicas, que vai depender do grau de conscientização espiritual que os pretendentes tem de sua fé e do papel deles nos planos e propósitos eternos de Deus, bem como o seu lugar no corpo de Cristo e o ministério a ser desenvolvido. Se estas verdades não existirem em profundidade, tudo que eles vão buscar é uma pessoa afetiva e sexualmente atraente, as vezes até sem um caráter delineado com os valores da fé que dizem professar. As conveniências sociais e outros apelos vão superar a fé e a obediência a Deus e sua Palavra. Uma esposa ou esposo prudente, presente de Deus, parceiros para a vida toda e para o que der e vier e que acrescenta muito à vida e eleva o nível espiritual e ministerial, só se pode alcançar pela – buscado, esperado, recebido e mantido pela graça de Deus em resposta a uma vida de fé e compromisso. Arrumar um marido ou uma mulher é coisa tão banal e comum que até pobre tem, isso não é difícil! Mas ter um esposo, uma esposa, VINDO DO SENHOR, aí é só para os fortes! Ninguém acha diamante, pedras preciosas ou pepitas de ouro nas ruas e beira de estrada; são raríssimas e para encontra-las, só com muito esforço e investimento e perseverança. Assim também é a esposa ou o esposo prudente, que vem do Senhor. Não é apenas o caso de ser uma pessoa da igreja, ou crente, ou gente boa… Olhe para todas as coisas que Deus se encarrega de prover para os filhos amados, bom é pouco. Deus só trabalha com o excelente, de primeiro nível, um tipo de pessoa que de cara você já sabe que é muita areia para o seu caminhãozinho… só Deus mesmo por sua graça poderia colocar um presente desses na sua vida! Ela do outro lado, também está vendo a mesma coisa, Deus está me dando um presente acima das minhas possibilidades e merecimentos, é pela graça através da fé. Meu irmão, minha irmã, se você é capaz de virar a cabeça dessa pessoa, usar seus truques e cartas da manga, jogar seu charme e maquiar os resultados e deixar ela arriada dos quatro pneus…. então nem ela e nem você são presentes de Deus um para o outro e se você de forma carnal, leviana, sedutora, ou por atrativos mundanos é capaz de “fisgar alguém,” onde está Deus nisso, ou a benção dele? O fim disso não será o que diz a Bíblia. Você consegue discernir o que é um presente de Deus, no tempo e no modo dele? Ou o sexo e a sensualidade fala mais alto? Ou você acha que Deus não tem tão bom gosto como você e é melhor você mesmo escolher para evitar riscos? Você é capaz de confiar essa escolha a Deus? Pense e ore a respeito!

Senhor, nossas vidas são tuas e fazem parte de um grande e maravilhoso projeto eterno em que esposas, esposos, filhos e gerações estão incluídos como partes fundamentais e o Senhor tem os meios e os recursos para suprir tudo para que nada falte aos que te amam e estão comprometidos com os teus ideais. Te peço que abençoes e acalme os corações que estão em momentos de tomar tais decisões, para que esperem e te consultem a tempo, antes de tomarem suas próprias decisões e só então pedirem a tua bênção. O Senhor é o mesmo ontem, hoje e o será para sempre! Todos os casos na Bíblia e na história em que o Senhor agiu soberanamente para formar famílias, foi bem sucedido e foram pessoas muito especiais. Somos gratos por tua sabedoria e capacidade de suprir para os teus filhos. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Poder de Vida e Morte

Meditação do dia 17/11/2016

Pv 18.21 “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto.

 Poder de vida e morte – As Escrituras dão um peso considerável ao tema “língua” e provérbios contém várias citações sobre o bom e o mal uso dela. Provavelmente nenhum outro autor sacro descreveu tão bem e foi tão incisivo no assunto, como fez Tiago na sua carta; em apenas 11 versículos do capítulo três ele foi cirúrgico, franco, direto e profundo. Fez uso de três ilustrações do cotidiano para exemplificar como um órgão tão pequeno em comparação ao tamanho do corpo humano, é capaz de produzir resultados tão grandes e expressivos. A primeira figura foi a do uso do freio para os cavalos, uma pequena peça metálica curva que é colocada na boca dos animais e fica sobre a língua, de forma que ao puxar as rédeas, o freio aperta a língua do animal de tal forma que ele só tem a alternativa de parar e obedecer a quaisquer comandos dados pelo cavaleiro. Ele é insignificante comparativamente com o tamanho e a força do cavalo, mas tem um poder só comparável ao da língua humana. A segunda ilustração é a do leme do navio, que também em comparação ao todo da embarcação é inexpressivo, mas é ele quem dirige tudo ao simples toque do timoneiro. Se antes dos primeiros cem anos da era cristã, os barcos já eram considerados grandes demais para serem dirigidos por um tão pequeno leme, imaginemos hoje, com a moderna tecnologia naval e os nossos transatlânticos superdimensionados. A terceira figura é uma fagulha, que inicia um incendio de grandes proporções e danos incalculáveis e as vezes até com perdas de vidas e espécies. Ele ainda comenda que o homem com sua inteligência e capacidade é capaz de domar e controlar praticamente tudo, menos a língua. Realmente é de causar espanto, já que ela não reconhece fronteiras de cultura, educação, religião e fé; em todos os quadrantes das relações humanas os males de línguas afiadas estão presentes. Reis e poderosos já caíram, destinos foram mudados e vidas foram perdidas por palavras tão poucas em número, mas mortais mais que quaisquer venenos ou armas. Com os modernos recursos de captação de áudio e imagens, meios de gravações sigilosas e com leituras labiais, ninguém mais está isento ou seguro de que não será responsabilizado pelo que fala. Tiago ainda olha para dentro da igreja, onde supostamente só haveria gente boa e piedosa, nascidas de novo e aversas às práticas pecaminosas da velha vida, mas nem aí se escapa; as mesmas línguas que contam afinadas nos cultos, as melodias mais lindas e afinadas para adoração ao Senhor Deus; são também navalhas afiadas contra a vida e a integridade de pessoas próximas. Nem Tiago, irmão de Jesus compreendia: “…Pode acaso a fonte jorrar do mesmo lugar o que é doce e o que é amargoso? Pode a figueira produzir azeitonas ou a videira, figos? Ou uma fonte de água salgada também dar água doce?…” As respostas a todas essas indagações é sempre “NÃO!” Já que o uso da língua pode produzir vida e também morte, saber usar só para o bem é uma arte, e quem consegue isso, desfruta de muitas coisas boas. Sem a ajuda do Espírito Santo e uma atitude de consagração pessoal séria e aceitar morrer a cada dia para a reputação, orgulho, honra pessoal, direitos privilégios que a carne exige, não se consegue vitória sobre esse poder poderoso!

Que as palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na presença, Senhor, rocha minha e redentor meu! (Sl 19.14)

Pr Jason

 

Pais, Filhos, Avós e Netos

Meditação do dia 16/11/2016

Pv 17.6 “Coroa dos velhos são os filhos dos filhos; e a glória dos filhos são os  pais.

 Pais, Filhos, Avós e Netos – Alguns privilégios que a vida concede, precisam sem desfrutados pelos privilegiados senão eles se vão e não tem como repor ou restaurar. Chegar à velhice é um privilegio, pois é sinal de que se lutou e venceu! As marcas e as cicatrizes da vida estampados nas mãos e rostos, são marcas de batalhas, de noites em claro, jornadas longas e poucos recursos administrados com tamanha generosidade que supriu tudo e muitas dessas vezes os filhos nem perceberam que correram riscos sérios. Para os avós, é uma satisfação ver o resultado de seus esforços ao ver os filhos criados, criando seus próprios filhos. É uma pena que em nosso cultura brasileira, embora tenhamos influencia original de tantas outras culturas fortes e antigas, não tenham criado uma boa cultura com valores e tradições bem distintas e marcantes. Cada geração tenta fazer do seu jeito, rejeitando tudo que considerou negativo ou fraco na sua criação e assim vivemos de experimentos e fracassos, tentativas de restaurações e novos experimentos, e cópias remendadas de aspectos de outras culturas que tem uma base e uma razão do porque fazem aquilo. As mudanças de valores e demandas da sociedade empurraram as famílias para situações anômalas, onde os pais criam os filhos não para a uma vida e um propósito, mas para arrumarem um emprego e pagarem as contas, que são cada vez maiores e de mais longo prazo, e com isso esses filhos trazem seus filhos de volta para os avós cuidarem e proverem educação, o que não é o papel deles, consequentemente, aparece uma falha e uma lacuna afetiva e emocional com prejuízos na disciplina e na autoridade, que não é exercida por quem de direito e não aprendida  quando preciso. Estamos vivendo uma geração atípica em todas as demais, costumo até brincar dizendo que somos a primeira geração na história humana que obedeceu aos seus pais e agora obedece aos seus filhos. Alguns não são tão afortunados e na verdade são explorados pelos filhos e abusados pelos netos. Tivemos pais trabalhadores, filhos burgueses e netos degenerados e não me atrevo falar dos bisnetos. Já estamos vendo pesquisas cientificamente boas e comprovadas (o que a Bíblia já diz desde que a roda ainda era quadrada), que filhos fazem bem aos pais e netos e avós necessitam uns dos outros e essas presenças são mais que salutares, são terapêuticas e abençoadoras. A convivência intergeracional é muito necessária; há valores e princípios que só podem ser passados nesse tipo de relacionamento. Aprendizagem e sabedoria emocional e afetiva decorrem da experiência dos relacionamentos. Acredito que a igreja é o melhor campo para essas experiências familiares e deve ser quem incentiva tais práticas e podemos fazer isso abraçando como uma causa vital. Cada geração tem seu próprio compasso de vida e suas esferas de necessidades, que precisam ser acompanhadas e supridas, e a compreensão e o amor devem ser muito presentes. Os vovôs se tornam mais lentos e repetitivos, inseguros devido as debilidades da idade; assim os filhos e cuidadores devem compreender e não exercer uma cobrança irracional sobre eles, como se as coisas ainda fossem como quando eram fortes e ativos e lideravam; as novas gerações estão com acúmulo de informações e pouco conhecimento e quase nenhuma experiência, mas isso não pode servir de desculpa para modos inadequados e ações ofensivas e desrespeitosas. Quem puder desfrutar da bênção de ter pais, avós e bisavós e até mais que isso, não perca essa biblioteca viva de conhecimento e sabedoria, e ainda com traços personalizados de sua própria geração.

Pai, obrigado, por proporcionar a melhor maneira de viver e transmitir conhecimentos e experiências que se pode ter, através das gerações interligas de nossas famílias. Graças te damos pela vida dos nossos pais e pela história de luta e vida exemplar, que nos permitiram ser bem sucedidos hoje e assim podemos premiá-los com a companhia de uma nova geração que eles tanto amam e desejam ajudar na formação. Converta os corações dos pais aos filhos e dos filhos aos pais, para cessar da terra as maldições e produzirmos pessoas melhores para um mundo melhor. Oramos pela bênção do Senhor sobre as famílias e o teu plano para elas e para nós. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Prenúncios de Ruína

Meditação do dia 15/11/2016

Pv 16.18 “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda.

 Prenúncios de ruína – Há uma declaração divina registrada em Eclesiastes, que afirma o seguinte: “…Tudo o que Deus faz durará eternamente…” (3.14). Então quando nos deparamos com registros sagrados, fazendo uma afirmação tão categórica como essa de hoje, de que a soberba vem antes da ruína, já se pode determinar que isso então não vem de Deus! Obras soberbas, ações altivas, atitudes de superioridade, demonstrações de segregação e menosprezo pelo semelhante ou por suas realizações, deixam claro que alguma semente ruim caiu nesse coração e que irá destruir algo que poderia ter longa duração. Esses aspectos altamente destrutivos entraram na vida humana pela mesma porta aberta do pecado da rebelião e desejo de independência. Embora todos os atributos bons humanos tenham sua origem na bondade de Deus, que presenteou cada pessoa com aspectos de sua própria imagem e semelhança, para assim desempenhar uma bom e importante papel de coautoria nos processos criativos. Rapidamente a criatura ganha asas e garras e se auto promove à nível de criador e assume uma postura de independência  e auto suficiência, a ponto de rejeitar até mesmo sua origem e sua necessidade de estar conectado a uma fonte maior de poder e conhecimento. Ao utilizar suas habilidades para o estudo e a investigação, sem reconhecer que sua fonte primária de direção é Deus, suas buscas se tornam aventuras perigosas, pois sua grande iniciativa é provar que é único e que Não há ninguém igual ou superior a ele. Tiago, escreveu que Deus resiste ao soberbo, ao mesmo tempo que concede graça aos humildes (Tg 4.6). É muito complicado imaginar uma pessoa cristã, comprometida com o evangelho de Cristo, filha de Deus, se colocando numa situação e numa condição onde Deus vai lhe resistir! Deus resiste ao soberbo, então, qualquer pessoa com atitudes de soberba, vai receber oposição de Deus; isso é terrível. Ninguém é páreo para Deus. Ninguém enfrenta ou confronta Deus e vence ou prevalece. Misericórdia! Precisamos rever todo e qualquer comportamento que nos leve a nos colocar em tal condição. O coração humano embarca muito fácil no engano e cai em laços terríveis. Sem perceber, mas já enganado, alguém facilmente sai da condição de humildade para a arrogância, se vangloriando de ser humilde, de ser simples e não ser como os outros que se tornaram orgulhosos. Jesus citou no ensino sobre a oração, de duas pessoas, uma publicana e outra um fariseu, que estavam no templo para oração. O publicano, taxado de pecador por todos, se quebrantava e pedia perdão a Deus e foi aceito, enquanto o fariseus se orgulhava de não ser como os publicanos, mas ser espiritual, piedoso, humilde e de oração – e foi rejeitado por Deus na sua oração. É fácil, lermos essa história de dizermos com alívio: “”Graças a Deus, que não somos como o fariseu… A sentença é muito pesada: A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda. Não queremos entrar em ruína e muito menos cair, então precisamos dar meia volta, o caminho é o da conversão.

Pai, tem misericórdia de nós, e especialmente de mim! Em nome de Jesus, amém!

Pr Jason

 

Salada ou Picanha?

Meditação do dia 14/11/2016

Pv 15.17 “Melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio.

 Salada ou Picanha? – Nós brasileiros somos adeptos da boa comida e nossas churrascarias fazem muito sucesso; até mesmo os gringos se rendem ao nosso “boi na brasa.” E Convenhamos, é muito bom mesmo! Mas o criador desses provérbios estava indo mais longe do que discutir o prazer de uma boa comida ou de uma dieta saudável. As refeições estão inseridas em contextos sociais e familiares, que vão desde a necessidade de alimentar-se, até as grandes celebrações da vida e da fé. Refeições podem ser grandes eventos, promotores de grandes encontros e trazer alegrias e satisfações. Em situações normais, preferimos sentar-nos à mesa com pessoas com as quais temos afinidades, apreço e consideração. É bastantes indigesto trazer um inimigo para estar na mesa com amigos e familiares. Por si só, a boa mesa estará sempre cercada de comunhão e fraternidade. Há muitos e fortes indícios de que Jesus era alguém “bom de garfo”, pois ele faz tanta referencia a comer e estar na mesa com pessoas, e para Zaqueu, ele até se convidou para um jantar especial. Na noite em que foi preso, antecipando sua morte, ele celebrou com seus seguidores numa ceia e até instituiu a celebração do hoje chamamos de “Ceia do Senhor;” e ele pediu para fazermos isso sempre, até ele voltar. Na igreja dos dias apostólicos, se celebrava a ceia juntamente com uma refeição, mas que os exageros de alguns na comilança e no vinho, levou os cristãos a restrição que perdura até agora, apenas com o partir do pão. Jesus também disse que ao chegarmos no céu, seremos recepcionados com uma grande ceia, um banquete literalmente celestial. No nosso texto de hoje, se faz uma comparação necessária, levando em conta os valores mais elevados da vida e dos relacionamentos humanos. Nesse sentido, é preferível uma saladinha básica de verduras e legumes, bem temperadinha, para ser saboreada por pessoas que se amam e se gostam e cujos valores familiares de amizade, comunhão, gratidão por aquilo que se tem, estão acima de quaisquer outros. Ter picanha, cupim casquerado e outras delícias, mas indigestas pelo ambiente hostil de amargura e ressentimentos, onde as rivalidades por posições de quem manda mais chora menos ou as únicas coisas boas ali sejam as comidas caras e bem preparadas, mas que não se tornam apreciáveis e prazerosas. Assim como a vida não pode e nem deve ser medida pela abundancia do que se possui, na mesma linha estão os ingredientes da mesa. Cristãos, filhos de Deus, devem ser conhecidos e respeitados, admirados pela grandeza de suas relações humanas e capacidade de perdoar, ajudar e reconciliar. É muito triste vermos “ministros da reconciliação” agindo de forma irreconciliáveis, se separando, rachando e ausentando-se da comunhão; isso é incompatível com a essência da nossa fé. A grande questão não é se comemos picanha ou salada de chuchu, mas é a disposição de nossos corações para relacionamentos saudáveis e construtivos. A boa mesa do ponto de vista cristão, é aquela onde na cabeceira (onde quem senta, paga a conta), está Jesus como convidado especial e abençoador de tudo o ali for servido, e se precisar, ele pode até fazer um milagrezinho ou multiplicar alguma coisa, para que a comunhão permaneça por mais tempo.

Senhor, graças de damos, pelo pão nosso de casa dia, e pela generosidade que o Pai tem demonstrado para conosco, suprindo e provendo com abundancia em todos os sentidos. Pedimos uma simplicidade de coração e um prazer em ter aquilo que obtemos pela bênção do Senhor através de trabalho honesto e recursos abençoados, onde o Senhor é bem vindo também à nossa mesa. Obrigado por paz que excede a todo o entendimento e que guarda o nosso coração e o nossa mente, e assim podemos desfrutar dos esforços de nossos trabalhos e prover o suficiente para nossas famílias. Obrigado pela provisão alimentar, nossa e de todos os teus filhos, ainda que para alguns isso dependa de um milagre, e contamos com isso para abençoá-los em teu nome. Amém!

Pr Jason

A Mulher Sábia

Meditação do dia 13/11/2016

Pv 14.1 “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba.

 A mulher sábia – Há certas peculiaridades na vida que deixam a gente intrigado e buscando explicações e nem sempre encontramos as razões. No capítulo 25 do Primeiro Livro de Samuel, está o registro da história de um casal que sempre me deixou pensativo ao ler a história deles descrita apenas nesse texto. Eles entraram para a história por cruzarem o caminho do Rei Davi, antes dele assumir o trono de Israel e quando vivia fugindo e se escondendo do rei Saul. O casal, Nabal e Abigail, eram fazendeiros era ricos e da mesma tribo de Davi. A curta descrição registra que Nabal era homem duro e maligno em todo o seu trato; enquanto que Abigail era sensata e formosa (1 Sm 25.3). Eu sempre me pergunto: Como uma moça bonita e sensata, se casa com um rapaz casca grossa e maligno? Confesso que não tenho a resposta, e a história continua mostrando casos assim, onde casais são formados por mulheres que são verdadeiras santas de Deus, sábias, prudentes, criativas, de oração e fé e com maridos que só o sangue do Cordeiro! Mas graças a Deus por essas piedosas mulheres que fazem da sabedoria a sua força e elas conseguem lidar com as situações mais complexas e crises produzidas por seus maridos duros de coração, alheios à fé, oponentes da Palavra de Deus e aversos à qualquer tentativa de aproximação por parte de pessoas que poderiam servir de influencias saudáveis. Quantas destas valentes de Deus, vencem suas batalhas na oração aos pés de Jesus até verem eles convertidos e tratados por Deus e com isso liberando-as para servirem com mais determinação e firmeza no testemunho de vida. Acredito que Abigail é uma espécie da verdade encarnada dessa descrição de Provérbios 14.1. Mesmo vivendo e lidando diariamente ao lado de um poço de amargura, ressentimento e maldades, ela conseguia se manter serena e sensível ao amor de Deus e com disposição de ajudar o próximo, a tal ponto que ela consegue ouvir e discernir a vontade de Deus. As mulheres cristãs que conhecem bem a Palavra de Deus, não se sentem ameaçadas por machismo, preconceitos e idéias recalcadas de que elas são inferiores ou em posição de subserviência cultural. Abigail tomou decisão de uma dona de casa que tem autoridade para decidir coisas importantes quando o marido está de porre e sem condições de agir e responder uma emergência beneficente. Ela não fez nada escondido e nem camuflado, disfarçado. No dia seguinte quando ele já estava sóbrio ela o colocou à parte de tudo que acontecera e a reação dele foi a esperada, ficou ainda mais duro do que já era (25.36-38). Nabal morreu e Abigail veio a se casar novamente e ser rainha de Israel. Como diz Pv 22.11: “O que ama a pureza do coração e é grácil no falar terá por amigo o rei.” A mulher sábia, por essa condição ela consegue ter um coração puro e palavras agradáveis de forma que consegue manter o equilíbrio do lar e assim manter a família à salvo, a despeito de tudo o que vem de adverso. Aos meus amigos e irmãos, que reconhecem que Deus lhe deu uma mulher sábia por companheira, valorize-a e lhe dê a devida honra e valor. Aos queridos casacas grossas que se gabam de que “aqui o jogo é bruto…” que tal se abrirem para uma ação poderosa e transformadora do Espírito Santo em suas vidas. Se uma mulher sábia edifica o seu lar e faz tantas coisas maravilhosas, imagine o que não aconteceria numa parceria com um homem tratável, cheio do Espírito e um vaso de bênção?

Obrigado Senhor, pelas maravilhosas pessoas sábias que tens colocado em nossas vidas. Como cristãos sabemos que elas tem um papel muito importante na edificação de nossos lares e na estruturação da fé dos nossos filhos. Graças, pela sensibilidade que elas tem e conseguem discernir os tempos e as horas de falar e fazerem as coisas. Abençoe ricamente a cada uma das tuas filhas que se esforçam para serem essa pessoa descrita neste texto da tua Palavra que meditamos hoje. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Amor e a Disciplina

Meditação do dia 12/11/2016

Pv 13.24 “O que retém a vara aborrece o seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina.

 O amor e a disciplina – O assunto hoje é um divisor de águas em termos de fé nas verdade bíblicas e os conceitos humanos em termos de criação de filhos. Mas o pastor Jason não vai ser politicamente correto para fazer uma média com as modernas ciências sócias e de comportamento humano. Escolho ficar com a Bíblia e vou justificar minha posição, levando em conta o respeito à posição de qualquer leitor e o seu direito de opinião e escolhas. As verdades da Palavra de Deus são bem mais antigas do que os conceitos humanísticos; também são “veredas antigas de Deus,” aqueles marcos que não se deve mudar sem consequências sérias. Ainda mais, os resultados que a Palavra de Deus tem produzido ao longo dos séculos em confronto com a lassidão disciplinar das novas gerações são gritantes. Para dar o tiro de misericórdia, Deus sabe o que diz e o que faz e sua palavra permanece para sempre, tão imutável, tão atual, tão poderosa hoje como o foi no dia que foi revelada e escrita, sem precisar alterar, corrigir ou emendar. Os conceitos humanos não se sustentam mais que uma ou duas gerações e se tornam arcaicas e novos conceitos se fazem necessários. As ciências comportamentais que ditam as regras hoje, são relativamente novas e ainda são experimentais, teorizando sobre tudo. Consigo entender a necessidade de contextualização dos fatos e práticas, mas sem violar os princípios eternos de Deus; assim, o modo que Deus ensina para criarmos nossos filhos, educando-os e preparando-os para a vida e o sucesso, são princípios eternos, e o conceito divino de família, de liderança, de sacerdócio, de responsabilidades, dos papéis de pais e filhos, são princípios aplicáveis em todo tempo e em qualquer cultura. Filhos precisam de pais e precisam de disciplina e correção, afinal eles são pessoas em formação e como tais, precisam de modelos e parâmetros confiáveis e seguros. Os meninos precisam de exemplos de como é o papel do homem, de masculinidade, de ser líder, protetor, provedor e o ponto de segurança da família. As meninas precisam de referencias de feminilidade, maternidade, da importância do seu papel social, da capacidade protetora de carinho e afeto, de sua grandiosidade como ajudadora idônea, do uso de seus instintos maternais para discernir coisas que a lógica masculina não é tão aguçada. A família pensada e descrita por Deus nas Escrituras é uma perfeita combinação de graça e força; sensibilidade e rigidez; melodia e ritmo, suor e suave perfume. No sermão do meu casamento o pastor José Honório do Carmo, ilustrou isso com a figura do harmonia na união do touro com a borboleta trabalhando juntos. Biblicamente, disciplina não é sinônimo de castigo e retaliação; como também usar a vara para correção não tem nada a ver com espancamento, tortura e abuso de poder; separam uma coisa da outra. Em lugar algum da Palavra de Deus e dos conceitos bíblicos de criação de filhos encontramos algo que fere a dignidade da criança ou da pessoa e também que produza traumas e recalque emocional. Disciplinar uma criança não é tirar sua iniciativa, sua criatividade e nem subjugar sua vontade à subserviência de modo humilhante e degradante. Disciplina e correção andam lado a lado com amor e apoio, tal qual indisciplina e permissividade vão paralelo com fracasso e abuso de direitos. Dificilmente veremos alguém bem sucedido que não seja alguém disciplinado e que tem respeito por limites e direitos. Os pais ao não se preparar adequadamente para o exercício da paternidade responsável, se preocupam em prover alimento e bem estar físicos e confundem a identidade com o comportamento dos filhos e assim para preservar a identidade eles liberam a indisciplina de comportamento ou invertem, mantendo um comportamento firme detonando a identidade dos filhos e em ambos as acepções o resultado é negativo. Temos que confirmar a identidade e disciplinar o comportamento e fazê-los ver a diferença: “Eu amo, por isso corrijo!”

Pai celestial, somos gratos pelos ensinamentos firmes estáveis que tua palavra proporciona a nós pais humanos; observando as tuas ações para conosco encontramos graça e misericórdia juntamente com disciplina e bênção. Todos os que amam a disciplina alcançam sabedoria e o caminho da vida. Concede a nós pais a graça de vermos as correções justas que necessitamos fazer em nós e assim nos qualificarmos para sermos os modelos mais próximos que nossos filhos podem ver e imitar. É uma decisão de fé, escolhermos seguir os teus princípios ou abraçarmos a falibilidade dos projetos humanos, baseados em conceitos teóricos de mentes carnais e dominadas pelo pecado em um mundo controlado pelo mal e pelo maligno. Somos teus filhos e assim queremos espelhar o teu caráter e a tua santidade, para tua glória e honra. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Os Males da Preguiça

Meditação do dia 11/11/2016

Pv 12.27 “O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente.

 Os males da preguiça – Ainda há lugares e regiões no Brasil onde caçar faz parte dos meios de sobrevivência das pessoas. Elas dependem desses recursos para provisão de alimentos e utilizam os subprodutos para outras finalidades necessárias. Mas para a maioria da população, que é urbana, isso já não faz parte de suas realidades; mas mesmo assim, as histórias de caçadas e caçadores ainda estão bem recentes no passado de muitos e esses conceitos podem ser entendidos e aplicados figuradamente para fins de aprendizagem. Como pastores e obreiros cristãos, envolvidos em trabalhos e ações de natureza espiritual e também social, podemos ilustrar nossas lidas com os exemplos do nosso passado ou de nossos pais. A preguiça é um hábito, vício ou comportamento ruim que se torna estilo de vida e que produz muitos males. Por causa dela, muitas coisas deixam de ser executadas e outras o são de forma imperfeita e sem o necessário esmero; as pessoas deixam de dar o melhor de si naquilo que fazem. Buscam simplificar os procedimentos para ocuparem menos tempo e demanda de energia criativa. Os diligentes trabalham com o lema de não deixar para amanhã o que se pode fazer hoje; enquanto os preguiçosos alegam que devem deixar para amanhã o que se deve fazer hoje, porque quem sabe amanhã não precise fazer aquilo. O livro de Provérbios contém muitas advertências contra a preguiça e o preguiçoso; mas gosto de pensar nesse texto de hoje em relação ao trabalho pastoral, quando comparo minhas funções com a de um caçador; Ele tem muito trabalho para conseguir abater uma presa, que lhe servirá de alimento. Provavelmente foi muito tempo gasto em preparação de ceva, armadilha, ou disciplina para ficar à espreita em condições bem adversas, até finalmente conseguir. Sendo ele diligente, vai aproveitar ao máximo, a carne, a pele, os ossos, e tudo que tiver utilidade e valor. Se for preguiçoso, provavelmente ele aproveita apenas um parte, ou só o necessário para comer hoje. A sua preguiça não lhe permite ter trabalho para preparar e armazenar o excedente do dia de hoje. Assim também em nosso trabalho, depois de alcançar determinados alvos, a preguiça leva a desperdiçar as bênçãos que Deus supriu. Muitos preferem apenas pregarem de seus púlpitos, com sermões enlatados copiados da internet ou de livros de sermões e auxílios de rodapés de suas Bíblias e ainda tem aqueles sermões requentados, que foram feitos a décadas atrás. Não se dão ao trabalho de orar, estudar, pesquisar e ouvir ao Espírito Santo, sobre as reais necessidades do seu rebanho. Novos convertidos não são discipulados ou mal assistidos, por não se darem ao trabalho de investir tempo e energia em relacionamentos construtivos. Se diz muito que uma alma é muito valiosa, mas na prática ministerial se investem tão pouco naquilo que é o bem maior do reino de Deus – Vidas! Ser vocacionado por Deus é um privilégio sem dúvida alguma! Saber e crer que é Deus que nos capacita a sermos ministros de sua aliança também é um fato; mas isso não nos isenta da nossa parte na tarefa de comunicar o amor e a graça de Deus ao mundo perdido. Meu amigo e colega de ministério, não desperdice nada da caça que Deus te deu! Seja diligente, trabalhe bem e com sabedoria!

Obrigado Senhor, por prover o necessário e o suficiente para os teus filhos, especialmente os pastores e obreiros que estão servindo na seara. Quando foram chamados, o foram por uma razão muito especial, para cumprirem determinadas tarefas, que cabe a eles e a mim, e o Senhor conta com essa participação, para que o Corpo todo seja beneficiado e se torne produtivo, com menos desgastes e mais cooperação. Obrigado Espírito Santo, por nos capacitar em Deus, com os dons, talentos e oportunidades necessárias. Oramos por diligencia e graça para tudo que fizermos, para tua glória e honra. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Mulher e as Joias

Meditação do dia 10/11/2016

Pv 11.22 “Como joia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa que não tem discrição.

 A mulher e as Joias – Não temos dúvida de que ao criar a mulher para ser a companheira ideal para Adão, Deus caprichou! Se bem que isso é redundância, pois tudo que ele faz é sempre perfeito. Embora cada povo e cultura tenha seu próprio padrão de beleza, o fato é que em todas elas a mulher é um destaque e para os homens, bom gosto é o que não falta para admirar e até mesmo a Palavra de Deus exalta a mulher e sua beleza, descrita em muitas formas e não é raro encontrar passagens que faz questão de destacar a beleza feminina. Ester por exemplo, chegou a ser rainha do império medo-persa ao ganhar um “concurso de beleza” e ela não era apenas um rosto bonitinho, ela soube utilizar todos os seus dotes, dons e talentos para uma causa muito importante, não apenas para seus dias e sua família, mas o destino do plano de redenção e vinda de Cristo, foi protegido pelos atos dela. Uma coisa porém, muito importante é que a Bíblia não coloca as qualidades das pessoas acima de seus reais valores, assim a beleza, a força, a sabedoria, as habilidades, os talentos e todas as qualidades humanas são guardadas no devido lugar e uma coisa não substitui outras. O que a pessoa “É” sempre é mais importante e valioso do que o que ela TEM ou FAZ. As mulheres gostam muito de enfeites, adornos e coisas que realçam a beleza e as tornam mais lindas e apresentáveis e não há nada de errado ou pecaminoso nisso. A vaidade no sentido de se cuidar, se embelezar e se sentir bem não é pecado e não faz mal. O problema é quando isso ultrapassa os limites do bom senso, da mordomia do uso correto do tempo, dos recursos disponíveis e se torna obsessão e compulsão. Também quando a pessoa se avalia pela aparência que ela ou o mundo julga adequado ou aceitável. Para a mulher cristã, os valores da fé ainda são um parâmetro muito seguro. Quando a preocupação com a imagem pessoal é colocada acima do caráter, do respeito próprio e isso traz transtornos para a saúde emocional e física e afeta o desempenho pessoal e essas preocupações afastam a pessoa da comunhão e do serviço a Deus, aí sim, há pecado e as portas estão abertas para outros males. Quero falar diretamente às mulheres cristãs, mas o conceito pode ser utilizado também para os homens. TODA mulher bonita, distinta, com boas qualidades agrada a QUALQUER homem! Mas cabe a ela saber com qual tipo de homem ela quer se relacionar e se envolver. Voces precisam ter um projeto de vida bem definido, para poder aceitar ou rejeitar “candidatos,” senão correrão riscos. Pedras preciosas ou joias raras não são encontradas facilmente na beira da estrada ou no meio da rua; assim também, encontrar as “joias preciosas” de Deus para suas vidas, leva tempo , investimento e critérios bons, senão levarão pedras falsas e bijuterias falsas. Sendo você uma obra especial de Deus, ele a reservou para outra obra especial e assim você será um presente de Deus para alguém muito especial que também será um presente de Deus para você. Salomão fez uma comparação muito forte, até exagerada para ilustrar isso. Imagine você indo visitar uma fazendo com criação de porcos e lá você algumas porcas usando um joia de ouro 18 encrustada com diamantes raros e caros, e o animal fuçando na lama. Que desperdício, não pega bem, é até uma atitude de desprezo para com a joia, que recebeu tal utilidade. Assim também é uma linda mulher, sem bons valores; que a ver dirá que é muita beleza desperdiçada numa pessoa tão vulgar e baixa. Utilizar a beleza física para conseguir vantagens e manipular os sentimentos dos outros também é errado e pecado, chama-se defraudação. Minhas irmãs queridas, beleza física também é um dom de Deus, e quem recebe um dom, recebe uma responsabilidade e tudo o que Deus nos dá tem um propósito e um dia prestaremos contas sobre como utilizamos isso. Deus gosta de beleza, senão teria feito muita coisa feia, o que não aconteceu. Quando Cristo fala de sua noiva, a descrição é de tirar o fôlego! (Já leu Cantares?).

Obrigado Senhor, pelos dons e qualidades dadas aos filhos e uma delas é a beleza, que demonstra a tua imensa capacidade criativa e o bom gosto refinado que tens. Queremos apreciar e agradecer por essas qualidades, mas submeter tudo isso ao domínio e ao controle do Espírito Santo que vive em nós. Permita que saibamos diferenciar e discernir as verdades, para não ofendermos a sua santidade e os teus propósitos eternos. Dê-nos capacidade de dar o devido valor ao conjunto de bens com os quais fomos presenteados por ti. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason