O Senhor do Meu Senhor

Meditação do dia 20/09/2016

Sl 110.1 “Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.

 O Senhor do meu Senhor – As Palavras utilizadas aqui para “Senhor” são respectivamente Yahweh e Adonai – Utilizamos em português as traduções de “Jeová” e “Senhor.” Este é um salmo profético messiânico, pois literalmente essas expressões jamais ocorreriam na literatura hebraica. Ao pé da letra, estaria dito que “Deus disse para Davi…” Essa palavra todavia só era utilizada para “Senhor, como Deus,” Não um homem e posição de autoridade, ainda que Rei, como seria o caso de Davi. Profeticamente por inspiração do Espírito Santo, Davi reconhece a divindade de Cristo, como filho de Deus. A teologia hebraica da Antiga Aliança, não reconheceria Deus como sendo uma Trindade em Triunidade como entendemos e se revela nas páginas do Novo Testamento. Para um israelita, mesmo como Davi, a expressão que Deus era único, se aplicava literalmente. Nenhum outro ser, receberia tal atribuição divina. Hoje, cremos que o Pai, o Filho e o Espírito Santo, são igualmente Deus em perfeita unidade e natureza, se relacionando com a criação e operando juntos na obra da redenção e da restauração de todas as coisas. Um dos pais da igreja, disse que tentar compreender Deus como trindade por meios racionais não é conveniente e fez uso de uma frase que ficou notória: “Aceitar isso racionalmente, perderás a cabeça; se rejeitar, perderás a alma!” Jesus executou toda a obra necessária para a redenção ficar consumada e disponível aos pecadores e à criação; então retornou aos céus, onde se encontra assentado à direita de Deus Pai, até que todo esse processo se desenvolva completamente. Antes de voltar à casa do Pai, ele disse aos seus discípulos: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra” (Mt 28.18). Isso confere perfeitamente com os ensinos posteriores apostólicos, como citado por Pedro, nos primeiros dias da igreja em Jerusalém: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (At 4.12). Também descrito na carta aos Filipenses: “Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.9-11). Ao final, já está escrito que Jesus retornará o poder e a autoridade ao Pai. “Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos” (I Co 15.24,28). Amém, no céu e na Eternidade existe ordem e submissão perfeitas, sem imposições e reivindicações de status e grandeza. O Deus Trino a quem adoramos e servimos é o mais perfeito e melhor modelo de comunidade que pode existir. É daí que vem o princípio da unidade do corpo de Cristo e da comunhão dos santos. Precisamos trabalhar por isso, aqui, literalmente as palavras de João Batista precisam fazer sentido em nossas vidas diariamente: “Importa que Ele cresça e que diminua eu!” (Jo 3.30).

O que diz o Senhor ao teu servo? Fala, Senhor, que o teu servo ouve! Preciso disso, para o conforto da minha alma e o alimento do meu espírito. Senhor Jesus, reafirmo diante de ti a minha entrega e consagração do que sou e do que tenho, para estar plenamente debaixo do teu senhorio. Ao Pai, toda honra, glória e louvor pelos seus grandes feitos e tão grande salvação dada a nós na pessoa de seu amado filho. Querido Espírito Santo, sempre bem-vindo a minha vida e aceito a sua direção sábia e amorosa. Inspira-nos todos os dias a vivermos de tal forma que o nosso Deus seja sempre honrado. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

O Poder das Escolhas

Meditação do dia 19/09/2016

Sl 109.17 “Visto que amou a maldição, ela lhe sobrevenha, e assim como não desejou a bênção, ela se afaste dele.

 O Poder das Escolhas – Certamente já lemos as palavras desse texto mais de uma vez e nos pomos a pensar sobre as consequências na vida de uma pessoa em semelhante situação. Somos instruídos o tempo todo a agir pela fé em Deus e nas suas promessas de cuidar de tudo o que diz respeito a nós. Andar pela fé, certamente nos coloca em situações em que agiremos sem os auxílios sensoriais da visão, da audição, do tato, olfato ou até das percepções do coração. É uma questão de escolha! Decidimos confiar em Deus e na sua palavra e agiremos mesmo quando essas ações contrariem a nossa racional capacidade. Escolher amar o bem, indiferente às circunstancias fará com que tenhamos de construir relacionamentos e sustenta-los, onde a lógica nos indica que deveria haver rompimentos e separações. Sempre que esmagamos uma rosa ou uma flor, ficará perfume em nos e ao redor; o mesmo se pode dizer, ao esmagarmos algo ruim, mal cheiroso ou estragado. Afeta a nós e ao ambiente em volta. Amar a bênção nos levará a compartilhar, doar e ceder, e a visão primária é que todos os demais estão sendo beneficiados, enquanto estamos apenas “pagando a conta!” Mas não fazemos essa escolha por ser a mais fácil, a mais lucrativa ou de menor esforço. Fazemos o certo, porque é certo, e porque é isso que se espera de nós, ao menos, nós mesmos esperamos isso. A paz interior de Cristo sempre será o árbitro em nossos corações. Ao refletir sobre o texto, pensamos: “Será que alguém em sã consciência ama a maldição e rejeita a bênção?” Sim, embora não pareça fazer sentido mas é possível sim! Infelizmente. Quando a amargura, o ressentimento, o desejo de vingança, ou até mesmo a negligencia assume o controle da situação, muita coisa ruim é livremente adicionada à rotina da vida e só quanto o estrago já for muito grande é que se percebe. Alguém já disse que o sentimento de ódio e vingança se assemelha a alguém beber veneno pensando que isso vai matar o seu inimigo. A escolha de amar a bênção, por si só, já encaminha para o perdão e a reconciliação. Não só a literatura e a história nos mostra que ações do mal contra os outros, sempre se reverte em destruição dos malfeitores também. Ao escrever o belíssimo capitulo 13 da primeira carta aos Coríntios, Paulo descrevendo o verdadeiro amor, afirma que “…O amor nunca falha!” (I Co 13.8). Afinal, Deus é amor, Deus e eterno, portanto, o amor é eterno e isso significa que ele vai prevalecer! Escolher o caminho do amor e do bem, é escolher por antecipação ficar do lado vencedor. Ame a bênção, rejeite a maldição e tudo que induz a ela.

Obrigado, Pai, por tudo que o amor de Cristo fez por mim e pelos meus. A minha vida teve um novo sentido e um significado muito maior, desde que ele se tornou o centro e a motivação do meu coração. Que a bênção do Senhor esteja sobre a minha vida nesse dia e os teus caminhos me conduzam as veredas da justiça, por amor do teu nome. Escolho, prefiro andar na luz do Senhor e assim rejeitar as sendas do pecado e do mal. Livra-me a cada dia e mantenha-me junto a ti, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Em Deus Faremos Proezas

Meditação do dia 18/09/2016

Sl 108.13 “Em Deus faremos proezas, pois ele calcará aos pés os nossos inimigos.

 Em Deus faremos proezas – Fazer proezas tem a idéia de realizar coisas grandes e marcantes, fora do comum. Uma proeza é alguma coisa inacreditável do ponto de vista natural. Alguém de pouca força, realizar uma grande tarefa. No esporte, uma equipe pequena e sem muita expressão superar uma equipe potencialmente superior. O que Davi fez ao derrotar o gigante Golias, foi uma proeza, afinal, o ele era um adolescente, sem idade militar, contra um guerreiro experiente e bem equipado, num duelo homem a homem. Todos os dias nos deparamos com desafios na vida, e alguns deles sempre são maiores do que a nossa capacidade, e como a vida não é uma roda gigante, que simplesmente podemos mandar parar e descer, então temos que continuar na luta, mesmo quando as chances são poucas. Nossa fé é a razão da nossa determinação! Sabemos que não lutamos por nós mesmos e muito menos com nossas próprias forças. Deus fez promessas a quem lhe é fiel e andaria conosco e supriria nossas necessidades e nos daria vitória contra nossos adversários. No ocidente, onde vivemos, e especialmente no Brasil, como cristãos, não enfrentamos grande desafios de sobrevivência, tanto a nível pessoal, ou mesmo em termos de convicção de fé. O estado de direito e às leis protegem bem e as garantias individuais, em sua normalidade, nos coloca numa situação muito confortável. Não se pode dizer o mesmo, dos nossos irmãos no Oriente Médio, no Leste Europeu e Ásia, e até mesmo na Europa, já há muitas restrições veladas em nome de benefícios ao direito individual. Mas mesmo em nossa realidade, os perigos e desafios espirituais existem e a luta do bem contra o mal, a sedução do mundo e seu sistema, tenta atrair o cristão para um estilo de vida de comodidade e inoperância espiritual que acaba afetando o testemunho e o mover de Deus na vida da igreja. As pessoas são induzidas a fazerem parte de uma igreja, um movimento, mas não de uma fé cristã comprometida e vigorosa. O que é apregoado nos púlpitos é mais um evangelho adocicado de bênçãos e direitos, de um Deus disposto a encher sua vida de bens materiais, como se o acúmulo de bens fizesse prosperar o reino de Deus. Nesse caso, ser um cristão ortodoxo, apegado às raízes da fé genuinamente cristã, só mesmo com ajuda de Deus, aí sim, faremos proezas. Não podemos entender a expressão, “em Deus, ou em Cristo…” como sendo sinônimo de “indo a um templo, sendo gospel, ou fazendo uma campanha!” A idéia é a da unidade, aliança, vida de comunhão e poder andar junto, a ponto de Deus reconhecer a autoridade de utilizarmos o seu nome, em nossa vida e ministério.

Senhor, está escrito que tu és a videira e nós os ramos dessa planta, e que sem estarmos ligados em ti, nada poderemos por nós mesmos. A qualidade da nossa vida e dos nossos frutos, está na conexão contigo. Desligado de ti, não há comunhão de vida e de resultados. Ensina-nos a ver a vida do teu ponto de vista e assim aliados ao Senhor, realizarmos feitos grandes e que glorificam o teu santo nome. Em teu nome, amém.

 

Pr Jason

As Fontes de Calamidades

Meditação do dia 17/09/2016

Sl 107.33,34 “Ele converte os rios em um deserto, e as fontes em terra sedenta; A terra frutífera em estéril, pela maldade dos que nela habitam.

As fontes de calamidades – Costumo dizer que “tudo que é demais, passa!” E isso é válido para aplicação nos estudos da vida e as percepções que ela proporciona. Algumas coisas inseridas nos textos sagrados, são dignas de cuidadosa observação, onde podem ser aplicadas. Uma dessas citações esparsas, é sobre pessoas sábias e experimentadas em conhecer os tempos. “E dos filhos de Issacar, duzentos de seus chefes, destros na ciência dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer, e todos os seus irmãos seguiam suas ordens” (I Cr 12.32). Duzentos homens especializados em estudar e interpretar o tempo e suas observações eram levadas a sério pela população e autoridades ao tomarem decisões. Eram levados mais à sério do que levamos as previsões do tempo nos nossos telejornais. Quando lemos a Bíblia, vemos história de pessoas e situações que foram afetadas por crises de secas ou escassez de chuvas e apontadas como causadas pelos pecados e desobediência dos povos. Os pecados e as maldades deles refletiam num situação de calamidade para todos. Nos dias atuais, deixamos as explicações todas para o campo da natureza e de suas reações normais ao meio ambiente e fatores meteorológicos. Sempre que acontece uma tragédia, algo que produz comoção social, todos se põe à perguntar: “O quê?, Por quê? Como Pode? É justo?” Nosso autor, nesse salmo, convida as pessoas a reconhecerem a bondade de Deus e seus múltiplos livramentos constantes em suas vidas. Sempre que estão em aperto, os homens apelam para Deus e sempre são socorridos e logo em seguida, suas vidas voltam aos mesmos padrões de antes. Ao concluir o seu poema ele mostra que Deus é capaz e faz o que temos visto ao longo da história, transformando lugares maravilhosos e produtivos em regiões completamente estéreis e improdutivas; onde havia abundantes águas, com fontes e nascentes, se tornam em desertos e áridos locais impróprios para a vida; e tudo isso por causa das maldades dos seus habitantes. Nos tempos do profeta Oséias, ele e sua família foram dados como exemplo de como a nação estava agindo diante de Deus e numa declaração mais do que clara O Senhor disse: “Ela, pois, não reconhece que eu lhe dei o grão, e o mosto, e o azeite, e que lhe multipliquei a prata e o ouro, que eles usaram para Baal. Portanto tornarei a tirar o meu grão a seu tempo e o meu mosto no seu tempo determinado; e arrebatarei a minha lã e o meu linho, com que cobriam a sua nudez (Os 2.8,9). Entendemos que Deus é Senhor e dono de todas as coisas, incluindo nossas capacidades individuais, coletivas e nacionais; a prosperidade em todos os sentidos é fruto da bênção do Senhor, para outras finalidades sejam alcançadas e quando as pessoas e as nações se apropriam de tais bênçãos e usurpam para si mesmas e desviam para se autoglorificarem ou mesmo atribuir à ídolos e deuses falsos esses bons resultados, aquele que tudo pode exerce o seu direito de senhorio e fecha as torneiras e muda o tempos e as estações e em questões de dias todo o cenário é modificado. Você pode ver isso acontecendo no Brasil? No mundo? Assim também acontece com indivíduos e famílias. Quero fechar com o texto mais conhecido e utilizado na hora que a coisa tá feia: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2 Cr 7.14). Quem disse isso, foi Deus, dizendo diretamente ao Rei Salomão, para a nação de Israel. Para Deus sarar a terra, o povo de Deus, tem que se arrepender dos seus pecados e abandonar os seus maus caminhos, aí, Deus ouve dos céus e sara a nossa terra. A igreja está diretamente envolvida nos pecados a serem confessados e abandonados e na intercessão para cura e restauração da terra.

Senhor, Tu tens razão, e a tua Palavra é a verdade, somos culpados diante de ti, por tantos pecados abomináveis, como idolatria religiosa, artística, esportiva, de entretenimento; somos amantes de nós mesmos e egoístas em extremos; nossos pecados sociais de abandonar, crianças, jovens e idosos em situações de miséria e escravidão; nossos príncipes são corruptos e nossos governantes, aproveitadores e desviam os recursos e os meios em que os menos favorecidos seriam atendidos e socorridos. Nossas leis são claramente feitas para acobertar o mal e perpetuar a injustiça. Não é só simbólica, mas literalmente nossa justiça é cega de propósito e de intenção. Os teus ministros não tem se mantido isentos e santos, mas muitos se deram ao mercantilismo e a exploração da boa fé dos desiludidos e desesperançados. Ensinam por dinheiro e os ditos ministros do teu louvor se enriquecem apresentando cânticos vazios e mensagens ocas de significado. Nossos pecados são muitos, mas estamos aqui, para admitir e confessar e pedir o perdão e a purificação no sangue de Jesus. Nos propomos ser povo diferente, igreja diferente, para participarmos de um reino diferente. Purifique, Senhor o meu coração e me conceda a graça de andar em novidade de vida e nos valores da tua Palavra. Concede aos teus justos uma unção especial para prevalecermos nesses dias difíceis e dissimulados. Em nome de Jesus, o justo juiz que irá nos pedir contas e julgar com justiça! Amém.

Pr Jason

Quem Pode Contar?

Meditação do dia 16/09/2016

Sl 106.2 “Quem pode contar as obras poderosas do Senhor? Quem anunciará os seus louvores?

Quem pode contar? – Há poucos dias fiz uma apresentação ilustrada para a igreja utilizando slides sobre o cosmos e comparativos entre os planetas, galáxias, sistemas estelares e a nossa terra. O propósito era mostrar a grandeza de Deus que fez tudo isso e mantem tudo funcionando perfeitamente bem. Na verdade, a terra, nesses comparativos se torna como um grãozinho de areia na vastidão do cosmo já conhecido e catalogado. Para nós, e nosso conhecimento “avançado” o universo é infinito…pois bem, o nosso Deus criador é infinitamente maior e mais poderoso do tudo isso, ponto de estabelecer as leis que mantém tudo no devido lugar e o Senhor até afirma que conhece muito bem a sua criação. “Conta o número das estrelas, chama-as a todas pelos seus nomes. Grande é o nosso Senhor, e de grande poder; o seu entendimento é infinito” (Sl 147.4,5). O profeta Isaías também faz descrição semelhante: “Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas; foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por causa da grandeza das suas forças, e porquanto é forte em poder, nenhuma delas faltará” (Is 40.26). A nossa resposta à pergunta do salmista, proposta hoje, é que ninguém pode contar e catalogar as obras poderosas de Deus. Mas quem pode anunciar os seus louvores, isso nós podemos e devemos fazer por muitas razões; mas a principal delas é que somos os beneficiários primários das ações de Deus. A cada dia quando iniciamos mais uma jornada, já é resultado da bondade manifesta do Senhor nos permitindo o milagre da vida. Quando fechamos nossos olhos à noite, após tantas atividades, é o testemunho de que mais uma vez fomos abençoados e a boa mão do Pai se fez presente. Tudo que aconteceu no intervalo entre o levantar e o deitar, são bênçãos e podemos afirmar seguramente que não tivemos conhecimento de tudo que Deus fez por nós nesse espaço de tempo. Enquanto estamos na nossa jornada pessoal, nossos familiares, amigos, irmãos e companheiros que estiveram fora do nosso alcance de visão e de contatos, também tiveram suas experiências de socorro, provisão, livramento e apoio, que somados ao que já sabemos, são de fato, motivos de muita gratidão e louvor. E o que não soubemos? A nossa fé nos permite entender e aceitar muitas coisas nem chegam a nos acontecer ou se aproximar devido aos feitos de Deus, de forma natural e até com intervenções angelicais ou de outras formas mais. Hoje, você já tem motivos para testemunhar sobre os louvores que o Senhor merece. Transforme isso em palavras, orações, cânticos e testemunhos. Conte as bênçãos, quantas são!

Ao Senhor pertence a honra e a glória em todo tempo. Minha vida e tudo o que nela existe hoje é bênção do Senhor e reconheço isso em palavras escritas aqui e também no meu coração. Obrigado, Pai, por utilizar teu grande poder em abençoar-nos e enriquecer nossa experiencia de confiança. Que minhas ações hoje revele gratidão e louvor por estar presente na vida de outras pessoas e juntos celebrarmos a tua grandeza. Bendito seja o Senhor, meu Deus! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A História da História

Meditação do dia 15/09/2016

Sl 105.17 “Mandou perante eles um homem, José, que foi vendido por escravo;

A história da história – Gosto de história! Gostava na época estudantil e depois como fonte de conhecimento e aprendizado. A estimada Dra. Yeda Harder nos tempos de seminário, introduzia sua matéria de História Eclesiastica, dizendo que “o valor de se estudar e conhecer a história, era para que os mesmos erros não fossem cometidos novamente.” Sábias palavras! Lendo a história de José, o filho de Jacó, em Gênesis, dá a sensação que estamos ao vivo em tempo real, participando da sua saga, enfrentando seus irmãos e depois o Egito e entrando para a história como um pessoa vencedora e muito digna. Quando repassamos a sua história, em outros trechos das Escrituras, como esse aqui em Salmos, vemos uma história da história dele, com dados e fatos, que só uma visão de ângulos mais elevados e privilegiados se perceberiam outras variantes. Literalmente, José foi vítima de ódio dos meio-irmãos e vendido como escravos, para que eles se livrassem da possibilidade dos sonhos de José se tornarem realidade e eles terem de se curvar diante de sua liderança e capacidade de guia-los. Mas na verdade, eles estavam era exatamente executando os meios adequados para ele viesse a ser o que deveria e fazer o trabalho da sua vida. José possuía todas as boas qualidades para ser um líder, mas eram apenas teóricas, embrionárias na vida de um adolescente de dezessete anos, mimado pelo pai e dedo duro das trapaças e maus feitos dos irmãos. Deus o levou para onde poderia ser treinado, testado e depurado até se tornar joia rara, altamente confiável e capaz de liderar não apenas uma tribo pequena de menos de cem pessoas vivendo no deserto e cuidando de algumas cabeças de gado. Ele foi preparado e testado como primeiro ministro da maior potencia do mundo da sua época. O Egito era altamente desenvolvida com ciências e cultura, que até hoje se pergunta como eles poderiam fazer aquilo naquela época? Os caminhos de Deus, definitivamente não são os nossos, como disse o profeta Isaías: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos” (Is 55.8,9). O Egito seria o lugar adequado para Deus formar o seu povo; mas antes de introduzir uma família no país, ele introduziu um homem na corte, e o fez o segundo em domínio e poder; assim a semente seria plantada e protegida dos predadores, até que ela pudesse subsistir por si mesma. A cultura egípcia, era intolerante com os descendentes semitas, rivais deles, camitas; hebreus como José, era abominação e nem mesmo sentava-se à mesa com pessoas comuns egípcias, quanto mais com as autoridades endeusadas dos faraós. “E serviram-lhe à parte, e a eles também à parte, e aos egípcios, que comiam com ele, à parte; porque os egípcios não podem comer pão com os hebreus, porquanto é abominação para os egípcios” (Gn 43.32). Um “abominável, foi parar dentro do palácio, se tornou homem de confiança do poderoso faraó e salvador de toda a nação e povos ao redor. Assim, Deus carimbou o passaporte de José, contra todas as adversidades e o treinou no melhor local do mundo em termos de governo e poder e José num ambiente tão hostil à sua fé e cultura, pode crescer sem se contaminar com o paganismo e idolatria e com a simpatia de todos, com autoridade e autorização para manter sua fé e seus costumes. Paulo precisava comparecer diante de Cesar em Roma, os judeus o prenderam, e os romanos o transportaram às expensas do estado, com segurança e agendaram as audiências com César para ele. Ele não foi de primeira classe, nem em camarote vip, mas foi e chegou lá. A minha vida, a sua vida, as nossas histórias tem disso também. Nem sempre os caminhos difíceis e as provações intermináveis pelas quais passamos, não são obras do Diabo coisa nenhuma! É Deus que faz a nossa história e é Ele que tem planos e propósitos para nós e fará o necessário para que nenhum de seus propósitos caiam por terra. Vamos hoje, fazer um releitura de nossa história à luz dos propósitos divinos? O que faz um goiano expatriado em São Paulo `a tantos anos? O que faz você onde está e fazendo o que está fazendo? O que Deus a ver com isso? O que o reino de Deus ganha com isso? Não só as nossas vidas, mas também a nossa história, está nas mãos de Deus!

Pai, este é o melhor lugar que a minha vida poderia ter, para se desenvolver e se tornar útil e abençoadora, segundo a tua própria vontade. Obrigado por se revelar como o Deus provedor, aquele que faz a nossa história ser escrita de modo que ao final, tudo se encaixa e os resultados são exatamente aqueles planejados por tua sabedoria. Obrigado pela unção e capacitação do Espírito Santo para vencermos nos momentos mais sombrios e difíceis. O Senhor com muita propriedade é conhecido e revelados nas Escrituras como “o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim” – Glórias a ti, desde agora e para sempre, de eternidade a eternidade, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Criação a Fé e Ecologia

Meditação do dia 14/09/2016

Sl 104.1 “Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.

A criação a fé e ecologia – A ecologia veio a existir junto com o próprio homem e quanto maior a demanda humana por espaço e recursos, maior a necessidade de se administrar a fonte desses recursos. Quem criou o homem, antes de cria-lo, preparou o ambiente idea e também os recursos necessários para sua existência. Tudo isso lemos nos mesmos textos da criação do mundo e do homem nos capítulos iniciais de Gênesis e no final temos a afirmação de Deus, “…e viu Deus que era bom” (Gn 1.10,12,18,21,25). Em trinta e um versos, Deus repetiu cinco vezes que tudo era muito bom. Quem, além de ler a Bíblia, também a estudo com finalidade de aprender os caminhos da vida, já encontrou espalhado em toda ela, começando aqui no relato da criação, medidas sanitárias, de saúde pública, controle de doenças e epidemias, uso correto das águas, da vegetação, com manejo de pastagens, despoluição de solo, uso agrário responsável, preservação de matas, poços e nascentes, cuidado com a biodiversidade na fauna e flora e sistema urbana de vida saudável e seguro. O povo de Deus que saiu do Egito de um sistema insalubre de vida e condição de vida, levou quarenta anos para adentrar fisicamente no território permanente que lhe fora prometido; juntando-se a isso os anos na colonização e governo de juízes até chegar à monarquia com Davi e Saul, já no governo de Salomão, 376 anos depois do êxodo, Israel já era um modelo de sociedade, governo, administração e influencia internacional. Levanto em conta ainda, que Josué e suas conquistas em canaã, era contemporâneo do tempo áureo e do apogeu grego, nessa época estavam construindo o Parthenon de Atenas, hoje aquelas ruínas turísticas famosas na Acrópole. No Salmo 104, praticamente todos os versos desse poema fala de ecologia e Deus! Deus cuidando e provendo tudo que é necessário para um perfeito equilíbrio sócio ambiental, onde todos vivem com qualidade e o resultado final é honra e glória a Ele, que tudo fez com extrema sabedoria e perfeição. Se “os verdes” atuais conhecessem as Escrituras Sagradas e melhor ainda, o Deus grande e maravilhoso que sustenta todas as coisas, não precisaria de tornar isso em causa política e como bandeira de governo, como que cuidar do ambiente em que vivemos não fosse parte do processo natural de bem estar gestão equilibrada da vida e dos recursos necessários para a vida. Deus verdadeira se importa e se preocupa com a vida na terra e especialmente a vida humana. Estamos gastando infinitos recursos para achar partículas de água em marte, enquanto poluímos rios e mares aqui e milhares de vidas não tem água para beber nos quatro cantos do planeta. Os evangélicos tem luz e responsabilidade no manejo dessas fontes de recusros, por diversas razões: a) É nosso meio ambiente onde vivemos e servimos a Deus; b) É propriedade do Reino, do qual somos herdeiros e embaixadores; c) Somos mordomos de Deus no uso e administração disso tudo. d) Tudo será restaurado no processo da redenção e os justos herdarão a terra. É pecado jogar óleo de cozinha e dejetos que irão parar nos rios, desperdiçar água tratada, desperdiçar alimentos, produzir resíduos e lixo em excesso, não reciclar o máximo possível e todo uso inadequado dos bens de que dispomos. Que tipo de planeta estamos deixando para as próximas gerações? Mas também que tipo de geração estamos deixando para o planeta? Um vai acabar com o outro ou o outro vai acabar com o um! Já pensou nisso?

Pai, ao ler as tuas palavras no Salmo 115.16 afirmando que “Os céus são os céus do Senhor; mas a terra a deu aos filhos dos homens...”sabemos que os céus continuam lindos e maravilhosos e que a terra está bem danificada  pelas ações egoístas nossas, mas mesmo assim, queremos ir embora daqui e morar com o Senhor no céu. Onde o Senhor se faz presente é céu, e fora de tua presença é um caos total e indesejável para se viver. Oramos por sabedoria para administrarmos melhor e responsavelmente o mundo que confiaste a nós. A igreja é o sal da terra e a luz do mundo e temos a mente de Cristo e certamente podemos fazer melhor com tudo que temos. Que nossa vida interior seja uma fonte de inspiração para adequarmos o ambiente em que vivemos e assim influenciaremos mais para o bem de todos. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Bendize ó Minha aAlma

Meditação do dia 13/09/2016

Sl 103.1 “Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.

Bendize, ó minha alma – Que coisa maravilhosa é estar de bom humor! Melhor ainda do que isso, é viver de bem com a vida! E quando na verdade isso é um estilo de vida? Cultivar a gratidão e o louvor a Deus em todo tempo e em todas as situações cria uma atmosfera de alegria e contentamento interior de tão grande proporção, que a pessoa irradia felicidade, otimismo e se torna contagiante. Isso é algo que se pode desenvolver, e é uma daquelas que poderia afirmar que não tem como ensinar, é algo que apenas de aprende. O bom do relacionamento com Deus surge quando a pessoa descobre na sua própria experiencia sobre o caráter de Deus. Falar que Deus é bom, Deus é fiel, responde orações, é abençoador, já é feito bastante dos púlpitos e classes de ensinos bíblicos, nos livros, vídeos e nas mídias, o tempo todo – mas o que vale é quando a pessoa em si, conhece a Deus e passa a confiar nele, sabendo que a sua fé está no lugar e na condição adequada. Larry Coy no curso Conflitos da
Vida, quando vai descrever o valor e o poder dos nomes de Deus revelado nas Escrituras ele introduz com os seguintes conceitos: Para entender os princípios de Deus, precisamos entender os seus mandamentos. Para entender os seus mandamentos, precisamos entender o seu caráter. Para entender o seu caráter, precisamos conhecê-lo pessoalmente. Isso é como uma rede, ou uma peça de tricô, cujos fios estão entrelaçados de forma que um puxa o outro e se puxar muito, fica só um fio único. Ao conhecer a Deus, ficamos habilitados a entender o seu caráter que nos permite entender os seus mandamentos que por sua vez nos leva a compreender os seus princípios. São degraus sucessivos, levando a experiências mais e mais profundas com Deus. Desafiaria, ou convidaria você a meditar bem sobre esse tema, por acreditar que isso levaria pessoas a um nível melhor de intimidade com o Pai. Como pastor e lidando com pessoas e seus conflitos, não é raro encontrarmos quem tem muitos anos de igreja e de fé, mas que desconfiam das intenções de Deus; muitos acham que tais coisas exigidas por Deus não “precisariam ser realmente assim!” Quando resta um pouquinho só que seja de dúvida, medo, desconfiança no coração da pessoa, isso desarticula totalmente suas possibilidades de sucesso espiritual. A fé, como proclamada na Bíblia, é cristalina, transparente e objetiva. Um dos bons exemplos de textos bíblicos que gosto de utilizar sobre isso é a promessa de Jesus quanto a receber o poder do Espírito Santo na vida. “E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre” (Jo 37.38). Observe as expressões sublinhadas por mim – Não vemos tantos cristãos cheios e transbordantes do Espírito Santo como referido por Jesus no texto. Uns creem “como os batistas” outros creem como “os renovados” outros como “os pentecostais” e outros como “tradicionais” e assim vão crendo assim e assado; mas o que Jesus disse foi: Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre!” Essa vida de alegria, regozijo e satisfação interior é uma experiencia pessoal, íntima e particular e independe da plateia. Nas palavras do salmista, ele dizia aquilo consigo mesmo, falava dele para ele mesmo. Ele se auto convocava para bendizer ao Senhor e apontava uma quantidade de razões pelas quais ele deveria viver satisfeito e agradecido. Ali ele aponta os muitos lados e facetas do dia a dia de um adorador que vive num mundo cheio de mal e que sua vida é como a dos demais mortais, excetuando o modo como ele vive na sua relação de fé. Ele fala de perdão de pecados, então ele peca, erra também! Ele fala de cura de enfermidades, então ele adoece, sente mal, tem seus perrengues, sob a pressão, cuida da glicemia, etc. e tal. O que ele descreve é a vida de uma pessoa tal qual eu e você, nós, vós e eles… Nós, vivemos e servimos a Deus em meio a tudo que acontece em nossa vida; nossos trabalhos, empregos, desempregos, crianças, carros, oficinas, injeções, boas notícias, tristezas, tragédias vitórias e empates. Ninguém, em termos de cristãos e filhos de Deus, tem vida fácil nesse mundo, “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo 16.33). Levante-se, tenha bom ânimo, em Cristo nos seremos prevaleceremos e já está determinado que venceremos! Somos não apenas vencedores, mas mais do que vencedores. (Rm 8.37).

 

Oh! Minha alma, bendiga o Senhor por todos esses benefícios e todos aqueles que sem saber ele já tem providenciado para sua vida. Obrigado Pai, pelos amigos e irmãos de caminhada de fé, por aqueles que nos servem de estímulos e oram pela gente e estão sempre disponíveis para servir. Obrigado pela graça de te conhecer, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Filhos de Servos de Deus

Meditação do dia 12/09/2016

Sl 102.28 “Os filhos dos teus servos continuarão, e a sua semente ficará firmada perante ti.

Filhos de servos de Deus – Há um propósito eterno estabelecido por Deus através das gerações familiares. Famílias são instituições divinas e de muita importância no desenvolver dos planos de Deus, não só para a própria humanidade, mas para tudo o que Deus projetou. Na aliança estabelecida com Abraão, se firmou as bases para a bênção divina chegar a todas as famílias na face da terra. O pai da fé recebeu a promessa de ter uma descendência numerosíssima e muito abençoada, com garantias de duração eterna. “E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.2,3). Biologicamente a linhagem de Abraão são os israelitas atuais, mas a promessa espiritual foi feita abrangendo uma descendência, que se confirmou em Cristo. Nele, todos os que creem se tornam filhos de Deus, pela fé e descendentes, herdeiros diretos da fé de Abraão. No capitulo 9 de Romanos, Paulo trata da inserção da igreja, como sendo um galho diferente enxertado na Oliveira verdadeira, ficando assim os frutos com as mesmas características do tronco original. A igreja em sua maioria é formada por filhos de Deus de origem não israelita, ou gentia, como diziam eles, mas acolhidos em Cristo e tornados parte da família de Deus por adoção em Cristo Jesus. “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai” (Rm 8.14,15). É tão simplório comunicar hoje um evangelho que salva “as almas” e parece mais uma apólice de seguro contra o incêndio do inferno, sem permitir que as pessoas saibam da grandiosidade e da abrangência da obra de Cristo na cruz. Essas propostas evangelísticas dão a impressão que as igrejas são “agentes de viagens turísticas espirituais” que vendem pacotes para quem deseja conhecer o céu e passar lá uma temporada com tudo AL INCLUSIV. Os planos de Deus são para nós, para nossos filhos e os filhos de nossos filhos em gerações sucessivas firmadas diante dele. A maldita filosofia mundana de preparar os filhos apenas para arrumar um emprego e ficar estável lá até se aposentar, entrou para dentro dos círculos cristãos e agora a idéia e entregar a vida para Jesus, receber a salvação e se agarrar a isso e aguentar firme até o arrebatamento, pois daí em diante “nao tem mais perigo!” Assim estamos tendo gerações sucessivas de cristãos inertes, crise de vocacionados para assumir ministérios e a realidade da igreja de Laodicéia já mais do que uma realidade. Precisamos reagir, e rápido!

Jesus, a tua promessa é que estabelecerias a tua igreja e as portas do inferno não prevaleceria contra ela e sabemos que as tuas palavras são verdadeiras e fiéis. Sempre haverá um remanescente fiel e comprometido com a verdade e a justiça, por mais desafiador que seja. O Diabo com certeza semeou joio no meio da tua lavoura de trigo, mas isso não muda os teus planos e no devido tempo da colheita, serão separados um do outro, porque seus resultados são muito diferentes. Desperta, Senhor, homens de Deus para proclamarem a verdade de geração em geração e produzirmos gerações inteiras abençoadas e comprometidas com o reino e com o rei. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém.

Pr Jason

O Poder de um Olhar

Meditação do dia 11/09/2016

Sl 101.3 “Não porei coisa má diante dos meus olhos. Odeio a obra daqueles que se desviam; não se me pegará a mim.

O poder de um olhar – Os poetas dizem que os olhos são as janelas da alma; e eles tem razão, através dessas janelas, novos horizontes se descortinam diante de nós. Quanto mais as ciências médicas e humanas comportamentais se aprofundam em suas pesquisas e observações, mais verdades vão se descobrindo sobre o potencial e o poder de influencia do que é captado pelas lentes dos olhos. Graças a Deus por esses avanços, porque todas elas já estavam muito bem delineadas na Palavra de Deus e já havíamos sido advertidos e instruídos sobre o uso dos olhos. Jesus falou sobre a importância do olhar, comparando à importância da luz. “A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!” (Mt 6.22,23). Os pecados e transtornos comportamentais que produzem ações das mais abomináveis em nossa sociedade, estão diretamente ligadas em sua origem ao olhar, como a cobiça, a lascívia, a imoralidade sexual e etc. No nosso salmo de hoje, o autor apresenta uma tomada de decisão, que por si só, já tem uma função preventiva de erro e pecado. Não porei coisa má diante dos meus olhos; É nossa a responsabilidade pelo que deixamos entrar em nossa vida através do olhar. Tal qual o pensamento precisa ser vigiado e trabalhado para que não voe solto por aí, causando enormes transtornos e prejudicando até mesmo a saúde física e mental do indivíduo; assim também o olhar permissivo, sem filtros de controle e de auto controle, arruínam muita coisa. O livre e abundante acesso às fontes de informação de que dispomos hoje, possibilita o acesso a uma infinidade de informações que não saudáveis e nem úteis. Provavelmente o acesso a informações de conteúdo sexual, pornográfico e imoral tem destruído mais vidas, famílias e não são poucos os ministérios de confissões religiosas que se afundam diariamente nesse mar de lama e podridão moral. Quem disponibiliza isso tem suas intenções e o faz na certeza de que existe mercado consumidor. Cabe a mim e a você decidirmos o que queremos e também o que não queremos que entre em nossa casa, em nossa família e especialmente em nossas vidas. Quem determina o que é “coisa má diante dos meus olhos” sou eu mesmo, com base na minha intimidade com Deus e no valor que dou a esse relacionamento, e no conhecimento que sei em termos de periculosidade dessas coisas entrando na minha mente através dos meus olhos e se alojando na mente e nas emoções e no meu coração e depois influenciando o meu pensamento e as minhas ações. Jó, considerado o homem piedoso e paciente como ele só, afirma que fez um pacto, uma aliança com os seus olhos e por isso mesmo jamais o fixaria numa mulher que não fosse a sua esposa, pois isso era delito passível de julgamento.(Jó 31). Jó fez uma aliança, o salmista disse que não poria coisas erradas diante de seus olhos, eu também tenho feito isso e sou grato por essa decisão e os bons resultados práticos na minha vida. E você? A decisão é sua!

Pai de amor, obrigado pelo presente especial que é poder ver e contemplar as maravilhas da tua criação e com esse recurso poder aprender, apreciar e desfrutar de tantas coisas boas. Sabemos que o pecado vive à espreita para arruinar nossa amizade e comunhão e nos empurrar para um estilo de vida que o Senhor desaprova justamente porque estraga o bem que existe dentro de nós. Fazer bom uso dos dons que ganhamos é sinal de sabedoria e utilizar isso para sujar e contaminar todo o nosso interior não é bom. Oro ao Senhor intercedendo por aqueles que tem lutado contra vícios e hábitos tão pegajosos e infames, que tem estragado relacionamentos e levado muitos a viver com vergonha,  culpa e condenação. Em ti há perdão e restauração para todos que invocarem o teu santo nome; conceda-lhe uma graça libertadora através do poder do Espírito Santo, para vencerem o pecado e superarem as suas fraquezas. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason