Fazendo História

Meditação do dia 20/04/2016

Et 9.28 E que estes dias seriam lembrados e guardados em cada geração, família, província e cidade, e que esses dias de Purim não fossem revogados entre os judeus, e que a memória deles nunca teria fim entre os de sua descendência.”

Fazendo história – Sou parte de uma geração que vive um tempo de transição. Nascemos, crescemos e parte da nossa educação e desenvolvimento aconteceram numa metodologia e num sistema, que agora já podemos dizer “que isso não nos pertence mais!” Vimos o progresso começar a aparecer e as tecnologias darem seus primeiros passos e agora, já fomos engolidos vivos por um monstros chamados era digital, tempo real, conectividade, etc. Novas expressões surgem a cada dia e quando ficamos sabendo, já está obsoletos. Sucesso aparece e desaparece tão rápido que muitos nem tomam conhecimento. O jornal de ontem, é literalmente velho. Nada disso é novidade, mas as pessoas que ainda estão se movendo aqui, ainda são gente de carne e osso, ainda tem emoções, vontades, sonhos e agora, mais do nunca se perguntam se haverá um futuro, e se houver, como ele será? No fundo mesmo, eu e muitos outros querem estabilidade, um pouco de sossego e de rotina. Estou falando isso, não porque seja pessimista e sem esperança, ao contrário, sou privilegiado de ser filho de Deus e ter em mãos o livro sagrado que nos conta os desígnios divinos para os tempos e a eternidade. O que vejo no futuro, logo ali na minha frente é de encher os olhos, encher o coração e ver que valeu a pena servir e ser fiel ao meu Deus. Como não dá para fazer omelete sem quebrar os ovos, entende e aceito perfeitamente o destino que está em curso para esse mundo e o seu sistema corrupto e maligno. A obra de purificação e restauração, será incomparável em grandiosidade e alcance. O que isso tem a ver com a meditação de hoje no livro de Ester? Tudo e mais um pouco. Para os desavisados de plantão, o livro de Ester nada mais é do que uma história romântica de uma órfã pobre e condenada com sua etnia e que deu sorte de ser bonitinha e ganhar um concurso de beleza e casar com o rei e viveram felizes para sempre. Para os filhos de Deus, vemos como a providencia graciosa de Deus, alcança seus propósitos através de pessoas simples, humildes e disponíveis a Deus e ao seu plano. Homens comuns, que recebem um encargo e se tornam ministros de estado de impérios globais e fazem excelente administração, não só para o bem de sua dinastia e etnia, mas compõe o quadro eterno do reino de Deus. Pessoas com uma visão muito além do alcance dos reles mortais, que comemoram uma vitória da justiça sobre a injustiça e que marca no calendário uma data para ser celebrada para sempre, de geração em geração, como se eles tivessem poder e autoridade sobre os tempos; Mas não é que tiveram mesmo? Pois até hoje, em 2016, do Século 21, somando se a isso mais outros quatro séculos e meio, antes de Cristo, o decreto de Ester e Mordecai é seguido à risca no mundo todo pelo povo judeu. Nem da linhagem real israelita eles eram, Mordecai e Ester eram da tribo de Benjamim. Para Deus operar e revolucionar o que necessário for, tudo que ele precisa é de pessoas disponíveis, submissas e comprometidas. Por isso mesmo, que você e eu servimos sim, aos propósitos eternos dele. O poder e também a glória, sempre será de Deus e para mim, isso não é problema! Onde estou, onde você está, é o lugar e agora é o tempo de se fazer o que precisa ser feito, sob orientação do Espírito Santo e da Palavra de Deus. A história se encarregou de comprovar que o esforço e a fé da rainha e do seu fiel escudeiro Mordecai, valeu a pena. A nossa história, ainda está sendo escrita.

 

Senhor meu Deus e Pai, graças te dou por me permitir participar de um reino que vai muito além de mim e da minha história. Obrigado por colocar ao meu lado pessoas fiéis e corajosas, que não vacilam nos momentos difíceis e me ajudam e se esforçam no poder do Senhor. Obrigado pelos muitos servos fiéis que estão firmes dedicando-se as tarefas onde foram colocadas por ti; Oro para que eles tenham suas forças renovadas por ti a cada dia. Oro por suas famílias e pelos seus parceiros de caminhada. Derrama sobre todos nós, nesse dia uma porção generosa do seu poder e da sabedoria do alto, para prevalecermos nesses dias, até que o projeto inteiro esteja consumado. Em nome de Jesus, amém!

 

Pr Jason

Anúncios

A Humildade Precede a Honra

Meditação do dia 19/04/2016

Et 8.15 Então, Mordecai saiu da presença do rei com veste real azul e branco, como também com grande coroa de ouro e manto de linho fino e púrpura; e a cidade de Susã exultou e se alegrou.”

A humildade precede a honra – Ninguém entende mais de relações humanas do que Jesus e ninguém conhece melhor os caminhos do sucesso e de como evitar o fracasso, do que ele, o mestre. Ele disse muito sobre o papel da humildade e como isso importa no reino de Deus. Tiago, irmão de Jesus e no seu livro, ele diz que “Deus resiste aos soberbos, porém concede graça aos humildes” (Tg 4.6). A história de Mordecai e da rainha Ester comprova que essa verdade funciona na prática. No capítulo três, no verso final, mostra Hamã sentando-se para um “drink” com o rei, em celebração do decreto que lhe permitia a exterminação dos judeus, enquanto eles do lado de fora do palácio, na cidade de Susã havia perplexidade. Tudo aconteceu para despertamento e aprendizado de todos nós, sem omitir os próprios personagens, que viveram a experiência. A fé, a oração, a unidade de propósito e perseverança de todos foram testados até quase à exaustão, mas as bênçãos vieram em abundancia. Ester soube se portar não só como mulher, mas como uma dama, uma verdadeira rainha, alguém com responsabilidade de cuidar e proteger uma nação inteira. Se mostrou firme, determinada, sábia e disposta a trabalhar em cooperação, sabendo o valor do trabalho e do esforço de cada pessoa na sua equipe. Desde as damas que a acompanhavam no dia a dia, os eunucos de serviço, o tio plebeu, mas um nobre de coração  e um verdadeiro “lorde,” e sem deixar nem por um instante de depender da graça de Deus, de fato e de verdade. Definitivamente, Ester não era apenas um rostinho bonito, mas uma mulher que mereceu o seu nome e o seu lugar na história. Há pessoas que nascem nobres de berço e passam a vida toda sendo medíocres e plebeus de caráter e de atitude, sem jamais merecer ou fazer jus ao que a vida lhe concedeu. Por outro lado, há pessoas que nascem simples mortais, sem nome, títulos ou traços de valor social, mas produzem na vida o suficientes para até os de sangue azul se curvarem diante deles em reconhecimento e gratidão. Com Deus no coração e com consciência de seu valor, qualquer pessoa pode construir seu nome e deixar um legado que o seguirá pela eternidade. Por todos os lados encontramos pessoas notáveis, imprescindíveis, que jamais aparecera ou serão vistos na mídia ou terão suas histórias contadas; mas não faltam testemunhas e pessoas agradecidas pela existência delas e pelo papel que desempenharam na vida. À poucos dias, Mordecai estava se descabelando e clamando em profunda tristeza e chegando vestido de saco para se assentar na porta de entrada do palácio; um trapo humano, condenado ao massacre, desprezado e objeto de ódio. A roda girou, e agora ele aparece na sacada do palácio, vestido com o manto real, coroa e todos os paramentos que identificam alguém da nobreza e do quadro de ministros reais e na cidade, agora alarido de festa. Que diferença! Quem se humilha será exaltado e quem a si mesmo se exalta, será humilhado. Lição, que precisamos manter em mente o tempo todo.

 

Senhor, obrigado por ser humilde de coração e guiar nossas vidas por esse mesmo caminho. Reconhecemos que a cada dia precisamos reconsagrar-nos e manter sob vigilância o nosso coração para continuarmos recebendo graça em tempo oportuno. Obrigado pela vida de filhos e servos como Mordecai e Ester, que se dispuseram a ser bênçãos e construir o reino. Hoje, é tempo oportuno de aprender mais. Obrigado Espírito Santo, guia o meu coração e a minha vontade, para alinhar-se com a perfeita, boa e agradável vontade do Pai. Em nome de Jesus. Amém.

 

Pr Jason

Sutileza jurídica

Meditação do dia 18/04/2016

Et 7.3 Então, respondeu a rainha Ester e disse: Se perante ti, ó rei, achei favor, e se bem parecer ao rei, dê-se-me por minha petição a minha vida, é pelo meu desejo, a vida do meu povo.”

Sutileza jurídica – Os caminhos pelos quais Deus realiza os seus propósitos são muito misteriosos, do ponto de vista humano. Como para Deus não existe milagre, sobrenatural, impossível, então todas as coisas são plenamente possíveis e viáveis. Hamã estava articulando maldades e contando com alguns fatores favoráveis, entendendo que por estar do lado “forte” que seria estar no palácio, ter o favor do rei, estar cercado de recursos que lhe permitiam agir sorrateiramente como se nunca houvesse possibilidade  de ser apanhado. Do outro lado, estava, Mordecai, Ester e muitas pessoas de bem, anônimas, orando e buscando a vontade de Deus e certos de que não ficariam abandonados nas mãos de um tirano de calças curtas. Não sem razão que o Deus deles era conhecido como o “Senhor dos Exércitos,” com larga experiência de salvar o seu povo das garras de tiranos bem mais robustos, como Faraó, em várias dinastias, reis cananeus, Assírios, Etíopes e até mesmo incursões internas no seu próprio povo, como o rei Acabe, Jeroboão, Manassés e etc. Mas algo que me chamou a atenção, foi a sutileza de percepção da rainha Ester; considero uma expertiz jurídica, de valor muito grande para a causa dela. O rei tinha lá sua quedinha por ela, que de fato era graciosa, mas não oportunista e em nenhum momento vemos ela utilizar de argumentos e artifícios sujos ou maliciosos, como a sensualidade ou a famosa “carência feminina” para atingir seus fins. Isso é lindo e digno de exemplo não só para as mulheres, mas para todos os servos de Deus. Ela sabia que a batalha se travava em campo espiritual, e não havia nenhuma evidencia de carne e sangue, portanto ela usou armas espirituais, “poderosas em Deus para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo.” (2 Co 10.4,5). Ao invés de usar um vestido mais curto e justo, com decote generoso e carregar na maquiagem, perfumes, caprichar no andar com uma balaço nos quadris, um olhar 43 e uma vozinha de gata manhosa e donzela desamparada e em perigo… Ester convocou a sua célula para (Et 4.16) para três dias de oração e jejum ininterruptos, dia e noite. Só depois disso é que ela se apresentou elegantemente vestida diante do rei (confira algo sobre Jejum em Mt 6.16-18). Jejum não é moeda de troca com Deus, ou seja, quanto mais hora se passa fome, mais méritos ou benefícios se adquire; o propósito do jejum é quebrantar o físico e assim dar vantagem ao espirito sobre a carne e conseguir melhor discernimento e sabedoria espiritual e isso foi visto em Ester e na solução da situação. O rei perguntou qual sua petição e o seu desejo? Ela não entendeu como sendo uma coisa só ou redundância, ela captou a idéia e fez uso apropriado de cada um; pela petição eu quero a minha vida e pelo meu desejo eu quero a vida do meu povo. A  arma poderosa em Deus, levou Ester à vitória e Hamã já saiu da casa dela algemado e direto para a forca. Mordecai que tinha uma forca preparada para seu pescoço, saiu da porta do palácio para um gabinete de administração dentro do próprio palácio. O que você aprendeu com essa rainha? Além de linda, inteligente, sensata e cheia de fé, que usa as armas certas para as batalhas certas. Ao chegar ao céu, é claro que vou pedir uma audiência para conhece-la pessoalmente!

 

Senhor, obrigado por nos dar exemplos tão bons e práticos, como esse da rainha Ester, que salvou milhares de vidas, sem ceder a caprichos e sem se aviltar. Ao contrário, ela pode apresentar a sua criadagem a um Deus tão vivo e poderoso, que eles não conheciam. Obrigado pelas muitas oportunidades que temos de testemunhar do teu amor e do teu previdente cuidado. Que sejamos ousados para bem e diligentes em lançar mão das armas espirituais poderosas disponíveis a nós por Jesus Cristo; nele, somos mais que vencedores. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Dois Homens e Dois Destinos

Meditação do dia 17/04/2016

Et 6.12 Depois disto, Mordecai voltou para a porta do rei; porém Hamã se retirou correndo para casa, angustiado e de cabeça coberta..”

Dois homens e dois destinos – Como a vida dá voltas! Quem hoje está por cima, amanhã pode estar por baixo. Encontramos nesse capítulo o mais puro e destilado princípio da conduta humana. Como se portar diante de ventos contrários e como surfar na onda do quanto pior melhor. Dois homens, de origens distintas e vivendo na mesma época, numa mesma cidadezinha e embora em círculos sociais diferentes, um determina as ações do outro. Mordecai era um exilado, que lutava para sobreviver e desejava ver a restauração do seu povo. Havia acabado de ter uma experiência boa, ao ver sua filha de criação se tornar a Rainha Ester e por ela ainda estar num processo de adaptação à nova vida e nova condição, ele a monitorava de perto, para se certificar de que tudo iria bem e caso ela precisasse de alguma ajuda, ele esatria por perto. Era um homem simples, comum, mas um homem de fé e de bom coração. Pelo que dele se lê era altruísta e buscava o bem de muitos em detrimento de si mesmo. Era sábio e prudente, pode-se ver isso pelas instruções dadas a Ester e nas  decisões tomadas em todas as situações em que teve participação. Do outro lado, encontramos um político oportunista, um membro naturalizado naquela sociedade, um verdadeiro alpinista social, daqueles que querem o poder pelo poder e estava disposto a fazer qualquer coisa para chegar na frente. Era corrupto, orgulhoso, muito vaidoso com sua imagem inflada de presunção. Para os cristãos, Jesus ensinou uma lição muito preciosa, sobre humildade quando nos apresentamos em um círculo social; o mestre recomendou que ao se apresentar, fique na sua, seja decente, não se atire a escolher lugar que tenha representação de honra e poder. Permita que o dono da festa, cuide disso para você e te traga para mais perto, o que te deixará bem à vista de todos. Melhor que ser convidado a dar o seu lugar para alguém que acaba de chegar e assim, você será rebaixado aos olhos dos demais. A moral da história é, na verdade, ser humilde e deixar que os outros de apresentem e te honrem e não você fazer isso a si mesmo. Mordecai fizera algo grande e de utilidade para o rei, e fez porque era ser dever como cidadão fazer e não esperava nada em troca e nem tampouco ficou ressentido de não ter sido recompensado ou receber agradecimento da parte do rei. Hamã, não tinha nada para oferecer e apresentou uma mentira para justificar um extermínio de vidas preciosas e se achava o preferido do rei e ele era “o cara.” Foi pego na sua própria astúcia, porque o rei resolveu corrigir a situação de não ter honrado de alguma forma o favor que Mordecai lhe fizera, e quis se aconselhar com Hamã, par saber o que seria algo que mostrasse a apreciação real a uma pessoa. Como ele pensava apenas em si mesmo, e se achava o centro do universo, só poderia haver uma única pessoa no mundo digna de receber honrarias reais e nesse caso, era ele mesmo; por isso superfaturou e superestimou o pedido do rei, propondo uma passeata, com trombetas, arautos e muitos confetes, sem falar em fazer uso de coisas que nunca estaria à disposição de plebeus: Montar o cavalo real, vestir roupas e mantos reais, usar a coroa real e ser proclamado publicamente como “o cara” que o rei gosta. O duro disso tudo, é que o rei gostou da idéia! Gostou tanto, que lhe conferiu como pai da matéria, a honra de fazer isso com alguém a quem o rei desejava honrar….. de todos os mortais do império tinha que ser logo aquele homenzinho birrento que não se dobrava diante dele. Como eu costumo dizer: “o castigo veio à cavalo!” Salomão já havia dito, que a soberba precede a queda. Foi aí, que a história dos dois começara se inverter – o humilhado passaria a galgar posições de honra e o orgulhoso, começaria a descer as escadas da humilhação e vergonha, até o fundo do poço. Se aprendermos com as experiências dos outros, não precisaremos passar pelos vexames e humilhações que o caminho do egoísmo leva. Seja simples, seja humilde e aguarde a sua vez, ela vai chegar!

 

Senhor Jesus, tu és manso e humilde de coração; do início ao fim de sua passagem humana entre nós, essa trilha da humildade e simplicidade jamais a deixaste de lado. Obrigado, por nos alcançar em nossa condição de homens pecadores, com corações cheios de orgulho e arrogância, soberba e desejos de sermos mais do que realmente somos. Perdoa-nos quando somos lentos e tardios em aprender as lições do discipulado. Mas também agradecemos pela honra de sermos chamados teus amigos e irmãos. Ao Pai, toda honra e toda glória. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Até Metade do Reino

Meditação do dia 16/04/2016

Et 5.3 Então, disse o rei: Que é que tens, rainha Ester, ou qual é a tua petição? Até metade do reino se te dará.”

Até metade do reino – Quem nunca sonhou achar o mapa do tesouro? Tirar a famosa sorte grande? Muita gente, é claro, e contudo, a vida continua normal, e todos ainda precisamos trabalhar duro todos os dias. A fantasia de encontrar a lâmpada mágica, ou a garrafa com o gênio bonzinho que atende três desejos, fez parte da infância de toda a meninada ligada nos desenhos animados da TV. Mas na vida real, as coisas não são tão simples assim. Mas eu gostaria de pensar em situações inusitadas como essa na vida da rainha Ester. Alguém que tem a oportunidade de pedir o que quiser e ganhar sem contestação, e no caso dela, o rei já propôs para início de conversa, “até metade do reino;” era no mínimo sessenta e cinco províncias. Mas o interessante é que ela nem deu bola para tal oferta. Por que será? Quando Deus se revelou ao rei Salomão, deu-lhe também a oportunidade de pedir o que quisesse e ele sem dúvida alguma pediu sabedoria para governar o povo. Quais são as prioridades da nossa vida? Quais são os verdadeiros tesouros e riquezas que move o nosso coração? Estar tinha a ideia de resolver uma questão que envolvia milhares de pessoas, homens, mulheres, crianças, uma nação inteira, que tinha um propósito muito elevado para realizar e estava sofrendo um perseguição com risco de aniquilação. O que ela faria com um império, metade do que ela atualmente era rainha? Ela não estava pensando somente nela e no seu orgulho e nem tampouco de sede de poder e até poderia justificar dizendo que com um reino dela própria, poderia até mesmo proteger o seu povo da destruição programada. Os testes, ou provas que vem à nossa vida, servem para aquilatar a qualidade do nosso caráter e a autenticidade da nossa fé. Bens materiais tem lá o seu valor, e servem para alcançarmos outros alvos e metas no caminho de um propósito maior. O coração da pessoa precisa estar realmente confirmado com a graça de Deus, para não ser seduzido pelo brilho flavo do ouro. O Rei Herodes fez a mesma proposta insensata para a adolescente filha de Herodias, em troca de uma dança, no dia do seu aniversário (Mc 6.22,23), e ela foi instigada pela mãe para trocar tudo isso pela cabeça de João Batista. Salomão e Estar fizeram muito bom uso da oportunidade que tiveram. Temos visto, que muitas oportunidades aparentemente vantajosas aparecem de quando em vez, aos servos de Deus, e quase sempre isso leva a escolhas entre pegar algo bom e perder algo melhor; ganhar algo agora em detrimento de perder algo de valor eterno. Alívio temporário, por solução definitiva. Não ceda a tentação, principalmente que elas aparecem em momentos cruciais da nossa vida. Lembrando sempre, que fazemos o certo, porque é certo, não porque é conveniente, mais fácil, lucrativos etc. Ande no temor de Deus e experimente o amor e a generosidade de Deus em suprir tudo que precisar, sem negociatas e sem nada em troca.

 

Obrigado Senhor, por nos dar oportunidades de fazer escolhas e decidir com plena liberdade de consciência o que queremos, sabendo que toda escolha tem suas consequências. Obrigado por enviar Jesus, que escolher dar sua vida por nós, quando ainda éramos inimigos. Obrigado pelo perdão dos nossos pecados, baseados na obra redentora de Cristo. Sou grato pela assistência do Espírito Santo para os momentos difíceis e as provações que me sobrevem, colocando minha fé em prova; Graças, Senhor, porque podemos todas as coisas, em Jesus que nos fortalece. É no nome dele que oramos, com gratidão. Amém.

 

Pr Jason

Quem Sabe?

Meditação do dia 15/04/2016

Et 4.14 Porque se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha?.”

Quem sabe? – Quantas vezes essa pergunta já foi feita diante de situação inoportuna ou afortunada e não se sabe precisamente que desfecho isso terá. Prever o futuro é um dom que conecta a pessoa, àquele que tem o controle do tempo, que é Deus. Mas nem sempre o criador estará revelando por antecipação o que vem pela frente e Ele tem lá suas razões. Deve haver um forte motivo, um propósito que justifique dar aos mortais uma informação que está adiante deles no tempo. Mas uma das boas razões para se relacionar com Deus é a estabilidade e segurança que a sua pessoa proporciona aos seus adoradores. Abraão, que chamamos de o “pai da fé,” teve uma grande experiência de conhecer a Deus como “Jeová Jireh” ou o Deus Provedor. Isso foi marcante para sua vida e sua experiência com aquele ser com quem ele se relacionava pela fé e estava conhecendo melhor a cada nova manifestação e revelação. Muitas coisas, depois daquela experiência ficou resolvido na vida do patriarca, porque ele não mais precisava ficar preocupado e ansioso por coisas e situações, mesmo em relação ao futuro, porque ele sabia que o seu Deus era capaz de prover-lhe o que necessitasse. Isso. Claro, foi passado como legado e herança de fé para todos os descendentes e até mesmo depois de centenas de anos, já uma nação constituída, eles viviam confiando nas promessas feitas por aliança entre o Deus de Abraão e seu povo, agora conhecido como nação de Israel. Hoje, no século 21 depois de Cristo, somos também herdeiros das mesmas promessas divinas feitas à Abraão e ao seu povo, por uma aliança, que foi feita e selada por Cristo, simbolizada naquela celebração da Ceia, momentos antes de dar sua vida lá no Calvário em Jerusalém. “Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão” (Gl 3.7). Podemos não saber o futuro antecipadamente, mas conhecemos as promessas de Deus e conhecemos também o seu caráter santo e que suas palavras jamais deixam de se cumprir; assim então podemos agir com conhecimento de que estamos andando dentro dos termos da aliança, portanto, na direção certa e isso nos dá margem para saber que estamos vivendo os propósitos para os quais fomos criados e treinados. Por isso como bons mordomos dos bens de Deus, entendemos que tudo que acontece em nossas vidas tem uma utilidade e um propósito, que no devido tempo há de se revelar e as peças então se encaixarão no seu devido lugar. Mordecai, o primo da rainha Ester, que a criara e prepara para um estilo de vida, que só se revelou depois, quando por circunstancias inusitadas, ela chegou ao trono de rainha de um vasto império mundial de sua época, se vendo encurralado por um decreto perverso de um ministro do rei, que pretendia destruir e exterminar todos os cidadãos judeus do império num mesmo dia, já com data marcada, apelou para que a rainha intercedesse junto ao rei. Na recusa inicial dela, ele foi profético e muito confiante no Deus provedor de seu povo. Ele afirmou que Deus levantaria livramento para o seu povo de um ou de outro lugar; com o sem rainha Ester; Mas ela deveria reavaliar sua posição, porque ela poderia ser a instrumentalidade a ser abençoada para livrar o seu povo. Ela compreendeu e agir e a história confirmou que Mordecai tinha razão. Constantemente precisamos estar fazendo avaliações e observando a nossa vida e as coisas que acontecem ao nosso redor, porque há propósito em tudo e podemos estar preparados exatamente para uma ocasião especial que Deus vem trabalhando nela por muito tempo, para que tudo aconteça como ele projetou. Sempre estou, como pastor conclamando os membros e participantes da igreja a observar detalhes como: Profissão, habilidades, oportunidades, talentos, e também olhando o que ocorre ao nosso redor. Estamos aqui para cumprir um papel e na hora que ele aparecer, precisamos estar no lugar certo, na hora certa e com as condições certas.

 

Pai, obrigado por ser o nosso Deus provedor e nos colocar em condições de servir muito além do que entendemos. Obrigado por abrir portas de oportunidades e suprir meios de realizarmos a sua perfeita vontade. Lembramos em oração as pessoas que tens permitido ou esmo intencionalmente colocado em nosso caminho, para serem ministrados por nós, ou para ministrarem a nós. Obrigado por distribuir os dons que necessitamos para a vocação que colocaste no nosso coração. Pela tua mão poderosa que nos conduz de forma segura e firme e assim podemos servir a ti e as pessoas indicadas por ti. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Intolerancia

Meditação do dia 14/04/2016

Et 3.8 Então disse Hamã ao rei Assuero: Existe espalhado, disperso entre os povos em todas as províncias do seu reino, um povo cujas leis são diferentes das leis de todos os povos e que não cumpre as do rei;  pelo que não convém ao rei tolerá-lo.”

Intolerancia – Essa é uma palavra que está em alta nos nossos dias. Não que ela não existisse antes, mas está alcançando significância cada vez maior. A era moderna trouxe no embalo da revolução industrial, uma promessa de tempos bons de ventos favoráveis, com ciências em alta, raciocínio lógico e desprezo às superstições e medos infundados do sobrenatural. Cálculos precisos resolveriam o problema da fome e da pobreza e a erradicação das doenças com medicação farta e avanços nas ciências médicas. O Quadro pintado era tão promissor que o racionalismo dispensava até mesmo a fé e a existência de Deus. Foi utopia, o que vimos de fato foi duas guerras mundiais avassaladoras, terrível diferença na distribuição de renda e riquezas, doenças, moléstias e pragas em altos níveis e uma população desiludida com suas lógicas e ciências exatas demais. Isso nos trouxe ao mundo pós-moderno, onde nada mais é relativo e onde as verdades substituem a verdade, pois a sua verdade é tão boa quanto à minha, é mera questão de ponto de vista. Não há mais nada absoluto, Deus, família, igreja, autoridades, tudo é relativo e o ponto de vista de um é tão válido quanto o do outro. A nossa palavra chave é “Desconstrução” tomada emprestada das ciências da educação. O negócio é desmanchar tudo e qualquer coisa e cada um montar do seu jeito. Tudo pode ser misturado e tudo pode ser experimentado. A antiga ambivalência de preto e branco, agora tem uma enorme faixa cinza no meio. Ao mesmo tempo que vivemos esse caldeirão de misturas e uma constante iniciativa de aceitar todas as diferenças e cada um na sua, na prática, dá campo livre para a radicalização, que é outra palavra e atitude muito em voga atualmente. Radicais na política, na educação, na religião, nas ideologias para se chegar ao poder ou mesmo para não se chegar e não deixar ninguém em paz no comando de nada. Nações radicais, grupos radicais e medidas radicais e o saldo é um medo e uma tensão radical de fato e de direito. O primeiro ministro do rei Assuero, apresentou uma proposta ao rei, para exterminar um povo inteiro, em todas as províncias do império (127), só porque na sua compreensão “érea um povo diferente dos demais e com leis diferentes.” Colocou à disposição do rei a sua fortuna para cobrir os custos do extermínio, o que foi rejeitado pelo rei, pensando que se era um problema de estado, esse deveria custear essa limpeza, para benefício de todos. Como eu citei na meditação sobre o capítulo um desse livro, não uma única menção da palavra Deus nesse livro, nem tampouco da pessoa do Diabo, em qualquer de suas muitas faces. Mas, sinceramente, de onde você acha que vem idéias, planos e ações desse tipo? Por que eliminar uma etnia inteira, sem uma causa? A resposta? Tem alguém que pensa e planeja à longo prazo, pois esse povo espalhado por todas as províncias do reino de Assuero, era o povo de onde viria anos mais à frente, o Cristo, o salvador do mundo e não apenas de um império de 127 pronvincias.

 

Senhor Deus de todos os tempos e de todos os povos, ajuda-nos com as atitudes que precisamos demonstrar o que somos e o nosso papel de abençoar as nações e as pessoas. Oro, pedindo um coração pacificador e por uma mente clara e compreensiva sobre as diferenças que são frutos da multiforme graça do Senhor. Jesus amou a todos indistintamente e ordenou-nos a segui-lo nisso e o faremos, com a graça e a força que vem de ti, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Meditação do dia 13/04/2016

Et 2.15 Ester, filha de abiail, tio de Mordecai, que a tomara por filha, quando lhe chegou a vez de ir ao rei, nada pediu além do que disse Hegai, eunuco do rei, guarda das mulheres. E Ester alcançou favor de todos quantos a viam.”

Quem diz que beleza não é importante? – Definitivamente todas as coisas feitas por Deus, tem propósito e questionar isso é insensatez! Porque não conheço algo, não significa que aquilo não exista ou seja inviável. Deus é o Senhor do tempo e não costuma se atrasar em nada, como disse o rei Salomão, “tudo tem o seu tempo determinado.” Como tantas pessoas na vida, Ester vivia sua vida conforme suas condições e com a realidade dos seus dias; mas nada disso foge do propósito para a qual ela fora criada por Deus e cuidada em suas necessidades por familiares, mesmo numa situação difícil de exilados em terras distantes. Ester era órfã de pai e mãe, e fora adotada por um primo que a criara como se fosse sua própria filha. Mas ela não era uma coitada, nem vivia como vítima e rejeitada. Percebemos que ela era muito bem educada, tinha cultura e princípios de uma dama e era simples e prá lá de simpática, de tal forma, que todos se encantavam com ela à primeira vista. Não há traços de que ela manipulava as pessoas e situações para se livrar de responsabilidades ou tirar proveito para si mesma. Como já escrevi outras vezes, a pessoa precisa se preparar para o lugar para onde vai, e não para onde está. Ester vivia integralmente sua vida, como se soubesse por antecipação o passo a passo de sua vida. Ela já tinha atitude, postura, delicadeza, simpatia de rainha, antes mesmo de ir para o palácio. O palácio é que precisava se adequar para receber uma rainha tão graciosa e comprometida. No imaginário popular, quando se fala de uma rainha, de uma princesa, a primeira imagem que vem à nós, é de uma mulher ou moça muito bonita, bem vestida, elegante, que sabe se comportar e tem trato fino com seus súditos. A figura de megera, menina birrenta e insolente, não combina em nada com a realeza. “Enganosa é a graça, e vã, a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada.” (Pv 31.30) O rei Salomão tinha toda a razão ao expressar poeticamente sobre uma mulher virtuosa, pois a graciosidade e a beleza física, não se comparam com o temor de Deus, no coração dela. Mas Ester, tinha as três qualidades, sem concorrência com quaisquer outras das suas qualidades. Era linda, graciosa e temente a Deus, comprometida com o reino de Deus. Cabra sortudo foi esse Assuero; pois demitiu uma rainha linda, mas geniosa e antipática, e encontrou uma tão linda quanto a outra e com todos os elementos importantes para a posição. Tenho a presunção de dizer que nunca uma coroa caiu tão bem em uma cabeça, como na cabeça de Ester. Ela não caiu de paraquedas no palácio real, a sua vida toda de filha, de aprendizado, de postura elegante e sua confiança em Deus a colocou ali. Também ela não se corrompeu ou se embebedou com o poder e o status que se lhe apresentava. Quero através da figura dessa rainha, elogiar e homenagear todas as mulheres cristãs que através de vidas consagradas e dedicadas aos seus lares, igrejas e ministérios, tem feito muita diferença no reino de Deus. Também reafirmar, aos pais de filhas bonitas, que criem-nas para cumprirem um propósito e não se esconderem atrás da beleza física e desenvolverem também todas as outras muitas boas qualidades com as quais foram presenteadas por Deus.

 

Obrigado Senhor, por tua multiforme graça, que constrói um reino, valendo-se dos múltiplos talentos e qualidades que propositalmente doa aos teus filhos. Podemos ser gratos pelos exemplos de um Abraão cheio de fé, um Jó paciente, um Sansão forte, um Davi corajoso, um Salomão sábio, um Paulo ousado e um João amoroso. A todos, deste dons e habilidades, para serem bênçãos no tempo e no lugar onde nos colocaste. Usa-nos para tua glória, em nome de Jesus. Amém.

 

Pr Jason

Tudo que é Demais, Passa!

Meditação do dia 12/04/2016

Et 1.1 “Nos dias de Assuero, o Assuero que reinou, desde a Índia até à Etiópia, sobre cento e vinte e sete províncias,”

Tudo que é demais, passa! – Meditarmos nesse livro vai algo muito edificante, além de aprendermos muito sobre história antiga, política, intrigas palacianas, concursos de beleza e também coisas espirituais como o poder da oração e do jejum e o agir silencioso de Deus nos bastidores para abençoar e cuidado do seu povo. O que se passa nesse livro é contemporâneo de Esdras e Neemias, que já vimos ultimamente. Uma curiosidade desse livre, é que nele não encontramos a palavra “Deus” em todo o texto, embora sua presença e ação é claramente percebida em todo o tempo. Hoje, iniciando, quero pensar um pouco nos exageros e radicalidades desse rei e suas manias de grandezas. Ele era rei, um ditador e conquistador, e naqueles tempos isso tinha lá suas razões, mas o princípio por trás de toda mania de grandeza, ostentação e radicalidade, ainda está bem vivo e muito atual. O poder corrompe ou no mínimo atrai e seduz o coração das pessoas para se verem e se posicionarem como melhores e superiores aos outros, ainda que toda a sua suposta grandeza, não passe de um sonho de verão. Começamos pela descrição da extensão territorial do império do rei Assuero; ele dominava, já no terceiro ano no trono, sobre cento e vinte e sete províncias, numa vasta área geográfica, que incluía o que conhecemos hoje por Oriente Médio, Parte norte da África e até na Índia. Depois vem a temporada de exposição e ostentação das glórias e conquistas, riquezas, tesouros, celebrado com banquetes suntuosos para os nobres e autoridades perante o rei, por nada mais nada menos do cento e oitenta dias – seis meses – de festas, banquetes, ostentação, bebidas e ….. No para fechar a conta, um banquete reservado só para os cidadãos e súditos da sede do governo, em Susã, por mais sete dias e na hora da saideira, para fechar com chave de ouro, quis esnobar a beleza da rainha, que com certeza era belíssima, mas geniosa e não aceitou ser exibida como troféu para um bando de bêbados em alta, só para satisfazer o ego do rei. Isso revela que a mistura de mania de grandeza, com muita birita na cabeça e um punhado de gente bajulando e incentivando a se mostrar mais e mais, não dá muito certo, e não deu! A ira do do rei subiu tão rápido quando o teor de álcool no seu organismo e ficou tão furioso que nem sabia o que fazer e como estava cercado de solidários ilustres políticos, ávidos por uma oportunidade de emplacar algum favor real, que lhe permitisse galgar novas e maiores posições, vieram as sugestões de “impeachment” da rainha e por votação unânime ela foi deposta sumariamente e não precisou nem de segundo turno. A alegação foi de que ela ofendeu a honra do rei e de todos os homens do império, pois isso iria provocar uma onda de desobediência feminina aos maridos, pois, uma vez que nem a rainha obedece e se submete ao rei, então porque os plebeus não cairiam de posto diante de suas esposas em casa. Isso seria um desastre nacional…. Os políticos mudam de partido, de pais, de épocas, de endereço, mas as práticas são as mesmas e até que o Rei dos reis assuma o controle das coisas, não teremos muitas mudanças não! Cuidado com o bichinho do poder! Cuidado com sede de poder! Crescer, progredir, galgar níveis mais altos é louvável e deve ser um alvo para quem exerce sua mordomia, como servo de Deus. Mas o poder pelo poder, não! Isso é mal e perigoso. Utilize do poder de sua influencia para beneficiar outros, para glorificar a Deus e testemunhar de sua bondade, mas nunca para pisar e humilhar subalternos e esmagar concorrentes para se perpetuar no trono. Esteja lá, porque Deus te permitiu chegar, te ajuda a trabalhar ali e ao cumprir sua etapa, siga para a próxima estação da vontade de Deus.

Pai, obrigado por ser o Deus Todo Poderoso, que é e está acima de tudo e de todos e isso não te torna nem um pouco autoritário ou tirano; tens mostrado em Cristo Jesus, o quanto o amor e perdoador e a autoridade é exercida para o bem de todos e no teu reino, o rei é mando e humilde de coração. Graças por nos convidar a participar do teu projeto de governo e assim, poderemos expressar as grandezas do teu reino, como embaixadores, nomeados por Cristo, para levar muitos a se reconciliarem contigo pelo sacrifício dele na cruz. O teu trono é um trono de justiça e retidão. Obrigado, em nome de Jesus, amém!

Pr Jason

Boas Qualidades não Imunizam do Erro

Meditação do dia 11/04/2016

Ne 13.26“Não pecou nisto Salomão, rei de Israel? Todavia, entre muitas nações não havia rei semelhante a ele, e ele era amado do seu Deus , e Deus o constituiu rei sobre todo o Israel. Não obstante isso, as mulheres estrangeiras o fizeram cair no pecado.”

Boas qualidades não imuniza do erro – O fato de alguém ser muito inteligente, competente, não o torna imune ao erro. Um pessoa piedosa, madura e ativa na prática de sua fé também não está isenta de errar e pecar. Os dons e vocações ministeriais em ação por si só não são um atestado de perfeição e infalibilidade. Confiar nisso, de que já atingiu um nível elevado de crescimento e desenvolvimento espiritual, a tal ponto que já se pode sentir imune ao erro e ao pecado, é uma grande presunção e na verdade essa pessoa já caiu no engano de que não é vulnerável à tentação e ao pecado. As palavras do Apóstolo São Paulo é para que em todo tempo estejamos vigiando, por quem está de pé, está sujeito à cair. Neemias fez uso da pessoa do rei Salomão, por ser uma figura conhecida de todos e um grande exemplo de como um ser humano, colocado num bom ambiente, cercado das melhores garantias, ainda estão exposto ao mal quanto qualquer outro. Salomão nasceu sob promessa divina ao rei Davi, foi contemplado com uma das maiores manifestações da revelação divina a um homem, recebeu um presente especial, único e inigualável, para distinguí-lo de todos os demais homens que passaram e passarão sobre essa terra. Era amado de Deus e dotado de tudo o que era bom e que necessitasse. Herdou um reino em ordem, em paz, próspero e pacífico, com fronteiras definidas, vizinhos que reconheciam e respeitavam o território e a soberania de Israel. Salomão tinha tudo que uma pessoa poderia desejar para se realizar e cumprir sua missão e seu propósito aqui na terra. Mas mesmo assim, com tudo isso a seu favor, ele fez bobagem! Ele errou e errou feio! Pecou contra Deus, sobrecarregou os súditos com pesados impostos para construir tudo o que deu magnificência ao seu reinado. O coração dele foi arrastado para a vaidade e os prazeres e apetites o arrastou para longe da segurança e do bom senso. Toda sociedade e até mesmo indivíduos, que experimentam prosperidade material, precisa se cuidar para que o uso de suas possibilidades não o levem para desvirtuamento de conduta e de moral. Observe a história universal dos reinos e impérios; sempre que atingem o ápice, vem as orgias e os desmandos com a degradação moral e a corrupção se instala e começa a deteriorar até chegar à ruina completa. Nenhum escapa nessa análise. Quando os recursos são escassos, se luta para sobreviver e construir segurança e bem estar; à medida que necessidades básicas são supridas, a busca se torna agora para as coisas antes tidas como supérfluas e até impróprias. Quanto mais se tem, mais se busca a vida fugaz! Isso não significa que pobreza e escassez são sinônimos de santidade e pureza moral. Minha concentração hoje é no fato de que precisamos ser vigilantes e zelosos pelo bem, ser ativos e prestativos com os favores que a vida nos permite, mas não nos descuidarmos para com o mal e o engano. Um pequeno desvio pode conduzir ao longo de uma jornada a um distanciamento acentuado da meta proposta inicialmente. Todos conhecemos muitas pessoas boas e bem intencionadas no começo de suas jornadas e que se perderam ao longo do caminho, por achar que isso ou aquilo é muito pequeno e insignificante para alterar qualquer coisas; mas caíram numa malha e ficaram impossibilitados de voltar e recomeçar como desejam. Uma escolha simples, pode ser o suficiente para nos tirar da direção certa e não encontrarmos mais o retorno para o caminho original. Salomão tinha melhores qualificações do a mim e a você, e mesmo assim, ele se perdeu em parte de sua vida. Não somos imunes ao erro e ao pecado, então vamos ajudar uns aos outros e apoiarmos mutuamente, até o dia final. Maranata!

Senhor, Deus e Pai, tu és o mesmo ontem, hoje e o será eternamente! Tu és o Deus de Salomão tanto quanto és meu Deus também. Quero aprender com a tua Palavra e as lições que ela mostra, que todos nós, humanos, precisamos de tua graça e bondade para permanecermos firmes e de pé a cada dia. Oro ao Senhor, pedindo sabedoria e graça para ter discernimento e não ser arrastado pelo engano do pecado e distanciar-me de ti e dos teus caminhos. Guia-me com o teu Santo Espírito, para viver em tua presença todos os dias que me der na face da terra e depois pela eternidade afora. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason