Saíram e Chegaram

Meditação do dia 18/02/2018

E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e chegaram à terra de Canaã. (Gn 12.5)

Saíram e Chegaram – Abrão estava andando em direção a uma promessa e seguindo uma convicção de chamada muito pessoal. Os paralelos disso com a nossa vida e com nossas experiências, tanto de vida de fé e relacionamento com Deus, como as lidas ministeriais ou profissionais de qualquer cristão, tendem a se espelhar na experiência de Abrão. Desde o dia que Deus falou com ele, sua vida não foi mais a mesma. Assim também conosco, pois é impossível ter um encontro com Deus e não sair transformado. As pessoas acham que suas vidas são suas mesmas, que eles detém o poder e o controle, fazem o destino e alteram os cursos quando bem entendem e alguns há que julgam ter até o direito de decidir se vive ou não. Isso tudo é uma clara demonstração de que Deus está fora dos planos e propósitos dessa vida. Fomos criados por Deus e não nascidos ou surgidos de algum lugar ou circunstancias e em algum momento a divindade aparece na história da pessoa. Deus nos fez para um propósito, uma finalidade e a principal delas e viver em sua presença e em estreita comunhão e afinidade. Toda pessoa deve descobrir ou procurar conhecer a razão de sua existência em Deus. Foi colocado aqui para realizar uma missão, qual? Quanto antes descobrir, melhor e mais tempo poderá dedicar a sua realização. Desde que percebemos a chamada de Deus, é tempo de envidar esforços para alcançar a realização dessa missão pois também é daí que virá a minha realização como pessoa. Abrão soube que a sua vida e a sua chamada tinha a ver com a terra de Canaã e ele saiu de Harã onde estava e foi para onde deveria ir, Canaã. É bom saber que Deus nunca nos dá uma revelação inteira para a vida toda de uma só vez. Ele passa uma visão geral e no dia a dia vamos experimentando os pormenores. Todas as coisas grandes, partem de pequenos começos e seguindo os processos corretos e dentro das fases certas, se chega ao clímax. Abrão recebeu a mensagem que ele seria uma homem abençoado, sua descendência seria abençoada e que através dele Deus abençoaria todas as famílias da terra. É algo muito grande, que levaria muito tempo e demandaria muitos recursos; certamente ele não saberia muita coisa, mas teria que ter paciência e ir vendo e experimentando dia a dia. Que tamanho é Canaã? Bem, é muito grande, em se tratando de geograficamente e com diversidade de micros regiões. Então para onde ir? Veja bem, esses pormenores serão contemplados depois que estiver lá, pois muita coisa do que Deus tem para mi e para você, está vinculado com as condições atuais da minha vida ou da sua, como foi com Abrão. Ele era criador de gado, ovelhas, camelos, bois, mulas e etc. Isso iria com ele, então teria que estar onde pudesse ser propício para atividades do seu agronegócio. Você, tem um trabalho profissional, ou estuda, ou seus filhos e esposa precisam de alguma particularidade específica; então o lugar onde o  seu chamado vai se realizar, contempla isso, a menos que Deus tenha um ordem específica contra isso ou aquilo. Tudo que Abrão tinha e o que adquiria em Hará, que não limitava ou contradizia sua chamada, ele levou consigo. Assim, tudo o que você e eu adquirimos ao longo da vida, em termos de conhecimento, habilidades, capacidades e potencial, será válido dentro do chamado. Isso tudo será dedicado e consagrado, separado para servir a Deus.

 

Ao Deus de amor e graça, que chama os seus filhos para uma vida de consagração e intimidade, receba o nosso louvor e gratidão, bem como a nossa obediência e disposição de agir. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Todas as Famílias é Muita Gente

Meditação do dia 17/02/2018

E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. (Gn 12.3)

Todas as famílias é muita gente – Sempre considero que as palavras são objetos muito exatos, precisos, especialmente quando se trata de palavra dita por Deus. É muito comum os homens dizerem uma coisa e depois explicarem que foram interpretados, na verdade eles queriam dizer outra coisa! Deus não tem esse problema! O que ele diz, tá dito e é isso aí para sempre, excetuando-se quando envolve o elemento humano e ele se arrepende, então uma sentença pode ser alterada. Tu, pois, filho do homem, dize aos filhos do teu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão; e, quanto à impiedade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua impiedade; nem o justo poderá viver pela sua justiça no dia em que pecar (Ez 33.12). Mas aqui desejo valer-me dessa precisão, para ponderar sobre a grandeza do projeto de Deus, que tem tudo à ver comigo, contigo e com nossas vidas e ministérios. Ele começou com Abrão, mas diz respeito a nós. As vezes alguém falando comigo diz algo como: “Todo mundo, Tudo, Nada, Nunca, Sempre, Jamais e etc.” eu replico: “Todo mundo é muita gente! Tudo, é muita coisa! Nada, é muito pouco! Nunca, Sempre e Jamais, é muito tempo! Na minha cabecinha limitada, em certos contextos um ser humano fazer uso de tais termos, só pode ser entendido como figura de linguagem, uma hipérbole por exemplo. Mas Deus não, ele pode usar tais termos sem problemas, afinal ele pode tudo, sabe tudo, estará eternamente no controle e tem os meios para fazer literalmente “qualquer” coisa. Então, quando ele se dirige a Abrão e afirma: “…em ti serão benditas todas as famílias da terra. Não é exagero, nem figura de linguagem; é isso aí mesmo que vocês ouviram. Todas as famílias da terra, convenhamos, é muita gente, mas o desejo do coração de Deus  não é abençoar apenas muita gente, mas todas; se dependesse dele e do seu amor, ninguém ficaria de fora; mas infelizmente o pecado fez um estrago e levou muita gente a optar pelo pior. Mas voltando ao texto, como um fazendeiro, criador de gado poderia influenciar tanta gente de tal forma que todas as famílias da terra pudessem sem abençoadas através dele? Outra vez, o que difícil para os homens necessariamente não o é para Deus! Um bom plano, confiado a pessoas fieis e comprometidas, e com a cooperação toda especial do Espírito Santo, o plano é plenamente aplicável. Abrão viveu um relacionamento de amizade e comunhão com Deus de tal forma que não aparece traços de religião, nem de obrigações pesadas e sacrificantes. A fé e a teologia de Abrão era extremamente simples e eficiente. Os sábios, escribas e os teólogos complicaram as coisas e conseguiram transformar relacionamento em religião e dela, muitas heresias e erros grotescos. Vou fechar aqui, com uma pergunta simples: É difícil servir e adorar um Deus de amor, graça, misericórdia, compaixão e que através de seu filho e do Espírito Santo fazem tudo por nós?

 

Senhor, obrigado por sua simplicidade e perdão pelas nossas complicações, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Via de Duas Mãos

Meditação do dia 16/02/2018

E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. (Gn 12.3)

Via de duas mãos – O bom de se aprender com a vida e a história de Abrão, é que Deus mesmo se encarregou de determinar e delimitar certas coisas, das quais ele não precisaria se preocupar ou ter que correr atrás. Sei que as pessoas dos tempos antigos e suas culturas entendiam melhor certos conceitos da vida, que também conseguiam transferir para suas relações de fé. Um exemplo disso são as alianças; em nossa cultura ocidental pasteurizada, é quase nulo o valor de alianças entre pessoas, governos ou até mesmo os cristãos que tem a Bíblia nas mãos. Não só não sabem o valor, nem o significado e não tem ou demonstram qualquer respeito por uma aliança. As relações humanas estão plenamente baseadas nas conveniências circunstanciais e momentâneas. O maior exemplo disso para nós brasileiros é visto na política. Se ler os estatutos de qualquer partido, ficamos impressionados de como é bom, positivos e construtivos e realmente tem alternativas, tudo fundamentado em ótimas ideologias que faz sentido. Mas o que vemos na prática? Fisiologismo puro! Se aliam com qualquer um e com qualquer coisa, desde que isso os leve ao poder. Essa mazela entrou para dentro até mesmo das igrejas e suas políticas denominacionais, onde algumas viraram carteis, com ditadores, opressores, praticam-se subornos, enganam, trapaceiam, trocam regras e estatutos e vão para a justiça comum e os partidos se multiplicam dentro das lideranças, enquanto a Bíblia diz exatamente o contrário: Nada façais por partidarismo ou vanglóriamas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.(Fp 2.3). Abrão entrou em aliança com Deus, alianças essas, propostas pelo Senhor mesmo e ele entendeu tudo e viveu dentro dos limites das alianças e esses limites foram e são suficientes para prover tudo o que é necessário para o bem estar dele, de sua família e descendentes por gerações e gerações. Abrão não teve que correr atrás de proteção contra inveja, mau-olhado, olho gordo, zica ou qualquer outra coisa contra ele. Estando dentro da aliança, O Senhor mesmo se encarregava de abençoá-lo e a qualquer um que o abençoasse e se aliasse a ele; o mesmo valia para quem se opusesse e atentasse contra ele, os reis dos filisteus e até faraó que o digam e também aquela aliança de reis que invadiram as terras ali e levou o sobrinho dele em cativeiro. Certas coisas precisam ser deixadas com quem entende do assunto e em termos de abençoar ou amaldiçoar, isso fica melhor à critério de Deus. Nós vivemos nos auspícios da Nova Aliança, celebrada por Cristo e ele mesmo é o garantidor dos benefícios dela; a Ceia do Senhor é o memorial dela, para não deixarmos de vivenciá-la e tão poucos cristãos entendem a Ceia do Senhor e mesmo o valor que ele representa. Não nos admira muito os resultados e as condições espirituais da maioria dos nossos amados irmãos, igrejas e ministros. Não é por força, esforço, práticas demais e vida de menos, é apenas para viver a aliança e andar com Deus.

 

Obrigado Senhor pelas promessas que estão dentro de um contexto de aliança celebrada por ti e garantida por Cristo. É o Espírito Santo que aplica e convence o homem de sua realidade e também da grandiosidade do teu amor e das tuas misericórdias. Senhor, queremos viver isso de forma pura e simples, a cada dia, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Ser Uma Bênção

Meditação do dia 15/02/2018

E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. (Gn 12.2)

Ser Uma Bênção – “Ser ou não ser, eis a questão!” Se perguntar para Deus, ele dirá: Seja, seja uma bênção! Tudo o que Deus faz tem propósitos. Ele, na sua economia administrativa não desperdiça absolutamente nada. Cada um de nós, estamos aqui para um propósito muito especial e específico, para cumprir um papel e realizar um plano que foi formatado exclusiva e pessoalmente para nós. As condições, os recursos e as habilidades e ferramentas foram cuidadosamente preparadas para que tenhamos as possibilidades de sermos bem sucedidos. Abrão tinha sua importância num projeto macro de Deus e foi chamado e preparado pacientemente para realizar a tarefa de revelar ao mundo a fé em um Deus grande, soberano e único. Podemos pensar que nos seus dias, estavam florescendo as idéias contrárias ao conhecimento original de Deus, que veio numa linhagem desde Adão e Eva no Éden. A sociedade antediluviana, só conheciam um Deus, o Criador. Embora parte da raça humana toda cresceu e desenvolveu-se alienado da comunhão com Deus pela escolha separatista de Caim, mas não havia outros deuses e cultos prevalecentes. Logo após o dilúvio, apareceram as manifestações de rejeição ao Deus criador e salvador conhecido por Noé e sua família e em poucas gerações eles já estavam mergulhados na rebeldia e oposição à vontade divina. Nos dias de Abrão em Ur dos caldeus e em Harã, já havia disseminado cultos e religiões de adoradores de deuses aos montões. Do que seria normal dizer que a maioria conhecia a Deus e uma minoria estaria afastada e descambando para a idolatria; deu-se o contrário, que a maioria já escolhera as trevas e a oposição ao conhecimento do Deus criador. Foi assim que Abrão se viu chamado para difundir a fé monoteista no Deus criador. Até parece que o mundo surgiu do caos e da ignorância e finalmente surgiu uma luz no fim do túnel, que seria Deus se revelar a um mundo que o desconhecia completamente; quando na verdade, os povos se afastaram tanto da verdade e da luz divina que em poucas gerações, NÃO conhecer a Deus parecia ser a regra e não a exceção. Deus chamou a Abrão para que fosse uma bênção para aquela geração, para aqueles povos e ensinasse as próximas gerações sobre ele. Como estão as coisas nos nossos dias? Por aqui, existe muita teoria sobre conhecer a Deus; muita religião, mas servir de verdade, ao verdadeiro Deus, ainda somos a minoria no meio da massa. Você e eu, nossas igrejas, o povo de Deus também fomos chamados para ser uma bênção. Sejamos uma bênção!

 

Obrigado Senhor, pelo meu lugar e meu papel a ser desempenhado e fazer alguma diferença onde estou. Obrigado pela ajuda do Espírito Santo para sermos o que o Senhor espera. No nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Ter Um Grande Nome

Meditação do dia 14/02/2018

E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. (Gn 12.2)

Ter um grande nome – Um nome representa uma pessoa e o valor ou poder desse nome está no valor ou poder que tem essa pessoa. Alguns nomes só de ser pronunciados produzem reações imediatas nos ouvintes, quer positivas, quer negativas. As tradições judaicas-cristãs carregam em suas culturas o valor do significado dos nomes das pessoas e isso não é um aspecto só judaico-cristão; pois nas culturas mais antigas, todas elas valorizavam o nome com que uma criança era designada. O poder de uma promessa, de uma situação familiar ou até nacional, servia de base para marcar o caráter e a personalidade daquela criança. O poder de um nome, quer seja positivo ou negativo se reforça todos os dias e a cada vez que ela é chamada, o que gera influencia permanente. Observe todos os casos de nomes em personagens bíblicos que foram dados por revelação divina aos pais (Sansão = “Pequeno sol – como o sol – homem com força descomunal;” Josias = “O Senhor trás a salvação;” Jesus como foi dito a Maria na anunciação: E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados (Mt 1.21); ou nomes que foi mudado quando já adulta: Abrão/Abraão – Sarai/Sara – Jacó/Israel. Todos cheios de significados e tendo tudo a ver com suas vidas e ministérios com os quais estariam envolvidos. Modernamente, tal cultura perdeu-se completamente e os nomes são vazios de significados, quase sempre escolhidos pela sonoridade da pronuncia, ou homenagem a alguém admirado pelos pais e até inventados sem a mínima noção de valor e significado. Me permita viajar na maionese aqui, talvez sabendo disso é que aqueles que chegarem na eternidade após o arrebatamento, como vencedores, ganharão uma pedrinha com um novo nome, Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe (Ap 2.17). Se Deus vai trocar esses nomes, deve haver uma razão e como tudo que ele faz dura eternamente, então não foi ele que inspirou, deu ou aprovou tais nomes; mas como nasceram de novo e agora são seus filhos, quando chegarem em casa, ele conserta as lambanças dos pais sem noção.  Ter um grande nome é uma das buscas da vaidade humana; querem deixar suas marcas e serem conhecidos por feitos e realizações e em muitos casos, chegam aos extremos e excessos para chegarem ao objetivo. Abrão ganhou logo de saída a promessa de Deus que lhe engrandeceria o nome e alguém tem alguma dúvida de que isso realmente aconteceu? Mas ele mesmo não estava correndo ou trabalhando para ter um grande nome, famoso, respeitado ou reverenciado. Isso não fazia e não fez parte dos seus sonhos. Provérbios, escrito em grande parte pelo rei Salomão, o mais sábio entre os humanos que por aqui passaram e ainda passarão, escreveu: Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a riqueza e o ouro (Pv 22.1). Um bom nome é preferível a um nome poderoso, famoso etc. Você sabe o significado do seu nome? Tem haver com sua vida e projeto de Deus? Se o recebeu quando seus pais não tinham conhecimento dessa importância, transforme-o por uma vida de consagração e caráter semelhante ao de Cristo e se faça respeitável e confiável para quem ouvir falar o seu nome e o associar a você. Há três formas de se ter um grande nome: Primeiro, por Nascimento; segundo, herança e terceiro, por seus próprios feitos. Alguns de nós temos poucas chances…. Jesus, ah! Ele é o cara, tem um grande nome pelos três motivos acima e ainda sobra. Esse nome tem poder!

Senhor Jesus, nome dos nomes e poderoso em qualquer lugar e dimensão desse ou de outros mundos, pois tudo foi criado por ti, para ti e em ti todo subsiste e será assim para sempre segundo a tua vontade. Obrigado, por nos dar o seu nome e a autoridade de invoca-lo para sermos salvos e ajudados em tempo oportuno. Teu nome é nossa riqueza, é nossa esperança e segurança. Obrigado, por esse nome me pertencer, amém.

 

Pr Jason

Ser Bênção e Ser Abençoado

Meditação do dia 13/02/2018

E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. (Gn 12.2)

Ser bênção e ser abençoado – Os cristãos gostam muito de bênçãos, gostam tanto que vão aos extremos afim de conseguirem uma bênção; e alguns nem sabem o que é, mas querem, e se vem de Deus, melhor ainda. Alguns grupos denominados cristãos promovem verdadeiras maratonas de corridas atrás de bênçãos. Para alguns colegas que convivem a mais tempo comigo já se familiarizaram com a expressão que utilizo bastante, que “de pires na mão,” isso vem da tradição mais antiga onde os pedintes e mendigos andavam com um pires ou prato na mão e tudo que caísse ali era lucro. Hoje temos cristãos, pastores, missionários, igrejas, missões e entidades que vivem como pires na mão, até quando não precisam, mas o hábito é muito forte. Pedem mais que filho de cego! (outro adágio antigo). Abençoar é um ato muito natural em Deus, que criou todas as coisas e todas foram sendo abençoadas assim que surgiam, incluindo o homem e a família. A cada pacto ou aliança, sempre vinham acompanhados de promessas e uma bênção. Mas com Abrão, isso tomou uma dimensão muito maior, porque os relatos do relacionamento entre Abrão e Deus, elevou muito o conceito de divindade e humanidade terem laços estreitos e uma teologia se mostrou no modo dos favores do Eterno se materializarem na vida do amigo e pai da fé. Uma evidencia boa que vemos no texto de hoje é que a chamada, as promessas e as bênçãos tudo foi iniciativa de Deus. Foi o Senhor que disse a Abrão: abençoar-te-ei. Isso aparece por diversas vezes em muitos textos diferentes; Abrão não estava correndo atrás de coisa alguma, nem estava fazendo campanha, corrente de oração e nem propósitos para em troco receber uma bênção. Ele estava vivendo a sua vida de fé, de obediência e de aprendizado. Deus falara para ele sair da sua terra e família, o que era uma grande zona de conforto humano, que garantia segurança, proteção e refúgio, mas tudo humano, natural e falível, passageiro. O seu chamado era para conhecer e experimentar coisas maiores e mais permanentes, até mesmo eternas. Abrão teria que confiar no seu Deus e não servi-lo por lucro ou comodidade. A bênção de Abrão o atingiria na vida pessoa, familiar e nos seus descendentes que naquele momento não existia e humanamente lhe era impossível ter. A vida espiritual, a vida social e a vida financeira dele seriam alcançadas pela bênção de Deus. Não foi e não seria uma bênção para um ou alguns aspectos da vida, mas uma autorização que o permitiria prosperar em tudo e em todo tempo. Apenderemos mais para frente que a bênção foi incorporada na Aliança celebrada por Deus com ele e seus descendentes e isso vale tanta para a descendência física e biológica (Judeus, israelenses) como para os descendentes espirituais (os da fé).

 

Obrigado Pai celeste, por ter chamado alguém tão simples e que se entregou tão sem reservas para andar contigo e aprender e ensinar o culto a Jeová, o Senhor único e criador de todas as coisas. Nosso pai na fé, foi fiel a ti e por isso hoje a salvação é uma realidade em Cristo Jesus e somos agora herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo. Graças te rendemos e expressamos a nossa confiança na tua Palavra e nas tuas promessas. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

As Promessas Para Uma Vida

Meditação do dia 12/02/2018

E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. (Gn 12.2)

As promessas para uma vida – O chamado trás consigo uma grande responsabilidade e ao mesmo tempo vem grandes privilégios. Mas abraçar uma visão de chamado não pode ser pelas razões de lucro mercantil ou razões egoísticas. Contaminar o ministério com tais atitudes é um péssimo testemunho da grandeza do Deus a quem nos propomos a servir. Mas acolher com gratidão suas promessas é viver a expectativa da generosidade daquele que cuida muito de todos que estão a seu serviço. Junto com o chamado de Abrão, veio algumas promessas e embora fossem bênçãos para ele e para seus futuros descendentes, era também o meio dele cumprir o chamado. A primeira dessas promessas era que à partir de Abrão Deus levantaria uma grande nação. Pensando somente com a nossa cabecinha ocidental, com conceitos bastante fragmentados, nem sempre dá para perceber a grandiosidade de tudo contido em tal promessa. No mundo da época de Abrão, havia ainda muito espaço físico e as terras eram vastas para serem colonizadas. O que eles poderiam chamar de grande cidade, para nós no máximo seria uma cidade de médio porte. As famílias eram fortemente patriarcais, ou seja, eram firmadas sobre a figura do pai, e assim quanto mais forte fosse aquela figura, mais influencia poderia gerar e também adquirir riquezas e bens e se perpetuar. Em alguma circunstancia da vida, alguns de nós precisamos de algo sobrenatural, além das nossas e ou das possibilidades humanas, e Abrão alcançou uma condição ímpar, pois teve a revelação de um Deus que se revelou a ele e se apresentou como o Todo-Poderoso e único Deus e exigiu dele fé para andar contra o sistema já estabelecido de idolatria, misticismo e deuses de todo tipo para todos os gostos e muitos deles ou todos eles era invencionice de alguém que lucrava com aquilo ou explorava a ignorância das pessoas. Podemos compreender o coração de Abrão, com tal revelação e os desdobramentos que isso traria para ele e seu futuro. Um homem razoavelmente bem sucedido, mas sem expectativa de futuro, por sua esposa era estéril e agora o seu Deus lhe fala sobre torna-lo uma grande nação. Só Deus mesmo poderia mudar aquele quadro, pois não havia disponibilidade de recursos contra a infertilidade nos seus dias e agora ele teria algo em que se agarrar. Abrão começou a aprender a andar pela fé, porque o Deus a quem ele iria servir, não se mostrava ou se revelava como os demais e nem aceitava ser retratado fisicamente em alguma figura. Era soberano e agia segundo sua vontade e não poderia ser manipulado. Ao olhar para si mesmo era inviável e muito limitado; mas ao olhar para o seu Deus tudo seria possível e agora havia promessas concretas. Andar com Deus é andar pela fé! Ainda hoje é assim. Os recursos humanos e tecnológicos se desenvolveram muito, mas ainda estão longe da capacidade divina. Como disse Davi: Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza (Sl 46.1-3). Deus continuará sendo que ele diz que é e nele nós podemos confiar.

 

Senhor Deus de Abraão e meu Deus, obrigado por se revelar tão poderosamente aqueles que estão com corações sedentos de conhecer a ti. Graças a ti Espírito Santo que sondas e conheces o nosso interior e nos guia a toda verdade. Queremos andar em fé e na comunhão com o Deus Todo-Poderoso, Senhor das nossas vidas e de tudo que existe, pois ele foi o criador de tudo. Queremos conhecer-te mais e melhor e só com a tua graça e permissão alcançamos tal misericórdia, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Ordem é Sair

Meditação do dia 11/02/2018

Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. (Gn 12.1)

A Ordem é Sair – Uma idéia sobre chamado, ou vocação é a idéia de ação. Quem e chamado ou vocacionado o foi para agir em determinada função, para realizar algo. Sendo assim a vocação não é estática, afinal, quem é chamado para ficar onde está, fazendo o que sempre fez sem nenhum envolvimento com a dinâmica do aprendizado e de ser trabalhado em sua vida íntima e em desenvolver melhor o seu relacionamento com Deus? Não estou dizendo que não existe ou não pode ser. A razão da minha posição se fundamenta no fato de que em tais casos, a pessoa serve numa condição natural e assim sendo, ele já o faz por sabedoria, força, condição, recursos e também, aí embora útil, mas esse trabalho e natural. A vocação lida com o espiritual, o sobrenatural, em se envolver com algo maior do somos, acima de nossas capacidades, forças e limitações. Para acontecer, só mesmo por intervenção divina e sobrenatural. Sem a ajuda dos céus nada irá acontecer. É obra de Deus, movida pelo poder de Deus. Qual de nós, em nossa capacidade natural, já não teria levado todos os nossos familiares e amigos a uma conversão à Cristo? Quem de nós não mudaria o curso da história de uma pessoa que vemos claramente e que está em rota de colisão com o pecado e que a eternidade sem Deus está às portas? Quem de nós já não teria ajudado a nossa igreja local a atingir sua meta e já teríamos partido para outras etapas? Qualquer um de nós teríamos feito isso. Imagina se eu pudesse montar um currículo e um modelo de ensino e treinamento para liquidar a fatura em um ano, ou dois seja cinco; mas que todos ficassem habilitados, preparados e afiados para a obra do reino. Mas as atividades espirituais, pastorais se assemelha a pescaria de anzol e nem sempre com o melhor dos equipamentos e iscas. Pegamos um a um, alguns depois de pegos ainda escapam e fogem. Se a graça e a misericórdia do Senhor não operasse em nós, poucos permaneceriam na luta ministerial. Sabemos que seremos vistos aos olhos de Deus pela fidelidade e obediência de fazer o que foi ordenado e que não ganharemos prêmios por números e resultados. Deus tem outros critérios de avaliação e recompensa e também tem meios de julgar a autenticidade e fidelidade de cada servo. Eu gosto daquele texto que diz: porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade(Fp 2.13). Cria-se no nosso interior o deseja de fazer algo, parece que estamos sendo atraídos para determinado ponto ou atividade e então descobrimos que Deus está nos chamando para algo. Abrão parece que já tinha intenção de ir para Canaã, e até estava à caminho, quando em Harã após a morte do seu pai, Deus se revela a ele apresenta sua chamada. Ele precisaria sair, de casa, da família e ir para um lugar ainda não revelado. É fato que ele precisaria de fé, de disposição e obediência prática para agir para iniciar a sua jornada. Fé e obediência andam juntas, tal qual dúvida e incredulidade. Pode ser que você tenha que sair literalmente de casa, do emprego, da carreira, do estilo de vida, do tipo de sucesso, da situação cômoda, planejada e articulada. Pode ser que não; mas isso é Deus que determina. O primeiro passo é ouvir a voz de Deus. Voce consegue ouvir? Tem a prática de ouvir Deus? Ou isso é loucura, fanatismo, condição emocional e psicológica dos malucos da fé? Se Deus fala, então é natural que se ouça. Mas a questão não é se Ele fala, a questão é se você escuta!

 

Senhor Deus e pai, graças te damos por sabermos que tu és um Deus de graça e misericórdia, que comunicas perfeitamente bem e que podemos ouvir e responder à tua voz. Estamos aqui, disponíveis e desejosos de que fales conosco e confirme a chamada que já tem se mostrado em nossos corações. Fala, Senhor porque os teus servos ouvem e desejamos te obedecer e realizar a tua perfeita vontade. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Vocação de Abrão

Meditação do dia 10/02/2018

Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. (Gn 12.1)

A Vocação de Abrão – Vocação é o mesmo que chamado; Deus chamou a Abrão para algo que inicialmente ele não sabia o que era e nem para que. Isso tem a ver com os passos de fé que são necessário para se desenvolver um relacionamento com Deus. Tal qual os relacionamentos humanos, o andar com Deus trabalha com as mesmas bases e princípios, pois é preciso confiança (fé), também exige um conhecimento pessoal e à medida que se caminha juntos, vai se conhecendo melhor e os laços de amizade se estreitam, ou não. Com Deus as expectativas são sempre boas e crescentes porque ele conhece tudo de nós e em contrapartida ele vai se revelando passo a passo. Na verdade não se pode conhecer a Deus, a menos que ele se permita conhecer! Levando em consideração, que ter informações não é conhecer; saber algumas coisas sobre alguém não é necessariamente conhecer. Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar (Mt 11.27). Uma revelação maravilhosa sobre a vocação de Abrão, é que a iniciativa sempre é do lado de Deus. Ele se manifesta e de algum forma apresenta a sua chamada a que devemos responder com uma atitude de consagração e dedicação, preferencialmente rápida e com alegria. Outra coisa muito boa de manter em mente é que somos chamados a nos dedicar e consagrar a Deus, ele no devido tempo e a seu modo nos colocará onde e nos termos que sua soberania entende ser o ideal. É um erro tentar fazer os termos da chamada da maneira que bem entendemos ou conforme as nossas comodidades, conveniências e preferencias. Há chamadas ou vocações bem específicas e outras bem generalizadas, mas todas igualmente santas e dignas, pois os propósitos divinos devem ser levados em consideração; Deus é que determina o que é importante e o que é relevante; afinal somos servos e servos existem para servir e cumprir a vontade e as ordens do Senhor e mestre. Certamente existe algo já acontecendo na vida da pessoa, que na verdade é uma preparação para aquilo que irá se desenvolver. Muitas vezes a pessoa já vem sendo preparada desde o seu nascimento. Todas as atividades, habilidades e capacidades vão sendo desenvolvidas e experimentadas e seu caráter, temperamento e outros aspectos sofrem influencias transformadoras, para que no momento certo, a pessoa esteja pronta para iniciar a fazer aquilo para a qual foi criada, salva e vocacionada. Cada cristão, olhando em retrospectiva em suas vidas, vão perceber que Deus já estava mexendo os palitos em suas vidas, bem antes do que de fato percebemos. Qual o seu chamado?

 

Senhor Jesus, graças te rendemos por tua vida ser colocada à disposição para redimir a vida de todos nós e agora podemos ser salvos, libertos e consagrados para algo específico, segundo a vontade do Pai. Tua vida é o melhor modelo para nos espelharmos e descansar na suficiência divina que nos chama e é capaz de cuidar de cada detalhe em todo tempo. Nesse nome poderoso é que oramos agradecidos. Amém.

 

Pr Jason

O Pai de Abrão

Meditação do dia 09/02/2018

E tomou Terá a Abrão seu filho, e a Ló, filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos caldeus, para ir à terra de Canaã; e vieram até Harã, e habitaram ali. (Gn 11.31)

O Pai e Abrão – Nós gostamos de famílias e elas tem influencias fortes e poderosas na vida da sociedade como um todo. Ainda que seja um “ilustre desconhecido” a figura do pai e sempre importante. Podemos saber pouco ou quase nada sobre esse distinto senhor chamado Terá ou Tera, dependendo da versão da sua Bíblia; mas ele foi o pai de Abrão que veio a se tornar o patriarca da fé, um amigo de Deus e sobre a sua figura se sustenta os pilares das três maiores religiões do mundo atual. Iremos escrever vária meditações sobre a pessoa, a vida e o legado de Abrão; mas quero prestar minhas reverencias esse senhor, ainda que pouco sei sobre ele. Uma coisa que me chama a atenção sobre ele, é que ficou registrado que ele teve três filhos e um deles morreu ainda muito cedo, provavelmente casado de pouco tempo e deixou um filho pequeno que foi criado pelo avô. Muitas pessoas se identificam com essa situação, seja como sendo o avô que precisa assumir uma neto para criar ou alguém que foi criado pelos avós. De uma forma ou outra isso afeta e influencia a vida de ambas as pessoas e suas famílias. Outro detalhe que observo é que fica descrito a intenção dele de ir embora de sua terra natal, Ur dos caldeus (região onde está hoje o Iraque), e ir para Canaã (atual palestina, Israel, Líbano). Mas ele não conseguiu seu intento, pois acabou por fixar residência em Harã, ainda ali na região entre os dois pontos mencionados antes. No texto que narra a sua viagem de Ur dos caldeus, não cita a presença de seu outro filho, Naor, mas apenas Abrão e o neto Ló, filho do falecido filho Harã. Por conta e risco próprio, eu presumo que Naor já havia migrado para Harã; e daí o interesse do pai ir para Canaã e por alguma circunstancia parou em Harã e acabou ali se estabelecendo até os dias de sua morte. (Anos mais tarde quando Abraão busca uma esposa para seu filho Isaque, ele o faz enviando um servo para Harã, na casa de Naor onde encontra Rebeca (Gn 24).) O que provavelmente lhe ocorreu, foi estar em sua terra natal Ur, com apenas dois filhos e veio a perder um deles e “se” Abrão já tinha alguma intenção de ir para Canaã, ele se viu na iminência de ficar sozinho e preferiu acompanha-lo na viagem. Outra coisa que observo e que a intenção dele não se concretizou, ele não chegou a Canaã. Ele pode ter gostado de Harã e adotado o local para se estabelecer e de fato o fez e o registro é que Abraão foi chamado por Deus ali e saiu com um patrimônio considerável adquirido ali. Há pregadores que insistem que a chamada era de Abrão, e o pai estava indo de contra-peso, uma bagagem extra e Harã serviu de lugar de separação e quebra de vínculos desnecessários  para o crescimento da fé do relacionamento de Deus com Abrão. Pensando em vocação e consagração pode fazer sentido pois a vocação é sempre individual e personalizada, e nem sempre os parentes e familiares entendem ou cooperam para que os projetos de Deus aconteçam. Familiares estão sempre mais preocupados com o status, o bem estar e a prosperidade material mesmo que isso sacrifique a vida de fé. Ninguém gosta de ser identificado como parente ou familiar de um “fracassado” ou “fanático religioso” que largou tudo para ser um missionário ou…. Você conhece ou já iniciou uma caminhada em direção a uma visão e por alguma razão parou, desistiu, ficou inviável? Era um projeto de Deus no seu coração, ou um projeto do seu coração ou cabeça e forçou a barra para que acontecesse? Em termos de fé, Canaã é um alvo a ser atingido, alcançado e conquistado.

 

Pai celeste, graças te rendemos por vidas e famílias que saíram para realizar sonhos ou missões dadas por ti e chegaram, trabalharam e consolidaram a tua vontade como era a tua intenção. Obrigado por aqueles que não desistiram e nem abriram mão de servirem e serem fiéis ainda que sem a aprovação familiar, social e até mesmo da igreja onde serviam. Nosso compromisso primário é contigo e com tua Palavra, sob orientação do Espírito Santo. Somos enviados e seremos cuidados por ti e por tua graça. Em nome de Jesus. Amém.

 

Pr Jason