A Circuncisão de Isaque

Meditação do dia 21/05/2018

E Abraão circuncidou o seu filho Isaque, quando era da idade de oito dias, como Deus lhe tinha ordenado.”  (Gn 21.4)

A circuncisão de Isaque – Não vou nem discutir sobre a opinião de quem acha que seria dolorido demais fazer uma coisa dessas com um bebê de oito dias de nascido e que isso era desnecessário e até mesmo um ato de mutilação, tortura e absurdo em termos de fanatismo religioso. Sem contar os que diriam que Deus não estava envolvido nisso, e que para servi-lo e ser fiel não é preciso tudo isso. Quero crer que Abraão entendia o significado de uma aliança e o valor de uma palavra empenhada. Ele tinha entrado em aliança com o Senhor e o sinal ou símbolo estabelecido nessa aliança era a circuncisão de todos os do sexo masculino, à partir do próprio Abraão e na ocasião ele e Ismael foram circuncidados com todos os demais participantes do grupo dele. Agora, ele tinha seu próprio filho, um herdeiro em todos os sentidos, pois a aliança era também com seus descendentes e como tal, deveriam estar levando as marcas que eram a garantia da obediência aos termos da aliança. Para Abraão, era uma honra poder agora perpetuar na pessoa de Isaque a fé e os benefícios dela. Obediencia tem muito a mostrar, pela precisão, pela diligencia, pela alegria com que a pessoa se move para fazer aquilo que se espera ou lhe é pedido. Fazer o que Deus lhe havia pedido, dava prazer e como ele já agia pela fé, estava certo de que tudo se encaminharia. Na nova aliança viemos a entender que o valor da circuncisão não está na esfera material e física, mas sim na atitude do coração; enquanto eles demonstravam isso de forma visível, na carne mesmo, era para representar o que eles criam por dentro. Para nós, agora, nossas atitudes externas é que representam aquilo que é verdadeiramente valioso no nosso íntimo e onde só nós e Deus sabemos o verdadeiro significado. Paulo ensinou isso de forma muito clara: “Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão; Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne” (Fp 3.2,3). Irmãos, temos hoje, na Nova Aliança, um entendimento muito espiritual e preciso das verdades bíblicas, que expressam a vontade de Deus, do que se podia ter na Velha Aliança; para um cristão hoje dizer pode se alegrar e até se gloriar em Cristo e que ao mesmo tempo não confia na carne, significa muito em termos de crescimento e maturidade na fé. Sinais, símbolos, figuras, tipos e formas cerimoniais que tinham uma expressão muito forte e séria na Antiga Aliança, tem uma conotação diferente e pautada na graça de Cristo, mas uma coisa não alivia ou anula as responsabilidades da fé e da fidelidade a Deus. Aquilo que já sabemos que é a vontade expressa do Senhor, temos que agir em fé e assim os resultados seguirão os passos da obediência. Sempre!

Obrigado, Pai, por determinar caminhos bons, verdadeiros e que estão dentro de nossas possibilidades de realização. Contamos com sua graça e amor para obedecer sempre pela fé. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Qual o Nome do seu Filho?

Meditação do dia 20/05/2018

E Abraão pôs no filho que lhe nascera, que Sara lhe dera, o nome de Isaque.”  (Gn 21.3)

Qual o nome do seu filho? – Sou pai de duas filhas, Grace e Hellen, hoje já adultas, a primeira tem esse nome devido aos fatores que cercaram nossas vidas por ocasião de sua chegada e entendemos que a graça de Deus foi razão mais do que suficiente para termos passado por tantas provações e dificuldades e permanecidos firmes e até saído melhores do que entramos e então, GRAÇA era a palavra e a expressão que mais significado tinha e assim era uma justa homenagem e uma forma de tornar aquilo definitivo e permanente. A Segunda, significa FORÇA, foi também uma maneira de agradecer a Deus pela força que nos dava e nos mantinha vencendo e prosperando em nossas vidas e ministérios; como também faria uma bela dupla com a irmã, trazendo equilíbrio, um pouco de Graça e um pouco de Força não faz mal a ninguém, pelo contrário. (já perceberam que alteramos a grafia por estética na escrita, mas a intenção do coração permanece). Na cultura hebraica antiga e em muitas outras culturas a forma mais usual de dar nomes aos filhos está diretamente ligada aos acontecimentos, quer da criança, quer da família e até eventos nacionais. Essas coisas estão dentro do que a Bíblia chama de Veredas Antigas de Deus, conforme Jr 16.6. O próprio Senhor, trocou nomes de vários personagens e deu nome a muitos outros, valendo-se desses princípios, podemos lembrar entre tantos, o próprio Abrão (Abraão), Sarai (Sara), Isaque, Jacó (Israel), Jesus, foi dado pelo anjo da anunciação, etc. Assim, dar nomes aos filhos está diretamente ligado a fé da pessoa e também ao seu relacionamento com Deus e ainda, o seu entendimento e comprometimento com tudo isso. Dar um nome apenas pela sonoridade bonita, ou porque quer homenagear o craque do time ou o artista da TV ou cinema não é demonstração de cultura de reino e valor à sua fé; está mais para valorizar seu lazer, suas fantasias e idolatria com personalidades, podendo até comprometer o futuro daquele presente de Deus, confiado e entregue aos seus cuidados. Quando receberam a informação e a promessa de terem um filho e os anos foram se passando e as condições se tornavam cada vez mais desfavorável, Abraão e Sara, chegaram a perder as expectativas de que isso viesse a se cumprir por vias naturais e tentaram ajudar a Deus e por fim, caíram na risada e o Senhor “como que entrou na deles” e disse: Então é assim? Pois agora, o filho vai nascer e o nome dele será Isaque (riso) para vocês deixarem de serem bestas e duvidarem de mim.” Por toda a vida, quando eles mencionavam o nome do filho, estariam relembrando a promessa, a fidelidade, e a cena da risada desconfiada. O Senhor tem, certamente um tremendo senso de humor e isso pode ser explicado pela repetição disso em tantas pessoas que ele criou que são verdadeiros artistas do humor e tornam a vida mais colorida, alegre e levam tudo numa boa. Sem deixar de ser sério, Deus é bem humorado e divertido, festivo e criativo. Ele transforma qualquer situação, em algo edificante, construtivo e abençoador, é só olharmos em nossa vida e experiências. Tá tudo ali!

Obrigado, Pai, por seu tão especial e amoroso com cada um de nós e nossas experiências, que nem sempre conseguimos acertar de primeira. Obrigado por Jesus ter vindo para mudar nossas vidas e destinos e pelo Espírito Santo que transforma vidas áridas e secas, em fontes transbordantes, cheias de vida e bons frutos. Obrigado, de coração, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Fechado Por Deus

Meditação do dia 19/05/2018

Porque o Senhor havia fechado totalmente todas as madres da casa de Abimeleque, por causa de Sara, mulher de Abraão.”  (Gn 20.18)

Fechado por Deus – Até onde Deus interfere no cotidiano das pessoas e das nações? Para começo de conversa, ele é Senhor de tudo e de todos e como acreditamos em teologia sistemática, a idéia cristã de Deus, ou se preferir a definição de Deus é: “Espírito pessoal perfeitamente bom, que em santo amor cria, sustenta e governa todas as coisas.” Sendo assim, ele pode interferir à vontade sem ter que pedir licença. Mas a idéia da meditação de hoje é mostrar até onde, se estende os propósitos divinos para com o seu povo e o que é necessário para dar pleno cumprimento desses planos. Existe sim, muito mais coisas nesta vida do que a nossa vã mentalidade supõe saber. Acordei hoje com o texto de Provérbios que fala de autoridade e como ela por mais importante e alta que seja, ainda está à disposição da mais alta instancia, que é Deus. Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer” (Pv 21.1). O rei aqui, pode ser literalmente o monarca, líder de um povo, ou simbolicamente, alguém em posição de autoridade. Qualquer que seja, o coração dele ainda está nas mãos de Deus, e ele tem como conduzir suas ações e desejos para que cumpram sua vontade. No tempo certo, César, o imperador Romano, fez um decreto para o recenseamento que levou José e Maria para Belém, justamente quando e onde eles precisariam estar. O Senhor estava construindo na vida de Abraão e Sara uma estrutura espiritual, capaz de suportar o peso de uma grande nação, que dependeria da fé e do poder de Deus para prevalecer, e o rei de Gerar, ofereceu uma grande oportunidade de Pós-Graduação para eles. Abraão tinha que aprender a lidar com a fé, não apenas crença, ideologia ou cultura monoteísta. Deus o levou aos extremos de seus limites para que ele visse, ouvisse, aprendesse e reaprendesse, que para Deus realmente não há impossível e que suas promessas independem do potencial humano para se realizarem. O Criador e Possuidor dos Céus e da terra, como Abraão estava aprendendo, fez todas as coisas pela palavra do seu poder. Em seis dias criou tudo que conhecemos e ainda não conhecemos; do nada trouxe a existência todas as coisas; por que seria difícil para ele que criou todas as pessoas, trazer uma à existência. Não é pirraça ou capricho, mas é didática, Abraão e Sara foram levados a crer e esperar até passar toda e qualquer possibilidade humana de conceberem uma filho, para que eles experimentassem o poder criador e criativo do Senhor. Quando acabam os recursos humanos, aí sim, se abre a oportunidade para a manifestação do poder de Deus. Tudo na história do povo de Deus é sobrenatural, encantador, além da imaginação! Tudo na redenção é impossível de se realizar pelo méritos e feitos humanos. É divino do começo ao fim, de cabo a rabo! Desculpe a linguagem, nos termos bíblicos é “princípio e fim, Alfa e Ômega.” Não é nada diferente com o cristianismo bíblico, com a igreja como corpo de Cristo, com a vida pela fé, com tudo o que entendemos como serviço à Deus. Não fujo disso, sou incrivelmente resistente: Resisto a graça, resisto a fé, resisto ao amor, resisto, resisto, e quando mais aprendo sobre quebrantamento, mais sei que não vou tirar dez ainda. A maioria de nós somos vencidos pelo cansaço, aí entregamos os pontos. Misericórdia!!! Deus fechou as madres daquele povo, por causa de Sara, mas não só para tirá-la do cativeiro e devolver ao marido, mas ensinar e revelar seu poder. Já sabemos que quando Deus fecha, fecha mesmo, mas quando ele abre também as portas, ninguém segura! “E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre” (Ap 3.7).

Louvado seja o nome do Deus de Israel, o Deus da nossa salvação! Bendito seja o seu poder e a graça transformadora que nos alcança e nos faz herdeiros e co-herdeiros com Cristo. Pai, obrigado por manifestar o seu poder e vencer as nossas resistências da incredulidade e ignorância e assim se revelar como o Todo-Poderoso. Obrigado por nos dar uma fé poderoso em ti e contigo, tudo em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Oração de Abraão

Meditação do dia 18/05/2018

E orou Abraão a Deus, e sarou Deus a Abimeleque, e à sua mulher, e às suas servas, de maneira que tiveram filhos.”  (Gn 20.17)

A oração de Abraão – Deus nos ama pelo que somos, suas criaturas, seus filhos, seus servos. Deus separa perfeitamente bem nossa identidade do nosso comportamento, o que não é muito fácil para nós pais fazermos. O Senhor sempre repreende, corrige e pune o comportamento inadequado e pecaminoso e sempre também recompensa regiamente a nossa identidade. Essa ação divina está muito bem situada nas ações graciosas e justas dele se relacionar com as pessoas. Entender o caráter santo de Deus e também o poder de sua graça, eleva o nível de confiança e lubrifica o relacionamento, evitando atritos e desgastes entre nós e o Pai. Uma lição que vem ao meu coração em absoluta primeira mão nesta manhã, ao ler e pensar no texto, é que se necessita de pureza de coração, de fato e de direito, para afastar qualquer animosidade, ressentimento e reservas para a vida de oração seja de fato eficaz. Se trata daquela pureza inocente de que Jesus falou que há no coração das crianças e que deve se ver na vida dos adultos em relação as questões espirituais. E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. (Mt 18.3). Logo à seguir eu revelo o que estou rodeando para mostrar, mas vai me dar razão; pois o nosso coração, com tudo o que ele significa, precisa estar alinhado, em perfeita sintonia com o coração de Deus, para que flua vida e poder para abençoar. Não é mágica, não é mística, não é ritual certo, com os movimentos devidamente sincronizados… nada disso. Gosto de ensinar fazendo perguntas, porque exige que se pense e veja mais possibilidades – então vou perguntar: Qual era a grande busca da vida de Abraão e Sara? Ter um filho! Agora que já estava marcado até o tempo para isso se materializar, olha as lutas tentando desviar a atenção e roubar a bênção! Um homem que passa noventa e nove anos esperando para gerar um filho e tendo promessa de Deus, agora que ele fica sabendo que será dentro do tempo da vida, (nove meses para a gestação), a esposa dele é levada embora por um rei para ser mais uma das suas muitas esposas. Meu pai, o seu Arnaldo, um baiano esperto, diria que “quando Deus dá a farinha, vem o Diabo e rouba o saco!” Deve ter passado muito coisa na cabeça de Abraão, e ele lutou consigo mesmo e batalhou em oração e Deus interveio e usou o princípio da semente, onde cada um produz segundo a sua espécie; o servo de Deus desejava ter filhos e o rei de Gerar estava impedido de ter filhos porque se meteu na promessa de Deus para Abraão. Como solucionar? O rei reparou seu erro, pediu desculpas, fez restituição integral e Abraão orou por ele e sua casa e eles foram curados da esterilidade e puderam gerar filhos, então o homem de Deus estava livre e liberto para ser pai, agora ele e Sara puderam gerar o filho que tanto desejavam. Ele tinha que estar pronto a ver outros sendo abençoados com aquilo mesmo que ele deseja e não tinha alcançado. Ele teve que agir pela fé! Gente é difícil, mas é o caminho da cura e da bênção. Ser fiel, zeloso, comprometido e o resultado não vem e outros menos comprometidos receberem primeiro do que a gente! (Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem” (Rm 4.17). Ele chamou a existência as coisas que ainda não existiam como se elas já fossem… (Um casal estéril fazendo campanha de oração para famílias que querem ter filhos!!!!?) Só Senhor é Deus! Aleluia!!

 

Obrigado Senhor! Obrigado Senhor, Em nome de Jesus, amém!

 

Pr Jason

Pensando errado

Meditação do dia 17/05/2018

Abraão respondeu: “Eu disse a mim mes­mo: Certamente ninguém teme a Deus neste lugar, e irão matar-me por causa da minha mulher.”  (Gn 20.1,2)

Pensando errado – Não deve ser sem razão que os ensinamentos bíblicos proíbem ao ser humano julgar o próximo. A possibilidade de errar é muito grande. A capacidade de fazer conclusões sem amparo de fatos e evidencias, baseados apenas em sensibilidade e percepção, sempre leva a juízos errôneos. Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça (Jo 7.24). Abraão chegou numa terra nova, onde tinha familiaridade com as pessoas, costumes e nem muitas informações, pensou consigo mesmo e chegou a conclusões e simplesmente agiu como se as suas conclusões fossem fatos concretos. Fica a lição para nós de que mesmo andando dentro da vontade de Deus, e em direção à nosso real vocação, ainda somos humanos e ainda estamos sujeitos à falhas e erros. A melhor maneira de diminuir isso e até evita-los é aplicar os que conhecemos; Orar a Deus – consultar ao Senhor – Pedir orientação – agir com sabedoria. Abrão estava na terra da promessa, estava peregrinando para conhece-la em toda a sua extensão, tudo exatamente como fora instruído pelo Senhor. Mesmo assim, incorreu em erros como os que cometera no passado, quando ainda não era experiente em questões de andar com Deus e dar bom testemunho. Erros não estão associados somente a estar fora da vontade de Deus no contexto geral da vida. Sentir-se maduro e experiente o suficiente para já saber o que fazer, pode levar qualquer pessoa a incorrer em pecados e erros, que podem até comprometer o que até então fora construído. Quando lidamos com aconselhamento pastoral, nos atendimentos é muito comum, pessoas admitirem que “pensou” algo e “Concluiu que…” e já partiu para a ação, tomando decisões e fazendo coisas concretas, simplesmente baseadas em suposições pessoais, quando na verdade aquilo não era fato. Abraão falou consigo mesmo, que provavelmente as pessoas daquele lugar não eram tementes a Deus e consequentemente eram más e predispostas à violência e assim ele seria alvo delas; e se ele dissesse que sua esposa Sara, era apenas sua irmã, ele poderia evitar um possível conflito de interesses e assim salvar a sua pele. Quem garante que, só porque alguém não professa a mesma fé que a minha, ela seja má e ímpia e vai querer me prejudicar? Isso pode estar baseado na presunção de que somos os únicos que conhecemos a Deus e temos relacionamento com ele. Todos estão errados e podem nos perseguir e assim a melhor defesa é o ataque, e lá vamos nós, atirando para tudo que é lado. Assim como Deus se revelou a nós e usou de misericórdia, ele pode muito bem ter feito isso com outras pessoas também! A minha conclusão pode ser um grande engano e pessoas boas podem ser prejudicadas pela minha falsa conclusão.

 

Senhor, tenha misericórdia de nós, e permita que em nossa jornada por essa vida, deixemos marcas boas e construamos relacionamentos saudáveis por onde passarmos. Uma das razões de estarmos aqui, é justamente representar a ti e revelar a tua grandeza aos povos ao nosso redor. Queremos dar um bom testemunho, sempre. Oramos em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Mudanças Que Mudam as Pessoas

Meditação do dia 16/05/2018

E partiu Abraão dali para a terra do sul, e habitou entre Cades e Sur; e peregrinou em Gerar. E havendo Abraão dito de Sara, sua mulher: É minha irmã; enviou Abimeleque, rei de Gerar, e tomou a Sara.”  (Gn 20.1,2)

Mudanças que mudam as pessoas – Alguém poderia perguntar: “Mas de novo?” Abraão dizendo uma meia verdade para se proteger e preservar quem sabe o seu patrimônio, é quase inadmissível para nossa cabeça e coração. Mas quero dizer-lhe que de fato, aconteceu e que esse registro sagrado também é uma das grandes evidencias da veracidade e inspiração das Escrituras, como Palavra de Deus. Seria muito difícil a um judeu registrar seguidamente as falhas cometidas pelo patriarca da sua nação, caso ele tivesse a intenção de registrar apenas a história. A supervisão espiritual exercida pelo Espírito Santo sobre os autores humanos, levou-os a registrar a verdade verdadeira inspirada, para que cumprisse os propósitos didáticos divinos. Saiba, que o Senhor jamais irá acobertar os erros e pecados de quem quer que seja, piedoso ou impiedoso, próximo dele ou relapso na comunhão. Os anos de justiça e serviço prestado não serve de escudo ou muleta para nos amparar quando cometermos erros e injustiças. Pecado é pecado e o que Deus disse e pensa, permanece firme em todo tempo. Tu, pois, filho do homem, dize aos filhos do teu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão; e, quanto à impiedade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua impiedade; nem o justo poderá viver pela sua justiça no dia em que pecar (Ez 33.12). Eu também paro pensativo sobre esse episódio, e fico tentando ligar os pontos e tentar descobrir o fio da miada como diria os caipiras do interioorrr, e as minhas argumentações se firmam nos fatos das últimas experiências dos encontros com Deus e do grande crescimento espiritual que Abraão experimentou desde o episódio lá no Egito, descrito no capítulo 12 de Gênesis. Também pesa para mim, o fato de que embora a beleza de Sara fosse fantástica, ela já era uma senhora de 89 anos. Então posso também tentar vislumbrar uma realidade que não tem paralelo com nossos dias e padrões de beleza e etc. Fica na minha cabeça a pergunta em relação ao rei de Gerar, o porque ele desejou e levou para seu palácio uma mulher, com a idéia de toma-la como esposa, sendo ela uma anciã, até para aqueles dias? Não fora uma questão de rapto ou prisioneira de guerra, despojo etc. Ele ficou sabendo por fontes seguras que ela era irmã do forasteiro Abraão que acabara de chegar naquela região. Será que fazia parte do pacote de bênçãos para ela ter um filho, um rejuvenescimento tão vigoroso a esse ponto? Sabendo que para o Senhor não há impossíveis, fico um tanto mais tranquilo. O outro lado da moeda é minha observação sobre os lugares que frequentamos, que podem ser insalubres espiritualmente e pode comprometer nosso relacionamento com Deus. Abraão mudou-se para um lugar, onde peregrinou, que ao que tudo indica influenciou sua confiança e acabou por determinar sua conduta. Temendo um atentado contra sua vida e integridade, facilitou as coisas de forma socialmente conveniente ou a mais razoável possível. Quando pensamos em mudanças, estamos pensando em ações que nos transportam para novas condições e assim pode significar mudanças físicas e geográficas, como também, apenas mudanças interiores ou comportamentais. A experiência nos ensina que “toda mudança produz incômodo.” Precisamos lidar com isso, sempre e diariamente. Então vamos buscar orientação antes, durante e depois.

 

Obrigado, senhor, por nos ajudar nas mudanças do dia a dia e fazer o que é melhor e o certo. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Quando Deus se Lembra

Meditação do dia 15/05/2018

E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, lembrou-se Deus de Abraão, e tirou a Ló do meio da destruição, derrubando aquelas cidades em que Ló habitara.”  (Gn 19.29)

Quando Deus se lembra – Ser amado por alguém que verdadeiramente se importa pode fazer toda a diferença entre ser destruído e ser preservado numa tragédia ou numa situação de juízo. As pessoas são muito importantes para Deus e o agir dele no nosso mundo tem a ver com esse relacionamento. Nem sempre os dois lados se entendem, e quando digo isso, me refiro ao lado humano, que cria suas próprias maneiras de interpretar os fatos e as verdades e em grande parte, isso contraria a revelação da perfeita vontade do Senhor, e aí, o azar é nosso. Mesmo numa situação de tragédia para um povo inteiro, como era o caso dessas quatro cidades estados, que também eram reinos, Deus ainda agia com graça e misericórdia para salvar e livrar pessoas. O acordo firmado com Abraão naquela tarde de intercessão, ficou fechado em não serem destruídas as cidades, caso Deus encontrasse dez pessoas justas. Dez pessoas boas em duas grandes cidades e duas cidades menores, é realmente muito pouco. Em percentual da população seria um índice baixíssimo; mesmo assim o Senhor se demoveria de sua ação de juízo justo destruidor e pouparia as cidades. Infelizmente não deu quórum qualificado. Mas isso não impediu a graça divina de agir de modo salvadora e assim ele se lembrou de Abraão e montou uma operação de emergência para resgatar os poucos justos e assim aplicar o juízo. O que eu e você aprendemos disso? O que fica de lição para nós? Muita coisa boa e motivos de gratidão e louvor. Graças a Deus que ele é Deus e vê a vida de uma ótica mui elevada em relação à nossa visão. Mesmo dentro de uma tragédia anunciada, Deus ainda salva de graça e pela graça. Dá muito bem para lembrar a expressão do Salmo 91 Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti(v.7). Deus deixara claro para Abraão que não destruiria o justo juntamente com o ímpio e manifestou essa fidelidade, mesmo que à princípio, no ato em si, Abraão não pudesse ver ou saber, porque tudo começou de madrugada e ele só podia ver de longe, mas a verdade prevaleceu. Eu, nem sempre entendo de pronto o que se passa comigo ou ao meu redor, mas tenho a disposição de acreditar que Deus está no controle e que jamais ele comete uma injustiça ou arbitrariedade, portanto tudo vai dar certo e se encaixar no devido tempo. Deus não é exibicionista, nem ostentador, ele não precisa dar provas e nem ficar mostrando quem pode mais ou quem é que está no controle; assim ele segue agindo com juízo e justiça e mal algum chega as tendas dos justos, senão por uma permissão expressa e com propósito específicos. Por isso, sempre recomendo a nunca desistir de orar por pessoas ou situações que precisam ser modificadas, transformadas e só Deus pode agir. Se pudéssemos fazer alguma coisa, certamente já o teríamos feito; então se está na alçada do Senhor, devemos insistir, persistir, perseverar, pois isso será lembrado no momento oportuno. Demorar muito, é um conceito humano, baseado em nossa limitação de tempo-espaço, mas que para Deus não significa muita coisa ou quem sabe, até mesmo nada. Já o valor de uma pessoa, é infinitamente alto e precioso demais a Deus e assim as oração de intercessão por pessoas tem lugar especial nos ouvidos do Senhor. Nunca desista! Deus nunca desiste e nunca é tarde demais para aquele que sabe tudo, pode tudo e tem os recursos necessários e suficientes. Seguir em fé, sempre!

 

Senhor meu Deus, obrigado por salvar e libertar em todo tempo e aqueles que são apresentados a ti estão em memória eterna. Também somos gratos por aqueles que são intercessores e levam isso à serio e não desistem de orar e pagar o preço para vidas sejam alcançadas e preservadas para serem salvas pela graça de Cristo. Ao orarmos por mais trabalhadores para a seara que é grande, também pedimos por intercessores de qualidade e comprometidos. Oramos com gratidão, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Levantar-se de Madrugada

Meditação do dia 14/05/2018

E Abraão levantou-se aquela mesma manhã, de madrugada, e foi para aquele lugar onde estivera diante da face do Senhor;”  (Gn 19.27)

Levantar-se de madrugada – Algumas pessoas tem hábitos noturnos. Sã mais produtivas à noite, quando a maioria o são durante o dia. Há também aqueles que atravessam a madrugada trabalhando e conseguem muito bem conciliar o horário de sono, sem maiores prejuízos. Mas há também os que são madrugadores, que gostam de levantar bem cedo e começar o dia antes do sol nascer. Alguns ofícios e profissões demandam isso, e já fiz parte dessa elite madrugadora por motivos de trabalho em tempos idos da minha juventude. Há igrejas que mantém cultos matutinos ou reuniões de oração para atender a demanda de membros que não dispõem de tempo regular como os demais e muitas dessas reuniões são bem frequentadas. A vida moderna e os grandes centros urbanos com suas vidas agitadas demandam muito essas mudanças de hábitos. Em termos devocionais, muitos gostam de cultivar hábitos de oração e culto doméstico ou pessoal pelas madrugadas para aproveitar melhor o silencio e quietude, quando podem se concentrar bem no estudo, meditação e oração. Alguns até por necessidade, pois se torna o horário em que o barulho e agitação das atividades domésticas cessam e assim é um tempo de qualidade para se estar com Deus. Cada pessoa, cada situação e cada lugar de habitação demandam sua própria logística e Deus dará sabedoria para que todos tenhamos um tempo a sós com ele. Por muitos anos, mantemos uma reunião de oração aqui na Monte das Oliveiras, de 06-07:00 da manhã. Gosto tanta da oração, quanto da disciplina de levantar e estar ali para dar um bom dia ao Senhor e começar o dia e a semana fazendo algo de muita relevância. Não são muitos os frequentadores, mas temos um time titular absoluto e que apoiam bem uns aos outros e temos experimentado muita graça e alegria na presença do Senhor. Seguindo as pistas de Abraão, ontem ele esteve até mais tarde em intercessão diante da face do Senhor pelas cidades que estavam na mira dos juízos divinos e haviam pessoas que ele amava e se importava com elas. Buscou a Deus e foi até as últimas instancias para preservar não apenas um pequeno grupo de pessoas, mas se possível salvar as cidades todas. Ao final da intercessão, Deus retornou e Abraão foi para casa e agora, vemos que na madrugada ele já estava de pé e voltou àquele lugar onde estivera na presença do Senhor. Como Deus ensinou para Moisés anos mais tarde, qualquer lugar onde a presença de Deus está, é terra santa. Abraão voltou ao lugar porque ali ele tivera momentos muito significativos diante do seu Deus e também dali ele pode contemplar uma sociedade em degradação e ver aquilo do mesmo ponto de vista de Deus. Quando saiu dali ontem, ele estava convicto de que o Senhor estava agindo em retidão e justiça e que os justos seriam preservados e os ímpios seriam punidos com medida justa. Aprendi uma expressão do mundo das finanças e investimentos que diz que “o ex ante não existe para nós.” Isso significa que não temos como saber antecipadamente algo e quando sabemos, já aconteceu e não tem mais como fazer diferente. Um exemplo disso seria: “se eu soubesse que iria dar nisso, teria feito diferente!” Não temos como saber! Quando Abraão chegou de madrugada, ele já avistou fumaça subindo daquelas cidades e só depois poderia conferir o que de fato acontecera. A intercessão tem um preço a ser pago e o intercessor tem que conviver com as decisões assumidas por pessoas que lhe são queridas, mas que exercitam mal os seus direitos de escolhas. Não desista de orar e clamar especialmente enquanto ainda há tempo de mudanças.

Pai amado, estar em tua presença é gratificante, seja em que lugar que for. Quero aprender com a experiência do teu amigo e nosso pai na fé, que permaneceu diante de ti em intercessão por uma sociedade ímpia e que desprezava a tua vontade, mesmo assim foi amada e recebeu atenção e as orações do teu servo. Estamos em momentos muito delicados no Brasil e como teu povo, precisamos nos humilhar, orar e nos convertermos dos nossos maus caminhos e buscar a ti pela nação, pois em ti está a cura e a restauração da nossa terra. Esperamos por tempos melhores por causa da tua graça e não pela leitura dos tempos que são maus. Salva, ó Senhor a nossa nação, por amor do teu nome. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Quando a Conversa Acaba

Meditação do dia 13/05/2018

E retirou-se o Senhor, quando acabou de falar a Abraão; e Abraão tornou-se ao seu lugar.”  (Gn 18.33)

Quando a conversa acaba – Em termos simples e literais temos tres fatos: A conversa acabou, Deus se retirou e Abraão voltou para casa. Mas estamos pensando e refletindo nos sentidos práticos e nas lições que essa experiência trás para cada um de nós. Como filhos de Deus e em estágio de desenvolvimento e crescimento na comunhão com ele, vemos aqui, Abraão como o nosso representante. Um humano tendo um encontro literal com o Deus Todo Poderoso, num bate papo saudável, amistoso, mas de muito relevância para ele e para toda a humanidade. O resultado dessa ação refletiria em todos os que amam a Deus e procuram se identificar com seus propósitos. Uma vez que estamos procurando conhecer mais a Deus, nos importamos com os relatos de todas as pessoas, humanas como nós que tiveram um encontro significativo com o Criador e aprendeu muito e foi abençoado. De todos os tipos de encontros que são possíveis aos homens, esse é o que mais trás significado e sentido para a vida. Uma simples aparição ou revelação divina de curtíssima duração já altamente significativa para o adorador; agora essa aqui, foi por demais significativa e todos ambicionaria ter uma experiência como a de Abraão. Lembrando que ele recebeu a visita física e pessoal de Deus em sua manifestação pré encarnada, que é Jesus; Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou” (Jo 1.18). O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação (Cl 1.15). Todas as vezes que aparece na Bíblia uma citação que Deus veio, Deus falou com, Deus apareceu a, e assim por diante, se refere à pessoa de Jesus antes de sua encarnação. Toda revelação do Deus invisível é através de sua expressão visível, Jesus. Voltando ao assunto; Abraão recebeu em sua casa, no meio da tarde uma comitiva divina, manifestados em três homens, Jesus e dois anjos, claro. Eles se sentaram e receberam tratamento VIP de hóspedes de honra e Abraão preparou uma refeição, e sobremesa, como manda o figurino. Comeram conversaram e deram uma boa notícia para o casal de que dentro do tempo normal de vida, nasceria o filho deles, Isaque; Sara achou prá lá de engraçado engravidar naquela idade e ter um filho de modo natural e Deus deu-lhe uma chamada de atenção, porque ela estava manifestando dúvida sobre o caráter dele e sua capacidade de cumprir o que prometia. Depois levantaram-se para partir porque tinham mais tarefas para completar e Abraão os acompanhou e Deus compartilhou com ele que estava sondando as cidades de Sodoma e Gomorra, porque estava chegando muitas orações de lá, por motivos de impiedade, maldade, violência e imoralidade e a provável solução seria destruí-las com uma ação de juízo. Então Abraão entrou em diálogo com Deus intercedendo pelas pessoas que eram boas e justas que viviam lá, para que fossem poupadas, por misericórdia e justiça. A intercessão foi aceita e os termos estabelecidos. Deus afirmou que não destruiria as cidades, se houvesse ali, dez pessoas justas. Acordo fechado, Deus se despediu e Abraão voltou para casa, certamente pensativo, alegre pela visita e a conversa, mas também com o coração apertado pela destruição que poderia acontecer. Há, então, percebemos, um tempo da visitação de Deus a nós, ao nosso povo, nossa nação e quando ele faz as suas observações e ordena arrependimento e conversão e há o tempo quando os resultados não aparecem e ele entra em ação. Há tempo para tudo e Deus sempre agirá no tempo certo e da maneira certa sem nunca ser injusto ou infiel à sua palavra e suas promessas. O fato de termos de agir e experimentar Deus pela fé, não muda as regras e o modo dele agir. Creia e viva sua fé com sinceridade, fidelidade e no temor. Não confunda as coisas e não tenha medo de Deus. Nunca!

 

Pai, obrigado por esse dia e pela amizade que demonstras a nós através da pessoa de Jesus. Reconhecemos a tua santidade e o teu poder, como também o direito e agir com juízo e justiça na igreja e nas nações. Obrigado por acolher a intercessão da igreja e abrir portas de salvação e livramento para os que estão oprimidos e em situação de risco. Oramos em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Pó e Cinzas, Mas Atrevido

Meditação do dia 12/05/2018

E respondeu Abraão dizendo: Eis que agora me atrevi a falar ao Senhor, ainda que sou pó e cinza.”  (Gn 18.27)

Pó e Cinza, mas atrevido – Reconhecer a identidade e o destino é uma grande bênção. É Libertador e confere autoridade e propósito para a vida. Uma verdade muito grande que a vida cristã nos ensina é que a presença de Deus e majestosa e ao mesmo tempo reveladora. Não é por nada que uma das revelações de Deus é como luz. E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhuma (I Jo 1.5). O Senhor Jesus ensinou que a luz é reveladora e não esconde nada sobre ou de quem dela se aproxima. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus (Jo 3.19-21). Aproximar-se de Deus, em qualquer sentido, físico, como Abraão, os discípulos, ou pela fé, na comunhão ou em sentido figurado, sempre será revelador, pois sua santidade e sua essência de pureza e graça é influenciador, para dizer o mínimo. Posso afirmar sem medo de errar, que é impossível alguém ter um encontro com Deus e sair do mesmo jeito, sem uma transformação. Abraão estava na presença de Deus e estava confortável, seguro, confiante, porque a presença do Senhor é confortadora; ela só produz medo e outras reações quando há uma condição negativa, pecaminosa ou de incredulidade no coração da pessoa. A essência de Deus é amor, graça, acolhimento e paternidade no melhor sentido da palavra. Quando estavam ali, Abraão sabia perfeitamente quem ele era e na presença de quem estava e embora fosse o Deus Altíssimo, o possuidor dos céus e da terra, o Grande El Shaddai, era também o seu amigo e abençoador. Alguém que se propunha a fazer uma aliança de vida e promessas futuras muito concretas. Um Deus assim, não tinha planos de acabar com a raça daquele mortal insolente que ficava perguntando demais e negociando, como se estivesse tratando com um mercador. O senhor nosso Deus, jamais vai dar promessas que nos consuma, nos destrua e nos afasta dele. O fato de sermos criaturas, sermos feitos de barro, pó e cinzas nas palavras de Abrão, não mudo o fato de Deus ser Deus e nos amar e amar muito. Com pó e cinzas nas suas mãos ele faz obras de marte maravilhosas e vasos muito preciosos. Reconhecer que o de fato somos, não nos faz menores, nem piores e não nos degrada; fomos criados por ele assim e segundo ele próprio “ficou muito bom!” Como servos, o somos por escolha de servir e nos submetemos ao Senhoria de Cristo por amor e resposta ao seu amor demonstrado  por nós na cruz. Não somos servos pegos no laço e levados a ferro e fogo. Em atenção ao seu investimento em nós, ficamos constrangido em servi-lo. São essas as palavras do apóstolo Paulo. Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram (2 Co 5.14). Todo intercessor é ousado, atrevido, mas não irreverente ou insolente, quem se propõe a interceder diante de Deus por vidas alheias em risco de perdição, são pessoas com os corações cheios de amor e não se deixam abater pelas dificuldades e obstáculos, colocando suas próprias vidas em risco para salvar as outras e Deus reconhece isso, porque foi isso, exatamente isso que ele fez por meio de Jesus. Intercessores, tem disposição de dar suas vidas, desde que as outras sejam salvas; intercessores são sacrificiais. Aquele velho lema, serve-lhes muito bem. “Se não houver uma causa que valha a pena morrer, então a vida não vale a pena ser vivida.” Abraão era um intercessor, não por acaso em muitas situações tipológicas, ele representa Deus.

 

Pai, obrigado por valorizar o amor e a intercessão que pessoas apresentam diante de ti todos os dias. Jesus foi intercessor e ainda o faz diante de ti por cada um de nós e somos agradecidos por isso. O Espírito Santo nos guia por toda a verdade e estar na tua presença é uma experiência transformadora e que desejamos muito. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason